Caso MC Daleste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Caso MC Daleste
MC Daleste.png
Local do crime Campinas, São Paulo
Data 6 de julho de 2013
Por volta de 22:40 foi baleado e às 00:55 de domingo (7 de julho de 2013) veio à óbito (Brasília)
Tipo de crime Assassinato
Arma(s) Indefinida
Vítimas Daniel Pedreira Senna Pellegrine
Situação Investigação encerrada em 2016 pela polícia civil

O caso MC Daleste[1] é um caso de assassinato do cantor e compositor de funk paulista Daniel Pedreira Senna Pellegrine, conhecido como MC Daleste. O funkeiro foi assassinado com um tiro de arma de fogo na barriga, segundo a perícia, foram três disparos na noite do dia 6 de julho de 2013 em Campinas durante uma apresentação, seu óbito foi confirmado no início da madrugada de domingo no Hospital Municipal de Paulínia, para onde foi levado.[2] Ele estava terminando a apresentação que faria em uma quermesse do CDHU San Martin, conjunto habitacional localizado no bairro São Marcos, em Campinas.[3]

O cantor, conversava com público quando foi alvejado. Uma pessoa que estava no local filmando o evento registrou o momento em que o jovem foi baleado. Ele chegou a ser levado para o centro cirúrgico, mas morreu à 0h55.[4] O caso está sendo apresentado no 4º Distrito Policial da cidade.[5][6][7] A festa era gratuita e segundo os moradores, três mil pessoas acompanhavam a apresentação. O show do funkeiro foi anunciado como atração surpresa durante a semana, em Sumaré.

Morte[editar | editar código-fonte]

Investigação do crime[editar | editar código-fonte]

Na manhã de 7 de julho de 2013, investigadores da Divisão de Homicídios da Delegacia de Investigações Gerais ouviram testemunhas que estavam no show.[8] O número de disparos, que partiram de um terreno baldio, não foi informado pela polícia. A polícia busca um Gol vermelho, usado pelo assassino durante a fuga. A principal linha de investigação é a de vingança. Testemunhas contaram para os policiais que, em outros shows pela região de Campinas recentemente, seguranças a serviço do cantor teriam agredido algumas pessoas.[9]

De acordo com a perita Kawane Matias, não foi definido o ponto exato do disparo, porém afirmou que o tiro partiu de cerca de 30 a 40 metros de distância do palco. No local, encontrava-se um carro antigo abandonado, um monte de entulho e uma caixa d'água.[10] A perita ainda afirma que o atirador é uma pessoa habilidosa, pelos vestígios, pela trajetória da bala, pelas marcas no corpo do músico, atesta ainda que uma única pessoa executou os disparos, que foram 3 no total, sendo que um foi perdido, um atingiu Daniel de raspão e o terceiro atinge o músico no peito, ainda segundo a perícia o atirador dirigiu-se à apresentação, unicamente para alvejar Daniel Pellegrine.[11]

O perito Ricardo Molina de Figueiredo, contestou os métodos da polícia na reconstituição da morte do artista, e acredita que o uso de barbante para determinar a trajetória da bala, a falta de isolamento da área após o ocorrido, e o posicionamento indeterminado do palco, que foi movido e retirado do local após o fato, prejudicaram o trabalho realizado pela perícia oficial.[12] Porém, analisando cenas gravadas pelo público presente no show onde MC Daleste foi assassinado, o mesmo Ricardo Molina, identificou um ponto luminoso partindo da direção correspondente ao local indicado pela perícia oficial, como possível localização do autor dos disparos.[13]

Repercussão de sua morte[editar | editar código-fonte]

Na página da quermesse criada no Facebook, 2.000 pessoas tinham confirmado presença no evento. Nas redes sociais, amigos do jovem deixaram diversas mensagens de apoio e de indignação. No Twitter, as hashtags #LutoMcDaleste e #DescanseEmPazReiDoFunk chegaram a ficar entre os trendtopics por volta das 11h.[14][15] Segundo o site da MTV americana, O artista foi homenageado por uma multidão de fãs, que no cemitério de Vila Formosa, cantaram músicas do funkeiro durante boa parte da cerimônia.[16]

Repercussão internacional[editar | editar código-fonte]

