Grande Prêmio da Alemanha de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Alemanha de F-1 2016
Circuit Hokenheimring.png
Grande Prêmio da Alemanha de 2016.
Detalhes da corrida
Data 31 de julho de 2016
Nome oficial Formula 1 Grosser Preis Von Deutschland 2016
Local Hockenheimring, Hockenheim, Baden-Württemberg, Alemanha
Total 67 voltas / 306.458 km
Pole
Piloto
Alemanha Nico Rosberg Mercedes
Tempo 1:14.363
Volta mais rápida
Piloto
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer
Tempo 1:18.442 (na volta 48)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer
Terceiro
Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer

Grande Prêmio da Alemanha de 2016 (formalmente denominado Formula 1 Grosser Preis Von Deutschland 2016) foi a decima segunda etapa da temporada de 2016 da Fórmula 1. Foi disputado no dia 31 de julho de 2016 no Circuito de Hockenheimring, Hockenheim, Alemanha.[1]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

2017 - Halo é Vetado

Em reunião do grupo de estratégia da F1, nesta quinta-feira, em Genebra, a introdução do Halo para 2017 foi vetada. A decisão vai contra a ideia da FIA, que era de introduzir a peça no ano que vem por questões de segurança. E apesar de o assunto ainda ter de passar por uma segunda votação, na comissão da F1, dificilmente o cenário mudará, já que as votações precisam ser unânimes. A ideia de quem votou contra é de que o dispositivo fique para 2018 após mais testes serem realizados, já que a peça ainda não "teria atingido maturidade o bastante" para ser introduzida na categoria.

Liberação de Conversas por Rádio

Outra novidade, esta em prática já no GP da Alemanha, é a liberdade concedida a pilotos e equipes para falarem pelo rádio. O assunto virou alvo de polêmica desde a punição recebida por Nico Rosberg na Inglaterra, quando a FIA endureceu as regras, e ganhou ainda mais destaque depois de Jenson Button ter sido punido de maneira "estúpida", como afirma o próprio piloto. Alguns assuntos ainda seguem com restrições, como ponto certo de embreagem e mapeamento de motor logo antes da largada.[2]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

Felipe Nasr acabou eliminado logo na primeira parte do treino, em penúltimo, à frente apenas do companheiro de Sauber, Ericsson. Massa, por pouco, também não caiu fora. Ele avançou com o 15º tempo, duas posições à frente do primeiro eliminado. A decepção do Q1 ficou por conta de Daniil Kvyat. Em má fase, o russo da STR terminou com o 19º tempo. Seu companheiro Carlos Sainz Jr. figurou na zona de corte nos segundos finais, mas garantiu vaga com o 12º tempo. Também foram eliminados: Kevin Magnussen (Renault), Pascal Wehrlein (Manor) e Rio Haryanto (Manor). Quem surpreendeu foi Jolyon Palmer, que conseguiu levar a Renault ao Q2. O melhor tempo ficou por conta de Hamilton, com 1m15s243, seguido por Rosberg, Ricciardo e Raikkonen.

Q2

Foi também por pouco que Massa avançou para o Q3. O brasileiro fez 1m15s699 e garantiu a 10ª e última vaga na superpole, dois décimos mais veloz que o primeiro eliminado, Esteban Gutiérrez, da Haas. Outro que quase ficou fora foi Vettel, que passou em nono. O Q2 marcou também as saídas de Jenson Button e Fernando Alonso, da McLaren, Carlos Sainz Jr. (STR), Romain Grosjean (Renault) e Jolyon Palmer (Renault). Hamilton foi novamente o mais veloz, 1m14s748, apenas 91 milésimos mais rápido que Rosberg. Verstappen, Raikkonen e Bottas vieram a seguir. Pérez, Ricciardo e Hulkenberg também avançaram.

Q3

Vettel foi o primeiro a marcar tempo no Q3, 1m15s619. Rosberg vinha a seguir, mas abortou a volta por causa de um problema eletrônico no carro e retornou aos boxes. Raikkonen bateu a marca, 1m15s142, mas logo foi desbancado por Hamilton, que anotou 1m14s486. Ricciardo e Verstappen pularam para segundo e terceiro, respectivamente. Rosberg, Bottas e Massa não haviam feito tempo na primeira metade do Q3.

De volta à pista, agora com os problemas eletrônicos resolvidos, Robserg cravou 1m14s363 e pulou para a primeira posição. Mas Hamilton vinha a seguir. O britânico baixou o tempo do companheiro na primeira parcial, mas passou acima na segunda e na terceira. A pole era mesmo de Rosberg. Ricciardo ficou com o terceiro tempo, seguido por Verstappen, Raikkonen e Vettel. Hulkenberg, Bottas, Pérez e Massa completaram o top 10.[3]

Grid de Largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Largando em segundo, Hamilton tracionou melhor que o pole Rosberg e assumiu a ponta logo nos primeiros metros. O alemão, aliás, largou muito mal, sendo engolido também pela dupla da RBR. Destaque para Verstappen, que fez uma bela manobra sobre Ricciardo e pulou para segundo. Largando da 21ª e penúltima posição, Felipe Nasr foi quem fez a largada mais espetacular. Sagaz, aguardou os rivais se estranharem na primeira curva, deu um “X” quíntuplo e pulou para 16º.

