Diferenças entre edições de "Courtney Love"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
corrigido referências invalidas
m
(corrigido referências invalidas)
 
== Primórdios ==
Love nasceu em São Francisco, Califórnia, é filha da psicoterapeuta Linda Carroll e de Hank Harrison, um escritor e antigo empresário da banda [[Grateful Dead]].<ref name="vh1">{{citar episódio |rede=Vh1 |data=21 de junho de 2010 |título=Courtney Love |série=Behind the Music |url=http://www.vh1.com/video/behind-the-music/full-episodes/courtney-love/1642087/playlist.jhtml}}</ref> Ela tem ascendência cubana, galesa, irlandesa, alemã e inglesa. Seus pais se separaram em 1969, e sua mãe obteve a custódia após acusar Harrison de ter dado LSD a filha.<ref name="vh1" /><ref>{{citar livro |url= http://books.google.co.uk/books?id=uQ2I9cpJWYIC&pg=PA188#v=onepage&q&f=false |título=Sexual Trauma: A Challenge Not Insanity |primeiro=K Elan |ultimo= Jung |página=188–189 |editora=The Hudson Press |isbn= |ano=2010 |acessodata=30 de outubro de 2011}}</ref> Sua mãe mudou-se com a família para Marcola, Oregon, onde viveram em uma comunidade hippie.<ref name="vh1" /><ref name="poppy" /><ref name=poppy /><ref>{{citar livro |titulo=Courtney Love: The Real Story |língua=inglês |edição= |local= |autor=Brite, Poppy Z. |ano= |editora=Simon & Schuster |isbn=978-0684848006 |página=25 |notas=Most of the other children shied away from her, and she from them. She was diagnosed by one of her therapists as mildly autistic. To Linda, Courtney seemed to be in pain most of the time: hating to be touched, seething with silent rages, withdrawing into a world where no one else could go.}}</ref> Love enfrentava problemas na escola e foi diagnosticada como levemente autista. Através de outros casamentos, a mãe de Love deu à luz duas outras filhas e adotou um filho, e mais tarde mais dois meninos, tendo um deles morrido quando Love tinha 10 anos.<ref>{{citar livro |titulo=Her Mother's Daughter |páginas= |língua=inglês |edição= |local= |autor=Carroll, Linda |editora=Doubleday |isbn= |ano=2005}}</ref> [[Imagem:Courtney Love with siblings ca. 1974.jpg|right|thumb|Direita para esquerda: Love com seus irmãos Nicole, Joshua e Jaimee]]
 
Em 1972, a mãe de Love mudou-se com seu então marido para Nova Zelândia, mas Love foi enviada de volta para Oregon, onde viveu com seu antigo padrasto e amigos da família. Aos 14 anos, foi presa por roubar uma camiseta e foi enviada para o Centro Correcional de Hillcrest Youth.<ref name="etrue" /><ref name="hilldoc">{{citar livro |língua=inglês |edição= |local= |autor= |titulo=Dirty Blonde: The Diaries of Courtney Love |isbn= |ano= |editora=Simon & Schuster |página=29–31}}</ref> Ela passou os anos seguintes indo e voltando de lares adotivos antes de ser legalmente emancipada aos 16 anos. Ela se mudou para Portland, Oregon, e se sustentava financeiramente trabalhando ilegalmente como [[stripper]],<ref name="vh1"/><ref name="poppy" /><ref name="etrue" /><ref>{{citar web |url=http://www.marysclub.com/history.php |publicado=Marysclub.com |obra=Mary's Club |autor= |título=History |língua= |data= |acessodata=10 de março de 2011}}</ref> DJ e outros diversos trabalhos, e se matriculou em Portland State University, onde estudou inglês e filosofia.
Enquanto Hole estava tendo desentendimentos, Love começou uma banda feminina chamada Bastard no outono de 2001, que contava com Patty Shemel, Louise Post (da banda [[Veruca Salt]]) e Gina Crosley. Apesar de uma demo ter sido gravada, a banda nunca lançou nada.<ref>{{citar web |último=Weston |primeiro=Colin |url=http://www.drownedinsound.com/articles/1018 |obra= |título=Sort The 'Bastard' Out |língua=inglês |publicado=Drownedinsound.com |data=4 de maio de 2001 |acessodata=10 de fevereiro de 2010 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20081006102819/http://www.drownedinsound.com/articles/1018 |arquivodata=2008-10-06 |urlmorta=yes }}</ref><ref>{{citar web |url=http://www.juicemagazine.com/COREYPARKS.html |autor= |obra= |título=Corey Parks |língua= |publicado=Juicemagazine.com |data= |acessodata=10 de fevereiro de 2010}}</ref>
 
