Caio Fábio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Caio Fábio D'Araújo Filho)
Caio Fábio
Caio Fábio D'Araújo Filho
Nascimento 15 de março de 1955 (67 anos)
Manaus, AM
 Brasil
Residência Lago Norte, Distrito Federal
Cônjuge Alda Rammensee (1974-1998),
Adriana D'Araújo (desde 2000)
Ocupação Pastor,
Televangelista,
Escritor,
Teólogo,
Psicanalista
Principais trabalhos Sem Barganhas com Deus,
Programa Papo de Graça,
Movimento Caminho da Graça
Prêmios Prêmio PNBE
Escola/tradição Presbiterianismo (até 2003)
Principais interesses Jesus,
Cristianismo,
Cultura judaica,
Calvinismo,
Psicanálise,
Evangelização
Ideias notáveis Jesus como chave hermenêutica,
O evangelho como superação da religião e da barganha
Página oficial
http://www.caiofabio.net

Caio Fábio D'Araújo Filho (Manaus, 15 de março de 1955), mais conhecido como Caio Fábio é um escritor, psicanalista, ex-pastor presbiteriano[1] brasileiro e ativista de uma reforma no cenário evangélico atual. Foi presidente e fundador da Associação Evangélica Brasileira (AEVB), idealizador da Visão Nacional de Evangelização (VINDE), membro do Pacto de Lausana e mentor do grupo Movimento Caminho da Graça, que possui subestações espalhadas pelo Brasil e pelo mundo, até 2021. Caio Fábio tem mais de 45 anos de ministério, durante os quais lançou mais de 130 livros.[2] Cristão sem-filiação, Caio propõe Jesus como chave hermenêutica de compreensão da vida e das Sagradas Escrituras.[3] Prega a centralidade de Cristo, como reconciliador da humanidade.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Manaus, capital de Amazonas, é filho do advogado, pastor e ex-procurador da república Caio Fábio D'Araújo e da professora aposentada e autora do livro "O que faço não o sabes agora", Lacy Silva D´Araújo. O pai se converteu à Igreja Presbiteriana em 1967, posteriormente a toda família. Ele foi ordenado ao ministério em 10 de janeiro de 1971. O filho, embora já frequentasse a igreja, se batizou apenas em 1973 (na mesma igreja do pai).

Em 1974, aos 19 anos, Caio Fábio casou-se com a terapeuta Alda Maria Fernandes e com ela teve cinco filhos: Ciro, Davi, Lukas, Juliana (filha adotiva) e outro que morreu recém-nascido. O casamento durou até 1998. O filho Lukas morreu atropelado por automóvel aos 23 anos, no dia 27 de março de 2004. É casado há mais de duas décadas com a também pastora Adriana D'Araújo.[4]

No início de 1977, foi ordenado pastor presbiteriano aos 22 anos, ao apresentar a tese que tratava da salvação dos pagãos fora da religião, embora ainda, não houvesse passado por um seminário. Mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro em 1978, onde fundou a Visão Nacional de Evangelização (VINDE), organização evangelística que lhe serviu de apoio por muito tempo ao seu ministério de evangelização, por meio da qual realizou congressos e cruzadas em todo o Brasil.[carece de fontes?]

Na época, foram 60 livros e 76 conferências publicados, que na qual venderam mais de 6 milhões de exemplares, e que doava 90% dos direitos autorais para organização não-governamental VINDE.[5] Em 1994, em gesto polêmico, passou a embolsar a totalidade do dinheiro ganho em seus livros e conferências. Em declaração à revista Veja em 1999, justificou: "Eu seria hipócrita, pois meus filhos estavam crescendo e tinham novas necessidades".[5]

Conseguiu concessão de canal a cabo na Globo Cabo no Rio de Janeiro. A TV Vinde entrou no ar em dezembro de 1996. Para viabilizá-la financeiramente, o Canal vendia comerciais e recebia doações .[5]

Em 1999, foi morar em Miami, Flórida, onde voltou a pregar.[carece de fontes?]

