Grande Prêmio do Canadá de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio do Canadá de F-1 2016
Circuit Gilles Villeneuve.svg
Grande Prêmio do Canadá de 2016.
Detalhes da corrida
Data 12 de junho de 2016
Nome oficial Formula 1 Grand Prix du Canada 2016
Local Circuito Gilles Villeneuve, Montreal, Quebec, Canadá
Percurso 4.361 km
Total 70 voltas / 305.270 km
Pole
Piloto
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Tempo 1:12.812
Volta mais rápida
Piloto
Alemanha Nico Rosberg Mercedes
Tempo 1:15.599 (na volta 60)
Pódio
Primeiro
Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes
Segundo
Alemanha Sebastian Vettel Ferrari
Terceiro
Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes

Grande Prêmio do Canadá de 2016 (formalmente denominado Formula 1 Grand Prix du Canada 2016) foi a sétima etapa da temporada de 2016 da Fórmula 1. Foi disputado no dia 12 de junho de 2016 no Circuito Gilles Villeneuve.[1]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Transmissão

a Rede Globo descartou GP do Canadá no domingo e registra primeiro fim de semana sem qualquer transmissão ao vivo em TV aberta. Por conta do horário que bate com o futebol do Campeonato Brasileiro. O SporTV que é o canal fechado pertencida ao Globosat, ficou encarregado de transmitir a corrida ao vivo.[2]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1

Nico Rosberg foi o mais rápido na primeira parte do treino, com 1m13s714, com Daniel Ricciardo em segundo, a 0s211, e Sebastian Vettel, em terceiro, a 0s316. Como Kevin Magnussen bateu no 3º treino livre e sequer participou do classificatório, apenas cinco pilotos foram eliminados. Rio Haryanto (Manor), com o pior tempo do Q1, foi o primeiro a rodar, literal e metaforicamente, após sair de traseira e bater no muro. Felipe Nasr foi o segundo mais lento, a 1s do companheiro Marcus Ericsson, e outro a deixar o treino ainda no Q1. Jolyon Palmer e Pascal Wehrlein também foram eliminados.

Q2

O Q2 mal havia começado e o “Muro dos Campeões” fez sua primeira vítima do fim de semana: Carlos Sainz Jr. O espanhol tocou de leve na parede após a chicane, mas o suficiente para destruir a suspensão da STR e fazer o carro ir se arrastando até a linha de chegada, provocando uma bandeira vermelha. Com isso, Sainz foi o primeiro a ser eliminado, ficando com o 16º lugar no grid. Junto com o piloto da STR, também deram adeus no Q2: Romain Grosjean, Esteban Gutiérrez, Daniil Kvyat, Jenson Button e Sergio Pérez. Destaque para Fernando Alonso que, no apagar das luzes, conseguiu avançar ao Q3. Desta vez, em contraste com o Q1, Hamilton foi o mais rápido, com 1m13s076, seguido de pertinho por Rosberg 1m13s094 e com Ricciardo um pouco mais distante, com 1m13s540.

Q3

Inspirado, Lewis Hamilton fez uma volta irretocável logo nos primeiros minutos de Q3. Com 1m12s812, o britânico não deu chance aos rivais. Nico Rosberg bem que tentou, mas ficou a 0s062 do companheiro. Na sua última tentativa, com a faca nos dentes e sob grande pressão, o alemão errou logo na primeira curva e abortou a volta. Nos instantes finais, Sebastian Vettel ainda conseguiu arrancar uma boa volta para garantir a terceira colocação no grid de largada, com 1m12s990. A RBR não conseguiu repetir as boas atuações das etapas anteriores. Daniel Ricciardo ficou com o quarto melhor tempo, com a marca de 1m13s166, enquanto Max Verstappen foi o quinto, ao anotar 1m13s414. Kimi Raikkonen, com uma atuação discreta, ficou em sexto, seguido por Valtteri Bottas, o sétimo. Ao errar sua única tentativa de volta rápida, Massa foi o oitavo mais rápido. Nico Hulkenberg ficou com a nona colocação, enquanto Fernando Alonso assegurou o décimo lugar para a McLaren que, aos poucos, vem demonstrando evolução.[3]

Grid de largada

Corrida[editar | editar código-fonte]

Partindo de 3º, Vettel surpreendeu as duas Mercedes e pulou para a ponta. Pole, Hamilton acabou tocando roda com roda com Rosberg ao tentar defender o segundo lugar. Quem levou a pior foi o alemão da Mercedes, que saiu da pista e acabou despencando para nono, atrás de Alonso. Massa, que largou em oitavo, subiu para sétimo. Já Nasr, que começara em 18º, foi tocado por Magnussen, rodou e caiu para último.

