Chico Chico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Chico Chico
Chico em 2019
Informação geral
Nome completo Francisco Ribeiro Eller
Também conhecido(a) como Francisco Eller
Chicão
Nascimento 28 de agosto de 1993 (27 anos)
Local de nascimento Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Progenitores Mãe: Cássia Eller
Pai: Tavinho Fialho
Instrumento(s)
Período em atividade 2009–presente
Gravadora(s)
  • Porangareté
  • Coqueiro Verde Records
Afiliação(ões)
  • Zarapatéu
  • Uzoto
  • Terezina 12
  • 2x0 Vargem Alta
  • 13.7

Francisco Ribeiro Eller (Rio de Janeiro, 28 de agosto de 1993)[1][2][3] mais conhecido como Chico Chico ou Chicão é um cantor e compositor brasileiro.[4] É vocalista das bandas 2x0 Vargem Alta e 13.7, além de ter uma carreira solo e formar uma dupla com João Mantuano, também se apresentou e fez participações especiais em álbuns de artistas como Ana Cañas, Tetê Espíndola, Pedro Luís, Posada, Troá! e Orquídeas do Brasil. É filho da cantora Cássia Eller e do baixista Tavinho Fialho.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Francisco Ribeiro Eller nasceu no Rio de Janeiro em 28 de agosto de 1993.[1] Seus pais são a cantora Cássia Eller e o baixista Tavinho Fialho, que fazia parte da banda de sua mãe.[5][1][6] Tavinho faleceu em um acidente de carro uma semana antes do nascimento de Francisco,[5] e ele foi criado por Cássia e pela companheira dela, Maria Eugênia Vieira Martins.[5]

O nome Francisco foi inspirado na canção de mesmo nome de Milton Nascimento, gravada por Cássia no álbum Ioiô de Nelson Faria quando ela estava grávida de oito meses.[7][8] Seu apelido de infância é Chicão.[5] O cantor Renato Russo compôs a canção "1º de Julho" para Cássia quando ela estava grávida.[9] A canção foi lançada no álbum Cássia Eller de 1994,[9] e posteriormente incluída no álbum A Tempestade da Legião Urbana, lançado em 1996.[9] Cássia adicionava a frase "meu amor, meu Chicão" ao final da canção quando a cantava ao vivo.[10]

Francisco aprendeu a falar inglês ouvindo as músicas dos Beatles, que começou a ouvir ainda criança por influência da mãe. O primeiro álbum que ele ouviu foi Yellow Submarine (1969).[11]

Em 13 de janeiro de 2001, Francisco, então com 7 anos, fez uma participação especial tocando percussão enquanto a mãe fazia um cover de "Smells Like Teen Spirit" do Nirvana para um público de cerca de 200 mil pessoas no festival Rock in Rio.[12] Foi um pedido de Francisco para que a mãe incluísse a canção em seu repertório no festival.[13][14] Foi no Rock in Rio que ele ganhou seu primeiro cachê: R$20 dados pela mãe.[15]

Em entrevista a revista Marie Claire em outubro de 2001, Cássia disse que gostaria de ter um contrato de casamento legalizado com Maria Eugênia, para poder garantir os direitos dela e de Francisco, e caso viesse a acontecer algo com ela, Maria Eugênia deveria ficar com a guarda do filho.[5] Após a morte de Cássia em 29 de dezembro de 2001, o pai da cantora, Altair Eller, entrou com um pedido na justiça pela guarda do neto.[16] O caso era inédito no Brasil e Maria Eugênia recebeu o apoio da mãe e dos irmãos de Cássia.[17] Em janeiro de 2002, pela primeira vez a Justiça brasileira concedeu a uma mulher a guarda provisória do filho de sua companheira.[18] O juíz responsável pelo caso entrevistou Francisco, conferiu seu desempenho escolar, pesou-lhe as preferências afetivas e, à falta de uma legislação brasileira que tratasse especificamente da adoção de crianças por casais homossexuais, optou por confiá-lo a Eugênia.[19] Em 31 de outubro de 2002, em decisão inédita, a Justiça concedeu à Maria Eugênia a tutela definitiva de Francisco. A tutela foi concedida pelo juiz da 2ª Vara de Órfãos e Sucessões, Luiz Felipe Francisco, depois de um acordo entre Eugênia e o pai de Cássia. O avô abriu mão do pedido de tutela depois que Francisco disse que gostaria de ficar com Maria Eugênia, a quem chama de mãe.[20]

