Antonov A-40

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A-40 Krylya Tanka
Modelo do Antonov A-40
Descrição
País de origem  União Soviética
Fabricante Antonov
Quantidade
produzida
1 unidade(s)
Primeiro voo 1942 (72 anos)
Missão Tanque de Guerra Leve (Planador)
Tripulação 2
Carga 1x carro de combate T-60
Dimensões
Comprimento 12,06 m
Envergadura 18,00 m
Área (asas) 85,8 m²
Peso
Tara 2004 kg
Peso total 7804 kg
Notas
1 Tanque T-60

O Antonov A-40 Krylya Tanka (em russo: крылья танка, significando "tanque com asas") foi uma tentativa Soviética de permitir que um tanque de guerra planasse para o local de combate após ser puxado por outra aeronave, afim de suportar esquadrões de pára-quedismo. Um protótipo foi construído e testado em 1942, mas não funcionou. Este veículo é também chamado de A-40T ou KT.

Design e Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Ao invés de carregar tanques de guerra leves em planadores, como outras nações haviam feito, as forças Soviéticas amarraram alguns T-27 na fuselagem de bombardeiros pesados e os pousavam em campos de pouso. Na década de 1930 haviam alguns experimentos para adaptar pára-quedas nos tanques ou simplesmente soltá-los na água. Durante a ocupação de Bessarabia em 1940, alguns tanques leves podem ter sido soltos por bombardeiros TB-3.

O maior problema com veículos lançados ao ar é que sua tripulação era lançada separadamente, o que poderia atrasar ou ser impedido de trazê-los à linha de batalha. Os planadores permitiam à tripulação chegar no ponto de descida juntamente com seus veículos. Isto também poderia minimizar a exposição das aeronaves que os traziam, que desta forma não precisavam sobrevoar o local da batalha. A partir destes fatos, a Força Aérea Soviética ordenou que Oleg Antonov projetasse um planador para pousar seus tanques.

Bombardeiro TB-3 carregando um T-27, 1935

Antonov foi ainda mais ambicioso e ao invés de construir um planador, ele adicionou um berço desmontável ao T-60 com grandes asas biplanas de madeira e lona, além de uma cauda dupla. Desta forma o tanque poderia planar até o campo de batalha, soltar suas asas e logo estar pronto para voar novamente.

Um T-60 foi convertido em planador em 1942, para ser rebocado por um Petlyakov Pe-8 or Tupolev TB-3. Para o uso aéreo, foram removidos armamentos, munição, luzes e deixando-o com uma quantidade bem limitada de combustível. Ainda com essas modificações, o bombardeiro TB-3 teve que soltar o planador durante seu único voo em 2 de Setembro de 1942, afim de evitar colisão, devido ao extremo arrasto criado pelo T-60 (apesar de ter sido reportado que o tanque planou suavemente). O A-40 foi pilotado pelo famoso piloto experimental de planadores soviético Sergei Anokhin. O T-60 pousou em um campo próximo ao aeródromo, e após soltar as asas e sua cauda, o piloto retornou para a base com sucesso. Devido a falta de uma aeronave com potência suficiente para rebocar o planador a 160 km/h, o projeto foi abandonado.

A União Soviética continuou a desenvolver métodos para lançar eficientemente veículos pelo ar. No meio da década de 1970, foram capazes de lançar com pára-quedas um BMD-1 com sua tripulação à bordo.

Antonov A-40

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Antonov A-40

Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia
  • Gunston, Bill. The Osprey Encyclopedia of Russian Aircraft 1875-1995. London: Osprey, 1995. 19–20 pp. ISBN 1-85532-405-9
  • Shavrov, V.. (1997). "Istoriya konstruktsiy samoletov v SSSR". Bronekollektsiya (4).
  • Zaloga, Steven J.; James Grandsen. Soviet Tanks and Combat Vehicles of World War Two. London: Arms and Armour Press, 1984. 192–3 pp. ISBN 0-85368-606-8

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Veículos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.