A26 (autoestrada)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


A 26 - Autoestradas de Portugal
Nome: Autoestrada do Baixo Alentejo
Traçado actual: Sines - Relvas Verdes
Traçado previsto: Sines - Beja
Tráfego médio diário: {{{TMD}}} Ano: {{{TMD_ano}}}
A 26
9 (28)
Cruza com: Concessionário: Regime:
 A 2  ,  A 26-1  ,  IC 1  ,  IC 33 , N 2 , N 121, N 259, N 261 , N 261-3 Estradas da Planície
Gratuito (9 km)
Portagens físicas (19 km)[1]
Mapa do traçado actual da auto-estrada A 26.

A A 26  – Autoestrada do Baixo Alentejo é um projeto de construção de uma autoestrada. Quando construída, estará integrada no itinerário IP 8  em toda a sua extensão, e no IC 33 no troço entre Santiago do Cacém e Roncão.

Quando concluída, esta autoestrada fará a ligação entre as cidades de Sines e Beja, passando por Santiago do Cacém e Ferreira do Alentejo. Era suposto desempenhar um duplo papel: por um lado, no escoamento de produtos do porto e da refinaria de Sines, e por outro na aproximação da cidade de Beja e do seu aeroporto à autoestrada  A 2  e, por conseguinte, à capital Lisboa.

Os únicos troços construídos desta autoestrada localizam-se entre Sines e Relvas Verdes e entre a saída de Grândola Sul da autoestrada  A 2  e Figueira de Cavaleiros.

A  A 26  será, num futuro indeterminado, expandida até Beja, através de um troço com portagens que iria cruzar as paisagens do Baixo Alentejo. O final das obras estava previsto inicialmente para Setembro de 2012, mas o aparecimento de problemas relativos ao financiamento das mesmas no final de 2011 [2] atrasou os prazos previstos, tendo a conclusão da empreitada sido adiada pelo menos até 2016. Tal coisa não aconteceu, e atualmente as obras estão canceladas.

História[editar | editar código-fonte]

  • Em 2009-07-31, foi lançada a empreitada do lanço A, a ligação Nó de Roncão (IC33)/Nó de Grândola Sul (IP1).[3]
  • A 2010-08-31, foi anunciado que a construção do IP 8, uma ligação rodoviária entre Sines e Beja com perfil de auto-estrada e portagens, já teria começado.[3] A obra representava um investimento de 257 milhões de euros, e a sua abertura ao tráfego estava prevista para 2012.[3]
  • A 2011-12-19, o secretário de Estado das Obras Públicas Sérgio Silva Monteiro reconheceu que à data havia trabalhos suspensos nas obras da subconcessão Baixo Alentejo, devido à “dificuldade” da concessionária, o consórcio Estradas da Planície, em obter financiamento junto dos bancos, um problema ao qual Estado seria “completamente alheio”.[2]
  • A 2012-09-18, a Estradas de Portugal anunciou que chegou a acordo com o consórcio Estradas da Planície relativamente à subconcessão do Baixo Alentejo. Este acordo traduziu-se na retirada da subconcessão e suspensão dos trabalhos de construção dos lanços entre Relvas Verdes e Grândola, e entre Santa Maria do Sado e Beja.[4]
  • A 2012-12-16, a Estradas de Portugal (EP) descreveu a decisão de construir a autoestrada A26 como "um equívoco técnico", porque "o tráfego previsto não justificava a criação de uma autoestrada dispendiosa para ficar literalmente sem trânsito".[5] A EP também referiu os 35 milhões de euros gastos até à data não foram "dinheiro investido", "mas sim fundos mal aplicados, que nunca trariam qualquer benefício significativo à economia".[5] Sobre o cancelamento das obras, a EP referiu que permitiu poupar "cerca de 60 milhões de euros" aos contribuintes.[5]

Estado dos troços[editar | editar código-fonte]

