Francisco Seixas da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Francisco Seixas da Costa
Francisco Seixas da Costa
Dados pessoais
Nome completo Francisco Manuel Seixas da Costa
Nascimento 28 de janeiro de 1948 (74 anos)
Vila Real Portugal Portugal
Alma mater Universidade de Lisboa
Profissão Gestor e consultor estratégico

Francisco Seixas da Costa CvCGCCOIHGOM (Vila Real, 28 de janeiro de 1948) é gestor empresarial, consultor estratégico, investigador universitário e comentador de assuntos internacionais na comunicação social. Entre 1975 e 2013, desempenhou funções diplomáticas, tendo sido, nomeadamente, embaixador nas Nações Unidas (Nova Iorque), na OSCE (Viena), no Brasil, em França e na UNESCO. Entre 1995 e 2001, desempenhou funções como Secretário de Estado dos Assuntos Europeus, em dois governos chefiados por António Guterres.

Biografia. Atividade profissional passada[editar | editar código-fonte]

Francisco Manuel Seixas da Costa nasceu em 1948[1] em Vila Real, onde completou o ensino secundário.

Licenciou-se em Ciências Políticas e Sociais, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (1974).

Exerceu cargos como dirigente associativo universitário (por duas vezes, essa eleição não foi homologada por decisão ministerial), entre 1968 e 1972.

Iniciou a sua vida profissional na Caixa Geral de Depósitos (1971-1973), onde ingressou por concurso público. Foi colaborador da empresa Ciesa-NCK (1974-1975).

Posteriormente ao movimento militar de 25 de Abril de 1974, em que participou como oficial miliciano, foi assessor da Junta de Salvação Nacional.

Em 1975, foi admitido, através de concurso público, no serviço diplomático português. Esteve inicialmente colocado nas Embaixadas em Oslo (1979-1982), Luanda (1982-1986) e Londres (1990-1994). Exerceu funções de assessoria e direção no quadro do Ministério dos Negócios Estrangeiros (1986-1990 e 1994-1995). Chefiou a equipa negocial portuguesa na Convenção de Lomé IV (1988-1990).

Entre 1995 e 2001, foi Secretário de Estado dos Assuntos Europeus, tendo integrado os XIII e XIV Governos Constitucionais. Nessa qualidade, foi o principal negociador português do Tratado de Amesterdão (1995-1997) e do Tratado de Nice (2000), tendo presidido ao Comité de Ministros do Acordo de Schengen (1997) e ao Conselho de Ministros do Mercado Interno da União Europeia (2000).

Tendo retomado a carreira diplomática, em 2001, foi nomeado embaixador representante permanente junto das Nações Unidas em Nova Iorque (2001-2002). Aí desempenhou os cargos de vice-presidente do Conselho Económico e Social - ECOSOC (2001), de presidente da Comissão de Economia e Finanças da 56.ª Assembleia Geral (2001-2002) e foi eleito vice-presidente da 57.ª Assembleia Geral (2002). Integrou, a convite do secretário-geral, Kofi Annan, o conselho do UNFIP - United Nations Fund for International Partnerships (2001-2002).

Em 2002, foi nomeado embaixador representante permanente junto da OSCE - Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (2002-2004), durante a presidência portuguesa da organização, tendo então chefiado o respetivo Conselho Permanente (2002).

Foi embaixador no Brasil (2005-2009) e em França (2009-2013).

Cumulativamente com as funções de embaixador em França, foi acreditado como primeiro embaixador não-residente de Portugal no Mónaco (2010-2013).

Cumulativamente com as funções de embaixador em França, foi acreditado como embaixador representante permanente junto da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) e junto da União Latina (2012-2013).

Deixou o quadro diplomático externo, por ter atingido a idade limite para tal, em 28 de janeiro de 2013. Passou à situação de aposentação da função pública, a seu pedido, em 11 de março de 2013, após 42 anos de serviço público.

De 1 de fevereiro de 2013 a 31 de janeiro de 2014, dirigiu o Centro Norte-Sul, do Conselho da Europa.

Outras atividades exercidas[editar | editar código-fonte]

Foi presidente do Conselho Geral da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (2009-2012), membro do Conselho Geral de Fundação Cidade de Guimarães (2011-2013), membro do Conselho Consultivo da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (2013-2018), membro do Conselho Consultivo da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (2010-2018), vice-presidente da Direção (1994-1995) e presidente da Assembleia Geral (2013-2015) da Associação Sindical dos Diplomatas Portugueses (ASDP), membro da comissão que estabeleceu as bases para o Conceito Estratégico de Defesa Nacional 2013/2023 (2012), membro do júri do Prémio Universidade de Coimbra (2015), consultor da Fundação Bertelsmann (2019-2020), membro do Conselho Geral Independente da Rádio e Televisão de Portugal SA (2018-2021) e membro do Conselho Consultivo para a participação portuguesa na Expo-Dubai 2020 (2019-2020).

Exerceu funções de consultoria junto da Fundação Calouste Gulbenkian (2013-2021).