Em dezembro de 2002 foi lançado o vídeoclipe da canção "No Recreio" de Cássia Eller, que inclui vídeos caseiros de Cássia e Maria Eugênia com o filho Francisco desde o seu nascimento.[21]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Ainda criança, Francisco aprendeu a tocar percussão e pandeiro com a percussionista da banda de sua mãe, Lan Lan.[12] Dos 15 aos 18 anos, ele estudou violão com o professor particular Paulo Corrêa.[7] Ele também toca bateria.[19]

Suas principais influências são Beatles, Jards Macalé, Luiz Melodia, Itamar Assumpção e BaianaSystem.[22]

Suas primeiras bandas durante a adolescência foram Transtorno dos Vizinhos,[23] Zarapatéu, e Uzoto.[7] Entre 2009 e 2010, Francisco cantava e tocava percussão na banda Zarapatéu, formada por alunos do Centro Educacional Anísio Teixeira (CEAT), entre eles Bruna Araújo, filha da cantora e atriz Emanuelle Araújo.[23] A banda tocava clássicos de Chico Buarque, Baden Powell e Jorge Ben Jor.[24] Francisco também fazia parte da banda Terezina 12.[7]

Em 2011, Francisco tocou percussão na canção inédita de Cássia Eller, "Baby Love", composta por Nando Reis e lançada no álbum Relicário - As Canções Que O Nando Fez Pra Cássia Cantar.[25]

Em 2012, uma canção inédita de Cássia Eller foi encontrada, "Flor do Sol", composta pela cantora aos 19 anos em parceria com Simone Saback em Brasília em 1982.[26] A canção foi lançada no iTunes no aniversário de 50 anos de Cássia, em 10 de dezembro de 2012,[27] Outros instrumentos foram adicionados a gravação original de Cássia, entre eles Francisco (então com 19 anos) tocando o violão da mãe.[26]

No início de 2013 Francisco deixou a banda Zarapatéu e passou a se dedicar apenas à faculdade.[28] De 2013 a 2016 ele cursava Geografia na Universidade Federal Fluminense, em Niterói,[29] mas decidiu trancar a faculdade para se dedicar à música.[30]

Em 2015, Francisco adotou o nome artístico Chico Chico.[4] No mesmo ano, ele ajudou a escolher o repertório e alguns dos artistas que se apresentaram no Rock in Rio VI para um tributo à Cássia Eller, mas se recusou a se apresentar no festival.[7]

Em outubro de 2015, Chico lançou seu primeiro álbum com músicas autorais com a banda 2x0 Vargem Alta. A banda é formada por amigos de Francisco da época do colégio: João Mantuano (voz e violão), Miguel Dias (baixo), Pedro Fonseca (teclado) e Lucas Videla (percussão). O álbum auto-intitulado da banda foi lançado pelo selo Porangareté, de Chico, sua mãe Maria Eugênia e do violonista Rodrigo Garcia.[7]

Em 2016, Chico participou da faixa "Buscando Tu Amor" do álbum Amazônia, Amazônia de Gastão Villeroy.[31] E dividiu o palco do Circo Voador no Rio de Janeiro com Pedro Luís, Júlia Vargas e Ivo Vargas.[32]

Em 2017, Chico produziu o álbum Isabel do cantor Carlos Posada,[33] e eles também dividiram os vocais na faixa "Efeitos Especiais". O álbum foi lançado pelo selo de Chico, Porangareté.[34]

