Augusto Frederico, Duque de Sussex

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Augusto Frederico
Duque de Sussex
Esposas Augusta Murray (1793–1794)
Cecília Underwood (1831–1843)
Descendência
Augustus d'Este
Augusta d'Este
Casa Hanôver
Pai Jorge III do Reino Unido
Mãe Carlota de Mecklemburgo-Strelitz
Nascimento 27 de janeiro de 1773
Casa de Buckingham, Londres, Grã-Bretanha
Morte 21 de abril de 1843 (70 anos)
Palácio de Kensington, Londres, Reino Unido
Enterro Cemitério de Kensal Green, Londres, Reino Unido
Religião Anglicanismo
Brasão

Augusto Frederico, Duque de Sussex KG, KT, GCB, GCH (27 de janeiro de 177321 de abril de 1843) foi o sexto filho do rei Jorge III do Reino Unido e de sua consorte, a rainha Carlota. Ele foi o único filho sobrevivente de Jorge III que não teve uma carreira militar ou naval. Foi presidente da Royal Society de 1830 a 1838.

Foi grão-mestre da Maçonaria e, embora o tivesse sido ao que se julga da maçonaria inglesa e não da francomaçonaria, diz-se que também foi sob o patrocínio deste príncipe que se constituiu o Grande Oriente Lusitano no Reino de Portugal[1] .

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Sua Alteza Real o príncipe Augusto Frederico nasceu no Palácio de Buckingham, em Londres.

Foi baptizado na Câmara do Grande Conselho no Palácio de St. James, a 25 de fevereiro de 1773, pelo arcebispo da Cantuária Frederick Cornwallis. Os seus padrinhos foram o duque de Saxe-Gota-Altemburgo (representado na cerimónia pelo conde de Hertford), o duque Jorge Augusto de Mecklemburgo-Strelitz (representado pelo conde de Bristol), e a princesa Carlos de Hesse-Cassel (representada pela viscondessa Weymouth).[2]

Recebeu educação em casa antes de ser mandado à Universidade de Gotinga, na Alemanha, no verão de 1786, juntamente com seus irmãos Ernesto e Adolfo. O príncipe Augusto, que sofria de asma, não se juntou aos irmãos no treinamento militar em Hanôver. Ele brevemente considerou em tornar-se membro do clero da Igreja da Inglaterra.

Primeiro casamento[editar | editar código-fonte]

Enquanto viajava na Itália, Augusto conheceu Lady Augusta Murray (c. 1762-1830), a segunda filha do 4.° conde de Dunmore. Os dois se casaram em Roma, no dia 4 de abril de 1793, e novamente em St. George's, Londres, em 5 de dezembro daquele ano, sem o conhecimento ou permissão do rei. O ministro de Relações Exteriores de Hanôver, Ernst zu Münster, foi mandado à Itália para escoltá-lo de volta a Londres.

O casamento foi anulado pela Justiça, em agosto de 1794, por causa do Ato de Casamentos Reais de 1772. Contudo, Augusto continuou vivendo com Lady Augusta até 1801, quando ele recebeu do parlamento uma concessão de £ 12 mil libras esterlinas. Lady Augusta deteve a custódia dos filhos do casal e ganhou uma pensão anual de £ 4 mil.

Duque de Sussex[editar | editar código-fonte]

O rei titulou-o duque de Sussex, conde de Inverness e barão Arklow no pariato do Reino Unido e fê-lo cavaleiro da Ordem da Jarreteira, em 27 de novembro de 1801. Como Augusto não deixou descendentes legítimos, o título foi extinto.

Segundo casamento[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de maio de 1831, o duque de Sussex (contrariando o Ato de Casamentos Reais novamente) casou-se mais uma vez. A noiva foi Lady Cecilia Letitia Buggin (1793-1873), a filha mais velha de Arthur Gore, 2.° conde de Arran e de Elizabeth Underwood. Cecilia era viúva de Sir George Buggin. Ela assumiu, por licença real, o sobrenome materno, Underwood, e nunca foi reconhecida como duquesa de Sussex. Em 1840, Cecilia foi, entretanto, titulada duquesa de Inverness, em seu próprio direito.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Augusto Frederico, Duque de Sussex
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.