Retorno ao Brasil[editar | editar código-fonte]

Posteriormente de ter fundado a VINDE, passou também a ser voltada para a assistência social. Lançou o livro "Sem Barganhas com Deus" e vivenciou a efervescência cristã durante a anos 80, momento no qual já era um preletor requisitado, participando de muitos congressos evangélicos, como o Congresso Ibero-Americano de Missões em 1986. Em dezembro de 1988 retirou-se do Brasil para estudar nos Estados Unidos[6], retornando após ter participado do Congresso de Evangelismo na União Soviética, em 1990, e após o Plano Collor em julho de 1990, encontrando outra igreja. O Brasil experimentava a explosão do neopentecostalismo, especialmente com a TV Record e as Rádios da Igreja da Universal.[7] Encontrou-se novamente com os amigos evangélicos e propuseram uma nova unidade cristã, criando em 1991 a Associação Evangélica Brasileira (AEVB), da qual Caio tornou-se presidente por oito anos, tendo participado de mais congressos, como o 1º Congresso Nacional da AEVB (no livro "A Igreja Evangélica na Virada do Milênio", contém as palestras proferidas naquele congresso) entre outros. A Associação Evangélica Brasileira começou no Centro de Professorado Paulista em maio de 1991 e em 92 já reunia quase 150 mil pastores de todas as denominações, vinculados à AEVB, bem como quase todas as denominações. Algumas foram impedidas de participar da AEVB. Segundo Caio:

Todas, menos a Madureira, porque o Manoel Ferreira era e é um bandido. E eu conheci o banditismo dele a fundo. Fui proctologista de pessoas da casa dele, de modo que eu sabia que aquele homem não era do bem. E quando ele pediu para entrar na EVB eu falei: "Desculpa Manoel, mas você não. Não dá porque se você entrar aqui é melhor a gente não começar nada, porque para continuar do jeito que está é só continuar e eu não quero organizar algo para você entrar e estragar". O segundo foi o Macedo, me chamou e disse: "Eu quero entrar na sua organização que você está criando!", Olha Macedo nós estamos criando esta organização justamente por tua causa. Porque se nós não dissermos o que é a igreja evangélica agora, e não determinarmos a luz do evangelho o conteúdo básico do evangelho agora, daqui a vinte anos, quando se falar em evangelho se vai falar em ti, com tuas barganhas, tuas mentiras, tua ausência de Cristo, de Cruz, de arrependimento, de Jesus, de tudo isto. Falei, falei e falo.[8]
- Caio Fábio.

Ataques ao projeto Fábrica de Esperança[editar | editar código-fonte]

Caio Fábio fundou a Fábrica de Esperança, projeto de assistência social implantado na favela Acari, no Rio de Janeiro, atendendo 15 mil adolescentes por mês.[5] Depois de mais 10 anos no Rio de Janeiro, voltou para Manaus em 1994, onde posteriormente foi convidado a ser televangelista no programa religioso na TV RBN Manaus (hoje Boas Novas Manaus), na qual a Rede Boas Novas era transmitida nas parabólicas e afiliada à Rede Manchete. Foi apresentador até 1996. Chegou a ter um patrimônio de 5 milhões de dólares, o qual doou todo para a igreja e para as obras do Evangelho.[5]

Entre 1995 e 1996, a Polícia Militar encontrou grande quantidade de papelotes de cocaína nas dependências da "Fábrica" que tinha uma área enorme, entre 45 mil metros de área coberta e 55 mil metros de área total. Fazia fronteira com a favela do Acari. O então governador do Rio de Janeiro, Marcello Alencar, acusou os funcionários da "Fábrica" de conivência com o narcotráfico do Complexo do Acari, porém nada foi provado.[9] A decadência da "Fábrica" veio em 1998, quando o pastor Caio Fábio (com apoio amplo da sociedade e contado à governador) foi apontado como o divulgador do dossiê Cayman.[10] Alguns meses depois, a luz foi cortada e os funcionários ficaram nove meses sem salários, sendo o prédio desapropriado pelo governo estadual.[11]