Em 19 abril de 2018, Chico dividiu o palco com a cantora Ana Cañas no Sesc Santana em São Paulo.[35] Eles voltaram a se apresentar juntos no Sesc 24 de Maio em São Paulo em 8 de fevereiro de 2019,[36] e na Casa Natura Musical em Pinheiros em 23 de maio de 2019.[37]

Em maio de 2018, foi lançado o single "Medo" da nova banda de Chico, 13.7. A banda é formada por Chico (vocais e violão), Pedro Fonseca (teclado), Chico Miguel Dias (baixo), João Mantuano (vocais) e Lucas Videla (percussão).[38] Em outubro de 2018, foi lançado o single "Queixo ou Queixa", parceria de Chico com João Mantuano.[39][40]

Chico fez uma participação na faixa "Tua Boca" (regravação de Itamar Assumpção) no álbum Todxs de Ana Cañas, lançado em novembro de 2018.[41]

Entre 2018 e 2019, Chico e João Mantuano saíram em turnê pelo Brasil apresentando músicas autorais e covers num show acústico intimista que misturava rock, samba, folk, blues, frevo e forró.[42][43][44]

Chico fez uma partipação na canção "Ímpeto" da banda Troá!, lançada como single em 23 de janeiro de 2019,[45] e incluída no álbum Eu Não Morreria Sem Dizer, lançado em 21 de outubro de 2019.[46]

Em 23 e 24 de março de 2019, Chico se apresentou com a banda Orquídeas do Brasil no Sesc Bom Retiro em São Paulo. A banda apresentou o repertório da trilogia Bicho de 7 Cabeças de Itamar Assumpção, lançado em 1993.[47]

Entre maio e setembro de 2019, Chico se apresentou ao lado da cantora Duda Brack. O repertório era composto por músicas autorais de cada um deles, parcerias inéditas de Chico e Duda, canções de amigos e ídolos em comum.[48][49][50]

Em 24 de agosto de 2019, Chico se apresentou ao lado de Duda Drack e Tetê Espíndola no Bona em São Paulo.[51]

Em outubro de 2019, ele voltou a se apresentar no Rock in Rio VIII no espaço Ford, tocando com a banda Meu Nome Não é Cláudio, formada por músicos das bandas Fresno, NX Zero, Cachorro Grande e Vanguart. Chico cantou canções como "Sujeito de Sorte" de Belchior e "Lithium" do Nirvana.[52]

Em 8 de outubro de 2019, Chico dividiu o palco do Teatro SESC Ginástico no Rio de Janeiro com o cantor Chico Brown. O show era parte do Projeto Som do Sesc.[53]

Chico gravou uma versão para a canção "Maria Bethânia" de Caetano Veloso para o projeto Vale a Pena Gravar de Novo, que celebra os 20 anos do selo fonográfico Astronauta e traz releituras de clássicos da música brasileira. A versão de Chico foi lançada como single nas plataformas digitais em 29 de novembro de 2019, juntamente com um videoclipe.[54]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Artista
2015 2x0 Vargem Alta
  • Lançamento: 15 outubro de 2015
  • Gravadora: Porangareté / Coqueiro Verde Records
2x0 Vargem Alta
Participações especiais
Ano Álbum Artista Notas
2011 Relicário - As Canções Que O Nando Fez Pra Cássia Cantar
  • Lançamento: 31 de outubro de 2011
  • Gravadora: Universal Music
Cássia Eller Percussão na faixa "Baby Love"
2016 Amazônia, Amazônia
  • Lançamento: 2016
  • Gravadora: Biscoito Fino
Gastão Villeroy Vocais na faixa "Buscando Tu Amor"
2017 Isabel
  • Lançamento: março de 2017
  • Gravadora: Porangareté
Carlos Posada Produtor, vocais na faixa "Efeitos Especiais"
2018 Todxs
  • Lançamento: 9 de novembro de 2018
  • Gravadora: Guela Records
Ana Cañas Vocais na faixa "Tua Boca"
2019 Eu Não Morreria Sem Dizer
  • Lançamento: 21 de outubro de 2019
  • Gravadora: PWR Records
Troá! Vocais na faixa "Ímpeto"

