Sistema de Trens Urbanos de Natal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sistema de Trens Urbanos de Natal
Informações
Local Região Metropolitana de Natal
Tipo de transporte Estação de VLT VLT (Veículo Leve sobre Trilhos)
Número de linhas 2
Número de estações 22
Tráfego 9,3 mil/dia
Website Portal CBTU - Natal
Funcionamento
Operadora(s) CBTU Logo2.svg CBTU - STU/NAT
Número de veículos 20
Dados técnicos
Extensão do sistema 56,2 km
Bitola Bitola métrica (1000 mm)
Velocidade média 50 km/h [1]

O Sistema de Trens Urbanos de Natal é o sistema de metrô de superfície[2] da Região Metropolitana de Natal. É operado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) através da Superintendência de Trens Urbanos de Natal.

É composta atualmente por 22 estações em duas linhas que somam 56,2 quilômetros de extensão, que interligam os municípios de Ceará Mirim, Extremoz, Natal e Parnamirim[3], transportando uma média de 9,3 mil passageiros por dia.[4]

História[editar | editar código-fonte]

VLT[editar | editar código-fonte]

Como parte de um projeto de mobilidade urbana, o sistema de trens urbanos foi modernizado e passou a ter em sua frota VLTs modernos.[5] Além das novas composições, o projeto contempla também a construção de novas estações e a recuperação do leito ferroviário existente.

Modernização das estações[editar | editar código-fonte]

A CBTU pretende ainda em 2015 começar as obras de modernização das estações do metrô, serão reconstruídas 26 estações e construídas mais 4 (todas localizadas na chamada Zona Norte). As quatro novas estações serão já devem ser iniciadas em 2015 e completadas em 2016. Para todo o projeto, a previsão orçamentária é de R$ 311,65 milhões. R$ 67 milhões serão liberados este ano para a construção da novas estações.[6]

Modernização[editar | editar código-fonte]

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

Já completada, a primeira fase da modernização de rede ferroviária natalense é a troca dos trens velhos pelos VLTs modernos.[7]

Outras fases do projeto[editar | editar código-fonte]

Em fase de projeto, a segunda e terceira fase visa a adição de linhas da rede.[8]

Segunda fase[editar | editar código-fonte]

Linha marrom ligando o campus da UFRN à Ribeira.[8]

Terceira fase[editar | editar código-fonte]

Linha laranja criando anel ferroviário em torno do campus, a partir da avenida capitão-mor Gouveia.[8]

Quarta fase[editar | editar código-fonte]

Em fase de análise, a quarta fase cria a linha roxa, ligando o aeroporto BR-101 Norte e Sul.[8]

Outras fases[editar | editar código-fonte]

Há também outras fases, mas ainda não estão nem em fase de análise.[8]

Características do Sistema[editar | editar código-fonte]

Este sistema atualmente possui 56,2 km de extensão, dividido em duas linhas e é servido por 22 estações. Os veículos deste sistema possuem uma velocidade comercial de 50 km/h. A bitola é métrica em via singela e os trens são movidos a diesel.

Tabela do Sistema[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Inauguração Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min) Funcionamento
Norte Ceará MirimNatal A partir de 1984 38,5 12 --- De segunda a sexta, das 5h25 às 19h40 e aos sábados das 5h25 às 15h45.
Sul NatalParnamirim A partir de 1984 17,7 10 --- De segunda a sexta, das 5h25 às 19h40 e aos sábados das 5h25 às 15h45.

Frota[editar | editar código-fonte]

Este sistema conta atualmente com uma frota de 3 locomotivas ALCO, diesel de bitola métrica e 13 carros Pidner, semelhantes aos dos sistemas de João Pessoa, Maceió e Recife compostas por aço carbono formando três composições. Além desses, uma frota de 3 carros do modelo Mobile 3 atualmente estão em operação. Ao todo essas composições realizam 24 viagens diárias.[9]

Modelo/Série Potência (kW) Bitola (m) Fabricante Origem Ano de Fabricação Adquirente Inicial Frota Ativa Frota Inativa Frota Total
RSD-8/6000* 671 1,00 ALCO EUA 1958 RFFSA 2 1 3
RP7B 700 1,00 Rail Progress Brasil 2013 CBTU 2 2
UC** --- 1,00 Pidner Brasil 1978 --- 9 4 13
Mobile 3 --- 1,00 Bom Sinal Brasil 2014 --- 2 0 2
Total 13 5 18

(*) Locomotivas • (**) Carros de Passageiros

Referências

  1. http://www.nominuto.com/noticias/cidades/com-capacidade-para-600-pessoas-vlt-comeca-a-circular-em-outubro/116471/
  2. «Governo inclui metrô de superfície de Natal no PAC 2». Governo Estadual. Consultado em 27 de julho de 2015 
  3. CBTU. «Portal CBTU - História». Consultado em 25 de abril de 2015 
  4. CBTU. «Portal CBTU - Natal». Consultado em 13 de julho de 2015 
  5. SOUZA, Carolina (4 de julho de 2014). «CBTU lança edital para Projeto de Recuperação dos Trens Urbanos de Natal». O Jornal de Hoje. Consultado em 26 de junho de 2015 
  6. «CBTU prevê 800% mais passageiros com ampliação da malha ferroviária». Novo Jornal. Consultado em 28 de julho de 2015 
  7. Rafael Araújo. «Com capacidade para 600 pessoas, VLT começa a circular em outubro». No minuto. Consultado em 8 de julho de 2015 
  8. a b c d e Junior Santos. «Linha será implantada pela metade». Tribuna do Norte. Consultado em 8 de julho de 2015 
  9. CBTU. «Portal CBTU - Sistemas». Consultado em 25 de abril de 2015 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]