Marina, Duquesa de Kent

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marina
Duquesa de Kent
A duquesa e o duque em 1934.
Cônjuge Jorge, Duque de Kent
Descendência
Eduardo, Duque de Kent
Alexandra de Kent
Miguel de Kent
Nome completo
Marina da Grécia e Dinamarca
Casa Windsor
Pai Príncipe Nicolau da Grécia e Dinamarca
Mãe Elena Vladimirovna da Rússia
Nascimento 13 de Dezembro de 1906
Atenas, Grécia
Morte 27 de agosto de 1968 (61 anos)
Palácio de Kensington, Londres, Inglaterra
Enterro Cemitério de Frogmore, Inglaterra

Marina, duquesa de Kent (13 de dezembro de 190627 de agosto de 1968), nascida princesa Marina da Grécia e Dinamarca, foi um membro da família real britânica e a esposa do príncipe Jorge, duque de Kent, o quarto filho de Jorge V e da rainha Maria de Teck.

A princesa Marina foi a última princesa estrangeira que entrou para a família real. As noivas subsequentes não pertenciam a casas reais.

Família[editar | editar código-fonte]

A princesa Marina nasceu em Atenas, Grécia. Seu pai foi o príncipe príncipe Nicolau da Grécia e Dinamarca, o terceiro filho de Jorge I da Grécia. Sua mãe foi a grã-duquesa Elena Vladimirovna da Rússia, uma neta do imperador Alexandre II da Rússia.

Ela foi batizada no final de 1906, e seus padrinhos foram: Jorge I da Grécia, o rei Eduardo VII, o príncipe André da Grécia e Dinamarca, o grão-duque Boris Vladimirovich, a então princesa de Gales e a grã-duquesa Vitória Feodorovna da Rússia.

Sua família era relativamente sem posses e foi forçada a exilar-se em Paris, com a queda da monarquia na Grécia, quando Marina tinha apenas onze anos.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Em 29 de novembro de 1934, ela desposou o príncipe Jorge, duque de Kent, na Abadia de Westminster, Londres. O casal teve três filhos:

No dia 25 de agosto de 1942, o duque de Kent morreu em um trágico acidente aéreo em Eagles Rock, perto de Dunbeath, Caithness, Escócia. Ele estava a serviço da Royal Air Force. Seu filho mais velho, Eduardo, passou a ser então o novo duque de Kent.

Viúva[editar | editar código-fonte]

Após a morte do marido, a duquesa de Kent continuou a ser um membro ativo da família real, realizando vários deveres reais e oficiais. Ela foi por muito tempo presidente da All England Lawn Tennis and Croquet Club, em Wimbledon.

Em março de 1957, quando Gana recebeu sua independência do Reino Unido, a duquesa de Kent foi apontada pela rainha Isabel II (Elizabeth II) para representá-la nas cerimônias. Cinquenta anos depois, seu filho mais velho Eduardo foi apontado para este mesmo papel.

Em setembro de 1966, quando o protetorado britânico da Bechuanalândia tornou-se a República da Botsuana, a duquesa de Kent foi novamente apontada pela rainha como representante da família real. O principal hospital público de Gaborone é chamado de "Hospital Princesa Marina".

De 1963 até sua morte, ela foi a primeira reitora da Universidade de Kent.

Mudança de título[editar | editar código-fonte]

Antes do casamento do segundo duque de Kent, seu primogênito, com Katharine Worsley, em junho de 1961, Marina anunciou que queria ser conhecida como Sua Alteza Real a princesa Marina, duquesa de Kent, em vez de Sua Alteza Real a viúva duquesa de Kent.

Com o casamento de Eduardo em 1934, a princesa Marina tinha se tornado Sua Alteza Real a duquesa de Kent, condessa de St. Andrews e baronesa Downpatrick. Ela permaneceu uma princesa da Grécia e Dinamarca simultaneamente.

Morte[editar | editar código-fonte]

A princesa morreu de tumor cerebral, no Palácio de Kensington, em 27 de agosto de 1968, aos sessenta e um anos. Encontra-se sepultada no Cemitério de Frogmore no Reino Unido.[1]

Títulos e honras[editar | editar código-fonte]

Coat of Arms of Marina of Greece and Denmark, Duchess of Kent.svg

Referências