Felipe Massa foi tocado por Palmer na primeira volta, teve o difusor danificado, mas manteve a 10ª posição. Inconformado por ter caído para quarto, Rosberg partiu para cima de Ricciardo. Os dois protagonizaram um belo duelo roda a roda por várias curvas, mas o australiano se impôs e manteve a terceira colocação. Mais veloz, Fernando Alonso deu o bote para cima de Felipe Massa e entrou na zona de pontuação, empurrando o brasileiro para 11º. Já sofrendo com desgaste de pneus, Daniil Kvyat abriu o trabalho nos boxes. Com o carro instável, Felipe Massa perdeu posição também para Carlos Sainz Jr., e caiu para 12º. Massa e Sainz foram para os boxes. Os dois trocam os pneus supermacios pelos macios e o piloto da Williams voltou em 18º, retomando a posição do espanhol da STR. Com um desgaste mais acelerado do que o esperado dos pneus traseiros, muitos pilotos anteciparam suas paradas. Em um intervalo de três voltas, todos os ponteiros fizeram seus pit stops e adotaram estratégias diferentes. Hamilton colocou pneus macios e manteve a liderança, seguido por Verstappen, que optou pelos supermacios, Ricciardo (macios) e Nico (supermacios). A única mudança de posições ficou por conta de Vettel, que ganhou o lugar de Raikkonen. Após a primeira rodada de pit stops, Massa aparecia em 14º, e Nasr em 20º. Com dificuldades para imprimir um bom ritmo, Massa perdeu posições para Grosjean e Sainz e caiu para 16º. Massa antecipou a segunda parada e perdeu muito tempo no pit stop. Tudo porque os mecânicos tiveram muita dificuldade para trocar o pneu traseiro esquerdo. O brasileiro, que já estava com a corrida prejudicada, perdeu completamente qualquer chance de marcar pontos, caindo para 20º. Em terceiro e quarto, Verstappen e Rosberg fizeram seus pits tops em voltas consecutivas, e o holandês se manteve à frente do alemão. Mas o piloto da Mercedes partiu para cima, colocou por dentro e espalhou o rival da RBR, em manobra semelhante a que fez com Hamilton na Áustria. Tanto que a direção de prova colocou o incidente sob investigação.

Os comissários consideraram a manobra de Rosberg sobre Verstappen irregular e aplicaram uma punição de 5 segundos ao alemão, que poderia ser cumprida em um pit stop ou ser acrescida no tempo final de prova. Depois da segunda rodada de pit stops, Hamilton continuou na frente, agora com pneus supermacios. Em segundo aparecia Rosberg (macios), que ganhara a posição de Verstappen (macios) na pista e de Ricciardo (supermacios) nos boxes. O alemão, no entanto, ainda tinha 5s de punição a cumprir, diferença que poderia o jogar para a quarta colocação. Vettel seguiu em quinto, à frente de Raikkonen. Massa era o 18º, Nasr, o 20º. Com problemas no carro, Felipe Massa foi chamado pela Williams para os boxes para recolher.

Com pneus supermacios, Ricciardo mantinha ritmo muito forte se aproximou rapidamente de Verstappen, que estava com os compostos macios. O holandês não ofereceu resistência e o australiano assumiu a terceira posição. Depois de passar Verstappen, Ricciardo foi à caça de Rosberg. Em poucas voltas o piloto da RBR colou no alemão, que vinha mais lento em razão da diferença de tipo de pneus. Antes de ser ultrapassado por Ricciardo, Rosberg optou por ir para os boxes para a terceira parada. O alemão cumpriu a punição. E com juros, já que os mecânicos acabaram esperando três segundos a mais do que o necessário.

Nas voltas seguintes foi a vez de Hamilton, Ricciardo, Verstappen, Vettel e Raikkonen fazerem seus pit stops. O inglês da Mercedes colocou pneus macios e seguiu folgado na ponta. A dupla da RBR optou pelos supermacios, se aproveitou da penalização cumprida por Rosberg e passou a frente do alemão, novamente de compostos macios. Com pneus supermacios contra macios de Hamilton, Ricciardo passou a tirar a diferença para o britânico. O piloto da Mercedes, no entanto, apertou o ritmo e congelou a vantagem na casa de sete segundos. E quando a corrida começava a ficar monótona, alguns pingos de chuva começaram a cair no circuito. Também com problemas no carro, Felipe Nasr foi chamado aos boxes para recolher, mas sequer conseguiu chegar à garagem, parando no começo do pitlane.

