André Fernandes de Moura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
André Fernandes
Deputado estadual do Ceará
Período 1 de fevereiro de 2019
até a atualidade
Dados pessoais
Nome completo André Fernandes de Moura
Nascimento 10 de dezembro de 1997 (22 anos)
Iguatu, Ceará
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Marilene Fernandes
Pai: Alcides Fernandes
Cônjuge Luana Fernandes
Partido PATRI (2017-2018)
PSL (2018-2020)
Republicanos (2020-presente)
Religião Evangélico
Profissão Youtuber e político

André Fernandes de Moura (Iguatu, 10 de dezembro de 1997) é um político brasileiro, filiado ao Republicanos. Em 2018, foi eleito deputado estadual pelo estado do Ceará.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

André Fernandes de Moura, nasceu no dia 10 de dezembro de 1997, na cidade de Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará. Filho de Alcides Fernandes e Marilene de Moura Fernandes. Nascido num lar evangélico, seu pai é pastor da Assembleia de Deus e sua mãe é vendedora. Ele se formou em Marketing e atualmente cursa MBA em Marketing Digital (UNIFOR), graduação em Bacharelado em Ciência Política (UNINTER) e começou recentemente seu terceiro curso: Gestão Pública (UNINTER).[2][3]

Ficou conhecido pela publicação de vídeos humorísticos no YouTube e Facebook, e mais tarde, de vídeos com temática política onde, entre outros temas, militava a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a favor da candidatura do presidente Jair Bolsonaro.[4] Nas eleições de 2018, André foi eleito para o cargo de deputado estadual do Ceará pelo PSL, angariando 109.142 votos, tornando-se, assim, o mais votado do estado e, aos 20 anos, o mais jovem deputado estadual eleito do país naquele pleito.[5][6]

Apesar de ser filiado ao PSL, o deputado divulgou em suas redes sociais que deixará o partido para acompanhar o presidente Jair Bolsonaro em seu novo partido, Aliança Pelo Brasil, que ainda está em processo de criação e teve a sua primeira convenção nacional em 21 de novembro de 2019.[7]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Processo por abuso de poder religioso[editar | editar código-fonte]

O Ministério Público Eleitoral pediu a inelegibilidade de André Fernandes por abuso de poder religioso. O então candidato foi acusado de ter condutas de abuso de poder econômico, na modalidade abuso de poder religioso, por eventos religiosos realizados em Iguatu, Maracanaú e Solonópole, em que teria se beneficiado de publicidade extraoficial ao ser exaltado no contexto de diversos cultos religiosos, perante milhares de fiéis presentes no local, proporcionando invejável e ilegítimo favorecimento. André Fernandes negou abuso de poder religioso, classificando o processo como achismo e afirmando que tudo o que fez é permitido pela lei.[8][9]

Em 2019, por unanimidade, os desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará julgaram como improcedente a ação que pedia a cassação do mandado parlamentar de André Fernandes. A Corte afirmou que os vídeos que demonstrariam abuso do poder religioso não continham gravidade necessária para configurar ilícito eleitoral.[10][11]

Camilo Santana[editar | editar código-fonte]

O governador do Ceará, Camilo Santana, do PT, entrou com representação criminal contra André Fernandes por calúnia, difamação e injúria. Segundo o documento, o deputado, para além da crítica política, tem usado as redes sociais para divulgar mentiras e ofender a imagem do governador.[12]

Nezinho Farias[editar | editar código-fonte]

André Fernandes acusou, sem provas, o deputado estadual Nezinho Farias, do PDT, de ter envolvimento com o crime organizado. Por isso, Fernandes acabou sendo condenado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Assembleia Legislativa do Ceará a cumprir uma pena de 30 dias de afastamento das atividades parlamentares. A punição, no entanto, ainda precisa ser aprovada em plenário.[13][14] O deputado estadual Nezinho Farias também moveu uma ação cível de reparação de danos, sendo considerada procedente na justiça em primeira instância, condenando Fernandes a pagar R$ 8 mil ao deputado estadual por danos morais.[15]

Coronavírus[editar | editar código-fonte]

André Fernandes divulgou dados errados sobre o número de doenças respiratórias no Ceará em suas redes sociais em uma tentativa de relativizar e minimizar as mortes causadas pela pandemia da COVID-19 no estado. A mensagem, compartilhada pelo Presidente da República Jair Bolsonaro, afirmava que, entre 16 de março e 10 de maio de 2020, houve menos mortes por doenças respiratórias no Ceará do que no mesmo período em 2019, sugerindo que o número de mortes por doenças respiratórias é menor com a pandemia. A publicação foi ocultada pelo Instagram e classificada como informação falsa.[16][17] Segundo a Agência Lupa, de checagem de informações, além de desatualizados, os números citados pelo deputado e compartilhados pelo presidente incluem mortes por outras causas, ou seja, sem relação com problemas respiratórios.[18]

André Fernandes admitiu em sua conta no twitter que cometeu um "erro não intencional". O governador do Ceará, Camilo Santana, criticou o compartilhamento da fake news, classificando a ação como "inaceitável, principalmente em meio a gravíssima crise". A Secretaria de Saúde do Ceará classificou as atitudes do deputado e de Bolsonaro como levianas.[19] Por esse fato, o PSOL pediu a instauração de um processo disciplinar contra o deputado, além disso médicos pediram, em um abaixo-assinado enviado à Assembleia Legislativa, a sua cassação.[20]

Osmar Baquit[editar | editar código-fonte]

