Demografia do Chile

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chile. Densidade de população por comuna, segundo o censo 2002

Abaixo há informações sobre as questões demográficas do Chile.

Indicadores[editar | editar código-fonte]

População com menos de 15 anos - 25,7% (2002)
População com mais de 60 anos - 11,4% (2002)
Maiores cidades

Etnias[editar | editar código-fonte]

A população chilena é principalmente de origem europeia mesclada com os nativos, 95% da população. Segundo uma pesquisa de opinião realizada em 2011 pela organização chilena Latinobarómetro, 59% dos chilenos se declararam brancos, 25% mestiços, 8% indígenas, 1% mulatos e 2% "outra raça".[3] [[4] [5] [6] Tem uma identidade nacional, popularmente conhecido como chilenidade.

Um outro estudo, realizado em 2002 pelo Centro de Estudios Públicos (CEP), perguntou aos chilenos se eles tinham "sangue indígena". 43,4% dos entrevistados disseram que tinham "algum sangue indígena", 8,3% disseram que tinham "muito", 40,3% disseram que não tinham "nada", enquanto que 7,8% disseram não saber e 0,2% não responderam. Essa pesquisa mostra que a maioria dos chilenos identificam uma origem indígena na sua família.[7]

Uma descrição pormenorizada da etnia mostra que 52,7% (8.8 milhões) - 90% (15 milhões) da população seriam descendentes de europeus.[8] [9] Outro estudo cultural e não genético concluiu que 30% da população seria classificada como caucasica descendentes dos europeus e 65% mestiços.[10]

Segundo o Censo 2002, apenas 3,2% da população chilena são ameríndios.[9]

Composição genética[editar | editar código-fonte]

Um estudo genético feito pela Universidade de Brasília (UnB), em 2008, revelou que a composição genética do Chile é 51,60% Européia, 42,10% Indígena e 6,30% Africana.[11] [12]

Um outro estudo genético confirma que o povo chileno é mestiço, mas é notável que as camadas sociais mais baixas apresentam maior grau de ancestralidade indígena, enquanto as camadas mais altas da sociedade têm mais ancestralidade europeia.[13] A raça no Chile está ligada à estratificação sócio-econômica, a mistura de mulheres espanholas e mestiças está na classe média, com o menor substrato é formada por mestiços, ameríndios.[14] [15] Em Santiago, capital do Chile, encontrou uma mistura de ancestralidade, sendo 57% europeia e 43% indígena.

Os habitantes de Concepción, outra cidade chilena, têm 65% de ancestralidade europeia e 36% indígena. Já os habitantes de Puerto Montt têm 53% de origem indígena e 47% europeia. [16] Na localidade de Laitec a ascendência é 80% ameríndia e 20% europeia, enquanto que em Poposo é 60% ameríndia e 40% europeia.[17] Os índios chilenos são predominantemente de ancestralidade indígena. Um estudo genético envolvendo índios aymará encontrou 96% de sangue indígena e 4% de europeu ou africano.[18] Os mapuches já são mais misturados, tendo 73% de sangue ameríndio e 27% de europeu ou africano.[19]

De acordo com um estudo genético de 2013, a composição genética do Chile é 52% europeia, 44% indígena e 4% africana. [20] Os pehuenches têm ancestralidade 95% indígena e 5% não-índio, enquanto os alacaluf são 89% índios e 11% europeu ou africano.[21]

De acordo com um estudo genético de 2014, a composição do Chile é 44.34% (± 3.9%) indígena, 51.85% (± 5.44%) europeia e 3.81% (± 0.45%) africana[22] [23]

Mais de 80% do DNA mitocondrial chileno é de origem indígena (o DNA mitocondrial é transmitido de mãe para mãe). Na linhagem paterna(DNA revelado pelo cromossomo y), a contribuição indígena chega a 30%.[24] Do ponto de vista autossômico, i.e, a soma dos antepassados de um dado indivíduo, o chileno médio tende a revelar um alto grau de contribuição européia com uma larga contribuição indígena, como exposto no parágrafo anterior.

Imigração europeus e árabes[editar | editar código-fonte]

Colonos italianos no sul do Chile.

O Chile recebeu um número reduzido de imigrantes, a população estrangeira nesse país alcançou seu máximo no ano de 1907, quando viviam no Chile 134.524 imigrantes.[25] Destes, somente 53,3% eram europeus, sendo que 42,7% eram provenientes de outros países da América Latina.[26] A população estrangeira no Chile nunca ultrapassou os 4,1% do total da população.

