TransOeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
TransOeste
BRT TransOeste logo.svg
Informações
Local Cidade do Rio de Janeiro
Tipo de transporte Bus Rapid Transit
Número de estações 63 estações, 3 terminais
Tráfego 250 mil/dia útil
Website mobi-rio.rio.br
Funcionamento
Início de funcionamento 6 de junho de 2012
Operadora(s) Mobi-Rio
Dados técnicos
Extensão do sistema 56 km
Velocidade máxima 60 km/h[1]
Rede do BRT Rio

Public transport map of Rio de Janeiro.png


TransOeste
 Inauguração 6 de junho de 2012 (10 anos)
 Estações 66
 Estado em serviço
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uKINTa" Unknown route-map component "SUBWAY"
Terminal Jardim Oceânico
Transverse water Unknown route-map component "uhKRZWae" Transverse water
Ponte Lúcio Costa
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Bosque Marapendi
Urban station on track
Paulo Malta Resende
Urban station on track
Afrânio Costa (Teat. Nahtália Timberg)
Urban station on track
Riveira
Urban station on track
Ricardo Marinho
Urban station on track
Parque das Rosas
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Barra Shopping (Parador)
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Barra Shopping (Expresso)
Unknown route-map component "BUS2"
Unknown route-map component "uKINTeq" + Unknown route-map component "HUBaq"
Unknown route-map component "uINT" + Unknown route-map component "HUBeq"
Terminal Alvorada
Unknown route-map component "uCONTgq" Unknown route-map component "uABZgr"
para Estação Lourenço Jorge
Urban station on track
Bosque da Barra
Urban station on track
Novo Leblon
Urban station on track
Américas Park
Urban station on track
Santa Mônica Jardins
Urban station on track
Riomar
Urban station on track
Golfe Olímpico
Urban station on track
Interlagos
Urban station on track
Pedra de Itaúna
Urban station on track
Pontões/Barrasul
Unknown route-map component "RP4q" Unknown route-map component "uSKRZ-G4o" Unknown route-map component "RP4q"
Viaduto Orlando Raso
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Salvador Allende
Urban station on track
Gelson Fonseca
Urban station on track
Guinard
Unknown route-map component "uINT"
Glaucio Gil
Urban station on track
Benvindo Novaes
Urban station on track
Nova Barra
Urban station on track
Gilka Machado
Unknown route-map component "BUS2" Urban station on track
Guiomar Novaes
Unknown route-map component "uINT"
Recreio Shopping
Urban station on track
Recanto das Garças
Urban station on track
Notre Dame
Urban station on track
Dom Bosco
Urban station on track
Pontal
Unknown route-map component "uTUNNEL1"
Túnel da Grota Funda
Unknown route-map component "BUS2" Urban station on track
Ilha de Guaratiba
Urban station on track
CTEx
Urban station on track
Embrapa
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Mato Alto
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Magarça
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Pingo D'água
Unknown route-map component "uINT"
Vendas de Varanda
Unknown route-map component "uINT"
Santa Veridiana
Unknown route-map component "uINT"
Curral Falso
Unknown route-map component "uSTR+l" Unknown route-map component "uKRWgr+r"
Urban straight track Unknown route-map component "uINT"
Cajueiros
Urban straight track Unknown route-map component "uINT"
Gastão Rangel
Urban straight track Unknown route-map component "uINT"
General Olímpio
Unknown route-map component "BUS2" Urban straight track Unknown route-map component "uKINTe" Unknown route-map component "TRAIN2"
Santa Cruz
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Cesarão I
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Cesarão II
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uINT"
Cesarão III
Urban station on track
Vila Paciência
Unknown route-map component "uINT"
Três Pontes
Unknown route-map component "uINT"
Cesarinho
Unknown route-map component "uINT"
31 de Outubro
Unknown route-map component "uINT" Unknown route-map component "TRAIN2"
Santa Eugênia (Paciência)
Urban station on track
Júlia Miguel
Urban station on track
Parque São Paulo
Urban station on track
Cosmos
Urban station on track
Icurana
Urban station on track
Vilar Carioca
Urban station on track
Inhoaíba
Urban station on track
Ana Gonzaga
Urban station on track
São Jorge
Urban station on track
Pina Rangel
Unknown route-map component "uBHF(R)f"
Parque Esperança
Unknown route-map component "uBHF(L)g"
Cândido Magalhães
Unknown route-map component "uBHF(R)f"
Prefeito Alim Pedro
Unknown route-map component "BUS2" Unknown route-map component "uKINTe" Unknown route-map component "TRAIN2"
Terminal Campo Grande

TransOeste é uma importante via expressa de Bus Rapid Transit da cidade do Rio de Janeiro que liga a região da Barra da Tijuca à Santa Cruz e Campo Grande, passando por Guaratiba e Recreio dos Bandeirantes.

