Avenida Rodrigues Alves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Avenida Rodrigues Alves
Município do Rio de Janeiro Rio de Janeiro - RJ,  Brasil
Tipo Via expressa
Inauguração 1910 (108 anos)
Extensão 1,6 km
Início Rodoviária Novo Rio
Cruzamentos Rua Cordeiro da Graça
Av. Prof. Pereira Passos
Rua Santo Cristo
Rua da Gamboa
Rua Rivadávia Corrêa
Fim Túnel Prefeito Marcello Alencar
Bairro que margeia Santo Cristo

A Avenida Rodrigues Alves é uma avenida que margeia o bairro do Santo Cristo, situado na Zona Central da cidade do Rio de Janeiro. Atualmente com cerca de 1,6 km de extensão, margeia uma sequência de armazéns do Cais da Gamboa, que começa na altura da Rodoviária Novo Rio e termina em um dos acessos ao Túnel Prefeito Marcello Alencar.

A avenida foi construída em virtude das obras de construção do Cais da Gamboa, tendo sido projetada para atender ao movimento de veículos de carga que entravam e saíam do cais.[1] Atualmente, sua principal função é escoar o tráfego proveniente da Avenida Brasil e da Ponte Rio–Niterói até o Túnel Prefeito Marcello Alencar e vice-versa.

A avenida recebeu esse nome por homenagear Francisco de Paula Rodrigues Alves, que foi um advogado paulista. Rodrigues Alves foi Presidente do Brasil entre 1902 e 1906 e governou o estado de São Paulo em três momentos.

História[editar | editar código-fonte]

Inauguração[editar | editar código-fonte]

A avenida, junto com o Cais da Gamboa, foi inaugurada em 1910, durante a gestão do Presidente Nilo Peçanha.[2] Margeando os armazéns do cais, a avenida tinha a função original de atender ao tráfego de veículos de carga que serviam o porto.[1]

Elevado da Perimetral[editar | editar código-fonte]

Trecho do Elevado da Perimetral sendo demolido sobre a avenida, em 2014.

Em junho de 1978, o presidente Ernesto Geisel inaugurou o trecho final do Elevado da Perimetral, uma via que ligava as imediações do Aeroporto Santos Dumont e a área da Praça XV ao Caju e, dali, às saídas da cidade do Rio de Janeiro em direção à São Paulo, à Região Serrana e à Norte Fluminense. O trecho inaugurado situava-se sobre a avenida, contribuindo para a decadência das imediações.[3]

Pouco tempo após assumir o cargo de prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes planejara, em 2010, demolir parte do Elevado da Perimetral, substituindo-o por um mergulhão, como parte das obras do Porto Maravilha.[4] Todavia, no dia 24 de novembro de 2011, o prefeito anunciou que o elevado seria demolido em sua totalidade e não apenas um trecho. Também foi anunciado a construção de um túnel que iria substituir a Perimetral em conjunto com a Avenida Rodrigues Alves.[5]

No dia 2 de novembro de 2013, o trecho do Elevado da Perimetral que passava sobre a avenida foi definitivamente fechado para o início de sua demolição.[6] Em 24 de novembro de 2013, um trecho de 1.050 metros do elevado foi implodido, com a utilização de 1.200 kg de explosivos e de 215.340 m² de uma tela de proteção. A fim de absorver o impacto da queda da estrutura, a prefeitura colocou 2.500 "colchões" de pneus e areia sobre avenida.[7] O restante do trecho sobre a avenida foi demolido em 2014, porém sem a utilização de explosivos.[8] Nos trechos fechados da avenida, foram feitas obras de saneamento e de drenagem, além de implantação de redes de água, gás natural, energia, telecomunicações e iluminação pública.

Orla Conde[editar | editar código-fonte]

Trecho da avenida incorporado à Orla Conde, na altura do Armazém da Utopia.

