VLT de Sobral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
VLT de Sobral
Informações
Local Bandeira sobral.PNG Sobral, Ceará
Tipo de transporte Veículo Leve sobre Trilhos
Número de linhas 2
Número de estações 12
Tráfego 1800 passageiros por dia[1]
Chefe executivo Eduardo Hotz
Website Metrofor
Funcionamento
Início de funcionamento 22 de outubro de 2014 (2 anos)
Operadora(s) Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos
Número de veículos 5
Dados técnicos
Extensão do sistema 13,9 quilômetros
Bitola 1 000 mm
Raio mínimo de curvatura -
Velocidade máxima 80 km/h

O VLT de Sobral é um meio de transporte público em formato de VLT (Veiculo Leve Sobre Trilhos) que atua na cidade cearense de Sobral, Brasil, operado pela Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos, empresa de capital social capitaneada pelo Governo do Estado do Ceará e tem como atual presidente Eduardo Hotz.[2] Fundada em 2 de maio de 1997, a companhia é responsável pela administração, construção e planejamento metroviários no estado do Ceará, estando presente nos sistemas de Sobral, Cariri e Grande Fortaleza.

O sistema foi o terceiro a ser inaugurado no Ceará, tendo suas operações iniciadas no dia 22 de outubro de 2014, em operação assistida, e com sua operação comercial iniciada no dia 28 de dezembro de 2016. Atualmente transporta 1,5 mil passageiros por dia.[3]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Após a seca de 1877, o governo imperial lança o projeto da Estrada de Ferro de Sobral, com o objetivo de ligação entre o interior do Ceará e o litoral. Após três anos de obra,s a ferrovia é inaugurada em 1882. Após diversas mudanças de controle acionário, a ferrovia retorna ao controle do estado em 1915. Com a construção de uma nova ferrovia na década de 1950, torna-se um ramal com importância cada vez menor até ser parcialmente desativado em 1977. Os últimos trens de passageiros circularam até meados de 1980, quando foram desativados pela RFFSA.[4]

Reativação e implantação[editar | editar código-fonte]

A ferrovia na região de Sobral é utilizada de forma esporádica para o transporte de cargas pela Transnordestina Logística.[5] Assim, com boa parte da capacidade de transporte ociosa e trechos de ferrovia abandonados, o governo do Ceará estudou a reativação do transporte de passageiros nas regiões do Crato e de Sobral. Em setembro de 2009 é apresentado o projeto do VLT de Sobral. Após a contratação de estudos de R$ 1,2 milhão junto a empresa MWH Brasil Engenharia e Projetos,[6] o governo do Ceará adquire 5 veículos do tipo VLT da empresa Bom Sinal. A licitação das obras civis do VLT é realizada entre novembro de 2010 e fevereiro de 2011. Orçada no valor de R$ 43,5 milhões, a licitação previa a contratação de uma empresa que deveria realizar a construção de 11 km de vias singelas (além de via duplicada na região das estações) e 11 estações

Após a abertura das cinco propostas apresentadas, a licitação foi vencida pela empresa Engexata Engenharia Ltda, que ofereceu uma proposta de R$ 38,7 milhões. [7] Uma outra licitação definiu o fornecimento de cinco veículos leves sobre trilhos, tendo sido vencida pela empresa Bom Sinal pelo valor de R$ 23,5 milhões.[8]

As obras implantação do VLT foram iniciadas em 4 de março de 2011 e tinham previsão de conclusão máxima de 18 meses. Devido a problemas encontrados nos projetos e nas desapropriações (vide seção controvérsias), as obras sofreram sucessivas paralisações e se encontram em fase de conclusão em setembro de 2014, cerca de 12 meses atrasadas em relação ao prazo original. A previsão era que após concluído, o VLT de Sobral transporta-se cerca de 5 mil passageiros por dia, sendo integrado a rede de ônibus já existente em Sobral. Segundo estudos da prefeitura local, em 2018, o novo Sistema Integrado de Transporte Coletivo de Sobral transportará 8 mil passageiros por dia.

Inauguração e operação[editar | editar código-fonte]

Após meses de indefinição, o VLT de Sobral foi inaugurado no dia 22 de outubro de 2014, a apenas quatro dias da eleições daquele ano, servindo como plataforma política do candidato da situação ao governo cearense. [9] Nesse período, o sistema funcionou com abertura das estações às 8h e fechamento ao meio-dia, de segunda-feira a sexta-feira, gratuitamente. De acordo com a CCTM, a fase é necessária para que a população conheça as estações e o percurso das linhas. Nesta fase inicial o VLT de Sobral funcionou com dois trens, um cobrindo a Linha Sumaré, partindo da Estação Cohab III em direção à estação Novo Recanto. O segundo trem cobrindo a Linha Grendene, partindo da estação Cohab II em direção à estação Sumaré.[10]

