Joias do infinito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As Joias do infinito ou Pedras do Infinito são artefatos da Marvel Comics. São seis seres sencientes imensamente poderosos (singularidades cósmicas), transformados em pedras cósmicas pelas Entidades Cósmicas (Morte, Entropia, Infinito e Eternidade), sendo que cada uma joia representa um aspecto do universo. São elas, em suas atuais cores nos filmes da Marvel:

Há também uma (incolor) ligada a espada do infinito (que aumenta o poder das jóias).[1] Uma história posterior adicionou a existência de uma sétima joia, ego (dourado), apesar dessa história não fazer parte da continuidade.

Estas seriam chamadas de Joias da Alma (Soul Gems), porém este nome já está em uso por outro estúdio. As joias podem ser usadas isoladamente, mas quando usadas em conjunto o portador torna-se onipotente e onisciente (deus), sendo capaz de controlar todo o universo.[2] Primordialmente usada por Nemesis e usada atualmente pelo titã Thanos, que criou a luva Manopla do Infinito, para facilitar o uso das jóias (na HQ Silver Surfer #44, no Brasil Superaventuras Marvel #148).[2][3]

Lista de Joias[editar | editar código-fonte]

Esta é a relação das sete joias conhecidas e seus respectivos poderes além de suas respectivas cores. As cores diferem em suas variadas retratações pelo universo Marvel. Por exemplo, a Joia do Poder já foi retratada como vermelha, azul e até mesmo roxa (púrpura), como atualmente é retratada no Universo Cinematográfico Marvel (MCU).

Espaço (Azul)[editar | editar código-fonte]

Retratada também como o Tesseract (Universo Cinematográfico). Viajar através do espaço, principalmente através de teletransporte. Capaz de interferir com o movimento de outros objetos. Principais portadores: Thanos e Loki.

Mente (Amarela)[editar | editar código-fonte]

Ficava na testa do heroi Visão criado por Ultron. Já foi Retratada também como o Cetro do Loki (Universo Cinematográfico). Permite ao portador o aumento infinito da capacidade mental e o acesso à pensamentos e sonhos de outros seres. Em suma, o poder da Joia permite acesso a todas as mentes existentes simultaneamente. Embora o poder da joia seja imenso, nem sempre o seu portador é capaz de dominá-lo totalmente. Devido ao fato de as mentes serem inúmeras em um determinado local que vai do micro universo de uma sala, até o macrocosmo de todas as mentes existentes no universo. Se o campo de abertura da leitura é efetuado simultaneamente para muitas mentes, trocas de pensamentos podem ocorrer, e dúvidas a respeito da origem do pensamento. O leitor também pode ser sugado pelo inconsciente coletivo das outras mentes. O herói Visão era portador dessa joia (fixada em sua cabeça), sendo portanto realizador de algumas façanhas como voar, erguer o Mjölnir (possivelmente por ser considerado de mente e coração 'dignos' de tal coisa, assim como Thor) e até controlar Azazel.

Principais portadores: Thanos e Visão.

Alma (Laranja)[editar | editar código-fonte]

Possivelmente a mais perigosa, permite ao portador roubar, manipular e alterar almas, dos vivos e dos mortos.[3] Adam Warlock foi o guardião desta gema por muitos anos, sentindo a responsabilidade por muitas almas que ele mesmo tomou. Ironicamente, a joia é o portão para um pequeno e idílico universo. No UCM a joia aparece em Vingadores: Guerra infinita no planeta Vormir, sendo seu guardião o Caveira Vermelha. Principais Portadores: Thanos, Adam Warlock e Caveira vermelha.

Realidade (Vermelha)[editar | editar código-fonte]

Retratada também como Éter (Universo Cinematográfico). Possivelmente a mais poderosa e a mais difícil de se controlar, permite ao portador realizar qualquer desejo e vontade - mesmo que entre em contradição com as leis da física.[3] Pode resultar em um desastre se o portador não for cuidadoso com a natureza do desejo. Permite o portador distorcer, alterar e manipular a existência e o tecido do universo, dando-lhe quase onipotência.

Principais Portadores: Taneleer Tivan, o Colecionador, Thanos e Malekith.