Anos 2000 em diante[editar | editar código-fonte]

Em 2003, ao próprio pedido, foi exonerado do ministério da Igreja Presbiteriana do Brasil.[12] Pertenceu a denominação sendo membro da Catedral Presbiteriana do Rio, que foi pastoreada pelo reverendo Guilhermino Cunha, com quem tem uma estreita amizade até os dias atuais. Por conta da proximidade que possuía com Guilhermino, Caio pregava na referida igreja pelo menos uma vez por mês.[13] Após deixar o ministério pastoral, Caio rompeu definivamente com o Movimento Protestante tornando-se o mentor espiritual do movimento Caminho da Graça, um movimento cristão não institucionalizado e religioso, formado em sua maioria, por ex-evangélicos.[14]

Ainda em 2003, Caio começa a escrever textos e responder perguntas dos internautas[15], através do portal caiofabio.net[16], se tornando popular por seus posicionamentos tidos como polêmicos para o cristianismo, com uma postura irreverente e sem tabus.

Caio Fábio, inicia em 2008 a Vem e Vê TV[17], um canal cristão sem vínculo religioso, onde Caio passa a transmitir o programa Papo de Graça, iniciado em 2009, que tem como objetivo a pregação do evangelho. O programa se expandiu para outras mídias digitais, onde prossegue até os dias atuais, pregando e respondendo perguntas.

No dia 24 de maio de 2017, o pastor Caio Fábio foi encaminhado a prisão, como parte do cumprimento da sentença de quatro anos expedida pela Justiça Eleitoral em 2011 e depois confirmada em instâncias superiores, por calúnia no caso do Dossiê Cayman, sendo liberado após quatro dias.[18]

Em janeiro de 2019, Caio Fábio deixa oficialmente a presidência do Caminho da Graça, permanecendo com mentor espiritual do movimento.[19][20][21]

Acolhimento aos cristãos desinstitucionalizados[editar | editar código-fonte]

“A igreja sou eu, é você, somos nós”, Caio Fábio

A desinstitucionalização cristã no Brasil aumentou muito nas últimas décadas, e a partir dos anos 2000, acolheu-os dando origem à Comunidade Caminho da Graça. O movimento destacou-se por reunir centenas de pessoas outrora vinculadas à igreja evangélica, sob um discurso de aversão aos moldes evangélicos tradicionais, relacionados principalmente a uma crítica à igreja enquanto instituição física. Dessa forma, o Caminho da Graça fora elencado justamente por se caracterizar não só desinstitucionalizado, mas desinstitucionalizante e acolhedor dos Ex-evangélico. A configuração e as reuniões do movimento se destacam por uma série de peculiaridades que, em muitos sentidos, se diferenciam da igreja institucional, enfatizando sobretudo a importância do indivíduo enquanto experimentador do religioso, do Deus, em detrimento do papel dado à instituição outrora.[22] Caio Fábio, a despeito disso, direcionara essa tarefa exatamente como um dos objetivos do movimento:

Por isso vão surgindo pessoas aos milhares que vão se organizando nas próprias casas e que não tem nada a ver com o Caminho da Graça, do ponto de vista de vínculo objetivo, de pertencimento a este movimento do Caminho da Graça. […] eu nunca tive o desejo de criar uma denominação, nada disso, Deus me livre. […] O que é que os grupos do Caminho da Graça fazem para que eles existam? Qual a missão deles hoje? Nunca foi reunir todo mundo que me ouve e que ouve o evangelho e diz: eu quero. Não dá, ia virar um negócio monstruoso, ia virar aquilo do que saímos e para o que não queremos retornar. Pois bem. Então, o Caminho da Graça, nos seus grupos, serve para estabelecer modelos que as pessoas podem visitar e reproduzir. Algo que não é grande, é pequeno, é gostoso, é fraterno, é alegre, é íntimo, é simples, é no evangelho".[23]
- Caio Fábio

Ao contrário da ética burocrática de expansão da igreja institucional, o Caminho da Graça experimenta projeção em vias informais, muito ligadas à propagação catalisada pela Internet, especialmente à criação da web TV “Vem e Vê TV”, em 2006, vinculada ao site de caiofabio.net.