Em 2002, Love começou a compor um álbum ao lado de [[Linda Perry]], intitulado ''[[America's Sweetheart]]''. Ela assinou com a Virgin Records, e inicialmente o gravou na França, mas foi forçada pela gravadora a gravar todas as músicas de novo no verão de 2003.<ref name="foxnews">{{cita web|url=http://www.foxnews.com/story/0,2933,120430,00.html|título=Courtney Love: Did Virgin Records Use Her?|obra=Fox News|data=20 de maio de 2004|acessodata=13 de outubro de 2013|autor=Friedman, Roger|idioma=inglés|urlarchivo=https://web.archive.org/web/20080309054906/http://www.foxnews.com/story/0,2933,120430,00.html|arquivodata=9 de março de 2008}}</ref> ''America's Sweetheart'' foi lançado em fevereiro de 2004, e recebeu críticas mistas. O álbum vendeu 86 mil cópias em três meses, com os singles "Mono" e "Hold On To me".
 
Love já disse se arrepender do álbum, tendo o chamado de "um álbum de merda", e atribuindo isso ao seu vício em drogas na época.<ref>{{citar periódico |url=http://www.nme.com/news/hole/49737 |jornal=NME |local=UK |autor= |titulo=Courtney Love blasts UK music scene and slags off 'America's Sweetheart' during Oxford Union speech |língua=inglês |data=13 de fevereiro de 2010 |acessadoem=23 de janeiro de 2011}}</ref> Logo após o álbum ter sido lançado, Love disse, em uma entrevista a Kurt Loder: "eu não dou certo como cantora solo. É uma piada".<ref>Love, Courtney. Interview with Kurt Loder, 2004. Total Request Live on MTV</ref>
 
Em 2006, Love começou a gravar o que seria seu segundo álbum solo, ''How Dirty Girls Get Clean'',<ref name="returnclove">{{cite episode|title=The Return of Courtney Love|network=Channel 4|data=2006|series=Love, Courtney|url=http://www.youtube.com/watch?v=Tn_c_eazpFw}}</ref><ref name="nobodysdaughter">{{citar web |url=http://www.spinner.com/2007/04/18/courtney-love-is-nobodys-daughter |autor= |obra= |título=Courtney Love Is 'Nobody's Daughter' |língua= |publicado=Spinner.com |data=18 de abril de 2007 |acessodata=10 de fevereiro de 2010}}</ref> mais uma vez trabalhando com Perry e Billy Corgan. Love tinha escrito diversas canções enquanto estava em uma clínica de reabilitação em 2005.<ref name="readytorock">{{cita web|autor=Jolie Lash|url=http://www.rollingstone.com/artists/courtneylove/articles/story/9232396/courtney_is_cleared_ready_to_rock|título=Courtney Is Cleared, Ready To Rock|obra=Rolling Stone|data=3 de fevereiro de 2006|acessodata=10 de fevereiro de 2010|urlarchivo=https://web.archive.org/web/20081227050411/http://www.rollingstone.com/artists/courtneylove/articles/story/9232396/courtney_is_cleared_ready_to_rock|arquivodata=27 de dezembro de 2008}}</ref>
 
Algumas das canções e demos do álbum (que inicialmente seria lançado em 2008) vazaram na internet em 2006, e um documentário chamado ''The Return of Courtney Love'', que detalhava a produção do álbum, e foi exibido em canais britânicos no outono daquele ano. Uma versão acústica de "Never Go Hungry Again", gravada em uma entrevista para ''The Times'' em novembro também foi lançada. Uma canção chamada "Samantha" também vazou na internet em 2007.<ref>{{citar web |último=Ulaby |primeiro=Neda |url=http://www.npr.org/templates/story/story.php?storyId=10189167 |obra= |título=Rebuilding Courtney Love, One Song at a Time |língua= |publicado=Npr.org |data=15 de maio de 2007 |acessodata=10 de fevereiro de 2010}}</ref>
Em 17 de junho de 2009, a revista NME afirmou que o Hole ia voltar. Erlandson, ex-guitarrista da banda, afirmou para a revista ''Spin'' que, contratualmente, nenhuma reunião poderia acontecer sem seu envolvimento, e que qualquer coisa lançada por Love seria um álbum solo, não do Hole. Love respondeu a esses comentários no twitter, dizendo: "ele está louco. Hole é minha banda, minha marca registrada".<ref>CourtneyLoveUK (verified account) Twitter posting (2009-06-18).</ref>
 
