Boeing 377 Stratocruiser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde maio de 2014).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

377 Stratocruiser
New Zealand PW-51.svg
B-377 operado pela American Overseas
Descrição
Tipo Avião comercial
Fabricante Boeing
País de Origem  Estados Unidos
Primeiro voo 8 de julho de 1947 (67 anos)
Produção 56 produzidos
Tripulação/Equipa 3-?
Capacidade de
passageiros
63-114 passageiros
Dimensões
Comprimento 33,63 metros
Envergadura 43,05 metros
Altura 11,66 metros
Área (asas) 164,3 m²
Pesos
Peso vazio (Tara) 37876 kg
Peso máx. decolagem 67133 kg
Propulsão
Motorização 4x motores radiais a pistão PW R-4360-B6 Wasp Major
Potência 3 500 hp (2 610 kW)
Performance
Velocidade máxima 603 km/h
Velocidade de
cruzeiro
0.395 Ma
Altitude máxima 9800 metros
Alcance (MTOW) 6760 km
Notas
Dados da Wikipédia anglófona - 377 Stratocruiser

O Boeing 377 Stratocruiser é um luxuoso avião comercial, quadrimotor à pistão, lançado pelo fabricante estadunidense Boeing, após a Segunda Guerra Mundial.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Após o término da Segunda Guerra Mundial, a Boeing desenvolveu o avião militar C97 Stratofreighter, baseado no famoso bombardeiro B-29, e e sua versão civil, o B-377 Stratocruiser.

Com uma fuselagem maior e mais alongada, o B-377 superava em tamanho seus concorrentes Lockheed Constellation e Douglas DC-7, e ganhava ainda em autonomia de voo, ao cruzar oceanos sem escala.

Porém, sua motorização Pratt & Whitney Wasp Major tornou-se antieconômica, o que levou ao encerramento precoce da linha de produção da aeronave, no ano de 1950.

Após a Segunda Guerra Mundial terminou, Boeing re- entrou no mercado comercial com um novo avião de longo alcance, o Stratocruiser ( modelo 377) . Foi o primeiro transporte comercial Boeing desde o Stratoliner e, assim como sua contraparte militar, o C- 97, foi baseado no bombardeiro B-29 . Possuía toda a velocidade e melhorias técnicas disponíveis para bombardeiros , no final da guerra. O Stratocruiser definir um novo padrão para o transporte aéreo de luxo, com sua cabine de passageiros extra- largo decorado com bom gosto e camarins ouro equipados . Uma escada circular levou a um salão de bebidas de menor convés, e os comissários de bordo preparado refeições quentes para 50 a 100 pessoas em uma cozinha state-of -the- art. Como uma cama, o Stratocruiser foi equipado com 28 letras maiúsculas e menores unidades de beliche. Pan-Americana colocou a primeira encomenda de 20 Stratocruisers , vale US $ 24 milhões, e eles começaram a serviço entre San Francisco , Califórnia, e Honolulu , no Havaí, em 1949. Boeing construiu 56 Stratocruisers entre 1947 e 1950, e marcou o primeiro sucesso significativo da empresa a venda de aviões de passageiros de companhias aéreas em outros países. Durante o início da década de 1960, Lines aeroespacial inchou fuselagem do Stratocruiser em forma de baleia -like para realizar seções de naves espaciais. Nove das variantes foram montados. O primeiro foi chamado de " Pregnant Guppy ", seguido por cinco maiores " Superguppies " e três menores " Miniguppies ". No processo, um dos aviões mais elegantes do céu se tornou um dos mais feio. No Brasil, operado pela Pan American, este avião era anunciado com o nome de "Presidente" e fazia a rota Buenos Aires > Montevidéo > Rio de Janeiro > Port of Spain > New York e posteriormente voava em direção a países europeus. Era considerado um avião com um serviço "super-luxo".

Especificações

Dados de: Airliners of the World.[nota 1]

Descrições gerais
  • Tripulação: 3-?
  • Capacidade: Até 100 passageiros no deque principal e mais 14 no deque inferior; capacidade típica 63 ou 84 passageiros ou 28 leitos e 5 assentos normais
  • Comprimento: 33,63 m (110 ft)
  • Envergadura: 43,05 m (140 ft)
  • Altura: 11,66 m (38 ft)
  • Área alar: 164,3  (1 770 ft²)
  • Peso vazio: 37 876 kg (83 500 lb)
  • Peso de decolagem: 67 133 kg (148 000 lb)
Motorização
Performance



Notas das especificações

  1. Wilson, Stewart (1999). Airliners of the World. Fyshwick, Australia: Aerospace Publications. ISBN 1-875671-44-7.