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Título Notas
2018 "Medo" com 13.7
"Queixo ou Queixa" com João Mantuano
"Tua Boca" com Ana Cañas
2019 "Ímpeto" com Troá!
"Maria Bethânia" solo

Referências

  1. a b c Caneppele, Ismael (1 de novembro de 2015). A Vida Louca da MPB. [S.l.]: Leya Brasil. p. 263 
  2. «Rio Rosa + Chico Chico e João Mantuano no Oceans». Sympla. 21 de abril de 2018 
  3. «O Baú de Cássia». Gazeta de Alagoas. 11 de dezembro de 2012 
  4. a b Fortuna, Maria (23 de abril de 2015). «Filho de Cássia Eller e Maria Eugênia adota novo nome artístico». Gente Boa - O Globo 
  5. a b c d e Souza, Déborah de Paula (Outubro de 2001). «Cássia Eller - Só Para Provocar». Marie Claire 
  6. «Cássia Eller no Metrópolis em 1991». YouTube. 10 de dezembro de 2012 
  7. a b c d e f «Filho de Cássia Eller, Chico Chico, lança primeiro CD com banda formada por amigos». O Globo. 23 de agosto de 2015 
  8. «Homenagem de Milton Nascimento a Cassia Eller». YouTube. 24 de dezembro de 2008 
  9. a b c «A Tempestade». legiaourbana.com,br 
  10. «Cássia Eller - 1º De Julho (DVD -- Do Lado do Avesso)». YouTube 
  11. «Papo de Música com Chico Chico». YouTube. 16 de julho de 2019 
  12. a b «Lan Lan lembra de quando filho de Cássia Eller tocou no Rock in Rio». Portal Terra. 10 de setembro de 2010 
  13. Ney, Thiago (3 de novembro de 2006). «Cássia Eller estréia série de discos do Rock in Rio». Folha de São Paulo 
  14. «Cássia Eller (2015) [Documentário]». Internet Archive 
  15. Oliveira, Sarah (29 de novembro de 2019). «Minha Canção - Chicão». Rádio EldoradoFM 107,3MHz 
  16. «Cássia Eller: "Ele é meu filho", diz Eugênia». Folha de São Paulo. 6 de janeiro de 2002 
  17. Ilovatte, Nathalia (26 de janeiro de 2015). «Maria Eugênia Vieira fala sobre o filme Cássia Eller: "Tenho muita saudade, mas agora é mais fácil para mim"». R7.com 
  18. «Uma decisão inédita». Istoé Gente. 14 de janeiro de 2002 
  19. a b Pilz, Silvia (Março de 2007). «Na Moita». Revista Piauí 
  20. da Escóssia, Fernanda (1 de novembro de 2002). «Justiça: Filho de Cássia Eller vai ficar com Eugênia». Folha de São Paulo 
  21. «Cássia Eller - No Recreio». YouTube 
  22. Dehò, Maurício (3 de julho de 2018). «Um medo que move: Chicão Eller canta para se libertar de Cássia...». UOL 
  23. a b «Chicão, Filho de Cássia Eller, monta banda com filha de Emanuelle Araújo». Virgula. 9 de fevereiro de 2009 
  24. «Chicão diz que é preciso dissociar sua banda da imagem de Cássia Eller». Portal Terra. 9 de setembro de 2010 
  25. «Dez anos após a morte de Cássia Eller, CD com gravação inédita dá início às homenagens». O Globo. 30 de outubro de 2011 
  26. a b «Antiga gravação de Cássia Eller é lançada quando ela completaria 50 anos». globoplay. 9 de dezembro de 2012 
  27. «Música inédita de Cássia Eller é lançada em comemoração aos 50 anos da cantora». Rolling Stone. 10 de dezembro de 2012 
  28. «Aos 19 Anos, filho de Cássia Eller desiste da Música e vai estudar Geografia». Jornal Extra. 8 de julho de 2013 