Líder da corrida, Vettel errou a freada da última curva do circuito e teve que cortar a chicane. Mesmo assim, conseguiu se manter na frente. Hulk ganhou as posições de Alonso e Rosberg e subiu para oitavo. Após a primeira volta, a classificação era a seguinte: Vettel, Hamilton, Verstappen, Ricciardo, Raikkonen, Bottas, Massa, Hulkenberg, Rosberg e Alonso. Rosberg ultrapassou Alonso e passou para nono. Lá na frente, Vettel mantinha uma vantagem de cerca de 1s para Hamilton. Mais atrás, Rosberg, o nono, saiu da pista na chicane final e perdeu contato com o oitavo colocado Hulkenberg. Enquanto isso, Massa se distanciava na sétima posição. RBR pede para Max Verstappen, 3º colocado, dar passagem para Daniel Ricciardo. Mas pilotos não trocam de posição. Com um princípio de incêndio no motor, Jenson Button (McLaren) abandonou. O safety car virtual foi acionado.

Vettel aproveitou o período de safety car virtual, onde os pilotos precisam respeitar um limite de velocidade, para antecipar seu primeiro pit stop. Alemão trocou os ultramacios (faixa roxa) por supermacios (faixa vermelha) e retornou em quarto. Assim, Hamilton assumiu a ponta, seguido por Verstappen e Ricciardo. Vale lembrar que, como os pneus macios (amarelo) são obrigatórios na prova, Vettel ainda precisaria parar mais uma vez. Sexto, Raikkonen também parou e voltou em 14º e adotou tática igual ao do companheiro. Com isso, Massa subiu para sexto. Rosberg, por sua vez, deixou Hulk para trás e passou para oitavo.

Com um pit stop a mais, Vettel coloca por dentro de Ricciardo no hairpin e assume o terceiro lugar. Um giro depois, alemão da Ferrari engoliu Verstappen na reta oposta e pulou para segundo. Enquanto isso, Raikkonen escalava posições e já aparecia entre os dez primeiros. Já Rosberg tentava pressionar Massa na briga pelo sexto lugar. Jolyon Palmer (Renault) recolheu para a garagem. Fim de prova para o britânico. Verstappen, Ricciardo, Bottas, Massa e Rosberg fazem suas paradas e colocam pneus macios (faixa amarela). Hamilton prefere seguir na pista e lidera, seguido por Vettel, Verstappen, Raikkonen, Ricciardo, Bottas, Pérez, Rosberg, Massa e Hulk. Hamilton, enfim, faz seu pit stop e retorna em segundo. Vettel reassume a liderança, com 13s de vantagem para o britânico. Rosberg passa Pérez e sobe para sétimo. Raikkonen para mais uma vez nos boxes e coloca os pneus macios (faixa amarela). Finlandês da Ferrari retorna em oitavo, atrás de Massa. Mais veloz que Vettel, Hamilton reduziu a desvantagem para o alemão para menos de 10s. Felipe Massa, que estava em sétimo, recolheu para a garagem e abandonou a corrida (Foi o primeiro abandono de Felipe Massa nesta temporada e foi o primeiro abandono da Williams depois de seis etapas). Por causa da obrigatoriedade do uso dos pneus macios, Vettel precisou parar mais uma vez nos boxes. Antes com cerca de 10s de vantagem para Hamilton, o alemão retornou 8s atrás do britânico, novo líder. Agora com pneus novos, ele teria 31 voltas para caçar o piloto da Mercedes. Ricciardo errou a freada da chicane final e acabou perdendo o quarto lugar para Bottas na curva 1. Perdendo ritmo, o australiano fez outro pit stop na volta seguinte. E perdeu mais tempo pois a RBR demorou novamente nos boxes. Piloto voltou em sétimo. Com pneus mais novos, Vettel passou a imprimir ritmo mais forte que Hamilton e reduziu a diferença para 6 segundos. Em quinto, atrás de Bottas, Rosberg perguntava à Mercedes a respeito de algum problema em seu carro, já que diversos alertas piscavam em seu volante. Em quinto, mas com vantagem segura para Raikkonen, Verstappen preferiu fazer mais um pit stop e colocou um novo jogo de pneus macios. A 20 voltas do fim, Vettel reduziu a desvantagem para Hamilton para menos de 5 segundos. Por causa de um pequeno furo no pneu, que o fazia perder pressão a cada volta, Rosberg precisou ir para os boxes, colocou outro jogo de compostos macios e voltou em 7º. Com a faca nos dentes para tentar se aproximar de Hamilton, Vettel perdeu o ponto de freada da chicane final, passou reto e viu a vantagem subir para quase 6s. Com pneus mais novos, Rosberg ultrapassa Raikkonen e sobe para quinto. Enquanto Hamilton administrava a ponta com tranquilidade, Vettel tentava desesperadamente alcançar o inglês. O alemão, porém, voltar a errar a chicane final e viu a diferença subir para 7s. Após mais um erro, o piloto da Ferrari parece ter aberto mão da luta pela vitória. Rosberg colou no quarto colocado Verstappen. O alemão tentou dar o bote, mas encontrou um jovem holandês encrespado, que não queria vender a posição barato. Partindo para o tudo ou nada, Rosberg tentou passar Verstappen por fora na última curva e acabou rodando. Lá na frente, Hamilton cruzou a linha de chegada com 5s de vantagem para Vettel e Bottas completou o pódio em terceiro sendo primeiro pódio da equipe Williams na temporada de 2016.[4]