No dia 7 de maio de 2016, um antigo trecho da avenida, entre os armazéns 1 e 6 do Cais da Gamboa, foi incorporado à Orla Conde. O espaço, que possui 1,0 km de extensão e 57 mil m², tornou-se um parque arborizado, propiciando o uso do local para convivência, esporte, lazer e cultura pela população e por turistas. Em parte do passeio, há uma via de passagem por onde circula as composições do VLT Carioca.[9]

Dois meses depois, um outro antigo trecho antes pertencente à avenida, com 21.861 m² de área e 416 metros de extensão, passou a fazer parte da Orla Conde. A Praça Muhammad Ali, situada entre os armazéns 6 de 8 do Cais da Gamboa, foi inaugurada no dia 17 de julho de 2016 em solenidade que contou com a presença do prefeito Eduardo Paes.[10]

Reabertura[editar | editar código-fonte]

A avenida foi sendo reaberta para tráfego no ano de 2016 conforme as galerias do Túnel Prefeito Marcello Alencar, Mar e Continente, eram abertas. A pista da avenida no sentido Zona Sul foi inaugurada em 17 de junho de 2016,[11] enquanto que a pista no sentido Caju foi aberta no dia 21 de julho de 2016.[12]

Características[editar | editar código-fonte]

A avenida estende-se por cerca de 1,6 km, entre a Rua Rivadávia Corrêa e a Avenida Francisco Bicalho. É caracterizada como uma via expressa, visto que não há semáforos ao longo de sua extensão. A avenida tem por função escoar o tráfego proveniente da Avenida Brasil e da Ponte Rio–Niterói até o Túnel Prefeito Marcello Alencar e vice-versa, sendo fundamental para a ligação da Zona Sul do Rio de Janeiro com a Zona Norte da cidade e com outros municípios do estado do Rio de Janeiro.

A avenida possui três faixas no sentido Zona Sul e outras três no sentido Caju destinadas ao tráfego de veículos. Outras duas faixas, uma por sentido, serão destinadas ao tráfego de ônibus articulados que futuramente atenderão ao TransBrasil, um sistema de Bus Rapid Transit (BRT) atualmente em implantação.

Pontos de interesse[editar | editar código-fonte]

Os seguintes pontos de interesse situam-se na Avenida Rodrigues Alves:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Plano de Melhoramentos Pereira Passos - Plano de Embelezamento e Saneamento da Cidade». urbanismobr.org. Consultado em 22 de abril de 2017. 
  2. «Novo Porto do Rio e Sua Construção». Rio de Janeiro Aqui. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  3. Villela, Gustavo (16 de julho de 2014). «Elevado da Perimetral foi inaugurado duas vezes: por JK, em 1960, e Geisel, em 1978». O Globo. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  4. «Paes anuncia demolição de Elevado da Perimetral». Extra. 15 de julho de 2010. Consultado em 9 de abril de 2017. 
  5. «Prefeitura do Rio anuncia túnel no Centro e demolição de toda Perimetral». G1. 24 de novembro de 2011. Consultado em 9 de abril de 2017. 
  6. Areias, Karilayn (2 de novembro de 2013). «Elevado da Perimetral fecha e Via Binário é inaugurada». O Dia. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  7. Andrade, Hanrrikson (24 de novembro de 2013). «Com 1.200 kg de explosivos, Prefeitura do Rio implode trecho da Perimetral em 5 segundos». UOL. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  8. Abdala, Vitor (26 de julho de 2014). «Prefeitura do Rio inicia demolição do que restou do Elevado da Perimetral». Agência Brasil. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  9. Rouvenat, Fernanda (7 de maio de 2016). «Prefeitura inaugura novo trecho da Orla Conde, na Zona Portuária do Rio». G1. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  10. Rouvenat, Fernanda (17 de julho de 2016). «Novo trecho da Orla Conde, na Zona Portuária, é inaugurado no Rio». G1. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  11. David, Flávia (19 de junho de 2016). «Prefeitura entrega o novo Túnel Prefeito Marcello Alencar na Região Portuária». Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Consultado em 6 de maio de 2017. 
  12. «Segunda galeria do Túnel Prefeito Marcello Alencar é inaugurada». O Dia. 21 de julho de 2016. Consultado em 6 de maio de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]