Em 2016, o corredor passou a ligar o Terminal Alvorada a estação Jardim Oceânico da Linha 4 do Metrô do Rio.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O TransOeste tem 56 quilômetros de extensão e 66 estações[a] entre a Barra da Tijuca à Santa Cruz e Campo Grande,[2] e também ao Jardim Oceânico.[3][4] O projeto previa a construção de 53 estações de BRTs ao longo de sua extensão para atender inicialmente a 220 mil passageiros/dia.[5]

A previsão era que fosse 32 quilômetros de extensão, mas o projeto aumentou para 56 quilômetros.[6] Uma nova licitação foi realizada para o aumento do trajeto, e com isso ampliou o custo total da obra de 692 milhões de reais para 800 milhões de reais.[6]

A via que começaria na altura do Barra Shopping no Terminal Alvorada, porém, foi estendida até a estação Jardim Oceânico da Linha 4 do Metrô do Rio,[3] fazendo conexão com o metrô passando pela Serra da Grota Funda (aonde encontra-se o túnel de mesmo nome,[7] devido ao fluxo de veículos que aumenta progressivamente), e depois a avenida chega ao bairro de Guaratiba.[8] Faz integrações com o corredor TransCarioca e TransOlímpica, estações de trens da SuperVia, linhas de ônibus convencionais, além da Linha 4 do Metrô do Rio.[9]

Em 24 de abril de 2012, foi anunciado que o corredor TransOeste deveria começar a funcionar em junho, com 30 de suas 53 estações projetadas.[10] Os ônibus seriam articulados, que possibilita transportar 140 passageiros de uma vez, 42 sentados.[11]

Início das obras[editar | editar código-fonte]

Construção do viaduto Orlando Raso no cruzamento da Avenida das Américas com a Avenida Salvador Allende, em janeiro de 2011

Em 2010 foram iniciadas as obras para o corredor de ônibus BRT com as adaptações necessárias para sua implantação, com duplicação de pistas, construção de pontes e viadutos.[12][13]

Para a obra ser realizada, dezenas de construções irregulares foram demolidas.[14] Além disso, construiu-se o viaduto Orlando Raso no cruzamento da Avenida das Américas com a Avenida Salvador Allende, sendo a primeira obra da via expressa a ser construída.[15]

Inauguração[editar | editar código-fonte]

O corredor TransOeste foi inaugurado em 6 de junho de 2012 com apenas nove estações e o Túnel da Grota Funda, que foi batizado de Vice-Presidente da República José Alencar.[16][17]

Inicialmente, a frota de veículos começou com 40 veículos articulados, e conseguiu chegou a 110 veículos articulados.[18]

Em 23 de junho de 2012, ocorreu o início dos serviços expresso e parador Santa Cruz-Alvorada. Também entraram em circulação as primeiras linhas alimentadoras do sistema BRT que ficaram prontas até agosto, mudando diversas linhas municipais e uma intermunicipal.[19]

Um fato marcante foi o número de acidentes ocorridos com os ônibus do BRT, no corredor TransOeste desde o início da operação.[20] Foram mais de 40 acidentes com um total de 22 mortes, cuja causa principal foi atropelamento por travessias irregulares fora da faixa de pedestre e de carros que invadem a pista exclusiva e acabam colidindo com os ônibus articulados.[20][21]

Em 23 de agosto de 2016, foi inaugurado o "Lote Zero" que estendeu o trecho do corredor TransOeste até o Jardim Oceânico, na qual faz integração com a linha 4 do metrô.[3][22]

Estações[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2012 foram inauguradas as estações Cesarão I, Cesarão II, Cesarão III e Santa Eugênia.[23]

Em fevereiro de 2013 foram inauguradas as estações Vila Paciência, Três Pontes, Cesarinho e 31 de Outubro (localizadas entre Cesarão III e Santa Eugênia).[24]

Em dezembro de 2013 foram inauguradas as estações Júlia Miguel, Parque São Paulo, Cosmos, Icurana e Vilar Carioca.[25]

Em março de 2014 foram inauguradas as estações Inhoaíba, Ana Gonzaga, São Jorge, Pina Rangel, Parque Esperança, Cândido Magalhães, Pref. Alim Pedro e Terminal Campo Grande.[26][27]