''[[Nobody's Daughter]]'' foi lançado mundialmente como um álbum do Hole em 27 de abril de 2010. A nova formação da banda contava com Micko Larkin (guitarra), Shawn Dailey (baixo) e Stu Fisher (bateria). ''Nobody's Daughter'' continha uma grande quantidade de material escrito para o que seria o segundo álbum de Love, incluindo as canções "Pacific Coast Highway", "Letter to God", "Samantha" e "Never Go Hungry", que foram produzidas por Larkin. O primeiro single do álbum foi "Skinny Little Bitch", que foi a canção alternativa mais tocada nos rádios março de 2010.<ref>{{citar web |url=http://www.courtney-love.org/skinny-little-bitch-most-added-song-on-alternative-radio |publicado=Courtney-love.org |título=Skinny Little Bitch, most added song on alternative radio |língua=inglês |data=15 de março de 2010 |author=Skinny Little Bitch |acessodata=4 de novembro de 2010 |primeiro=Mel |obra= |arquivourl=https://web.archive.org/web/20101229215211/http://www.courtney-love.org/skinny-little-bitch-most-added-song-on-alternative-radio |arquivodata=2010-12-29 |urlmorta=yes }}</ref>
 
Em uma entrevista, Love afirmou que ela havia mantido um celibato por cinco anos enquanto trabalhava no álbum: "eu precisava colocar toda minha energia nesse álbum. Tipo, toda ela, e [sexo e amor] podem te distrair".<ref name="fuseotr">{{cita episodio|author=Fuse|url=http://www.youtube.com/watch?v=fgqt0ofwE3g|serie=On The Record|título=Courtney Love|data=10 de maio de 2010|acessodata=13 de agosto de 2012}}</ref>
 
O álbum recebeu críticas mistas. ''Rolling Stone'' deu três de cinco estrelas, dizendo que Love havia "realmente se esforçado, e não feito balbuciado um monte de merda de drogado e achado que alguém ia gostar, como fez em 2004, com seu fracassado álbum solo".<ref>{{citar web |url=http://www.rollingstone.com/music/albumreviews/nobodys-daughter-20100426 |publicado=Rollingstone.com |autor=Sheffield, Robert |título=Nobody's Daughter by Hole |língua=inglês |obra=[[Rolling Stone]] |data=26 de abril de 2010 |acessodata=26 de junho de 2013}}</ref> ''Slant Magazine'' também deu três de cinco estrelas para o álbum, dizendo: "ela soa como [[Marianne Faithfull]] em canções como "Honey" e "For Once In Your Life", sendo a última canção uma das vulneráveis performances vocais de Love até hoje. Composta ao lado de Linda Perry, a música oferece um raro vislumbre da mente de uma mulher que, nos últimos 15 anos, tem sido tão famosa por ser uma estrela do rock como ela tem sido por ser uma vítima." <ref>{{citar web |url=http://www.slantmagazine.com/music/review/hole-nobodys-daughter/2083 |publicado=Slantmagazine.com |obra=Slant |data=21 de abril de 2010 |acessodata=25 de junho de 2013 |autor=Cinquemani, Sal |título=Hole: Nobody's Daughter |língua= }}</ref>
[[Imagem:Courtney Love Moore Theatre July 23 2013.png|thumb|left|Love se apresentando no Moore Theatre em Seattle, Washington; 23 de julho de 2013]]
 
