Mealhada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mealhada
Brasão de Mealhada Bandeira de Mealhada
Brasão Bandeira
MLD-PassosdoConcelho.JPG
Paços do Concelho
Localização de Mealhada
Gentílico Mealhadense
Área 110,66 km2
População 20 428 hab. (2011)
Densidade populacional 184,6 hab./km2
N.º de freguesias 6
Presidente da
Câmara Municipal
Rui Marqueiro (PS)
Fundação do município
(ou foral)
1514-foral; 1836-concelho
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Baixo Mondego
Distrito Aveiro
Antiga província Beira Litoral
Feriado municipal Quinta-feira de Ascensão
Código postal 3050
Sítio oficial http://www.cm-mealhada.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

A Mealhada é uma cidade portuguesa com cerca de 4 500 habitantes,[1] situada no limite Sul do Distrito de Aveiro, região Centro, pertencente à sub-região do Baixo Mondego (até 2008 pertencia à sub-região Baixo Vouga) e à Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego. É o principal centro urbano da sub-região vinícola da Bairrada.

É sede de um município com 110,66 km² de área[2] e 20 428 habitantes (2011),[3] [4] dividido em 6 freguesias.[5] O município é limitado a norte por Anadia, a leste por Mortágua e Penacova, a sul por Coimbra e a oeste por Cantanhede.

O município da Mealhada tem duas vilas (Luso, Pampilhosa) e uma cidade (Mealhada).

O Concelho[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

O concelho da Mealhada localiza-se na parte sul do distrito de Aveiro, e faz parte da Região Centro e da sub-região do Baixo Mondego.

O município é limitado a norte pelo município da Anadia, a leste por Mortágua, a sueste por Penacova, a sueste e sul por Coimbra e a oeste por Cantanhede.

Na ponta do concelho situa-se o lugar da Póvoa do Garção, que tem este nome por se situar no limiar dos três concelhos da Mealhada, Anadia e Cantanhede.

O concelho da Mealhada estende-se entre a Serra do Buçaco e a orla gandareza de Cantanhede, acompanhando o pequeno rio Cértima desde a nascente até se perder em meandros na fronteira territorial do vizinho concelho de Anadia. O rio Cértoma continua seu percurso a norte até ao município de Águeda).

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho da Mealhada.

O concelho da Mealhada está dividido em 6 freguesias:

História[editar | editar código-fonte]

Época Romana[editar | editar código-fonte]

Vias e Achados Romanos no Concelho da Mealhada.
Marco Miliário.

Da presença romana no concelho destacamos o achamento de um marco miliário (que remonta ao ano de 39 d.C.) durante a construção da linha do norte ainda no século XIX (1856 ou 1857) que indicaria a milha 12 da via romana de Olissipo (Lisboa) a Cale (Vila Nova de Gaia), que seguiria pelo lado oeste do rio Cértima, onde existia uma ponte romana, entre Antes e Cardal, mandada destruir na década de 90 pelo então presidente da Câmara Rui Marqueiro, para em seu local ser construída uma nova ponte e um açude. Este achado encontra-se hoje em dia no átrio do edifício da câmara municipal. Também desta época é a estação arqueológica da Cidade das Areias situada na Vimieira (Casal Comba) que já é referenciada desde o século I por Estrabão e conhecida nos nossos dias desde 1959, no qual se pensa poder ter sido uma oppidum Elbocoris, ou pequena fortificação romana. Achados neste local datam dos séculos I a IV. Também no lugar de Barcouço foram encontrados alguns vestígios romanos como moedas e olaria.[6] Ainda referenciado em livros e páginas da internet, também nesta zona existiria uma estação de muda de cavalos ou mutatio denominada de Ad Columbam, talvez um nome antecessor de (Casal) Comba e, para além da Via OlissipoCale, também duas ramificações, uma dirigindo-se para a costa e outra virada para nascente que seguiria partindo da actual localização da cidade da Mealhada para Bobadela via Norte do Buçaco provavelmente seguindo a linha de divisão dos actuais concelhos da Mealhada e Anadia.[7]

Época Pré-reconquista[editar | editar código-fonte]

Do período compreendido entre a queda de Roma as invasões bárbaras e acabando no domínio árabe, as terras pertencentes ao concelho pouco ou nada têm a relatar, apenas se discute a possibilidade da denominação da localidade de Barcouço ser de origem árabe pela junção de bárr-, que significa campo, e causon, relativo a arco, ficando assim o significado de Campo do Arco.[6]

Da Idade Média até ao séc XIX[editar | editar código-fonte]

Monumento aos 1000 anos da Vacariça.

