Heimskringla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2014)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Uma página da cópia de Eggertson de Heimskringla

Heimskringla (das palavras iniciais Kringla heimsins, O Círculo do Mundo) é a compilação mais conhecida das antigas sagas reais nórdicas (Konungasögur). Foi escrita em nórdico antigo na Islândia, e publicado em aprox. 1230, sendo correntemente atribuído ao poeta e historiador islandês Snorri Sturluson (1179–1242). O nome Heimskringla foi primeiramente usado no século XVII, derivado das primeiras duas palavras de um dos manuscritos (Kringla heimsins - O disco redondo do mundo). [1] [2] [3] [4] [5] [6]

A Heimskringla é uma coleção de sagas sobre os reis noruegueses, desde os tempos mais antigos até 1177. Começa com a saga da lendária dinastia sueca dos Inglingos (Ynglingasagan), seguida por relatos de monarcas noruegueses históricos desde Haroldo I da Noruega da Dinastia Cabelo Belo do século IV até a morte do impostor Eystein Meyla em 1177. O relacionamento dos reis noruegueses com os reis suecos e dinamarqueses, traz luz sobre a história dos três países nórdicos - a Noruega, a Suécia e a Dinamarca. As fontes exatas de seu trabalho são contestadas, mas incluem as sagas dos reis anteriores, como a Morkinskinna, Fagrskinna e as histórias sinóticas norueguesas do século XII e tradições orais, notadamente muitos poemas de escaldo. Snorri fez visitas à Noruega (1218-1220) e Suécia. Para eventos da metade do século XII, Snorri explicitamente nomeaia o agora perdido trabalho Hryggjarstykki como sua fonte. A composição das sagas é de Snorri.[7][2]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Heimskringla contém as seguintes sagas:[8]

Manuscritos[editar | editar código-fonte]

A única folha sobrevivente da cópia Kringla - a Kringlublaðið - está depositada na Biblioteca Nacional e Universitária da Islândia, em Reiquiavique.

O manuscrito original da Heimskringla está desaparecido. Havia duas cópias da segunda metade do século XIII - o Codex Academicus primus, também chamado Kringla, e o Codex Academicus secundus, também chamado Jǫfraskinna. Todavia, estas duas peças desapareceram no incêndio de Copenhague de 1728, com excepção de uma única folha da Kringla. Felizmente, havia mais duas cópias dessas cópias, feitas no século XVIII por Eggertson e Jonsson. [9] [10] [11] [6]


Referências

  1. Alison Finlay e Anthony Faulkes (tradutores) (2011). «Snorri Sturluson: Heimskringla - Volume I» (PDF) (em inglês). Viking Society for Northern Research, University College, London. Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  2. a b Orrling, Karin (1995). «Heimskringla». Vikingatidens ABC (ABC da Era Viking) (em sueco). Estocolmo: Museu Histórico de Estocolmo. p. 106. 328 páginas. ISBN 91-7192-984-3 
  3. Palamin, Flávio Guadagnucci (21–23 de Setembro de 2011). Breves Considerações sobre a Edda Poética e a Edda em Prosa (pdf). V Congresso Internacional de História. Universidade Estadual de Maringá. p. 2368. Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  4. Miranda, PG (2013). «Resumo». Guerra e identidade: um estudo da marcialidade no Heimskringla (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte 
  5. Jonna Louis-Jensen. «Heimskringla» (em dinamarquês). Den Store Danske Encyklopædi (Grande Enciclopédia Dinamarquesa). Consultado em 28 de março de 2019 
  6. a b Knut Ødegård. «Heimskringla» (em norueguês). Store norske leksikon (Grande Enciclopédia Norueguesa). Consultado em 28 de março de 2019 
  7. Orrling, Karin (1995). «Heimskringla». Vikingatidens ABC (em sueco). Estocolmo: Museu Histórico de Estocolmo. p. 106. 184 páginas. ISBN 91-7192-984-3 
  8. Snorra Sturlusonar. «Heimskringla eða Sögur Noregs konunga» (em Nórdico antigo). Heimskringla. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  9. «Kildeindex – Heimskringla» (em dinamarquês). Heimskringla. Consultado em 28 de março de 2019 
  10. Tradução: Alison Finlay e Anthony Faulkes (2011). «Snorri Sturluson: Heimskringla» (PDF) (em inglês). Viking Society for Northern Research. p. xiii. 262 páginas. ISBN 978-0-903521-86-4 
  11. Haugen, Odd Einar (2013). Sagalitteraturen [A literatura das sagas]. Handbok i norrøn filologi (em norueguês). Bergen: Fagbokforlaget. p. 427-428. 797 páginas. ISBN 978-82-450-1109-8 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Monsen, Erling (1990), «Introduction to the Translation of Snorre's History of the Norse Kings», Heimskringla or the Lives of the Norse Kings: Edited with notes by Erling Monsen and translated into English with the assistance of A.H. Smith, ISBN 0-486-26366-5, Mineola, New York: Dover Publications, Inc. . A reprint of the 1932 Cambridge edition by W. Heffer.
  • Bagge, Sverre (1991). Society and Politics in Snorri Sturlusons Heimskringla. Berkeley, California: University of California Press. ISBN 0-520-06887-4 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Heimskringla
Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Heimskringla