Em outubro de 2012, Love contou a revista ''Rolling Stone'' que ela havia desistido da alcunha do Hole e que iria retomar sua carreira solo. Ela afirmou que havia acabado de gravar uma nova canção, chamada "This is War", produzida por [[James Iha]].<ref name="war">{{cita web|url=http://www.rollingstone.com/music/news/stevie-nicks-headlines-elton-johns-aids-foundation-gala-in-new-york-20121016|obra=Rolling Stone|título=Stevie Nicks Headlines Elton John's AIDS Foundation Gala in New York|autor=Horowitz, Steven J.|data=16 de outubro de 2012|acessodata=13 de outubro de 2013}}</ref> Love também gravou uma canção chamada "Rio Grande", um dueto com [[Michael Stipe]],<ref>{{citar web |url=http://www.spin.com/articles/johnny-depp-tom-waits-courtney-love-iggy-pop-pirates-album |publicado=Spin.com |obra=Spin |título=Johnny Depp Ropes Tom Waits, Courtney Love, Iggy Pop for Pirate-Themed Album |língua=inglês |data=5 de dezembro de 2012 |acessodata=22 de março de 2013 |autor=McGovern, Kyle}}</ref> e também um dueto com [[Fall Out Boy]], na canção "Rat a Tat".<ref>{{citar web |url=http://www.mtv.com/news/articles/1704151/fall-out-boy-courtney-love-save-rock-roll.jhtml |publicado=Mtv.com |título=Fall Out Boy Joined By Courtney Love On 'Save Rock And Roll' |língua=inglês |data=22 de março de 2013 |acessodata=22 de março de 2013 |autor=Kaufman, Gil |obra=[[MTV]]}}</ref>
 
Em 29 de dezembro de 2012, Love fez um show acústico surpresa no Electric Room de Nova York,<ref>{{citar web |url=http://grungereport.net/?p=19775 |publicado=Grungereport.net |obra=Grunge Report |título=Courtney Love performs impromptu acoustic set in New York |língua= |autor=Buchanan, Brett |data=30 de dezembro de 2012 |acessodata=19 de janeiro de 2013 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20130118211414/http://grungereport.net/?p=19775 |arquivodata=2013-01-18 |urlmorta=yes }}</ref> e, em janeiro de 2013, se apresentou no Star Bar de Park City, Utah, no Sundance Film Festival.<ref>{{citar web |url=http://www.marketwatch.com/story/courtney-love-to-perform-live-during-sundance-2013-01-18 |publicado=Marketwatch.com |obra=Market Watch |data=18 de janeiro de 2013 |acessodata=19 de janeiro de 2013 |autor= |título=Courtney Love to perform live during Sundance |língua= |arquivourl=https://web.archive.org/web/20131105180207/http://www.marketwatch.com/story/courtney-love-to-perform-live-during-sundance-2013-01-18 |arquivodata=2013-11-05 |urlmorta=yes }}</ref>
Courtney teve problemas com drogas durante anos de sua vida. Ela admitiu ter usado [[maconha]] durante a adolescência e ter sido "apresentada" a drogas mais pesadas aos 16 anos, enquanto vivia em [[Taiwan]], usando [[heroína]] após confundir com [[cocaína]]. Ela revelou ter usado [[cocaína]] pela primeira vez aos 19 anos, com sua amiga [[Jennifer Finch]]. Courtney referiu-se ao ocorrido como "uma situação não muito agradável". De acordo com ela, Finch teve uma overdose, e Love, que não sabia dirigir, a colocou no carro e a levou para o hospital. "Eu fiquei com muito medo de drogas após aquilo", afirmou.
 
Em 1992, Courtney disse, durante uma entrevista para a [[Vanity Fair]], que havia usado heroína antes de saber que estava grávida.<ref>Love, Courtney. MTV Interview, 1994: "If you read Vanity Fair, you probably think I swig Jack Daniel's first thing in the morning, after I smoke my crack and don't see my daughter for ten days."</ref> A revista distorceu suas palavras, gerando um grande mal entendido, o que fez com que ela e Kurt Cobain perdessem a guarda de Frances, a recuperando em 1993. Em 1996, parou de usar drogas e levava um estilo saudável de vida, no entanto, em 2004, sofreu uma recaída.<ref name="multipla" /> Em 9 de julho de 2004, em seu aniversário de 40 anos, Love tentou cometer suicídio em seu apartamento em Manhattan, sendo hospitalizada e ficando em observação por 72 horas. De acordo com a polícia, ela foi considerada "um perigo a si mesma", mas foi considerada mentalmente sã e liberada para uma clínica de reabilitação, dois dias depois. Em 2005 e 2006, após fazer diversas aparições públicas claramente intoxicada (como a infame entrevista com [[David Letterman]], onde se apoiou em sua mesa e mostrou os seios) e ter sido presa por posse de drogas e violações de liberdade condicional, Love foi sentenciada a seis meses de confinamento em um centro de reabilitação devido ao uso de medicamentos prescritos e cocaína, sendo liberada em 2007 e estando sóbria desde então.
 
===Pontos de vista religiosos e políticos===
1 079

edições

Menu de navegação