Planalto Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde março de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Planalto Brasileiro
Pico da Bandeira, o ponto mais alto do Planalto Brasileiro.

Pico da Bandeira, o ponto mais alto do Planalto Brasileiro.
Comprimento 3.500 km
Área 5.000.000 km²
Países  Brasil
Ponto mais alto Pico da Bandeira (2.891 m)
Mapa topográfico do Brasil

Mapa topográfico do Brasil


O Planalto Brasileiro é uma extensa região geográfica que cobre a maior parte das porções leste, sul e central do Brasil, totalizando quase metade da área terrestre do país, ou 4,5 milhões km². Além disso, uma considerável maioria da população do Brasil vive nas montanhas ou na estreita região costeira imediatamente adjacente a ele. Tem como limite norte o Planalto Cearense (Nordeste Setentrional), limite leste o Planalto da Borborema (entre PB e PE), limite sul o Planalto norte-gaúcho (sul da serra sulina) e limite oeste as terras altas centro-oestinas. No sul de Minas se localiza sua parte mais alta.

Antigos fluxos de lava basáltica deram origem a maior parte da região. No entanto, o longo tempo de atividade geofísica dramática é passado, sendo que agora não há atividade sísmica ou vulcânica no planalto. A erosão também tem desempenhado um papel importante na formação do planalto, formando extensos depósitos sedimentares e desgastes nas montanhas.

O Planalto Brasileiro é notável ​​devido a grande diversidade encontrada lá: na região há vários biomas, condições climáticas, geoquímica divergente (por exemplo, o tipo rochoso encontrado na divisa SC-RS e em Torres diverge bastante do encontrado na Serra da Borborema, que é mais parecido com o que se vê na serra capixaba por exemplo) e milhares de espécies animais e vegetais diferentes.

Topografia[editar | editar código-fonte]

Sua altitude é variável (entre 305 e 915 metros), o altiplano é bastante erodido e cortado por várias cadeias montanhosas e numerosos vales. Parte do terreno restante é composto por planícies denominadas cerrados e grandes áreas cobertas de florestas.

Os planaltos são delimitados por escarpas (rampas ou aclives que surgem nas bordas de planaltos e serras), onde o processo de desgaste ou degradação supera o de deposição de sedimentos. Podem apresentar várias feições, conjunto de morros, serras, colinas e chapadas.

Suas principais cordilheiras são a Serra da Mantiqueira, a Serra do Mar e a Serra Geral. A altitude média das serras gira em torno de 1.200 metros acima do nível do mar. Os principais picos são o Pico das Agulhas Negras (2.791 metros), na Serra da Mantiqueira, e o Pico Maior de Friburgo (2.232 metros), na Serra do Mar.

É subdividido em três partes: o Planalto Meridional, o Planalto Central e o Planalto Atlântico.

Tipos[editar | editar código-fonte]

  • Os que são constituídos por rochas muito antigas, arrasadas por muitas fases de erosão, com grande complexibilidade de rochas, predominando as metamórficas da era Proterozóica (essas rochas são alterações de rochas ígneas) são os chamados planaltos de plataforma. Há três áreas com essas características no Brasil; a plataforma das Guianas, a Sul-amazônica e a do São Francisco.
  • O segundo tipo de planaltos encontrados no Brasil corresponde aos de "cinturões orogênicos", muito antigos, de diversas idades do pré-cambriano, muito desgastados pelas várias fases erosivas ocorridas, ainda guardando um aspecto serrano. Devido aos vários dobramentos, aparecem, além das rochas metamórficas, muitas intrusões e até efusões vulcânicas.Esses cinturões são os do Atlântico, o de Brasília e o do Paraguai-Araguaia, e, nas exposições de intrusões, aparecem os núcleos arqueados, como o de Borborema e Sul-Riograndense.
  • O último tipo de planaltos que vamos encontrar no território brasileiro é o das três grandes bacias sedimentares: Amazônica, do Parnaíba ou Maranhão e a do Paraná. Os planaltos aí formados constituem-se de rochas sedimentares do Paleozóico e do Mesozóico, produzidas por depósitos marinhos e continentais.Os Planaltos você encontra em muitas região do Brasil Norte,Sul,Centro-Oeste,Nordeste e Sudoeste.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal do Brasil
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.