Tempo (Verde)[editar | editar código-fonte]

Retratada também como o Olho de Agamotto (Universo Cinematográfico). Permite ao portador total domínio do tempo: passado, presente e futuro,[3] são todos acessíveis e visíveis com esse poder, mesmo após algumas horas depois do portador não ter mais acesso a ela. Com treinamento suficiente no uso da joia, o tempo pode ser usado como uma arma, aprisionando inimigos ou mundos inteiros em infinitos ciclos de tempo. Principais Portadores: Thanos, Ancião/Anciã e Doutor Estranho.

Poder (Púrpura)[editar | editar código-fonte]

Chamada também de Orbe, a joia do Poder dá a capacidade ao portador de ter todo e qualquer poder; ou seja, tudo o que ele quiser se realiza. Principais Portadores: Taneleer Tivan, o Colecionador, Thanos e Ronan, o Acusador

Mudança de cores [4][editar | editar código-fonte]

As cores das Joias do Infinito diferem entre os quadrinhos e os filmes. As cores originais na HQ são:

  • Joia do Poder: vermelha
  • Joia do Tempo: laranja
  • Joia da Mente: azul
  • Joia do Espaço: roxa
  • Joia da Realidade: amarela
  • Joia da Alma: verde

Com o advento do MCU, as joias possuem essas cores agora:

  • Joia do Poder: roxa
  • Joia do Tempo: verde
  • Joia da Mente: amarela
  • Joia do Espaço: azul
  • Joia da Realidade: vermelha
  • Joia da Alma: laranja

Outras Mídias[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

As Joias e a criação da Manopla aparecem durante a segunda temporada de Esquadrão de Heróis. A Manopla e as Joias do Infinito aparecem em Avengers Assemble. Nessa série, existem apenas cinco joias e a joia da alma não está presente.

Cinema[editar | editar código-fonte]

No Universo Cinematográfico Marvel, estão entre as Joias, o Tesseract (Joia do Espaço), o Éter (Joia da Realidade), o Orbe (Joia do Poder), a gema no cetro de Loki (Joia da Mente), o Olho de Agamotto (Joia do Tempo) e a Joia da Alma.

A primeira foi o Tesseract, confirmado pelo produtor Kevin Feige como sendo a Joia do Espaço. Na cena pós-créditos de Thor, Nick Fury conversa com Dr. Erik Selvig sobre um projeto secreto envolvendo o Tesseract, um cubo azul brilhante. Antes disso, o cubo pode ser visto desenhado nas anotações de Howard Stark em Homem de Ferro 2. Em Capitão América: O Primeiro Vingador, a trama se desenvolve em torno do cubo, que o Caveira Vermelha retira de uma santuário na Noruega e utiliza para criar armas energéticas. Em Os Vingadores, o cubo novamente é peça chave na trama, sendo revelado que tem capacidade de criar portais que servem para viajar pelo universo. Ao final do filme, o cubo é retornado a Asgard. Entretanto, no terceiro filme de Thor, antes da destruição de Asgard, Loki recupera o artefato.

Em Thor: O Mundo Sombrio, Jane Foster acidentalmente encontra o Éter, confirmada como a Joia da Realidade, e acaba se tornando hospedeira do mesmo. Esta joia é um antigo artefato de destruição em massa, criado pelos Elfos Negros antes da criação do universo, mais especificamente por seu líder Malekith que quer utiliza-lo para transformar o universo em trevas novamente. No decorrer da trama, Odin revela que antes da criação do universo existiam seis joias de grande poder e enquanto todas são parecidas com pedras, o éter é um fluido vermelho. Durante a cena pós-créditos vemos Sif e Volstagg entregando o Éter ao Colecionador, afirmando que, como o Tesseract já se encontra em Asgard, manter duas Joias do Infinito tão próximas seria perigoso. Quando eles deixam o local, o Colecionador afirma: "uma já foi, faltam cinco".

Guardiões da Galáxia é centrado em uma nova joia roxa, conhecida como Orbe e confirmada como a Joia do Poder. Durante o filme, quando a equipe a leva para o Colecionador, ele aprofunda a história contada por Odin, dizendo que as Joias originam de singularidades cósmicas, e o Orbe foi criado pelos Celestiais para impor-se sobre civilizações inimigas, portanto com o decorrer da história foram oprimidos pelo poder da mesma e a esconderam dentro de um cofre localizado em um templo no planeta Morag. Após os eventos do filme, o Orbe é deixado sob a vigilância da Tropa Nova.

