Pedro Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nota: Esse artigo é sobre o município. Se procura o governador, consulte: Pedro de Albuquerque Maranhão
Município de Pedro Velho
Igreja Matriz de Pedro Velho

Igreja Matriz de Pedro Velho
Bandeira de Pedro Velho
Brasão de Pedro Velho
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 10 de maio de 1890
Gentílico pedrovelhense
Prefeito(a) Patrícia Targino (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Pedro Velho
Localização de Pedro Velho no Rio Grande do Norte
Pedro Velho está localizado em: Brasil
Pedro Velho
Localização de Pedro Velho no Brasil
06° 26' 20" S 35° 13' 15" O06° 26' 20" S 35° 13' 15" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Leste Potiguar IBGE/2008[1]
Microrregião Litoral Sul IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Canguaretama, Espírito Santo, Várzea, Nova Cruz, Montanhas, Jacaraú e Mamanguape
Distância até a capital 78 km[2]
Características geográficas
Área 192,707 km² [3]
População 14 204 hab. (RN: 34º) –  IBGE/2012[4]
Densidade 73,71 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,568 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 50 715,276 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 3 603,73 IBGE/2008[6]

Pedro Velho é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Norte, localizado na microrregião do litoral sul. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2012, sua população é de 14.204 habitantes. Sua área territorial de 193 km².

História[editar | editar código-fonte]

Em território outrora habitado por índios paiaguás os Afonsos fundaram, na margem esquerda do rio Curimataú, o povoado de Cuitezeiras. Erigiram uma capela em honra de Santa Rita de Cássia, em torno da qual se edificaram as primeiras moradias. A capela foi benta em 1862. O povoado tinha, então, 30 fazendas de criação de gado, 2 engenhos de açúcar e 2 descaroçadores de algodão.  A enchente do rio Curimataú, em 1901, inundou totalmente a vila de Cuitezeiras. Apenas a capela permaneceu incólume. Temeroso de novas enchentes, Claudino Martins Delgado construiu, em 1901, uma casa para sua residência, a cerca de dois quilômetros de Cuitezeiras. Lançou, dessa forma, os alicerces da cidade que se denominou Villa Nova. Sucederam-se as construções. Desenvolveu-se o comércio. A sede municipal foi transferida para Villa Nova, que estendeu seu nome ao Município. A 26 de novembro de 1908, o topônimo Villa Nova foi substituído por Pedro Velho, homenagem à memória do republicano potiguar Pedro de Albuquerque Maranhão, falecido no ano anterior.  A paróquia, sob invocação de São Francisco, foi criada em 11 de fevereiro de 1922.  Novas inundações se sucederam em 1917 e 1924. Da antiga vila restam apenas a capela de Santa Rita, com um velho cemitério atrás; um cruzeiro, com pedestal de alvenaria, e uma velha Samaumeira. 


Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. FEMURN. «Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN». Consultado em 27 de dezembro de 2010. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  4. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1 DE JULHO DE 2012» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 30 de agosto de 2011. Consultado em 31 de agosto de 2012. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 4 de setembro de 2013. 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.