Jean-Paul Prates

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde novembro de 2018).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jean-Paul Prates
Foto oficial como Senador.
Senador pelo Rio Grande do Norte
Período 4 de janeiro de 2019
até a atualidade
Dados pessoais
Nome completo Jean-Paul Terra Prates
Nascimento 19 de junho de 1968 (51 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasil
Alma mater Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Partido PT (2014-atualmente)
Profissão advogado e economista
linkWP:PPO#Brasil

Jean-Paul Terra Prates (Rio de Janeiro, 19 de junho de 1968) é advogado, economista, ambientalista, empreendedor e dirigente sindical. Tem mais de 25 anos de trabalho nas áreas de petróleo, gás natural, biocombustíveis, energia renovável e recursos naturais. Atualmente é Senador pelo Rio Grande do Norte, assumindo a vaga deixada por Fátima Bezerra.

Cursou Direito na UERJ e Economia na PUC/RJ. Nos Estados Unidos, tornou-se Mestre em Planejamento Energético e Gestão Ambiental pela Universidade da Pennsylvania. Na França, concluiu mestrado em Economia de Petróleo e Motores, pelo Instituto Francês do Petróleo[1].

É Botafoguense de coração (e de nascimento, como costuma dizer, por ter nascido no bairro de Botafogo, Rio). Alecrinense no Rio Grande do Norte, foi diretor de futebol do Alecrim Futebol Clube em 2015, ano do Centenário do clube levando o time à decisão do primeiro turno do Campeonato Potiguar após quase trinta anos do clube sem disputar uma final.

Na área de petróleo, participou da assessoria jurídica da Petrobras Internacional (Braspetro), no final da década de 80. Em 1991 fundou a primeira consultoria brasileira especializada em petróleo, chegando a ter 120 consultores associados. Hoje, a empresa conta com mais de 60 profissionais reunidos. Prates atuou como Consultor do Ministério das Minas e Energia e da ANP na elaboração de diversos instrumentos regulatórios, além de portarias referentes ao mercado de gás, livre acesso à logística e combustíveis. Em 1997, participou da elaboração da Lei do Petróleo. Também foi o redator do Contrato de Concessão oficial brasileiro[2] e do Decreto dos Royalties[3], que beneficiou inúmeras cidades e estados brasileiros.

Rio Grande do Norte[editar | editar código-fonte]

Iniciou um plano de planejamento energético para o Rio Grande do Norte em 2001, trabalhando voluntariamente numa proposta apresentada ao então governador Garibaldi Alves Filho. Em 2003, sua proposta de desenvolvimento para o setor energético, com fontes renováveis e a revitalização do setor de petróleo, foi adotada pela Governadora Wilma de Faria.

Fixou residência no estado em 2005. Transferiu duas de suas três empresas para o RN também.

Assumiu a Secretaria de Estado de Energia do Rio Grande do Norte e, em menos de 3 anos, levou o Estado à autosuficiência energética, assegurando mais de 10 bilhões de reais em investimentos para o RN.

À frente da Secretaria de Energia, Jean-Paul Prates conseguiu a ampliação e reconhecimento da Refinaria Potiguar Clara Camarão (em Guamaré), viabilizou a entrada da Termoaçu (no Vale do Açu) e da Bioformosa (primeira usina térmica a biomassa do estado, no Agreste), e iniciou o planejamento para os investimentos em energia solar no Estado.

Foi na gestão de Jean-Paul Prates e Wilma que o RN saiu do zero em geração de energia e se transformou em exportador de energia (eólica principalmente), e combustíveis (gasolina, óleo diesel, QAV - querosene de aviação, gás de cozinha e biodiesel), para toda a região Nordeste.

Nas eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2014, foi eleito primeiro suplente da senadora Fátima Bezerra para o período de 2015 a 2023. Já em 2019, no dia 4 de janeiro, assumiu a vaga deixada pela titular, que tomara posse como governadora do Rio Grande do Norte. Deve permanecer no cargo até o fim do mandato, em 1 de fevereiro de 2023.

Até 2018, dirigiu duas empresas de consultoria: uma na área de petróleo/gás (RJ), outra nas áreas de energia renovável e meio ambiente (RN). Também presidiu o Sindicato da Empresas do Setor Energético do Rio Grande do Norte (SEERN)[4] e o Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE)[5] que reúne associações nacionais, empresas e fornecedores do setor energético.

Premiações e homenagens[editar | editar código-fonte]

Foi recentemente reconhecido como um dos três mais influentes no setor de energia renovável no Brasil, e uma das 50 personalidades mais importantes do setor energético mundial, pelas duas principais revistas internacionais especializadas em energia - Recharge (européia) e WindPower Monthly (americana). Também foi eleito um dos 25 mais influentes da indústria eólica mundial pela revista Windpower Monthly[6].

No Senado, é hoje Vice-Líder da Minoria no Congresso, membro do Colégio de Líderes do Senado e membro titular em 9 comissões temáticas, além de suplente em outras 5. É vice-presidente da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa, e da Frente em Defesa da Petrobras. É presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Países Árabes e membro dos Grupos Parlamentares Brasil-China e Brasil-Cingapura.

Jean-Paul Prates já foi homenageado com os seguintes títulos e medalhas:

  • Cidadão Norte-Riograndense[7];
  • Cidadão Mossoroense;
  • Cidadão Carnaubaense.
  • Cidadão Macauense
  • Medalha de Reconhecimento do Governo do Canadá.
  • Também recebeu o reconhecimento empresarial Petrobras/Shell; PanCanadian/Encana, Chevron/Petrobras, entre outros, por contribuir para a viabilização de empreendimentos de petróleo na bacia de Campos.
  • Foi personalidade homenageada pelo Fórum Nacional Eólico, pela contribuição ao desenvolvimento do setor eólico nacional.

Referências

  1. «Instituto Francês do Petróleo». Consultado em 25 de outubro de 2018 
  2. «ANEXO XIV – MODELO DO CONTRATO DE CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL» (PDF). Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Consultado em 25 de outubro de 2018  line feed character character in |titulo= at position 61 (ajuda)
  3. «DECRETO Nº 2. 705, DE 3 DE AGOSTO DE 1998.». Ministério de Minas e Energia. 3 de agosto de 1998. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  4. «Sindicato das Empresas do Setor Energético do RN». Consultado em 25 de outubro de 2018 
  5. «Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia». Consultado em 25 de outubro de 2018 
  6. Spatuzza, Alexandre (2 de outubro de 2013). «Top 30 profiles». Windpower Monthly. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  7. «Jean-Paul Prates é homenageado com título de Cidadão do RN». Blog Deputada Estadual Marcia Maia. 28 de junho de 2011. Consultado em 25 de outubro de 2018 
Precedido por
Fátima Bezerra
Senador pelo Rio Grande do Norte
2019 - presente
Sucedido por
-