Operação Liberdade Duradoura - Trans Saara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Operação Liberdade Duradoura - Trans Saara
Guerra ao Terror
US SF soldier training Malian soldiers.jpg
Um membro das forças especiais dos Estados Unidos observa o treinamento de um soldado no Mali.
Data 6 de Fevereiro de 2007 – presente
Local Deserto do Saara
Desfecho Conflito em andamento
Beligerantes
 Estados Unidos
 Reino Unido
 Argélia
Chade
 Marrocos
Níger
Mauritânia
Mali
Senegal
Flag of Jihad.svg Al Qaeda no Magreb Islâmico
Flag of Jihad.svg Boko Haram
Flag of the Islamic State of Iraq and the Levant2.svg Estado Islâmico do Iraque e do Levante

Operação Liberdade Duradoura - Trans Saara (OLD-TS) (em inglês: Operation Enduring Freedom – Trans Sahara, OEF-TS) é o nome da operação militar conduzida pelos Estados Unidos e nações parceiras na região do Saara no continente africano, que consiste em esforços anti-terrorismo e de combate ao tráfico de armas e de drogas em toda a África Central. Faz parte da Guerra ao Terror.[1]

Missão[editar | editar código-fonte]

A Operação Liberdade Duradoura - Trans Saara é principalmente uma missão de treinamento destinada a equipar dez nações para combater insurgentes na região. [2] O Comando para a África declara:

A OEF-TS é o terceiro esforço prioritário do governo dos Estados Unidos em combater o terrorismo, conduzindo atividades que apoiam a Parceria Trans-Saariana de Contraterrorismo, mas não são exclusivas da mesma. A OEF-TS suporta a Parceria Trans-Saariana de Contraterrorismo através da formação de relações de paz, segurança e cooperação entre todas as nações transaarianas. A OEF-TS promove a colaboração e a comunicação entre os países participantes. Além disso, a OEF-TS fortalece o contraterrorismo e a segurança nas fronteiras, promove a governança democrática, reforça os laços militares bilaterais e melhora o desenvolvimento e o fortalecimento institucional. O Comando dos Estados Unidos para a África, através da OEF-TS, fornece treinamento, equipamento, assistência e aconselhamento às forças armadas dos países parceiros. Isso aumenta sua capacidade e o potencial de negar refúgio seguro a terroristas e, finalmente, derrotar as atividades extremistas e terroristas na região.[2]

Em algum momento de 2013, a OEF-TS foi redesenhada como Operação Juniper Shield. [3] A Operação Juniper Shield abrange operações estadunidenses na Argélia, Burkina Faso, Camarões, Chade, Mali, Mauritânia, Marrocos, Níger, Nigéria, Senegal e Tunísia.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências