Grande Prêmio da Espanha de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Grande Prêmio da Espanha de F-1 2016
Catalunya.svg
Grande Prêmio da Espanha de 2016.
Detalhes da corrida
Data 15 de maio de 2016
Nome oficial Formula 1 Gran Premio de España Pirelli 2016
Local Circuito da Catalunha, Montmeló, Espanha
Percurso 4.655 km
Total 66 voltas / 307.104 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:22.000
Volta mais rápida
Piloto
Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari
Tempo 1:26.948 (na volta 53)
Pódio
Primeiro
Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer
Segundo
Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari
Terceiro
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari

Grande Prêmio da Espanha de 2016 (formalmente denominado Formula 1 Gran Premio de España Pirelli 2016) foi a quinta etapa da temporada de 2016 da Fórmula 1. Foi disputado no dia 15 de maio de 2016 no Circuito da Catalunha, Montmeló, Espanha.[1] O holandês Max Verstappen, da Red Bull, venceu a corrida, sendo sua primeira vitória na categoria em sua primeira corrida na equipe, passando a ser também o piloto mais jovem a vencer uma corrida na Fórmula 1. O finlandês Kimi Raikkonen e o alemão Sebastian Vettel, ambos da Ferrari, completaram o pódio.[2]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Daniil Kvyat foi rebaixado para equipe Toro Rosso devido ao incidente da corrida anterior com Sebastian Vettel.
Rebaixamento de Daniil Kvyat e Max Verstappen é promovido

No dia 05 de maio de 2016, a equipe Red Bull promoveu o holandês, Max Verstappen na equipe austríaca e rebaixando o piloto russo, Daniil Kvyat para a equipe Toro Rosso. A escuderia austríaca aproveitou o incidente provocado pelo russo de 22 anos para antecipar um plano que desejava para um futuro breve: promover o garoto prodígio Max Verstappen, de 18 anos, que tem encantado a cúpula da equipe com as boas atuações na STR. Com isso, Kvyat acabou rebaixado à equipe co-irmã, que defendeu em 2014.

Apesar de ser dona das duas equipes, a companhia de energéticos nunca havia utilizado este privilégio para fazer mudanças entre seus pilotos durante a temporada. Horner tentou minimizar "rebaixamento" de Kvyat e frisou que a alteração servirá para o russo recuperar o potencial que tanto chamou a atenção em seu início de carreira.[3]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Hamilton fez a pole position
Q1

Nenhum piloto utilizou pneus médios. Na metade da regressiva de 18 minutos, Nico Rosberg marcou o tempo de 1min23s002, 0s212 mais rápido que seu companheiro de equipe Lewis Hamilton. Com a vantagem, os pilotos da equipe alemã voltaram aos boxes.

As duas Red Bulls conseguiram bater os dois carros da Ferrari, com Verstappen à frente de Ricciardo. Raikkonen e Vettel ficaram logo atrás.

Sem conseguir abrir uma volta no fim do treino, Felipe Massa ficou com o 18º lugar e foi tirado do Q2 pela primeira vez no ano. Foram eliminados Palmer, Massa, Ericsson, Nasr, Wehrlein e Haryanto.[4][5]

Q2

Hamilton entrou rapidamente na pista para fazer o melhor tempo do final de semana, com 1min22s159. Rosberg ficou a menos de 0s6 do tempo do parceiro. Verstappen ficou com o terceiro lugar, à frente de Vettel e Ricciardo.

Depois de abortar sua primeira tentativa, Kimi Raikkonen marcou o quarto tempo à frente de Vettel.

Alonso levou a McLaren ao Q3 pela primeira vez desde que a Honda voltou a fornecer motores ao time no início do ano passado. Foram eliminados Hulkenberg, Button, Kvyat, Grosjean, Magnussen e Gutierrez.[4][5]

Q3

Hamilton e Rosberg foram os primeiros a deixarem os boxes no Q3. Em sua primeira volta em velocidade, Hamilton vinha fazendo as duas melhores parciais do treino, mas errou um ponto de freada no último setor, travou o pneu e virou alto: 1m23s277. Rosberg, por sua vez, anotou 1m22s475 e assumiu a primeira posição provisoriamente. Verstappen marcou 1m23s203 e ficou entre as Mercedes. Vettel e Raikkonen apareciam em quarto e quinto, enquanto os demais pilotos preferiram poupar um jogo de pneu e sair só nos minutos finais.