Já no dia 28 de Dezembro de 2016 se da inicio a operação comercial do sistema, passando a funcionar de segunda-feira a sábado, das 5h30 às 23h, totalizando quase 18 horas de serviço ofertado, diariamente. Com a nova etapa, o VLT sobralense passa a atender integralmente às necessidades locais, alcançando os horários de pico no início da manhã e no fim da noite. Passaram a ser contempladas as pessoas que precisam chegar cedo às fábricas, comércio, hospitais, escolas e universidades, bem como os cidadãos que precisam se deslocar para casa após o fim do expediente nas repartições. O valor da passagem passou a ser R$ 3 a inteira e R$ 1,50 a meia.[11]

No primeiro dia do mês de fevereiro de 2017 foi anunciado pela Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos por meio do titular da Secretaria das Cidades, Lucio Gomes, duas novidade para o sistema sobralense: O sistema de bilhetagem eletrônica e os pacotes de passagens, com esse ultimo os passageiros terão descontos progressivos ao comprar mais de uma passagem, de uma só vez. Os descontos serão aplicados na aquisição de pacotes. Os usuários poderão optar pelas opções de duas, 12, 26 ou 52 passagens. Quanto maior o pacote, maior o desconto. Nesse sistema, o valor da tarifa unitária – ou seja, aquela comprada na unidade ou em quantidade fora dos pacotes ofertados - não será alterado, e continuará em R$ 3 a inteira e R$ 1,50 a meia. Caso o passageiro queira comprar um dos pacotes ofertados, haverá aplicação de descontos que podem chegar até quase 30% do valor total.[12]

Cartões de acesso[editar | editar código-fonte]

Para os usuários que utilizam o transporte urbano, serão ofertados cartões em quatro modalidades: unitário, múltiplo, estudante e idoso. Para usufruir dos descontos, os usuários terão que adquirir o cartão múltiplo, que poderá ser recarregado com várias passagens, e ficará de posse do próprio passageiro.

O cartão unitário será usado para quem compra apenas uma passagem. Ele será recolhido pela catraca eletrônica, no momento do embarque. Já o cartão de estudante garantirá o direito dos discentes de acesso ao transporte. Por fim, o cartão de idoso será concedido a pessoas com mais de 65 anos, mediante comprovação de idade.

Para estudantes e idosos será necessário cadastramento, sendo o cartão identificado com os dados de seu proprietário. No caso dos cartões múltiplos, o cadastramento será opcional, e servirá para resguardar a proteção dos créditos inserido em caso de perda ou roubo.[13]

Criticas e controvérsias[editar | editar código-fonte]

Desde a apresentação do projeto, o VLT de Sobral é alvo de críticas do Ministério Público do Ceará, de alguns jornalistas e de parte dos moradores de Sobral. Apesar da demanda local não alcançar o mínimo estimado para a implantação do VLT, o governo cearense insistiu na implantação do meio de transporte.[14]

Após o início das obras, o Ministério Público Estadual do Ceará conseguiu paralisá-las por algum tempo sob a acusação de falta de estudos ambientais para a realização da obra. Em novembro de 2012, o governo do Ceará admitiu o atraso das obras, culpando problemas com desapropriações,[15] e confirmou que apenas 20% dos trabalhos estavam concluídos. A inauguração do VLT foi marcada três vezes durante o ano de 2013, sendo cancelada em todas as ocasiões.[16] Enquanto isso, o orçamento das obras passou dos R$ 54 milhões (2010)[17] para R$ 90 milhões (2014).

Durante a fase de testes do VLT, um dos veículos não conseguiu realizar uma curva, por conta do raio de curva horizontal da ferrovia ser inferior ao realizado pelo veículo. Para corrigir a curva, foram necessárias novas desapropriações. [18] [19]

Após o inicio da fase comercial o que mais se temia, e que por muito tempo foi alertado acabou ocorrendo, composições com pouquíssimos passageiros e até mesmo vazias circulam pelo cidade de Sobral quase que diariamente, levando diversas pessoas a questionar a real necessidade do sistema. [20][21]

Linhas[editar | editar código-fonte]

O VLT de Sobral contam atualmente com 2 linhas: Norte e Sul. Com extensão total de 13,9 quilômetros, as linhas formam traçados que se tangenciam na estação Coração de Jesus, situada na pracinha do campo dos velhos, que funciona como Estação de Integração.

Linhas do VLT de Sobral
Linhas Terminais Extensão Estações Inauguração
Linha Norte Cohab IIINovo Recanto 6,7 Km 6 22 de outubro de 2014
Linha Sul SumaréCohab II 7,2 Km 6 22 de outubro de 2014

Linhas do Sistema[editar | editar código-fonte]

Linha Norte[editar | editar código-fonte]

A Linha Norte possui 6,7 km de extensão e 6 estações, ligando o bairro do Junco até o bairro Novo Recanto

Tipo Estação Ligações Plataformas Posição
comum Cohab III Linha Norte Central Superfície
Comum José Euclides Linha Norte Central Superfície
Comum Junco Linha Norte Central Superfície
Integração Coração de Jesus Linha Norte Linha Sul Central Superfície
Comum Alto da Brasilia Linha Norte Central Superfície
Comum Grendene Linha Norte Central Superfície
Comum Novo Recanto Linha Norte Central Superfície

Linha Sul[editar | editar código-fonte]

A remodelação do ramal da transnordestina tem 7,2 km e 6 estações, ligando os bairros de Cohab II e Sumaré, passando pela avenida Pericentral.

Tipo Estação Ligações Plataformas Posição
comum Sumaré Linha Sul Central Superfície
Comum Dom José Linha Sul Central Superfície
Integração Coração de Jesus Linha Sul Linha Norte Central Superfície
Comum Boulevard do Arco Linha Sul Central Superfície
Comum Bom Expedito Linha Sul Central Superfície
Comum Cohab II Linha Sul Central Superfície

Referências

  1. «VLT de Sobral: Mais de 100 mil passageiros transportados durante operação assistida». Governo do Ceará- Secretaria de Infraestrutura. 4 de fevereiro de 2015. Consultado em 8 de março de 2015 
  2. Metrofor. «Gestor da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos». O Povo. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  3. «Informações sobre o Metrô de Sobral». www.metrofor.ce.gov.br. Consultado em 3 de março de 2017 
  4. Ralph Mennucci Giesbrecht. «Rede Ferroviária do Nordeste». Estações Ferroviárias do Brasil. Consultado em 23 de julho de 2014 
  5. «Mapa». Transnordestina Logística S.A. Consultado em 23 de julho de 2014 
  6. «Licitação do Metrô de Sobral tem participação de uma empresa». Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos – Metrofor. Setembro de 2009. Consultado em 23 de julho de 2014 
  7. «Governador assina ordem de serviço do VLT de Sobral». Revista Ferroviária. 4 de março de 2011. Consultado em 8 de março de 2015 
  8. «Metrô de Sobral vai operar ano que vem». Diário do Nordeste. 5 de março de 2011. Consultado em 8 de março de 2015 
  9. Tiago Rogero (3 de outubro de 2014). «Ceará inaugura metrô incompleto a quatro dias da eleição». Estadão. Consultado em 8 de março de 2015 
  10. «Metrô de Sobral, no Ceará, começa a operar em fase de testes». Ceará. 22 de outubro de 2014 
  11. «VLT de Sobral começa a funcionar em operação comercial nesta quarta-feira». Ceará. 27 de dezembro de 2016 
  12. «VLT de Sobral ganha bilhetagem eletrônica e usuários terão descontos em pacotes de passagens». www.metrofor.ce.gov.br. Consultado em 3 de março de 2017 
  13. «VLT de Sobral terá bilhetagem eletrônica com descontos a partir da próxima segunda-feira, 17 – Diário Zona Norte». blogs.diariodonordeste.com.br. Consultado em 16 de abril de 2017 
  14. Felipe Castro (12 de dezembro de 2013). «BRT ou VLT: questão de escolha?». Mobilize Brasil. Consultado em 8 de março de 2015 
  15. Lauriberto Braga (27 de setembro de 2011). «Obras do metrô de Sobral estão atrasadas». Diário do Nordeste. Consultado em 8 de março de 2015 
  16. «Moradores de Sobral reclamam do atraso das obras do VLT, no Ceará». Portal G1. 8 de janeiro de 2014. Consultado em 27 desetembro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  17. Wilson Gomes (20 de janeiro de 2010). «Obras começam neste primeiro semestre». Diário do Nordeste. Consultado em 8 de março de 2015 
  18. wilsongomessobral.blogspot.com.br/2014/02/o-metro-de-sobral-nao-consegue-fazer.html | O metrô de Sobral não consegue fazer a curva| Blog Wilson Gomes, 7 de fevereiro de 2014, acessado em 27 de setembro de 2014
  19. Bené Fernandes (27 de dezembro de 2013). «Começou a ser construída curva mais cara do metrô de Sobral». Sobral Agora. Consultado em 27 de setembro de 2014 
  20. «VÍDEO MOSTRA VLT DE SOBRAL TRAFEGANDO VAZIO!». www.sobral24horas.com. Consultado em 3 de março de 2017 
  21. «VLT de Sobral circula sem passageiros pela cidade». www.sinhasaboia.com. Consultado em 3 de março de 2017