Miss Brasil 1966

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Miss Brasil 1966
Data 25 de junho de 1966
Local Maracanãzinho, Rio de Janeiro
Candidatas 26
Vencedora Ana Cristina Ridzi

O Miss Brasil 1966 é a décima terceira edição do concurso Miss Brasil, foi realizada no dia 25 de junho de 1966 no Ginásio do Maracanãzinho no Rio de Janeiro. Miss Brasil 1965 Maria Raquel de Andrade da Guanabara coroou Ana Cristina Ridzi também da Guanabara. A vencedora representou o Brasil no Miss Universo 1966. A segunda colocada representou o Brasil no Miss Mundo 1966. A terceira colocada representou o Brasil no Miss Internacional 1966. O concurso foi transmitido pela TV Tupi.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Colocação Candidata
Miss Brasil 1966
2º. Lugar
3º. Lugar
  • Ceará Ceará - Francy Carneiro Nogueira
4º. Lugar
Semifinalistas
(TOP 08)

Observação[editar | editar código-fonte]

  • Francy Nogueira do Ceará ficou em terceiro lugar e, por conseguinte, escolhida para representar o Brasil no Miss Internacional 1966, O concurso acabou postergado para abril de 1967. A cearense desistiu de concorrer por estar com casamento marcado. Em seu lugar, foi enviada a quarta colocada, Virginia Barbosa, Miss Minas Gerais que acabou semifinalista no concurso realizado em Long Beach.

Premiações Especiais[editar | editar código-fonte]

  • Este ano não houve premiação de Melhor Traje Típico:
Premiação Candidata
Miss Simpatia
Miss Fotogenia

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Miss Brasil 1966
Numeração Estado Candidata
01 Acre Acre Maria Fernandes
02 Alagoas Alagoas Kátia da Silva Malta
03 Amapá Amapá Rita de Cássia Fernandes
04 Amazonas Amazonas Hermengarda Chaves
05 Bahia Bahia Florianel Costa Portela
06 Ceará Ceará Francy Carneiro Nogueira
07 Distrito Federal (Brasil) Distrito Federal Maria Helena Curi
08 Espírito Santo (estado) Espírito Santo Laura Martinelli
09 Goiás Goiás Niolina Pacheco
10 Guanabara Guanabara Ana Cristina Ridzi
11 Maranhão Maranhão Sandra Mara de Arruda
12 Mato Grosso Mato Grosso Marluce Manvailler Rocha
13 Minas Gerais Minas Gerais Virgínia Barbosa de Souza
14 Pará Pará Maria Tereza de Vasconcelos
15 Paraíba Paraíba Zélia Maria Neves de Medeiros
16 Paraná Paraná Miriam Marçal
17 Pernambuco Pernambuco Raiolanda Castello Branco
18 Piauí Piauí Darcy do Carmo Assunção
19 Rio de Janeiro Rio de Janeiro Vera Lúcia Cordeiro
20 Rio Grande do Norte Rio Grande do Norte Maria Edite de Azevedo
21 Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul Clara Eunice Grohmann
22 Rondônia Rondônia Ana Maria Façanha Gaspar
23 Roraima Roraima Wilma Grecco Chapuis
24 Santa Catarina Santa Catarina Gláucia Zimmermann
25 São Paulo São Paulo Tânia Maria Zattar
26 Sergipe Sergipe Lygia Sampaio Fiscina

Desempenhos Internacionais[editar | editar código-fonte]

Miss Universo[editar | editar código-fonte]

A quinta guanabariana a ser eleita Miss Brasil não conseguiu garantir sua vaga no certame Miss Universo 1966. Ana Cristina Ridzi não ficou entre as semifinalistas do concurso que elegeu uma sueca. Um fato curioso é que a irmã gêmea de Ana Cristina também competiu no Miss Guanabara 1966, mas Maria Elizabeth Ridzi permaneceu no segundo lugar.

Miss Mundo[editar | editar código-fonte]

A primeira representante do centro oeste brasileiro, a mato grossense Marluce Manvailler Rocha teve sorte no Miss Mundo 1966. Marluce garantiu sua vaga entre as cinco finalistas e na classificação geral ficou em quarto lugar. [1]

Miss Internacional[editar | editar código-fonte]

Referências