Łuków

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Łuków
Łuków
POL Łuków COA (1920-2018).svg
Lukow wagzal Robert Wielgorski.jpg
Voivodia Lublin
Powiat Łukowski
Gmina Łuków
Área 35,75 km²
População (2010) 30 373 habitantes
Densidade 856 hab/km²
Código telefônico 25
Matrículas de automóveis LLU
Localização
Localização de Łuków na Polónia 51° 55' N 22° 23' E
Cidade da Polónia Flag of Poland.svg

Łuków é uma cidade da Polónia, na voivodia de Lublin e no condado de Łukowski. Estende-se por uma área de 35,75 km², com 30 373 habitantes, segundo dados de 2010[1], com uma densidade 856 hab/km².

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras menções sobre a cidade aparecem no ano 1223. Na metade do século XIII, Bolesław Wstydliwy instalou em Łuków os templários e ajudou na criação do bispado missionário. Mas com a agressão dos Cavaleiros Teutónicos, a diocese de Łuków existiu formalmente só nos anos 1254–1257.

A cidade foi destruída várias vezes por prussianos, tártaros e lituanos. A situação acalmou-se somente depois da assinatura da União polaco-lituana em 1385. Em 1369, o rei Casimiro o Grande concedeu a Łuków os direitos urbanos. Em 1403, outro rei polaco, Władysław Jagiełło concedeu os direitos baseados na lei de Magdeburgo. Os incêndios frequentes constituíram um obstáculo grave para o desenvolvimento da cidade. A documentação que se conservou até aos dias de hoje menciona que a cidade sofreu graves danos nos anos 1517, 1528 e 1533.

A época de maior prosperidade data do século XVI e da primeira metade do XVII. Na altura Łuków era famosa pela feira de pano e sua produção. O Dilúvio no século XVII provocou de novo a decadência da cidade.

A reanimação da economia local veio no século XVIII, quando Łuków voltou a ter o estatuto de castelania. No entanto, tudo mudou com outro incêndio que deflagrou em 1782 e que diminuiu consideravelmente a população da cidade (de 3000 para 1644 habitantes).

Łuków pode orgulhar-se de grandes êxitos na área da educação. Em 1701, a ordem dos Escolápios fundou um colégio de alto nível de ensino. Em 1733, foi construído um internato que alargou a infraestrutura da escola. Foi uma das primeiras escolas polacas que implantou as reformas de Comissão de Educação Nacional. As pessoas de destaque que passaram por esta escola foram Franciszek Salezy Jezierski, Bronisław Ferdynand Trentowski e Jan Krzysztof Kluk, entre outras.

Embora as condições de vida fossem relativamente precárias, os habitantes de Łuków sempre se destacaram pela postura patriótica, participando em revoltas e lutas pela independência. Depois do Levante de Novembro (1839) funcionava a Associação Patriótica organizada por jovens de Łuków e de Varsóvia. À frente do movimento estava Karol Levittoux, um finalista do colégio local. A detenção por parte dos russos da intriga foi o motivo da liquidação do liceu em Łuków e o seu traslado para a cidade de Siedlce.

A política de russificação, efetuada ao longo do século XIX, provocou a decadência no sistema escolar. Muitos habitantes cultos tentaram criar uma escola no edifício conventual junto à igreja da Ordem de Cister. Só em 1902 o curador autorizou a criação da escola de quatro anos com o polaco como cadeira suplementar. Ainda três anos antes se formou uma escola particular para meninas. A partir do ano escolar 1911–1912, graças ao empenho do presidente de uma associação escolar em Łuków, Stanisław Szałowski, pôs em marcha a Escola de Comércio. Foi um posto particular com o percurso escolar de quatro anos. Em 1916, acrescentaram mais dois anos e mudaram o nome para Escola Real. Enfim, em 1919, transformaram-na no Liceu Público de Tadeusz Kościuszko.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os nazis assassinaram os judeus locais que constituíam cerca de metade dos habitantes de Łuków. Na cidade e nos seus arredores funcionavam movimentos de resistência – AK, BCh e NSZ.

Depois da guerra, a indústria renasceu com a construção da fábrica de calçado — Łukbut e da grande fábrica de enchidos baseada em matéria-prima local — Łmeat. Até aos dias de hoje, mantêm-se a tradição das feiras às quintas e aos sábados. No início do século XXI, a Łukbut faliu. A Łmeat, por sua parte, passou para as mãos de um senador famoso, Henryk Stokłosa. Depois do ano 1990 foram fundadas muitas fábricas de enchidos e de calçado.

Referências

  1. (PDF) https://web.archive.org/web/20110805035920/https://stat.gov.pl/cps/rde/xbcr/gus/PUBL_l_ludnosc_stan_struktura_31_12_2010.pdf. Consultado em 13 de maio de 2012. Arquivado do original (PDF) em 5 de agosto de 2011  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Polónia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.