Teleférico do Alemão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Teleférico A
Teleférico A (SuperVia).svg
Inauguração 08 de julho de 2011 (5 anos)
Estações 6
Comprimento 3,5
Estado em serviço
km Estação
Unknown route-map component "METRO" Unknown route-map component "uINTa"
0 Bonsucesso
Urban station on track
0 Adeus
Urban station on track
0 Baiana
Urban station on track
0 Alemão/Kibon
Urban station on track
0 Itararé/Natura
Urban End station
3,5 Palmeiras

O Teleférico do Alemão é um sistema de teleférico que opera nas comunidades do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. É operado pela Consórcio Rio Teleféricos desde 08/03/2016.

É composto atualmente por uma única linha, que possui 6 estações e 3,5 km de extensão. O sistema entrou em operação no dia 08 de julho de 2011.[1]

Atualmente atende as seguintes comunidades: Adeus, Alemão, Baiana e Palmeiras. O sistema transporta uma média de 30 mil passageiros por dia.

Desde setembro de 2016, o teleférico está inoperante.[2]

Histórico[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de julho de 2011 a SuperVia iniciou a operação de transporte de passageiros no teleférico conhecido como Teleférico do Alemão, o primeiro transporte de massa por cabos do Brasil. O teleférico está integrado ao sistema de transporte ferroviário e tem seis estações — Bonsucesso, Adeus, Baiana, Alemão, Itararé/Alvorada e Palmeiras. Com 152 gôndolas, ele tem capacidade para transportar dez passageiros em cada uma, sendo oito sentados e dois em pé, e 3,5 quilômetros de extensão. A viagem da primeira estação (Bonsucesso) à última (Palmeiras) tem duração de dezesseis minutos. De acordo com lei sancionada pelo governador Sérgio Cabral, cada morador terá direito a duas passagens gratuitas diárias (uma de ida e outra de volta).[3] A tarifa unitária custa um real.

A construção do Teleférico do Alemão foi inspirada no Metrocable de Medellín[4].

Em 2016, a SuperVia anunciou que não iria mais operar o sistema a partir do dia 07 de março de 2016, entregando a administração do transporte aéreo por cabos à Secretaria de Estado de Transportes (Setrans).[5]

Estações[editar | editar código-fonte]

Sigla Estação Tempo de Percurso (min) Comentários
BCO Bonsucesso/TIM --- Integração com a Linha Saracuruna
ADS Adeus
BNA Baiana
ALO Alemão/Kibon
IRE Itararé
PMS Palmeiras 16 Estação Terminal
Vista panorâmica do teleférico do Complexo do Alemão entre as estações (da esquerda para a direita) Palmeiras - Itararé - Alemão - Baiana - Adeus, de onde a foto foi tirada

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. QUAINO, Lilian (07 de julho de 2011). «Dilma inaugura teleférico do Alemão». G1. Consultado em 11 de fevereiro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. «Teleférico do Alemão deve ficar parado por 6 meses para manutenção». G1. 15 de setembro de 2016. Consultado em 14 de março de 2017 
  3. «Bondinho do Complexo do Alemão entra em operação». Revista Epoca. 7 de julho de 2011. Consultado em 29 de setembro de 2012 
  4. Teleférico de Medellín: exemplo de engenharia de inclusão, acesso em 02 de outubro de 2013.
  5. LOBO, Renato (08 de fevereiro de 2016). «SuperVia não vai mais operar Teleférico do Alemão». Via Trolebus. Consultado em 11 de fevereiro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Teleférico do Alemão


Ícone de esboço Este artigo sobre um teleférico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.