Veículos internacionais de imprensa repercutiram a morte do cantor, a revista inglesa NME e os veículos norte-americanos Billboard, The Huffington Post, LA Times, e o NY Daily News estão entre as publicações que noticiaram o fato.[17][18]

O site da revista norte-americana Billboard noticiou a morte do músico. A revista ressaltou o fato de que um dos vídeos que registrou Daniel caindo após tomar o tiro durante o show já ter sido assistido por mais de 4 milhões de pessoas até agora.[17] O New York Daily News: O site do tabloide New York Daily News publicou a notícia sobre a morte do MC com o título "Artista de funk brasileiro é morto por tiro no meio de um show". "O Brasil, programado para sediar a próxima Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 está sob os holofotes do mundo enquanto os líderes do país e forças de segurança lutam contra a violência endêmica. Gangues e tiroteios estão em descontrole no país de 200 milhões de habitantes. Na semana passada, um grupo de pessoas agrediu e decapitou um juiz de futebol que esfaqueou um jogador até a morte durante um jogo", acrescenta o site jornal na notícia sobre Daleste, em referência a duas mortes em Pio XII, no Maranhão.[17][19] A revista semanal inglesa NME publicou uma nota com o título " cantor brasileiro MC Daleste morre por tiro durante show". No texto, que identifica Daleste como artista de funk e "rapper", é reproduzido um trecho da declaração do MC Lon na página de Daleste no Facebook. "Eu quero que nesse momento Deus dê forças para os familiares, amigos e fãs do meu parceiro Mc Daleste. Um cara que só queria transmitir alegria pra geral através de suas músicas. É uma pena que essa tão sonhada paz que procuramos, muitas vezes só conseguimos quando fechamos os olhos", diz o texto do amigo reproduzido na "NME".[17][20]

O site norte-americano Huffington Post, em uma seção dedicada a notícias latinas, publicou no domingo (7), antes da maioria das publicações internacionais, uma nota sobre a morte do MC Daleste. Uma atualização no texto do artigo na segunda feira (8) reproduz as informações do New York Daily News sobre a violência no Brasil, também citando as duas mortes em Pio XII, no Maranhão. O Huffington Post diz que o "U.S. Overseas Security Advisory Council", órgão do governo dos EUA que dá informações sobre destinos internacionais, classificou a violência em São Paulo como "crítica".[17][21]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Para homenagear e "retribuir" a mensagem deixada por MC Daleste, funkeiros de Campinas criaram uma música em homenagem ao cantor. MC Ecko, diz que escreveu "Homenagem ao Daleste" logo após o homicídio no CDHU San Martin. A música, gravada pelo MC e um grupo de amigos, foi cantada por 200 fãs que prestaram homenagem ao funkeiro no Centro de Convivência, no dia 9 de julho de 2013.[22] Um dos responsáveis pela gravação, o produtor Alex Sandro de Castro David, conhecido como DJ Magrelo, conta que se apresentou com MC Daleste pela primeira vez em setembro de 2012, em um espaço que reuniu 2 mil pessoas na Vila Industrial. O jovem, de 22 anos, lembra que iria tocar antes do ídolo na quermesse do bairro San Martin, mas se atrasou.[22]

Artista como MC Pocahontas, MC Rodolfinho, MC Guimê, MC Gui, MC Lon, Anitta, KondZilla, e muitos outros o homenagearam. O político Eduardo Suplicy, fez homenagem, e cantou versos da musica de Daleste "Meu Herói".[23] Em sua página no Facebook, Daleste recebeu diversas homenagens de fãs e de pessoas que não acompanhavam o trabalho dele, mas que ficaram indignadas com o crime.[24]

Fãs de Daleste, reuniram-se na tarde do dia 9 de julho de 2013 no bairro Cambuí, em Campinas, para homenagear o cantor cantando músicas dele. Segundo a Guarda Municipal, cerca de 200 pessoas se concentraram no Teatro de Arena do Centro de Convivência.[25] Em uma das faixas, feitas na hora, os fãs usaram spray para escrever o nome artístico do funkeiro, e, em outra, fizeram referência a uma das músicas do MC, “Mais amor, menos recalque”. O grupo, que se concentrou na escadaria do teatro do Convivência, também cantou, por 10 minutos ininterruptos, uma letra feita em homenagem a Daleste.[25]