Restando apenas dois minutos para o fim do treino, todos os dez pilotos classificados para o Q3 foram para a pista para suas últimas tentativas. Hamilton anotou as duas melhores primeiras parciais. Dessa vez sem errar no último setor, ele marcou 1m22s000 e tomou a liderança. Vindo a seguir, Rosberg foi incapaz de bater o inglês, e ficou em segundo, com 1m22s280. Riccardo anotou uma boa volta e terminou em terceiro, a frente de Verstappen, que foi superado pela primeira vez na classificação e ficou em quarto[5].

Grid de largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Na largada Rosberg ultrapassou Hamilton ainda na primeira curva do circuito tornando-se líder. Mais atrás Vettel superou Räikkönen para assumir a quinta colocação. Na sequência, Hamilton da Mercedes tentou retomar a primeira posição, porém perdeu o controle ao escapar para a grama, rodou, e atingiu o carro de Rosberg decretando o fim da prova para os dois. O carro de segurança foi acionado. A relargada ocorreu na abertura da quarta volta, com Vettel pressionando Sainz, então terceiro colocado, enquanto os dois pilotos da Red Bull Racing abriam vantagem na liderança. Vettel conseguiu superar Sainz na oitava volta da prova, Räikkönen conseguiu a ultrapassagem duas voltas depois.[6][7]

Verstappen venceu a prova

Massa foi quem abriu a rodada de paradas nos boxes, na nona volta, enquanto Pérez e Kvyat pararam no giro seguinte. Entre os líderes, Ricciardo foi o primeiro a fazer o pit stop, na 12ª volta, enquanto Verstappen e Räikkönen pararam no giro seguinte. Já Vettel trocou os pneus apenas na 17ª passagem. Todos colocaram os compostos médios em seus carros, e as posições se mantiveram as mesmas de antes das trocas.[6][7]

Na 22ª volta, a Force India de Hülkenberg apresentou um princípio de incêncido, obrigando o piloto a deixar a disputa quando ocupava a 13ª colocação. A segunda rodada de paradas começou com Ricciardo indo aos boxes para colocar pneus macios na 29ª volta, ação repetida por Vettel no giro seguinte. Verstappen manteve a liderança até parar na 35ª passagem, colocando compostos médios. O holandês retornou em terceiro, perdendo a posição para Vettel. Na volta seguinte Räikkönen trocou os pneus também pelos médios. Vettel precisou retornar aos boxes após apenas 11 voltas com pneus macios, desta vez colocando os pneus de faixa branca, iguais aos de seu companheiro de equipe e do holandês da Red Bull. Vettel caiu para 4º. Ricciardo seguia na ponta, com 10s de vantagem para Verstappen, 12s para Raikkonen e 18s para Vettel.[6][7]

Na 43ª volta Ricciardo, que apresentava um ritmo de corrida pior em relação aos rivais, fez nova troca de pneus. Quatro giros mais tarde, a McLaren de Fernando Alonso apresentou um problema, fazendo com que o espanhol abandonasse a prova. Na frente, Räikkönen se aproximou de vez de Verstappen na 48ª volta, sem conseguir ainda uma tentativa de ultrapassagem. Vettel, que se aproximava dos líderes, também viu Ricciardo diminuir sua diferença, encostando de vez na 57ª passagem. Ricciardo chegou a conseguir a ultrapassagem sobre Vettel na 59ª volta, entretanto Vettel retomou a posição. Depois de exigir muito dos pneus nas tentativas de ultrapassagem, Ricciardo perdeu rendimento, por conta de um esvaziamento do composto traseiro esquerdo, que furou logo em seguida, forçando-o a parar nos boxes.[6][7]

Na ponta, Verstappen conseguiu abrir um segundo para Räikkönen, e seguiu para vencer pela primeira vez na carreira tornando-se o piloto mais jovem a vencer uma corrida e também a subir ao pódio aos 18 anos e 228 dias, ao mesmo tempo foi o primeiro neerlandês a vencer uma prova.[6][7]

Resultado da corrida.