Resultado da Corrida

Pneus[editar | editar código-fonte]

Compostos de Pneus fornecidos pela Pirelli para a Temporada de 2016 da Fórmula 1[5]
Nome do Composto Cor Banda de Rolamento Condições de Condução Dry Type Aderência Longevidade
Ultra Macio Neumático F1 Ultra blando.png Slick
(P Zero)
Seco Ultrasoft Mais Aderência Menos Durável
Super Macio Neumático F1 Súper blando.png Slick
(P Zero)
Seco Supersoft Mais aderência Menos durável
Macio Neumático F1 Blando.png Slick
(P Zero)
Seco Soft Médio Médio

Resultados[editar | editar código-fonte]

Treino Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Q1 Q2 Q3 Grid
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 1:14.121 1:13.076 1:12.812 1
2 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:13.714 1:13.094 1:12.874 2
3 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 1:13.925 1:13.857 1:12.990 3
4 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 1:14.030 1:13.540 1:13.166 4
5 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 1:14.601 1:13.793 1:13.414 5
6 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 1:14.477 1:13.849 1:13.579 6
7 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 1:14.389 1:13.791 1:13.670 7
8 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 1:14.815 1:13.864 1:13.769 8
9 27 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 1:14.663 1:14.166 1:13.952 9
10 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 1:15.026 1:14.260 1:14.338 10
11 11 México Sergio Perez Force India-Mercedes 1:14.814 1:14.317 11
12 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 1:14.755 1:14.437 12
13 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 1:14.829 1:14.457 15 2
14 21 México Esteban Gutierrez Haas-Ferrari 1:15.148 1:14.571 13
15 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 1:15.444 1:14.803 14
16 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 1:14.714 1:21.956 20 4
17 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 1:15.459 16
18 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 1:15.599 17
19 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 1:15.635 21 1
20 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 1:16.663 18
21 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 1:17.052 19
Tempo dos 107%: 1:18.873
22 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault S/Tempo 22 3
Fonte:[6][7]
Notas

↑1 - Marcus Ericsson (Sauber) perdera três posições do grid de largada por provoca a batida de seu companheiro, Felipe Nasr (Sauber).[8]

↑2 - Daniil Kvyat (STR) perdera três posições do grid de largada por provoca a batida com Kevin Magnussen (Renault).

↑3 - Kevin Magnussen (Renault) não obteve o tempo de volta no Q1, devido a batida no 3º treino livre, porém, foi autorizado a largar.