Troço Situação (2018) km Inauguração Concessão
Sines - Relvas Verdes Em serviço. 
9
2015
Baixo Alentejo
Relvas Verdes - Roncão Construção cancelada por alegado equívoco técnico. Abertura no PNI2030.  
15,1
--
--
Roncão - Grândola sul ( A 2  ) Construção cancelada por alegado equívoco técnico. Abertura no PNI2030.  
22
--
--
Grândola sul ( A 2  ) - Figueira dos Cavaleiros Construção do troço completa; pendente da conclusão das obras na praça de portagens da A2. Abertura: segundo semestre de 2018.
19
Setembro de 2018
Baixo Alentejo
Figueira dos Cavaleiros - São Brissos Construção cancelada por alegado equívoco técnico. Abertura no PNI2030.  
26,5
--
--
São Brissos - Beja Construção cancelada por alegado equívoco técnico.  Abertura no PNI2030.  
5,2
--
--

Perfil[editar | editar código-fonte]

Troço Perfil Extensão
Sines - Santiago do Cacém (oeste)
Spain traffic signal s11a.svg
9 km
Sines - São Brissos (Beja)
Spain traffic signal s11a.svg
X 94 km

Nós de ligação[editar | editar código-fonte]

Sines - Beja[editar | editar código-fonte]

Número da Saída km Destinos Estrada que liga
502 0.svg 0 Sines
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg 1 0 Sines (centro)
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg 2 3 Sines (sul)
Vila Nova de Santo André
N 120-4
N 261-5 (X  A 26-1 )
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg 3 5 Barbuda N 261-3
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg 4 10 Monte da Boavista
Portuguese traffic sign end motorway.jpg 10 direcção
Grândola
 IC 33 
Santiago do Cacém / Grândola
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 12 Santiago do Cacém (oeste)
Relvas Verdes
N 261-3
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 17 Santiago do Cacém (norte)
Santo André
N 261
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 20 Santa Cruz
Ademas
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 26 Roncão
Grândola
 IC 33 
Spain traffic signal tp18.svgGrândola/Figueira de Cavaleiros
502 0.svg 48 Grândola / Ourique
Lisboa / ALGARVE
 IC 1 
 A 2 
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg 9 48 Grândola / Ourique
Lisboa / ALGARVE
 IC 1 
 A 2 
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg 10 55 Santa Margarida do Sado N 259
Portuguese traffic sign end motorway.jpg Spain traffic signal r402.svg 60 direcção
Beja
IP8 / N 259
Figueira de Cavaleiros/Beja
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 67 Figueira dos Cavaleiros N 259
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 75 Ferreira do Alentejo N 2
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 89 Beringel N 121
Sinnbild Autobahnausfahrt.svg X 94 São Brissos
Beja
aeroporto
N 121

Áreas de Serviço[editar | editar código-fonte]

  • Aire d'autoroute - station essence.png X Área de Serviço de Santiago do Cacém (construção cancelada, km 22)
  • Aire d'autoroute - station essence.png X Área de Serviço de Ferreira do Alentejo (construção cancelada)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Relatório de Conformidade Ambiental (RECAPE) da A 26 - Sines / Santiago do Cacém (Nó de Relvas Verdes) - [1]
  2. Relatório de Conformidade Ambiental (RECAPE) da A 26 - Santiago do Cacém (Nó de Relvas Verdes) / Nó de Roncão - [2]
  3. Relatório de Conformidade Ambiental (RECAPE) da A 26 - Nó do Roncão / Grândola Sul - [3]
  4. Relatório de Conformidade Ambiental (RECAPE) da A 26 - Grândola Sul / Figueira dos Cavaleiros - [4]
  5. Relatório de Conformidade Ambiental (RECAPE) da A 26 - Figueira dos Cavaleiros / São Brissos (Beja) - [5]
  6. Resumo Não-Técnico do Estudo de Impacto Ambiental da A 26 - São Brissos / Beja e do IP 8 - Beja / Baleizão - [6]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. O troço entre Figueira de Cavaleiros e Grândola terá portagens físicas.
  2. a b «Obras suspensas na A26 e no IP2 no Baixo Alentejo por "dificuldade" da concessionária em obter financiamento». Público. 19 de dezembro de 2011. Consultado em 31 de março de 2014. 
  3. a b c «Auto-estrada entre Sines e Beja abre em 2012». Oje. 31 de agosto de 2010. Consultado em 31 de março de 2014. 
  4. «Governo abandona autoestrada entre Sines e Beja». Diário do Alentejo. 21 de setembro de 2012. Consultado em 31 de março de 2014. 
  5. a b c «Construção da A26 entre Sines e Beja foi equívoco técnico». Diário de Notícias. 16 de dezembro de 2012. Consultado em 28 de fevereiro de 2018.