A chuva se manteve fraca até o final e Lewis Hamilton não teve problemas para levar sua Mercedes até a bandeirada e vencer na casa de seu companheiro de Mercedes. Daniel Ricciardo e Max Verstappen completaram o pódio, enquanto Nico Rosberg cruzou apenas em quarto. Sebastian Vettel foi o quinto, seguido por Kimi Raikkonen (6º), Nico Hulkenberg (7º), Jenson Button (8º), Valtteri Bottas (9º) e Sergio Pérez (10º).[4]

Resultado da Corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Compostos de Pneus fornecidos pela Pirelli para a Temporada de 2016 da Fórmula 1[5]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de Tempo Dry Type Aderência Longevidade
Super Macio F1 tire Pirelli PZero Red.svg Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio F1 tire Pirelli PZero Yellow.svg Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio
Medio F1 tire Pirelli PZero White.svg Slick
(P Zero)
Seco Medium Médio Médio

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:15.485 1:14.839 1:14.363 1
2 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:15.243 1:14.748 1:14.470 2
3 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:15.591 1:15.545 1:14.726 3
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:15.875 1:15.124 1:14.834 4
5 7 Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari 1:15.752 1:15.242 1:15.142 5
6 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:15.927 1:15.630 1:15.315 6
7 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 1:16.301 1:15.623 1:15.510 8 3
8 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 1:15.952 1:15.490 1:15.530 7
9 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:16.169 1:15.500 1:15.537 9
10 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:16.503 1:15.699 1:15.615 10
11 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 1:15.987 1:15.883 11
12 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 1:16.172 1:15.909 12
13 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 1:16.317 1:15.989 15 1
14 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:16.338 1:16.041 13
15 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:16.328 1:16.086 20 2
16 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:16.636 1:16.665 14
17 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 1:16.716 16
18 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 1:16.717 17
19 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 1:16.876 18
20 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 1:16.977 19
21 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 1:17.123 21
22 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:17.238 22
Tempo dos 107%: 1:19.568
Fonte:[6][7]
Notas

↑1 - Romain Grosjean (Haas) perdera cinco posições do grid por conta de uma troca de câmbio.[8]

↑2 - Carlos Sainz Jr. (STR) perdera três posições do grid por ter atrapalhado Felipe Massa (Williams) durante o Q2.[9]

↑3 - Nico Hulkenberg (Force India) perdera uma posição do grid por incorretamente usa sua alocação de pneus durante a primeira parte dos treino classificatório.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 67 1:30:44.200 2 25
2 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 67 +6.996 3 18
3 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 67 +13.413 4 15
4 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 67 +15.845 1 12
5 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 67 +32.570 6 10
6 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 67 +37.023 5 8
7 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 67 +70.049 8 6
8 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 66 +1 Volta 12 4
9 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 66 +1 Volta 7 2
10 11 México Sergio Perez Force India-Mercedes 66 +1 Volta 9 1
11 21 México Esteban Gutiérrez Haas-Ferrari 66 +1 Volta 11
12 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 66 +1 Volta 13
13 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 66 +1 Volta 20
14 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 66 +1 Volta 15
15 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 66 +1 Volta 18
16 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 66 +1 Volta 16
17 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 65 +2 Voltas 17
18 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 65 +2 Voltas 22
19 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 65 +2 Voltas 14
20 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 65 +2 Voltas 19
Ret 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 57 Unidade de Potencia 21
Ret 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 36 Suspensão 10
Fonte:[10][11]

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

  • Foi a última corrida de Rio Haryanto na Equipe Manor e será substituído pelo piloto francês, Esteban Ocon, mas, Haryanto continua na equipe como piloto reserva.

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Grosser Preis Von Deutschland 2016» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «F1 abandona Halo para 2017 e libera conversas por rádio já na Alemanha». Globoesporte.com. 28 de Julho de 2016. Consultado em 28 de Julho de 2016 
  3. «Rosberg supera problema eletrônico, desbanca Hamilton e faz pole em casa». Globoesporte.com. 30 de Julho de 2016. Consultado em 30 de Julho de 2016 
  4. «Hamilton vence e Rosberg vê pódio escapar para dupla da RBR em casa». Globoesporte.com. 31 de Julho de 2016. Consultado em 31 de Julho de 2016 
  5. «Pirelli reveal tyre compound allocations for Germany» (em inglês). Formula 1.com. 26 de maio de 2016 
  6. «Qualifying - Last-gasp Rosberg grabs home pole» (em inglês). Formula 1. Consultado em 30 de julho de 2016 
  7. «Qualifying - Germany» (em inglês). Formula 1. Consultado em 30 de julho de 2016 
  8. «Sainz, Grosjean get grid penalties» (em inglês). Formula 1. Consultado em 30 de julho de 2016 
  9. «Punido por atrapalhar Massa em Hockenheim, Sainz cai para 16º no grid e recebe dois pontos na carteira». Grande Prêmio. 30 de Julho de 2016. Consultado em 30 de Julho de 2016 
  10. «Hamilton extends championship lead with victory in Germany» (em inglês). Formula 1. Consultado em 31 de julho de 2016 
  11. «FORMULA 1 GROSSER PREIS VON DEUTSCHLAND 2016 - RACE RESULT» (em inglês). Formula 1. Consultado em 31 de julho de 2016 
Prova Anterior:
GP da Hungria de 2016
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2016
Próxima Prova:
GP da Bélgica de 2016

Prova Anterior:
GP da Alemanha de 2014
Grande Prêmio da Alemanha Próxima Prova:
GP da Alemanha de 2018