Paulo Valentim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Paulinho Valentim)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paulo Valentim
Paulo Valentim.jpg
Informações pessoais
Nome completo Paulo Ângelo Valentim
Data de nasc. 20 de novembro de 1932
Local de nasc. Barra do Piraí (RJ), Brasil
Falecido em 9 de julho de 1984 (51 anos)
Local da morte Buenos Aires, Argentina
Informações profissionais
Posição atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
????–1952
1952–1954
1954–1956
1956–1960
1960–1965
1965–1966
1966–1968
1968
Central de Barra do Piraí
Guarani de Volta Redonda
Atlético Mineiro
Botafogo
Boca Juniors
São Paulo
Atlante
Argentino de Quilmes
Atlético Mineiro: Jogos: 51 Gols:31

Boca Juniors: Jogos: 111 Gols: 71

Seleção nacional
1959 Brasil Brasil 005 00(5)

Paulo Ângelo Valentim, também conhecido como Paulinho Valentim, (Barra do Piraí, 20 de novembro de 1932Buenos Aires, 9 de julho de 1984) foi um futebolista brasileiro.[1] É o maior artilheiro do Boca Juniors na história do Superclássico do futebol argentino.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Centroavante raçudo e artilheiro, começou a jogar futebol no Central de Barra do Piraí. Passou pelo Guarani de Volta Redonda e, em 1954, transferiu-se para Belo Horizonte, contratado pelo Atlético Mineiro, onde foi Campeão Estadual em 1954 e 1955. Dois anos depois, foi levado pelo treinador João Saldanha para o Botafogo, que não conquistava um título desde 1948.[3] O jejum terminou em 1957, com participação fundamental de Paulo Valentim: ele fez 5 gols (sendo um de bicicleta) na vitória de 6 a 2 do Botafogo sobre o Fluminense que decidiu o Campeonato Carioca daquele ano.[4]

No Rio de Janeiro dos anos 1950, Paulo Valentim desenvolveu seu futebol mas também seu temperamento boêmio, costume entre boa parte dos jogadores naquele tempo.

Convocado para a Seleção Brasileira que participou do Sul-Americano de 1959, em Buenos Aires, jogou e encantou os argentinos.[5] No ano seguinte foi contratado pelo Boca Juniors, mas antes de mudar-se para Buenos Aires, casou-se com a namorada Hilda Maia Valentim[6], que ele havia conhecido em Belo Horizonte e que mais tarde seria a inspiradora da personagem Hilda Furacão, criada em 1991 pelo escritor Roberto Drummond, tornando-se famosa, esta personagem, depois da exibição da minissérie Hilda Furacão.[7]

No Boca Juniors, Paulinho Valentim rapidamente destacou-se como goleador: não chegou a ser artilheiro do Campeonato Argentino de Futebol, mas foi o artilheiro do Boca nas temporadas de 1961, 1962 e 1964, sendo que nas duas últimas seu clube foi também campeão. Em 4 anos, marcou 10 gols em jogos oficiais (e mais 3 em amistosos) contra o River Plate, sendo o maior artilheiro do Boca na história do Superclássico do futebol argentino.[2] Tornou-se ídolo da torcida xeneize, que tinha um grito de guerra especial para ele: "¡Tim, tim, tim! ¡Es gol de Valentim!" Sua esposa Hilda era tratada como "primeira-dama" do clube, assistindo as partidas num lugar especial da Tribuna de Honra da Bombonera.[8]

Em 1965, já com 32 anos e debilitado pela vida boêmia, Valentim transferiu-se para São Paulo, onde teve uma passagem apagada pelo São Paulo.[9] No final dos anos 1960, Paulo e Hilda foram para o México, onde ele ainda tentou jogar no Atlante, mas acabou trabalhando no cais do porto. Em 1978 conseguiu dinheiro emprestado com amigos brasileiros e voltou com a esposa a Buenos Aires, onde se dispôs a ser treinador de futebol, mas teve apenas uma rápida experiência numa equipe de juniores.[10]

Referências