O Caminho da Graça parece demonstrar que, na segunda modernidade, mesmo a experiência religiosa cristã - nesse caso, não religiosa - não se limita unicamente à igreja como sua instituição de origem, de maneira que essa tende a perder o monopólio mesmo sobre aquilo que restara sob seus cuidados com a secularização, a saber, os bens religiosos. A crença do movimento, na realidade, longe de redundar numa estipulação institucional local, perpassa a compreensão de pertencimento a uma realidade maior, composta por aqueles que “se libertam das amarras institucionais”, para os quais o Caminho da Graça se apresenta apenas como uma espécie de “modelo”.

O caminho da graça atualmente abriga pessoas não religiosas e principamente Ex-evangélico.

Hermenêutica cristocêntrica[editar | editar código-fonte]

Caio inaugurou um novo tipo de hermenêutica, tomando o Cristo como chave interpretativa de textos religiosos, filosóficos e do sentido das palavras. Deste modo, sua proposta vai além da mera concepção de estabelecer uma pregação cristocêntrica[24] (articulando a palavra Jesus e cintando suas parábolas), mas a própria análise e síntese do conteúdo é inteiramente cristocêntrica. A essência desta hermenêutica pode ser extraída das próprias palavras de Cristo: "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim". (João 14:6).[25] e também “Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar” (Mt 11.27).[26]

Há paradoxo. Cristo é a síntese - se é que a terminologia serve para essa função descritiva - e a Graça é o elemento hermenêutico e epistemológico que me faz aproximar do texto. E a conclusão desse processo-des-proces-suado tem que convergir para uma única percepção: se Jesus é o Logo encarnado, então, a interpretação de toda a Escritura só pode acontecer na vida-interpretativa que Jesus viveu, e as próprias palavras de Jesus só podem ser entendidas como tendo sua concreção no Evangelho vivido por Jesus de Nazaré, [...] - Caio Fábio, Sem barganhas com Deus, pág.11.

Para Caio, este tipo de interpretação e pregação se justifica porque em boa parte dos púlpitos, os pregadores não assumem o compromisso de confrontar a real idolatria, o pecado e a heresia por meio de Jesus. Ao contrário, se preocupam mais com os resultados visíveis, com o que agrada às pessoas e as aprisiona dentro dos templos como dizimistas. Deste modo, as igrejas cristãs promovem esoterismos e práticas pagãs, assim institucionalizam e escravizam as pessoas. Por isso não investem em pregar o que é necessário para uma genuína transformação de conduta, libertação e evangelização.[27]

Os seguintes princípios incorporam a ideia de Jesus como chave hermenêutica:[28]

  • 1. Jesus é o Caminho e o centro do Evangelho, do qual deve-se partir e deve-se retornar.
  • 2. Deve-se ler existencialmente a Bíblia como tendo seu espírito realizada em Cristo. (Ele veio para cumprir tudo. Cumpriu?)
  • 3. Deve-se ler as "falas" de Jesus e não somente fazer exegese do texto. Antes disso, deve-se perguntar: qual o significado dessas palavras para Jesus?
  • 4. Todos os textos e formas de pensamentos são redutíveis às palavras, comportamento e atitude de Jesus. (O que Ele disse, ele viveu; e o que Ele viveu, é o que Ele disse).
  • 5. Não se pode barganhar com Deus para obter interpretações ou bênçãos.

Críticas ao calvinismo[editar | editar código-fonte]

Caio que chegou a pertencer ao movimento calvinista brasileiro, como presbiteriano, tem feito fortes críticas ao calvinismo tradicional e contemporâneo, sobretudo no que tange a questão da predestinação e sua dinâmica interpretativa.

[...] o calvinismo não é revelação de Deus, sendo apenas um grande esforço humano para entender e sistematizar o insistematizável.
[...] A Soberania de Deus e a Graça de Deus são a mesma coisa; embora, no calvinismo, a Graça seja quase um departamento central de Deus, mas ainda sob o comando de uma “instância” chamada de “Soberania”. Assim, para muitos calvinistas a Soberania de Deus se associa ao poder Dele de saber tudo, ver tudo e antecipar tudo desde sempre. Entretanto, enquanto se perdem em tais divagações que apenas nos remetem para doutrinas de angustia e aflição, ou de jactância e eleição orgulhosa, não percebem que a Soberania de Deus, antes de tudo, é a liberdade de Seu amor, e não as demonstrações de Seu poder. O “Deus” soberano dos “calvinistas” acaba sendo um Hercules com onisciência, onipotência, e onipresença. Mas, apesar disso, é Doido, e Nele não se pode confiar, mas apenas desconfiar... enquanto se diz que se é salvo pela fé..., mas se alimenta no coração o fato de que a tal “eleição” é um capricho divino, por mais que os doutrinadores mais lúcidos dessa doutrina se esforcem por diminuir as implicações do horrível fatalismo ao qual ela, mal compreendida, sempre conduz. [29]

Para Caio, João Calvino foi um homem limitado às teorias do século 16, de pensamento linear, aristotélico e que utilizou os dogmas intelectuais de seu tempo para elaborar a sua engenhosa teoria, mas incompleta e falha, não sendo uma revelação de Deus.[30] Para Caio, Calvino foi o "Aristóteles do Protestantismo", que possibilita uma leitura amorosa, porém chata, pois escreve sem profundidade filosófica, sem charme, sem estilo, sem provocação, como se fosse uma “bula doutrinária”; uma “prescrição de como lidar com Deus”; e sem graça, apesar de tanto falar em Graça e Fé. Para o televangelista, Calvino foi um homem culto, mas não um gênio, e nem mesmo um ser de inteligência criativa.[31]

Dossiê Cayman[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Dossiê Cayman

Em novembro de 1998, foi denunciado de ter fornecido e ser o principal "corretor" da negociação envolvendo os documentos do, assim chamado, dossiê Cayman em que mostrava a existência de contas e empresas secretas do Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso e de outros políticos do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), num paraíso fiscal do Caribe, as Ilhas Cayman.

Parte dos papéis que foi divulgada pela imprensa brasileira provocou outro escândalo, porque os documentos tinham origem apócrifa, com negações dos envolvidos, o que levou até a Polícia Federal do Brasil a pedir informações ao Governo do Reino Unido.[5][32]

Depois disso, Caio Fábio teve a vida revirada pela PF. Foi acusado por calúnia, como um dos participantes. Entrou em depressão e emagreceu 25 quilos.

Em Novembro de 2011, foi condenado em 1ª instância pela Justiça Eleitoral, a quatro anos de prisão[33], apesar de ter sido inocentado nos depoimentos das vítimas do dossiê Cayman, inclusive pelo próprio Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, e também por Eduardo Jorge, ex-secretário de governo de FHC. Contraditório a todas essas provas, Caio Fábio foi considerado o responsável por elaborar e divulgar o dossiê, incorrendo em crime de calúnia e falsificação.[33] A sentença da juíza de primeira instância Léa Maria Barreiros Duarte baseou-se em investigação que contou com a participação até do FBI.[33] Caio Fábio, falou sobre a sentença de condenação, classificada por ele como "arbitrária", em seu canal na Internet, Vem & Vê TV, onde se explicou sobre as acusações, dizendo que recorrera da sentença e aguardava o arquivamento da denúncia. A sentença proferida pela juíza foi posteriormente anulada por decisão do juiz do Tribunal Regional Eleitoral Alexandre David Malfatti, em fevereiro de 2012 [34]