Foi colunista regular do Diário Económico (2013-2015), do Jornal de Notícias (2015-2021), da revista Epicur (2015-2018), do Jornal de Negócios (2015-2021) e do Jornal Económico (2018-2021). Foi comentador regular nos programas de relações internacionais “Olhar o Mundo”, da RTP (2014-2018), e “Observare”, da TVI 24 (2020-2021).

Foi docente da Universidade Europeia (2015-2018) e professor convidado na Universidade Autónoma de Lisboa (2014-2018).

Atividades que exerce[editar | editar código-fonte]

Exerce funções de gestão, consultoria estratégica e supervisão em empresas do setor privado (desde 2013). A convite do Presidente da República, integra o Conselho das Ordens de Mérito Civil (desde 2016). É diretor (desde 2016) e preside (desde 2019) ao Clube de Lisboa - Global Challenges. Integra o GRES - Grupo de Reflexão Estratégica sobre Segurança (desde 2016). É diretor da Academia Portuguesa de Gastronomia (desde 2017). É investigador associado na Universidade Autónoma de Lisboa (desde 2020). Integra o Conselho Cultural da Fundação Eça de Queiroz (desde 2021). É colunista do jornal digital “A Mensagem de Lisboa” (desde 2021). É comentador de assuntos internacionais no podcast “A Arte da Guerra”, na plataforma digital do “Jornal Económico” (desde 2021). É comentador sobre temas internacionais na CNN Portugal (desde 2021). É membro da comissão que prepara as bases para o Conceito Estratégico de Defesa Nacional (2023-2033 (desde 2022)).

Polémica[editar | editar código-fonte]

A circunstância de Seixas da Costa ter utilizado a palavra ““javardo”, numa publicação no Twitter, em março de 2019, para qualificar o treinador de futebol Sérgio Conceição, alegadamente como reação de indignação pelo facto de ter testemunhado, na televisão, insultos proferidos por este a adeptos de outro clube, levou o tribunal portuense do Bolhão a condená-lo, em outubro de 2022, em primeira instância, por “difamação agravada”. Seixas da Costa recorreu da decisão.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Diplomacia Europeia - Instituições, Alargamento e o Futuro da União (Lisboa, Dom Quixote, 2002).
  • Uma Segunda Opinião - Notas de Política Externa e Diplomacia (Lisboa, Dom Quixote, 2007).
  • As Vésperas e a Alvorada de Abril (Brasília, Thesaurus, 2007).
  • Tanto Mar? - Portugal, o Brasil e a Europa (Brasília, Thesaurus, 2008).
  • Apontamentos (Lisboa, Instituto Diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros, 2009).
  • A Cidade Imaginária (Vila Real, Biblioteca Municipal, 2021).

É co-autor ou participou em outras obras, nomeadamente:

  • Estratégia de Segurança Nacional, Portugal Horizonte 2030, coord. N. Lourenço e A. Costa, Ed. Almedina, Coimbra, 2018
  • Olhar o Mundo, coord. A. Mateus, Ed. Marcador, Lisboa, 2017
  • A Diplomacia Portuguesa face ao Sec. XXI, Ed. IDI, Lisboa, 1999
  • Pontes por Construir, Portugal e Alemanha, coord. L. Coelho, ed. Bairro dos Livros, Porto, 2015
  • Conversas Globais, coord. P. Pinto, ed. Bertrand, Lisboa, 2020
  • Conferências do Chiado (2° ciclo), ed. Cidsenior, Lisboa 2018
  • 20 Anos de Integração Europeia (1986-2006), coord. Nicolau Andresen Leitão, ed. Cosmos, Lisboa, 2007
  • Segurança e Defesa Nacional - Um Conceito Estratégico, coord. L. Fontoura, ed. Almedina, Coimbra, 2013
  • Europe’s Coherence Gap in External Crisis and Conflict Management, com Patrícia Magalhães Ferreira, ed. Bertelsmann Stiftung, Guetersloh, 2020
  • As Décadas da Europa, coord. J.R. Lã, A. Cunha e P. S. Nunes, ed. Book Builders, Lisboa, 2019
  • A Imagem de Portugal, coord. L. V. Oliveira, ed. Associação Círculo Dr. José de Figueiredo, Porto, 2020
  • Portugal, a Europa e a Crise Financeira Internacional, coord. J. R. Silva, com A. Mendonça e A. Romão, ed. Almedina, Coimbra, 2012
  • Conferência Intergovernamental, ed. Conselho Económico e Social, Lisboa, 2000
  • O Caso República, com António Pinto, ed. autores, 1975

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Nacionais

Estrangeiras

Referências

  1. «Anuário Diplomático e Consular Português. Volume LXXV.» (PDF). Ministério dos Negócios Estrangeiros. 15 de outubro de 2007. p. 232. Consultado em 26 de maio de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 26 de maio de 2014 
  2. a b c d «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Francisco Manuel Seixas da Costa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 26 de maio de 2014 
  3. «Xutos & Pontapés vão ser comendadores por Mérito». Jornal de Notícias. 8 de junho de 2004. Consultado em 26 de maio de 2014. Cópia arquivada em 26 de maio de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Francisco Seixas da Costa
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) político(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.