Ônibus da TransOeste na plataforma do Terminal Alvorada
Vista panorâmica de ônibus articulados da TransOeste na Terminal Alvorada na Barra de Tijuca

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Trechos esburacados[editar | editar código-fonte]

As pistas do corredor TransOeste sofrem constantemente com problemas relacionados à falta de manutenção. Em fevereiro de 2018, uma reportagem do Bom Dia Rio mostrou buracos e bueiros abertos em uma das pistas do corredor.[28] Devido à necessidade de diminuição da velocidade em trechos esburacados, o tempo de viagem dos ônibus aumenta consideravelmente.[29] No mesmo dia da reportagem, um ônibus do BRT havia quebrado após passar por um buraco próximo à estação Mato Alto.[28]

Na época, o Consórcio BRT disse o material utilizado no asfaltamento das pistas do TransOeste não era o indicado e que, para garantir a segurança dos passageiros, a orientação dada aos motoristas era diminuir a velocidade e sair do corredor exclusivo nos trechos mais críticos. Já a Secretaria Municipal de Conservação (SECONSERVA) afirmou que seria necessário 35 milhões de reais para recuperar o asfaltamento do corredor.[28]

Depoimento de Alexandre Pinto[editar | editar código-fonte]

Em depoimento ao juiz Marcelo Bretas realizado no dia 4 de outubro de 2018, Alexandre Pinto, ex-titular da Secretaria Municipal de Obras e Conservação do Rio de Janeiro, acusou agentes públicos de recebimento de propina relativa à obra do corredor TransOeste. Pinto fez o seguinte relato em relação às tratativas do ex-prefeito carioca Eduardo Paes com executivos da Odebrecht:

Alexandre Pinto também afirmou que o Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro (TCM-RJ) teria ficado com 1% das propinas das obras do corredor. Esta foi a primeira vez que Eduardo Paes foi citado como recebedor de propina. As delações até então tornadas públicas que envolviam Paes, de executivos da Odebrecht e do marqueteiro Renato Pereira, apenas mencionavam repasses para caixa dois de campanhas eleitorais do político.[31]

Em nota, Eduardo Paes afirma que as acusações de Alexandre Pinto são mentirosas e contradizem depoimentos anteriores dele, onde não fazia menção do envolvimento de Paes com supostas irregularidades.[32][33] Segundo Paes, além de ser suspeito o fato do depoimento de Alexandre Pinto ter sido feito a três dias do primeiro turno das eleições de 2018, ocasião em que Paes concorria ao cargo de governador do Rio de Janeiro, Pinto teria feito a declaração envolvendo Paes a fim de obter benefícios penais. Por fim, Eduardo Paes alega que tem sido atacado sistematicamente durante mais de um ano sem que surgisse nenhum indício concreto contra ele.[32]

Notas

  1. 66 estações considerando as 63 estações do corredor e os 3 terminais.