Televisão, Rádio e Internet[editar | editar código-fonte]

Ano Título Posição Canal Plataforma Ref.
1993 Culto Especial (VEM&Vê TV) Televangelista Rede Globo TV [35][36]
1994 Programa Pare & Pense Televangelista TV RBN Manaus TV
2009 Papo de Graça Apresentador Caio Fábio YouTube
2014 The Noite com Danilo Gentili Entrevistado SBT TV [37][38]
2015 Pastor Caio Fábio - Pânico Entrevistado Rádio Jovem Pan 100,9FM e YouTube [39]
2015 Luciana by Night Entrevistado Rede TV TV [40]
2016 Caio Fábio Podcast Apresentador Caio Fábio D'Araújo Filho SoundCloud [41]
2017 Programa Antenados com André Câmara Entrevistado TV Boas Novas TV
2019 Democracia na Teia Entrevistado Canal de L.F. Pondé YouTube [42]
2019 Dor x Sofrimento Palestrante Glocal SP YouTube [43][44]
2019 Pingue-Pongue com Bonfá Entrevistado Canal do Bonfá YouTube
2019 Pr Caio Fábio e Banda Maneva - Pânico Entrevistado Rádio Jovem Pan 100,9FM e YouTube [45]
2020 Live com Danilo Gentili Entrevistador Instagram do Caio Instagram
2020 Panorama dos cristianismos no Brasil Palestrante TV PUC YouTube [46][47]
2021 Conversa com Bial Entrevistado Rede Globo TV [48]
2021 Caio Fábio - #21 Entrevistado Sem Politiquês Podcast Spotify [49]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Obra selecionada[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Saiba porque Caio Fábio tomou a decisão de não ser mais pastor, 2014. [1]
  2. A Origem dos Desviados do Evangelho Contemporâneo - Anderson Luis Barreto de Souza, Centro Universitário da Grande Dourados, pag. 9, 2015
  3. A. ANÉAS, intitulada “A racionalização da experiência de Deus no Calvinismo da Reta Doutrina”, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2018
  4. De Caio Fábio para Bráulia Ribeiro, Revista Ultimato
  5. a b c d e f Roberta Paixão (17 de novembro de 1999). «A volta do pecador». Veja. Consultado em 3 de abril de 2011 
  6. Panorama dos cristianismos no Brasil: bate-papo com Caio Fábio, 2019. 00h45min00seg. link
  7. ROCHA, Camilo.; A ascensão e influência das igrejas neopentecostais no Brasil, 2020. [2]
  8. Panorama dos cristianismos no Brasil, 2019. 00h47min00seg. [3]
  9. ""Fábrica de Esperança" é implodida para dar lugar a hospital no Rio. Folha On-Line, 17/3/2002
  10. "Fábrica de Esperança" é implodida. Folha Online. [4]
  11. Sem esperança. Ratos passeiam na obra assistencial de Caio Fábio.[5]
  12. «Ata» (PDF). Executiva IPB 
  13. «Ata». Revista Ultimato - Cartas 
  14. «Cartas». CaioFabio.Net 
  15. «VÍDEO: A SEMENTE, O SITE, VOCÊ E EU. | O PORTAL DOS INVISÍVEIS. - www.caiofabio.net». Caio Fábio. 6 de abril de 2014. Consultado em 24 de setembro de 2020 
  16. «Caio Fábio». Caio Fábio. Consultado em 24 de setembro de 2020 
  17. Evangélicos.   Em falta ou vazio |título= (ajuda);
  18. Chagas, Tiago. «Condenado no caso do "dossiê Cayman", Caio Fábio foi preso pela Polícia Federal». Consultado em 24 de setembro de 2020 