Pneus[editar | editar código-fonte]

Compostos de Pneus fornecidos pela Pirelli para a Temporada de 2016 da Fórmula 1[8]
Nome do composto Cor Banda de rolamento Condições de condução Dry Type* Aderência Longevidade
Macio Neumático F1 Blando.png Slick
(P Zero™)
Seco Soft Médio Médio
Médio Neumático F1 Medio.png Slick
(P Zero™)
Seco Medium Médio Médio
Duro Neumático F1 Duro.png Slick
(P Zero™)
Seco Hard Menos Aderência Mais Durável

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:23.214 1:22.159 1:22.000 1
2 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:23.002 1:22.759 1:22.280 2
3 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:23.749 1:23.585 1:22.680 3
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:23.578 1:23.178 1:23.087 4
5 7 Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari 1:23.796 1:23.504 1:23.113 5
6 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:24.124 1:23.168 1:23.334 6
7 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 1:24.251 1:24.023 1:23.522 7
8 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 1:24.496 1:24.077 1:23.643 8
9 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 1:24.698 1:24.003 1:23.782 9
10 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:24.578 1:24.192 1:23.981 10
11 27 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 1:24.463 1:24.203 11
12 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 1:24.583 1:24.348 12
13 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 1:24.696 1:24.445 13
14 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:24.716 1:24.480 14
15 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 1:24.669 1:24.625 15
16 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 1:24.406 1:24.778 16
17 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:24.903 17
18 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:24.941 18
19 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:25.202 19
20 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 1:25.579 20
21 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 1:25.745 21
22 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 1:25.939 22
Tempo dos 107%: 1:28.812
Fonte:[9][10]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 66 1:41:40.017 4 25
2 7 Finlândia Kimi Raikkonen Ferrari 66 +0.616 5 18
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 66 +5.581 6 15
4 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 66 +43.950 3 12
5 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 66 +45.271 7 10
6 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 66 +1:01.395 8 8
7 11 México Sergio Perez Force India-Mercedes 66 +1:19.358 9 6
8 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 66 +1:20.707 18 4
9 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 65 +1 volta 12 2
10 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 65 +1 volta 13 1
11 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 65 +1 volta 16
12 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 65 +1 volta 19
13 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 65 +1 volta 17
14 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 65 +1 volta 1 15
15 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 65 +1 volta 20
16 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 65 +1 volta 21
17 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 65 +1 volta 22
Ret 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 56 Freio 14
Ret 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 45 Unidade de potência 10
Ret 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 20 Vazamento de óleo 11
Ret 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 0 Colisão 2
Ret 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 0 Colisão 1
Fonte:[11][12]

↑1 - Kevin Magnussen recebeu 10 segundos de penalidade de tempo por causar uma colisão.

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

  • Primeira vitória de Max Verstappen
  • Max Verstappen se tornou o piloto mais jovem a vencer uma corrida e também a subir ao pódio aos 18 anos e 228 dias.
  • Primeira vitória de um piloto holandês na Fórmula 1.

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Gran Premio de España Pirelli 2016» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Verstappen vence em estreia na RBR e faz história. Hamilton e Nico batem». GloboEsporte.com. 15 de maio de 2016 
  3. «É oficial: RBR promove Verstappen e rebaixa Daniil Kvyat para a STR». Globoesporte.com. 05 de maio de 2016. Consultado em 05 de maio de 2016  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  4. a b «Hamilton faz 3ª pole do ano; brasileiros têm dia horrível». motorsport.com. 14 de maio de 2016. Consultado em 15 de maio de 2016 
  5. a b c «Massa e Nasr são eliminados cedo, e Hamilton faz pole para GP da Espanha» (html). globo.com. 14 de maio de 2016. Consultado em 15 de maio de 2016 
  6. a b c d e Leonardo Marson (15 de maio de 2016). «Aos 18 anos, Max Verstappen vence o GP da Espanha de F1». Torcedores.com. Consultado em 15 de maio de 2016 
  7. a b c d e «Verstappen vence em estreia na RBR e faz história. Hamilton e Nico batem» (html). globo.com. 15 de maio de 2016. Consultado em 15 de maio de 2016 
  8. «Pirelli confirm tyre compound allocations for Spain» (em inglês). Formula 1.com. 10 de março de 2016 
  9. «Hamilton takes Spanish pole as Red Bull humble Ferrari» (em inglês). Formula 1. Consultado em 14 de maio de 2016 
  10. «Qualifying - Spain» (em inglês). Formula 1. Consultado em 14 de maio de 2016 
  11. «Verstappen stuns with maiden win in Spain» (em inglês). Formula 1. Consultado em 15 de maio de 2016 
  12. «Formula 1 Gran Premio de España Pirelli 2016» (em inglês). Formula 1. Consultado em 15 de maio de 2016 
Prova Anterior:
GP da Rússia de 2016
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2016
Próxima Prova:
GP de Mônaco de 2016

Prova Anterior:
GP da Espanha de 2015
Grande Prêmio da Espanha Próxima Prova:
GP da Espanha de 2017