Referências

  1. «Polícia procura ligação de traficante com morte de MC Daleste». Revista Veja, Abril. Consultado em 6 de dezembro de 2021 [ligação inativa] 
  2. «Funkeiro é morto com vários tiros na Zona Norte de São Paulo». Balanço Geral - R7. Consultado em 6 de dezembro de 2021 [ligação inativa] 
  3. G1, Do; Paulo, em São (7 de julho de 2013). «Funkeiro morre após levar tiro em show; fã registra cena em vídeo». Música em Campinas e Região. Consultado em 6 de dezembro de 2021 
  4. UOL Música - Funkeiro MC Daleste morre após levar tiro em show; fã registra momento em vídeo
  5. Região, Luciano CalafioriDo G1 Campinas e (7 de julho de 2013). «Léo da Baixada quer ato para lembrar morte de MC Daleste em Campinas». Campinas e Região. Consultado em 21 de maio de 2021 
  6. PERÚ, NOTICIAS EL COMERCIO (7 de julho de 2013). «Cantante brasileño Mc Daleste murió de un disparo en pleno concierto | LUCES». El Comercio Perú (em espanhol). Consultado em 21 de maio de 2021 
  7. «Caso MC Daleste». Diário do Nordeste - O Globo. Consultado em 6 de dezembro de 2021 [ligação inativa] 
  8. «MC Daleste pode ter sido vítima de crime passional». VEJA. Consultado em 21 de maio de 2021 
  9. Região, Marília RastelliDo G1 Campinas e (11 de julho de 2013). «Baleado, Daleste pediu para produtor tirar foto para depois 'brincar' com ela». Música em Campinas e Região. Consultado em 21 de maio de 2021 
  10. «MC Daleste: assassino efetuou disparos a 40m do palco». VEJA. Consultado em 21 de maio de 2021 
  11. «Em reconstituição da morte de Daleste, perícia determina área onde estava atirador». musica.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2021 
  12. Região, Do G1 Campinas e (19 de julho de 2013). «Perito contesta método da polícia na reconstituição da morte de Daleste». Campinas e Região. Consultado em 21 de maio de 2021 
  13. «Perito mostra ponto luminoso em novas imagens do show de MC Daleste». A Tarde é Sua - RedeTV. Consultado em 6 de dezembro de 2021 [ligação inativa] 
  14. «"Estou sentindo uma dor muito forte" - MC Gui lamenta a morte de amigo funkeiro baleado em São Paulo». Consultado em 6 de dezembro de 2021 [ligação inativa] 
  15. G1, Do; Paulo, em São (7 de julho de 2013). «Funkeiros homenageiam MC Daleste, após ele morrer com tiro em show». Música. Consultado em 21 de maio de 2021 
  16. Kaufman, Gil. «MC Daleste's Father Points To 'Jealousy' In Son's Onstage Murder». MTV News (em inglês). Consultado em 21 de maio de 2021 
  17. a b c d e G1, Do; Paulo, em São (8 de julho de 2013). «Imprensa internacional repercute morte de funkeiro paulista Daleste». Música. Consultado em 21 de maio de 2021 
  18. «Brazilian Rapper MC Daleste Shot, Killed on Stage». Billboard (em inglês). Consultado em 21 de maio de 2021 
  19. Goldstein, Sasha. «Brazilian funk artist shot dead in brazen mid-concert attack». nydailynews.com. Consultado em 21 de maio de 2021 
  20. «MC Daleste». NME. Consultado em 6 de dezembro de 2021 [ligação inativa] 
  21. Sieczkowski, Cavan (8 de julho de 2013). «Brazilian Rapper Dies After Being Shot During Concert». HuffPost (em inglês). Consultado em 21 de maio de 2021 
  22. a b G1.com - Funkeiro de Campinas faz música para retribuir 'inspiração' de Daleste
  23. G1, Do; Paulo, em São (15 de julho de 2013). «Eduardo Suplicy lamenta morte de Daleste e lê versos do MC no Senado». Música no Distrito Federal. Consultado em 21 de maio de 2021 
  24. R7 - Polícia vai analisar vídeos gravados por fãs para tentar esclarecer assassinato de funkeiro durante show
  25. a b Região, Do G1 Campinas e (9 de julho de 2013). «Fãs homenageiam MC Daleste com faixas e músicas em Campinas». Campinas e Região. Consultado em 21 de maio de 2021