Em 2017, o deputado estadual Osmar Baquit, do PDT, foi acusado por Capitão Wagner na Assembleia Legislativa de ser membro de uma quadrilha especializada em assaltos a instituições financeiras com atuação em Quixadá, município que é uma das bases eleitorais de Baquit, e de ter queimado uma emissora de rádio no local.[21] André Fernandes replicou o que foi noticiado e Osmar prometeu processá-lo e seu partido está preparando nova representação por quebra de decoro parlamentar contra André Fernandes na Assembleia Legislativa do Ceará.[22]

Perseguição e Suspensão[editar | editar código-fonte]

Em 20 de agosto de 2020, o deputado estadual André Fernandes foi suspenso de suas atividades parlamentares por 30 dias por encaminhar uma denúncia ao Ministério Público e logo após, o órgão vazar a informação à imprensa. Foram 29 votos sim, 11 não e 4 abstenções.[23] Votaram a favor da suspensão, principalmente deputados de esquerda e ligados à Ciro Ferreira Gomes: Acrísio Sena (PT), Agenor Neto (MDB),Antônio Granja (PDT), Augusta Brito (PCdoB), Bruno Gonçalves (PL), Bruno Pedrosa (PP), Carlos Felipe (PCdoB), Elmano Freitas (PT), Érika Amorim (PSD), Evandro Leitão (PDT), Fernando Santana (PT), Guilherme Landim (PDT), Jeová Mota (PDT), João Jaime (DEM), Leonardo Pinheiro (PP), Manoel Duca (PDT), Marcos Sobreira (PDT), Moisés Braz (PT), Nezinho Farias (PDT), Nizo Costa (PSB), Osmar Baquit (PDT), Patrícia Aguiar (PSD), Queiroz Filho (PDT), Renato Roseno (PSOL), Romeu Aldigueri (PDT), Salmito (PDT), Sérgio Aguiar (PDT), Tadeu Oliveira (PSB), Walter Cavalcante (MDB).[24]

Por ser um deputado atuante de oposição ao Governo no Ceará, pelo descumprimento às recomendações sanitárias no combate à pandemia de COVID-19 e pelas supracitadas acusações de abuso religioso, alguns deputados estaduais tentam cassar o seu mandato.[25]

Referências

  1. «André Fernandes - 17777». Gazeta do Povo. 2018. Consultado em 23 de março de 2019 
  2. «Aos 20 anos, youtuber cearense André Fernandes é o deputado mais jovem do Brasil». Diário do Nordeste. 8 de outubro de 2018. Consultado em 10 de janeiro de 2020 
  3. «Aos 20 anos, youtuber cearense André Fernandes é o deputado mais jovem do Brasil». Diário do Nordeste. 8 de outubro de 2018. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  4. «De humorista da internet a militante pró-Bolsonaro: quem é André Fernandes». O Povo. 9 de fevereiro de 2018. Consultado em 23 de março de 2019 
  5. «Conheça a nova composição da Assembleia Legislativa do Ceará». G1. 8 de outubro de 2018. Consultado em 23 de março de 2019 
  6. «Deputado estadual mais jovem eleito no país, youtuber critica órgão que fiscaliza policiais no Ceará». G1. 8 de outubro de 2018. Consultado em 23 de março de 2019 
  7. «Novo partido de Bolsonaro recoloca André Fernandes na disputa de Fortaleza». Focus.jor. Consultado em 17 de novembro de 2019 
  8. «MPE pede inelegibilidade de André Fernandes por abuso de poder religioso - Política» 
  9. «Ministério Público pede inelegibilidade de André Fernandes, youtuber eleito deputado estadual» 
  10. «Por unanimidade, TRE-CE absolve deputado estadual André Fernandes (PSL) acusado de abuso religioso». 8 de outubro de 2019 
  11. «TRE-CE absolve deputado André Fernandes da acusação de abuso do poder religioso». 8 de outubro de 2019 
  12. «Camilo entra com ação criminal contra André Fernandes por calúnia e injúria». 25 de novembro de 2019 
  13. Povo, O. (11 de maio de 2020). «Deputados cearenses cobram votação sobre suspensão de André Fernandes» 
  14. «Processo disciplinar contra o deputado estadual André Fernandes chega à fase final. A pena sugerida é uma suspensão de 30 dias - Blog Edison Silva» 
  15. Povo, O. (20 de dezembro de 2019). «Deputado André Fernandes é condenado em ação indenizatória por dano moral» 
  16. «Rede social classifica como fake news mensagem compartilhada por Bolsonaro» 
  17. Povo, O. (12 de maio de 2020). «André Fernandes diz que erro não foi intencional, ataca imprensa, mas ignora defasagem de dados» 
  18. «[Agência Lupa] #Verificamos: É falso que, no Ceará, o número de mortes por doenças respiratórias diminuiu em 2020». 11 de maio de 2020 
  19. Povo, O. (12 de maio de 2020). «"Não é a postura que se espera de um chefe de Estado", diz Camilo sobre fake news compartilhada por Bolsonaro» 
  20. Povo, O. (20 de maio de 2020). «Médicos pedem, em abaixo assinado, a cassação do mandato de André Fernandes; Psol também entra com representação contra parlamentar». Politica. Consultado em 22 de maio de 2020 
  21. «Osmar Baquit e Capitão Wagner trocam acusações na Assembleia Legislativa». CN7 - Sem medo da notícia. 12 de julho de 2017. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  22. Povo, O. (12 de maio de 2020). «PDT prepara nova representação contra André Fernandes por quebra de decoro parlamentar». Politica. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  23. Povo, O. (20 de agosto de 2020). «Deputado André Fernandes: Assembleia vota suspensão; assista ao vivo». Politica. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  24. Povo, O. (20 de agosto de 2020). «Como votaram os deputados estaduais sobre a suspensão de André Fernandes». Politica. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  25. «André Fernandes, o "perseguido"». OPOVO Mais. 3 de junho de 2020. Consultado em 30 de julho de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.