VLT de Cuiabá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
VLT de Cuiabá/Várzea Grande
Vlt-cuiaba-848x500.jpg
Composições CAF Urbos que operarão no sistema.
Informações
Local Região Metropolitana de Cuiabá, Mato Grosso
País  Brasil
Tipo de transporte Estação de VLT VLT (Veículo Leve sobre Trilhos)
Número de linhas 2
Número de estações 33
Tráfego 120 000 (estimativa)
Número de veículos 40 CAF Urbos
Comprimento dos veículos 44 m (144 ft)
Dados técnicos
Extensão do sistema 22,2 km
Bitola bitola padrão (1435 mm)
Eletrificação Catenária
Velocidade média 25km
Velocidade máxima 70km

O VLT de Cuiabá é um sistema de veículo leve sobre trilhos que está sendo implantado na região Metropolitana de Cuiabá, no estado de Mato Grosso.

Mapa do projeto
CPA
Batalhão
Morada do Ouro
Praça das Bandeiras
Avenida Juliano Costa Marques
Rua Luis Felipe
Avenida Senegal
Rua Cereja
Rua Trigo de Loureiro
Avenida Mato Grosso
Centro
Praça dos Bandeirantes
Praça dos Motoristas
Rua Flamengo
Rua Capitão Iporá
Rua Haiti
Rua Alziro Zarur
Avenida Carmindo de Campos
Rua Professor Filogônio
Rua Antônio Dorileo
Rua Pau Brasil
Coxipó
Praça Bispo Dom José
Igreja Nossa Senhora Auxiliadora
Rua Caetano Santana
Travessa Tuffic Affi
Divisa entre Cuiabá e Várzea Grande e o Rio Cuiabá
Rua Vila Mariana
Rua Vereador Abelardo Azevedo
Avenida Dom Orlando Chaves
Secretaria Municipal dos Transportes
Auto Shopping Fórmula
Avenida Couto Magalhães
Aeroporto

O sistema VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) terá 22,2 km de extensão dividido em duas linhas. A primeira linha será implantada ligando o Centro Político Administrativo (CPA), em Cuiabá ao Aeroporto Internacional de Cuiabá, em Várzea Grande, já a segunda linha ligará a Região do Coxipó ao Centro Sul, ambas em Cuiabá. O sistema terá 32 estações e tem o custo estimado em 1,4 bilhão de reais.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O modelo foi apresentado pelo Governo do Estado como alternativa para melhorar a mobilidade urbana na Região Metropolitana, durante e após a Copa do Mundo FIFA de 2014[2].

Por determinação da justiça, as obras foram interrompidas desde 2015[3], por suspeita de fraudes licitatórias[4]. Atualmente não há nenhuma previsão para reinício das obras. Há estudos que monstram a possível inviabilidade do projeto[5].

Dados do VLT[editar | editar código-fonte]

O VLT cuiabano prevê um sistema com 40 composições CAF Urbos de 44 metros cada. Cada uma destas composições comporta até 71 passageiros sentados. Com uma composição em tráfego por estação no intervalo de 3 minutos, nos horários de pico, haverá uma demanda de até 8 mil passageiros. A tarifa prevista, segundo o governo, é de R$ 1,75 a custo atualizado em setembro de 2012. Cada uma das estações deverá receber um módulo de integração com o transporte coletivo tradicional (ônibus).

Conforme a equipe técnica da Secopa, o VLT conviverá com o trânsito em uma via prioritária, mas deverá respeitar a sinalização, senão irá tomar multas. O novo sistema prevê a instalação de sinalizadores para sincronia com o tráfego normal de veículos. Assim, o VLT terá a prioridade de tempo nos semáforos. Um sistema matemático calculará o tempo para as composições alternarem velocidade e executarem cruzamento de vias sem a necessidade de parada.

Tabela do sistema[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Extensão (km) Estações Duração das viagens (min) Funcionamento
1 Aeroporto ↔ CPA 15 22 ------ Cancelado
2 Centro ↔ Coxipó 7,2 11 ------ Cancelado

Referências