  19. Pastor Caio Fábio deixa igreja, revela motivo e surpreende gospel, 2019. [6]
  20. Caio Fábio deixa a liderança da igreja Caminho da Graça, 2019. [7]
  21. [8]Caio Fábio deixa a liderança do Caminho da Graça, 2019.
  22. Santos, Douglas Alessandro Souza, & Martinez, Elias David Morales. (2020). “A igreja sou eu, é você, somos nós”: notas sobre a desinstitucionalização evangélica no Brasil a partir da observação da Comunidade Caminho da Graça. Religião & Sociedade, 40(2), 31-54. Epub September 07, 2020.https://doi.org/10.1590/0100-85872020v40n2cap02 article
  23. FILHO, Caio Fábio D’Araújo. (2015), Caio explica o lugar do Caminho da Graça no seu ministério. Singelo, modelo. Não é denominação! Disponível em: Disponível em: Link. Acesso em: 19/07/2017.
  24. O Princípio da Pregação Cristocêntrica [9]
  25. Bíblia Sagrada Cristã, João 14:6. [10]
  26. CARDOSO, Dario de Araújo.; Uma Abordagem Cristocêntrica para os Sermões Biográficos, 2010. [11]
  27. FILHO, C.F.; Jesus: A Chave Hermenêutica, 2009. [12]
  28. Caio Fabio: Jesus: A Chave Hermenêutica que Interpreta Toda a Escritura [13]
  29. [14]
  30. Caio Fábio - "Predestinação" Doutrina Calvinista [15]
  31. Calvinismo é Sistema Operacional - Deus não criou robôs - Caio Fábio [16]
  32. Caio Fábio foi pressionado pelo PT no caso Dossiê Cayman [17]
  33. a b c Justiça condena pastor por dossiê contra PSDB em 98 (29 de Novembro de 2011). Página visitada em 2011-11-29.
  34. «Despachos Exarados pelo MM Juiz da 258 zona eleitoral». 24 de fevereiro de 2012. Consultado em 15 de fevereiro de 2013 
  35. Caio Fabio-Culto na Rede Globo (Anos 90)20 link
  36. História: Caio Fábio Culto na Globo. (1993)[18]
  37. Caio Fábio e a liderança à brasileira, 2014. [19]
  38. Entrevista de Caio Fabio ao Programa The Noite, com Danilo Gentili – 23/06/2014, 2014. [20]
  39. Pastor Caio Fábio - Pânico, 2015 [21]
  40. Caio Fábio participa do programa Luciana By Night e fala sobre temas polêmicos, 2015. [22]
  41. Caio Fábio D'Araújo Filho, 2016 [23]
  42. Canal Democracia na Teia é apresentado pelo Professor e Filósofo Luiz Felipe Pondé entrevista Caio Fábio D’Araújo Filho, 2019. [24]
  43. Dor x Sofrimento, por Caio Fábio,2019 [25]
  44. Glocal: Encurtando distâncias! "Sofrimento X Dor, por Caio Fabio. Reflexão, SoundCloud, 2019. link
  45. Pastor Caio Fábio e Banda Maneva - Pânico, 2019. [26]
  46. Labô realiza duas palestras: Dia 29/8, Panorama dos cristianismos no Brasil: bate-papo com pastor Caio Fábio. Ambas acontecem no campus Monte Alegre. TV PUC, 2020 [27]
  47. Panorama dos cristianismos no Brasil: bate-papo com Caio Fábio, 2020. [28]
  48. Caio Fábio afirma que evangélicos sempre procuraram estar ao lado do poder, 2021. [29]
  49. Caio Fábio - Sem Politiquês Podcast #21 [30]
  50. «Ganhadores do Prêmio PNBE de 1994 a 2004». Consultado em 30 de setembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Caio Fábio D'Araújo Filho
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.