↑4 - Carlos Sainz Jr. (STR) perder cinco posições do grid de largada por troca de câmbio.[9]

Corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Nu. Piloto Construtor Voltas Tempo/Retirado Grid Pontos
1 44 Reino Unido Lewis Hamilton Mercedes 70 1:31:05.296 1 25
2 5 Alemanha Sebastian Vettel Ferrari 70 +5.011 3 18
3 77 Finlândia Valtteri Bottas Williams-Mercedes 70 +46.422 7 15
4 33 Países Baixos Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer 70 +53.020 5 12
5 6 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 70 +1:02.093 2 10
6 7 Finlândia Kimi Räikkönen Ferrari 70 +1:03.017 6 8
7 3 Austrália Daniel Ricciardo Red Bull-TAG Heuer 70 +1:03.634 4 6
8 27 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 69 +1 Volta 9 4
9 55 Espanha Carlos Sainz Jr. Toro Rosso-Ferrari 69 +1 Volta 20 2
10 11 México Sergio Pérez Force India-Mercedes 69 +1 Volta 11 1
11 14 Espanha Fernando Alonso McLaren-Honda 69 +1 Volta 10
121 26 Rússia Daniil Kvyat Toro Rosso-Ferrari 69 +1 Volta 15
13 21 México Esteban Gutiérrez Haas-Ferrari 68 +2 Voltas 13
14 8 França Romain Grosjean Haas-Ferrari 68 +2 Voltas 14
15 9 Suécia Marcus Ericsson Sauber-Ferrari 68 +2 Voltas 21
16 20 Dinamarca Kevin Magnussen Renault 68 +2 Voltas 22
17 94 Alemanha Pascal Wehrlein MRT-Mercedes 68 +2 Voltas 17
18 12 Brasil Felipe Nasr Sauber-Ferrari 68 +2 Voltas 18
19 88 Indonésia Rio Haryanto MRT-Mercedes 68 +2 Voltas 19
Ret 19 Brasil Felipe Massa Williams-Mercedes 35 Motor 8
Ret 30 Reino Unido Jolyon Palmer Renault 16 Vazamento de Água 16
Ret 22 Reino Unido Jenson Button McLaren-Honda 9 Motor 12
Fonte:[10][11]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Somente as cinco primeiras posições estão incluídas nas tabelas.

Referências

  1. «Formula 1 Grand Prix du Canada 2016» (em inglês). Formula 1.com 
  2. «Globo descarta GP do Canadá no domingo e registra primeiro fim de semana sem qualquer transmissão ao vivo da F1». Grande Prêmio. 08 de Junho de 2016. Consultado em 08 de Junho de 2016  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  3. «Hamilton coloca pressão em Rosberg e é pole no GP do Canadá. Massa é 8º». Globoesporte.com. 11 de Junho de 2016. Consultado em 11 de Junho de 2016 
  4. «Hamilton aproveita vacilo de Ferrari com Vettel, vence e cola em Rosberg». Globoesporte.com. 12 de Junho de 2016. Consultado em 12 de Junho de 2016 
  5. «Ultrasoft Pirelli tyres to make race debut in Canada» (em inglês). Formula 1.com. 29 de fevereiro de 2016 
  6. «Qualifying - Hamilton edges Rosberg, Vettel for Canada pole» (em inglês). Formula 1. Consultado em 11 de junho de 2016 
  7. «Qualifying - Canada» (em inglês). Formula 1. Consultado em 11 de junho de 2016 
  8. «Canada grid drops for Kvyat, Ericsson» (em inglês). Formula 1. Consultado em 29 de maio de 2016 
  9. «Sainz gets five-place grid drop in Canada» (em inglês). Formula 1. Consultado em 12 de junho de 2016 
  10. «Hamilton holds off Vettel for fifth Canada win» (em inglês). Formula 1. Consultado em 12 de junho de 2016 
  11. «Formula 1 Grand Prix du Canada 2016» (em inglês). Formula 1. Consultado em 12 de junho de 2016 
Prova Anterior:
GP de Mônaco de 2016
Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1
Temporada 2016
Próxima Prova:
GP da Europa de 2016

Prova Anterior:
GP do Canadá de 2015
Grande Prêmio do Canadá Próxima Prova:
GP do Canadá de 2017