Seguindo a linha temporal, com a conquista de Coimbra em 878 por Hermenegildo Guterres, nobre da corte de Afonso III de Leão, as terras em que se insere o concelho ficam seguras para a reocupação cristã, mas no fatídico anos de 987 regressa a mãos árabes sendo apenas reconquistadas para os cristão a 1064 por Fernando Magno de Leão e Castela. Assim, as tentativas de reocupação suspensas por 77 anos foram retomadas com a instalação de vários mosteiros na zona onde o futura concelho se iria inserir, sendo os mais importantes o Mosteiro do Lorvão (Penacova), que a par com a Sé de Coimbra foi um dos maiores motores da região na época, e o Mosteiro da Vacariça, que estendeu o seu património para além dos rios Mondego, a sul, e Douro, a norte, tendo sido proprietário do Mosteiro de Leça e de terras da Maia. Os registos dessa época chegaram até nós através do Livro Preto da Sé (Velha) de Coimbra, dos registos do Livro dos testamentos do Mosteiro do Lorvão. Assim é a partir desta época que grande parte dos nomes e localização de grande parte das terras do concelho começam a surgir, em cartas de doação e documentação relativa a tributos, assim como a grande importância que o já desaparecido Mosteiro da Vacariça teve nas terras a Sul do Douro e Norte do Mondego. Para dar alguns exemplos temos referências a Vale Covo em 967, provavelmente antiga designação de Rio Covo (Barcouço); Vimieira em 967, nome actual da antiga villa romana aí existente; Villa Verde em 972 e 974, pela descrição, provavelmente antepassada da Mealhada ou de alguma das povoações à volta pois a referência é dada às margens do rio Vacariça entre Barrô (Luso) e Vimieira (Casal Comba) assim não ficam descartadas a Póvoa e o Reconco que também se situam nesta zona sendo à altura a Mealhada um paul; a Vacariça e o seu Mosteiro são referenciados em 1002, Ventosa em 981; Arinhos (Ventosa do Bairro), Antes, Luso e Várzeas (Luso) e Santa Cristina (Vacariça) em 1064; Barcouço em 1116; Pampilhosa em 1117; Pedrulha (Casal Comba) em 1123; Sernadelo (Mealhada) em 1140 mas apenas como local de cultivo, não como povoação; muitas outras referências foram feitas.[8] Assim, e segundo estes documentos, as terras hoje pertencentes ao concelho foram propriedades destes mosteiros, da Sé de Coimbra e ainda de particulares.

Só a 12 de Setembro de 1514 Mealhada e Vacariça recebem foral por D. Manuel I,[9] mas as terras do actual concelho permaneceram sob jurisdição do Bispo de Coimbra, assim o actual território pertenceu aos concelhos medievais de Coimbra (Pampilhosa), Vacariça (Vacariça, Mealhada e Luso) e Casal Comba e Ventosa (Ventosa e Antes).[10]

Em 1628 estabelece-se no Buçaco uma comunidade de frades carmelitas, ali edificando o convento de Santa Cruz do Buçaco e inúmeras ermidas e capelas de penitência, que são hoje o património classificado do concelho. A Ordem dos Carmelitas Descalços ali permaneceu durante duzentos anos até à sua extinção em 1834.

Criação do Concelho e Organização Administrativa[editar | editar código-fonte]

No século XIX, com as grandes reformas liberais foi criado o actual concelho da Mealhada no reinado de D. Maria II.[8] Criado a 6 de Abril de 1836 era constituído pelas freguesias de Casal Comba, Ventosa, Tamengos e Aguim sendo que a Mealhada foi sede de concelho e pertencia à freguesia de um concelho vizinho, o da Vacariça, que, na altura da sua extinção em 1837 detinha as freguesias de Vacariça, Luso e Vila Nova de Monsarros que passou a pertencer ao concelho de Anadia. Ainda em 31 de Dezembro 1853 passaram para o concelho as freguesias de Pampilhosa, desagregada do concelho de Coimbra, e a de Barcouço, vinda do extinto concelho de Ançã (Cantanhede), saindo por sua vez Aguim e Tamengos para o concelho de Anadia. Com o formato com que ainda hoje permanece o concelho veria a sede de concelho a elevar-se a freguesia em 24 de Junho de 1944, desanexada da freguesia de Vacariça e ainda a freguesia de Ventosa a dividir-se e a criar a freguesia da Antes a 23 de Abril de 1964 ficando assim administrativamente como até hoje.

Ligado sempre a Coimbra, a atribuição entre os distritos de Aveiro e Coimbra foi conflituosa, sendo a Mealhada integrada no de Aveiro entre 1836 e 1842, ano em que mudou para Coimbra, mas a troca pelo concelho de Mira voltaria a pôr o concelho de volta no distrito de Aveiro em 1855, onde ainda permanece, configurando-lhe o aspecto de “península” embrenhada no distrito de Coimbra.

Luso foi elevada a Vila em 6 de Novembro de 1937.

Pampilhosa foi elevada a Vila em 9 de Junho de 1985.

Mealhada foi elevada a Cidade em 26 de Agosto de 2003.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho da Mealhada (1801 – 2011)
1801 1849 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011
2 326 7 102 9 915 13 869 17 478 19 305 18 272 20 751 20 496

Equipamentos e Infraestruturas[editar | editar código-fonte]

Em termos de equipamentos registe-se a existência de todos os serviços da administração pública, incluindo tribunal, estabelecimentos de ensino, centro de saúde e duas corporações de bombeiros.

Acessibilidades[editar | editar código-fonte]

Acessibilidades do Concelho.

Em termos de infraestruturas rodoviárias, o município é atravessado pela A1 com acesso pelo nó da Mealhada, pelo IC 2 que atravessa o concelho, pela EN 234 (entre Mira e Mangualde) e por uma rede viária municipal extensiva a todas as freguesias.

É igualmente atravessado pelas linhas ferroviárias do Norte (entre Lisboa e Porto), da Beira Alta (entre Pampilhosa e Vilar Formoso) e Ramal da Figueira da Foz (entre a Figueira da Foz e Pampilhosa), que se cruzam na estação da Pampilhosa, tornando-a num dos nós ferroviários mais importantes de Portugal.

Com a sua situação geográfica ímpar na Região Centro, a Mealhada dista por auto-estrada, 1 hora do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, a 2 horas do aeroporto da Portela, em Lisboa e está a menos de 1 hora dos portos de Aveiro e da Figueira da Foz, para os quais tem excelentes acessos.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Fotomontagem da paisagem a partir do miradouro da Cruz Alta (Buçaco) desde Souselas até Pampilhosa.

Com uma vertente turística muito forte assente nas Termas do Luso, Mata Nacional do Buçaco e na Gastronomia, o concelho possui diversas unidades hoteleiras pondo à disposição do turista mais de mil camas e cerca de meia centena de restaurantes especializados em leitão assado à Bairrada, estando grande parte deles, senão mesmo uma forte maioria, situados na parte norte, em Sernadelo e alguns na parte sul, em Ponte de Casal Comba e Ponte de Viadores.

Património[editar | editar código-fonte]

A Cidade[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

A cidade situa-se maioritariamente na freguesia de Mealhada e ainda se estende para Sul para a freguesia de Casal Comba e para Este para a freguesia de Vacariça. A cidade incorpora para além das partes centrais da Mealhada e Póvoa da Mealhada, as do Cardal, Sernadelo, São Romão, Reconco, Pedrinhas, Ponte de Casal de Comba, Ponte da Viadores e ainda Travasso.

Equipamentos e Infraestruturas[editar | editar código-fonte]

  • Cine-Teatro Messias
  • Piscinas Municipais
  • Pavilhão Gimnodesportivo
  • Escola Básica do 1º ciclo
  • Escola E. B. 2 e 3 da Mealhada
  • Escola Secundária da Mealhada
  • Arquivo Municipal
  • Bombeiros Voluntários da Mealhada
  • Igreja Católica
  • Igreja Protestante
  • Supermercado Intermarché
  • Supermercado Lidl
  • Estação do Caminho-de-Ferro da Linha do Norte

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. INE. Anuário Estatístico da Região Centro 2012. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2013. p. 32. ISBN 978-989-25-0217-5. ISSN 0872-5055. Visitado em 05/05/2014.
  2. Instituto Geográfico Português (2013). Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013 (XLS-ZIP) Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013 Direção-Geral do Território. Visitado em 28/11/2013.
  3. INE. Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Centro. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2012. p. 96. ISBN 978-989-25-0184-0. ISSN 0872-6493. Visitado em 27/07/2013.
  4. INE (2012). Quadros de apuramento por freguesia (XLSX-ZIP) Censos 2011 (resultados definitivos) Instituto Nacional de Estatística. Visitado em 27/07/2013. "Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO""
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  6. a b História da Freguesia de Barcouço Junta de Freguesia de Barcouço. Visitado em 26 de Fevereiro de 2010.
  7. Vias Romanas em Portugal Pedro Soutinho. Visitado em 26 de Fevereiro de 2010.
  8. a b Maria Marques e Alice Rodrigues, "Concelho da Mealhada - Terras de Verde e de Ouro", Reviver - Editora, A. P. (2002), Mealhada.
  9. História da Mealhada Câmara Municipal da Mealhada. Visitado em 26 de Fevereiro de 2010.
  10. História da Freguesia de Aguim Junta de Freguesia de Aguim. Visitado em 26 de Fevereiro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mealhada


Concelhos do Distrito de Aveiro Mapa do distrito de Aveiro
Águeda
Albergaria-a-Velha
Anadia
Arouca
Aveiro
Castelo de Paiva
Espinho
Estarreja
Ílhavo
Mealhada
Murtosa
Oliveira de Azeméis
Oliveira do Bairro
Ovar
Santa Maria da Feira
São João da Madeira
Sever do Vouga
Vagos
Vale de Cambra
Águeda
Albergaria-a-Velha
Anadia
Arouca
Aveiro
Castelo de Paiva
Espinho
Estarreja
Ílhavo
Mealhada
Murtosa
Oliveira de Azeméis
Oliveira do Bairro
Ovar
Santa Maria da Feira
São João da Madeira
Sever do Vouga
Vagos
Vale de Cambra