Em Vingadores: A Era de Ultron, a pedra do cetro que é utilizado por Loki em Os Vingadores é revelada como sendo a Joia da Mente. Ainda no cetro, foi utilizada pela Hidra para experimentos que resultaram em poderes especiais nos gêmeos Pietro e Wanda Maximoff, e por Tony Stark para criar uma inteligência artificial que acabaria se tornando o maligno Ultron. Ultron mais tarde retira a joia do cetro - com a cor amarela - para integrá-la em um novo corpo biomecânico, que acaba sendo roubada pelos Vingadores e transformado no androide Visão.

Em Doutor Estranho, a pedra no interior do Olho de Agamotto é revelada como sendo a Joia do Tempo, inicialmente encontrada por Agamotto, o primeiro Mago Supremo, utilizada para proteger o nosso universo de ameaças interdimensionais e foi protegida pelos Mestres das Artes Místicas durante séculos em Kamar-Taj, sendo herdada pelo Mago Supremo de cada época até chegar à atual Anciã. É retirada do seu pedestal pelo Doutor Estranho e usada na sua batalha contra o mago traidor Kaecilius e contra Dormammu, o governante da Dimensão Negra e depois devolvida ao seu pedestal no final do filme, sendo o Doutor Estranho o novo guardião da pedra após a morte da Anciã.

A Joia da Alma que é laranja foi revelada em Vingadores: Guerra Infinita, sendo guardada pelo Caveira Vermelha, que havia sido enviado para o planeta Vomir após tentar usar o poder do Tesseract, a partir daí o Caveira tomou a função de guiar aqueles que quisessem possuir a joia. Sendo que para consegui-la seria necessário o sacrifício daquilo que o indivíduo mais ama, Thanos pega a joia após sacrificar sua filha adotiva Gamora.

Uma Manopla do Infinito aparece brevemente junto com outras reliquias/armas na sala de troféus de Odin em Thor, porém em Thor: Ragnarok, Hela diz que tal Manopla é falsa. Na cena dos créditos de A Era de Ultron, Thanos põe a Manopla verdadeira em sua mão dizendo que irá procurar as joias sozinho. Em Vingadores: Guerra Infinita, Thanos luta contra os Vingadores em sua busca pelas seis joias com o objetivo de destruir metade do universo buscando equilíbrio.

Videogames[editar | editar código-fonte]

  • Os jogos Marvel Super Heroes: War of the Gems e Marvel Super Heroes, inspirados na saga original da Manopla do Infinito, tem a recuperação das joias como parte do jogo.
  • As Joias do Infinito, incluindo a Joia "Ego", sob a forma de Espada Infinita, aparece como uma parte motriz do jogo de Marvel Super Hero Squad: The Infinity Gauntlet.
  • As Joias do Infinito desempenham um papel importante no jogo de luta Marvel vs. Capcom: Infinite. Durante a jogabilidade, o uso de uma Joia concederá aos personagens do jogador um aprimoramento específico baseado na pedra que está sendo usada. Na história do jogo, Ultron e Sigma usam duas joias para se tornar "Ultron Sigma" e mesclar os mundos em um sob seu controle, e os heróis devem recuperar as outras quatro joias para detê-las. As Joias do Infinito no jogo usam o esquema de nomes e cores das Joias no Universo Cinematográfico da Marvel, em vez do esquema de nomes e cores das Joias do Infinito dos jogos anteriores da Marvel. A edição de colecionador do jogo vem com um Réplica das Joias do Infinito alojadas em uma pequena caixa com um display de LED.


Referências

  1. Bridi, Natália (2 de dezembro de 2016). «Tudo sobre as Joias do Infinito no cinema». Universo Online. Omelete Filmes. Consultado em 24 de janeiro de 2017. 
  2. a b Borine, Thabata (14 de maio de 2011). «Objetos poderoso das HQs». Garotas Nerds. HQs. Consultado em 7 de fevereiro de 2017. 
  3. a b c d Naranjo, Marcelo. «A Saga de Thanos e o surgimento das Joias e da Manopla do Infinito». Portal Universo HQ. Matérias. Consultado em 24 de janeiro de 2017. 
  4. https://www.aficionados.com.br/joias-do-infinito/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]