Referências

  1. Berta, Ruben (8 de outubro de 2014). «BRT Transoeste tem velocidade máxima reduzida para 60km/h para aumentar segurança na via». O Globo. Consultado em 15 de junho de 2022 
  2. Edson Alves, Francisco (5 de abril de 2013). «BRT Transoeste com viagem mais rápida, mas repleta de transtornos». Mobilize. Consultado em 15 de junho de 2022 
  3. a b c Lobo, Renato (23 de agosto de 2016). «Prefeitura do Rio entrega BRT Transolímpico e Lote Zero». Diário do Transporte. Consultado em 13 de junho de 2022 
  4. «Estações». mobi-rio.rio.br. Consultado em 17 de junho de 2022 
  5. O Dia Online (4 de maio de 2011). «No Rio, Corredores BRT serão integrados com tarifa única». Mobilize. Consultado em 16 de junho de 2022 
  6. a b G1 (18 de outubro de 2010). «Novo projeto da Transoeste aumenta custos em mais de R$ 100 milhões». Consultado em 20 de outubro de 2010 
  7. «Rio inicia obras de túnel para Copa de 2014 e Olimpíada». Terra. 15 de setembro de 2010. Consultado em 16 de junho de 2022 
  8. Jornal do Brasil (8 de novembro de 2011). «Prefeitura inaugura segunda estação BRT da Transoeste em Guaratiba». Mobilize. Consultado em 16 de junho de 2022 
  9. Carion, Pedro (25 de outubro de 2012). «Governo do Rio inaugura linha do BRT Transoeste até dezembro». Mobilize. Consultado em 16 de junho de 2022 
  10. Bazani, Adamo (23 de abril de 2012). «BRT sai na frente entre as obras de mobilidade. Transoeste é exemplo». Diário do Transporte. Consultado em 16 de junho de 2022 
  11. Nascimento, Christina; Domingues, Gisele (21 de abril de 2012). «Ônibus à prova de engarrafamento terá PM nos pontos». O Dia. Consultado em 15 de junho de 2022. Arquivado do original em 23 de abril de 2012 
  12. Bandnews (9 de julho de 2010). Começa obra da TransOeste, corredor expresso no RJ. Universo Online. Consultado em 13 de junho de 2022 
  13. G1 RJ (15 de setembro de 2010). «Explosão para abrir túnel dá início as obras da Transoeste no Rio». G1. Consultado em 13 de junho de 2022 
  14. «Duplicação da Av. das Américas pode fazer 70% dos imóveis perderem calçadas e 30% sofrerem demolições». O Globo. 16 de setembro de 2010. Consultado em 19 de setembro de 2010 
  15. RJTV (30 de abril de 2011). «Viaduto da Transoeste é inaugurado na Zona Oeste do Rio». G1. Consultado em 15 de junho de 2022 
  16. Valéria Mendonça, Alba (6 de junho de 2012). «BRT Transoeste é inaugurado no Rio». G1. Consultado em 9 de junho de 2012 
  17. «BRT Transoeste é inaugurado com a presença do ex-presidente Lula». O Dia. 6 de junho de 2012. Consultado em 9 de junho de 2012. Arquivado do original em 10 de junho de 2012 
  18. Sil, Felipe; Junior, Genilson (4 de julho de 2012). «Após entrega da Transoeste, um período de adaptação». Extra Online. Consultado em 16 de junho de 2022 
  19. TransOeste passa a operar 24 horas
  20. a b G1 Rio (14 de janeiro de 2015). «BRTs do Rio já registraram mais de 40 acidentes desde 2012; veja lista». G1. Consultado em 17 de junho de 2022 
  21. Ribeiro, Geraldo (5 de setembro de 2014). «BRTs registraram 22 mortes desde o início da operação, com média de uma por mês». Extra Online. Consultado em 17 de junho de 2022 
  22. Guilherme Julião, Luís (22 de agosto de 2016). «BRT Transolímpico e Lote Zero abrem serviço à população no sistema parador nesta terça». O Globo. Consultado em 13 de junho de 2022 
  23. G1 Rio (18 de dezembro de 2012). «Novo trecho do BRT da Transoeste será inaugurado no sábado». G1. Consultado em 17 de junho de 2022 
  24. Motta, Elisa (22 de dezembro de 2012). «Prefeito inaugura novo trecho do BRT Transoeste em Paciência». Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Consultado em 17 de junho de 2022 
  25. Wrede, Catharina (28 de dezembro de 2013). «Paes faz apelo a quem vai passar réveillon em Copacabana: 'Inspirem-se no público da JMJ'». O Globo. Consultado em 17 de junho de 2022 
  26. «Prefeito inaugura o último trecho do BRT Transoeste ligando Santa Cruz a Campo Grande». Notícias Úteis da Zona Oeste. 25 de março de 2014. Consultado em 17 de junho de 2022 
  27. «Último trecho do BRT Transoeste é inaugurado no Rio de Janeiro». Rede do Esporte. Consultado em 17 de junho de 2022 
  28. a b c Bom Dia Rio (26 de fevereiro de 2018). «Buracos e bueiros abertos em corredor exclusivo do BRT assustam motoristas e passageiros». G1. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  29. Ribeiro, Geraldo (8 de janeiro de 2021). «Pista do BRT Transoeste tem em torno de 400 buracos, que começaram a ser fechados essa semana». Extra Online. Consultado em 17 de junho de 2022 
  30. Platonow, Vladimir (4 de outubro de 2018). «Ex-secretário de Obras diz que propina era tratada no gabinete de Paes». Agência Brasil. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  31. Nogueira, Italo (4 de outubro de 2018). «Paes coordenava fraude a licitações e recebeu propina, diz ex-secretário». Folha de S.Paulo. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  32. a b «Ex-secretário de Obras do Rio acusa Eduardo Paes de participar de esquema de desvios em grandes obras». G1. 4 de outubro de 2018. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  33. Nogueira, Italo (4 de outubro de 2018). «Paes coordenava fraude a licitações e recebeu propina, diz ex-secretário». Folha de S.Paulo. Consultado em 17 de junho de 2022 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre TransOeste