  29. «Uma Conversa com Chico Chico e João Mantuano». Clandestina. 16 de maio de 2019 
  30. «Filho de Cássia Eller fala como saltou de "Humanas" para os palcos». Glamurama. 31 de março de 2016 
  31. Brant, Ana Clara (6 de dezembro de 2016). «Gastão Villeroy lança 'Amazônia, Amazônia' pela Biscoito Fino». UAI 
  32. «Júlia Vargas e Chico Chico com Pedro Luís e Ivo Vargas no palco do Circo Voador!». Circo Voador. 23 de janeiro de 2016 
  33. «Cantor e compositor Posada reúne parceiros e celebra música regional». Metro Jornal. 7 de fevereiro de 2017 
  34. Ferreira, Mauro (12 de março de 2017). «Disco pautado por violões, 'Isabel' é um belo cartão de visita para Posada». G1 
  35. «Ana Cañas e Chico Chico fazem show juntos nesta quinta; veja dez atrações em SP». Guia Folha. 19 de abril de 2018 
  36. «Ana Cañas Concert Setlist at Teatro SESC 24 de Maio, São Paulo on February 8, 2019». Setlist.fm 
  37. «Ana Cañas part. Chico Chico + Filipe Catto - Projeto Frequências». Casa Natura Musical. 3 de maio de 2019 
  38. «13.7, banda com Chico Chico, lança clipe para o single "Medo"; assista». Tenho Mais Discos Que Amigos. 17 de maio de 2018 
  39. «Queixo ou Queixa». YouTube. 25 de outubro de 2018 
  40. «Alma de Santa: o reduto onde vivem juntos Chico Chico, João Mantuano, Daíra e outros nomes da MPB». O Globo. 22 de setembro de 2018 
  41. Ferreira, Mauro (3 de novembro de 2018). «Ana Cañas lança álbum que tem letras de Arnaldo Antunes e faixas com Sombra e Chico Chico». G1 
  42. «Chico Chico e João Mantuano». Guia da Folha 
  43. «Filho de Cássia Eller, Chico Chico estreia em Florianópolis no Dia das Mães». Revista Gulliver. 10 de maio de 2019 
  44. «Show Intimista com Chico Chico e João Mantuano». Sympla. 10 de novembro de 2018 
  45. «Troá - Ímpeto {Part. Chico Chico}». YouTube. 23 de janeiro de 2019 
  46. Pinheiro, Pedro Henrique (21 de outubro de 2019). «"Eu Não Morreria Sem Dizer": ouça o disco de estreia da dupla Troá, em que baixo e bateria são os protagonistas». Tenho Mais Discos Que Amigos 
  47. «Orquídeas Do Brasil com participação Chico Chico». Abc do Abc. Março de 2019 
  48. «Chico Chico e Duda Brack Cantam na Casa Viva Piracicaba». Correio de Atibaia. 23 de maio de 2019 
  49. «A nova geração da música brasileira na voz de Chico Chico e Duda Brack». Rede Brasil Atual. 26 de agosto de 2019 
  50. «Duda Brack e Chico Chico». Sympla 
  51. «Duda Brack e Chico Chico com participação de Tetê Espíndola no Bona». Sympla. 24 de agosto de 2019 
  52. Farias, Carolina (3 de outubro de 2019). «Chicão, filho de Cássia Eller, volta ao Rock in Rio e toca Nirvana novamente». UOL 
  53. «Chico Brown e Chico Chico cantam juntos nesta terça-feira no Sesc Ginástico». Portal Sesc Rio. 4 de outubro de 2019 
  54. «Chico Chico lança versão voz e violão do hit Maria Bethânia». Mondo Pop. 29 de novembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Chico Chico