Saltar para o conteúdo

Frederico I do Sacro Império Romano-Germânico: diferenças entre revisões

O Corpus Iuris Civilis é de Justiniano, de Bizâncio.
(O Corpus Iuris Civilis é de Justiniano, de Bizâncio.)
Antes da sua eleição para imperador, Frederico havia herdado o comando do [[Lista dos duques da Suábia|Ducado da Suábia]] (1147–1152, como Frederico III). Ele era o filho do [[Frederico II da Suábia|Duque Frederico II]] da [[Dinastia de Hohenstaufen]] e da [[Judite de Guelfo|duquesa Judite]], filha de [[Henrique IX da Baviera]], da rival [[Casa de Guelfo|Casa de Welf]]. Frederico I assim descendia das duas mais poderosas famílias da Alemanha, fazendo dele a escolha mais óbvia para ser apontado como imperador pelos [[Príncipe-eleitor|príncipes-eleitores]].
 
Muitos historiadores o consideram como o maior imperador medieval do Sacro Império Romano-Germânico. Ele combinava qualidades que quase o tornavam um super-humano para os seus contemporâneos: sua longevidade, sua ambição, suas habilidades organizacionais, sua capacidade no campo de batalha e sua perspicácia política. Entre suas contribuições para a sociedade e cultura da [[Europa Central]], estava o estabelecimento dado [[Landfrieden]], inspirado na ''{{lang|la|[[Corpus Juris Civilis]]}}'', ou o estado de direito Romano, o que contrabalanceou o poder papal que dominava as nações alemãs desde a conclusão das [[Questão das Investiduras|Controvérsia das Investiduras]].
 
==Vida e reinado==
71

edições