A imigração europeia ao Chile foi, muito pouco expressiva quando comparada a outros países como os Estados Unidos, o Brasil, a Argentina ou o Canadá, onde tiveram um peso muito maior.[27] [28] O número de imigrantes têm sido grande. [carece de fontes?]

O maior grupo étnico que compõe a população chilena veio da Espanha e do País Basco, ao sul da França. As estimativas de descendentes de bascos no Chile variam de 10% (1.600.000) até 27% (4.500.000).[29] [30] [31] [32]

Puerto Varas cidade no sul do Chile, colonizada por alemães.

1848 foi um ano de grande imigração de alemães e franceses, a imigração de alemães foi patrocinada pelo governo chileno para fins de colonização para as regiões meridionais do país.[carece de fontes?] O sul do Chile era praticamente desabitado, a influência desta imigração alemã foi muito forte, comparável à América Latina apenas com a imigração alemã do sul do Brasil. Há também um grande número de alemães que chegaram ao Chile, após a Primeira e Segunda Guerra Mundial, especialmente no sul (Punta Arenas, Puerto Varas, Frutillar, Puerto Montt, Temuco, etc.) A embaixada alemã no Chile estimada que entre 500,000 a 600,000 chilenos são de origem alemã. Os croatas, cujo número de descendentes é estimado em 380.000 pessoas, o equivalente a 2,4% da população.[33] [34] No entanto, outras fontes dizem que 4,6% da população do Chile podem ter alguma ascendência croata. Mais de 700.000 chilenos de origem britânica (Inglaterra, País de Gales e Escócia), o que corresponde a 4,5% da população.[35] A população mapuche vive principalmente em Santiago e Temuco, mas ligado em graus variados para suas comunidades de origem. Atualmente, os Mapuche sofrem racial e social nas suas relações com o resto da sociedade e de acordo com as estatísticas oficiais, discriminação suas taxas de pobreza são mais elevados do que a média nacional.

Estima-se que cerca de 5% da população chilena é descendente de imigrantes de origem asiática, principalmente do Oriente Médio (ou seja, palestinos, sírios, libaneses e armênios) e israelitas, são cerca de 800.000 pessoas.[36] . Chile abriga uma grande população de imigrantes, principalmente cristã, do Oriente Médio.[37] Acredita-se que cerca de 500.000 descedentes de palestinos residem no Chile.[38] [39]

Os descendentes de italianos estão entre 600.000 e 800.000 pessoas. Outros grupos de ascendência européia também são encontrados, mas em menor número. Esses imigrantes, juntamente com os seus descendentes transformaram culturalmente, economicamente e politicamente o país.

Emigração chileno[editar | editar código-fonte]

Na primeira metade do século XIX, milhares de chilenos viajou para a Argentina depois do "desastre de Rancagua" e nos Estados Unidos, devido à corrida do ouro na Califórnia. Durante o último terço do século XX, o principal processo de emigração foi desencadeada pela crise econômica de 1982 eo regime militar de Augusto Pinochet.

Países europeus receberam um grande número de pessoas e muitos deles também com o status de refugiados políticos. Na Suécia, havia mais de 25 000 refugiados políticos chilenos na década de 1980. O regime militar de Pinochet enviado como cônsul-geral em Estocolmo a um general militar da DINA para espionar. Na Austrália mais de 23 400 habitantes imigrantes chilenos.[40]

Idioma[editar | editar código-fonte]

Idioma oficial : espanhol, além de alemão, croata, inglês, francês e árabe falado pelas colônias residentes.

Religião[editar | editar código-fonte]

O país possui uma maioria católica de 62,8%,[41] seguido de protestantes 24,9% e sem filiação e ateísmo é de 5,8% e judeus 0,4% 75.000.[42] Outras 4,3%.

Referências

  1. http://www.pnud.org.br/arquivos/rdh-2013.pdf
  2. Chile: Ciudades, Pueblos, Aldeas y Caseríos 2005, Instituto Nacional de Estadísticas – Junho de 2005.
  3. [http://www.infoamerica.org/primera/lb_2011.pdf Informe 2011 Latinobarómetro - pag. 58
  4. http://revistas.ucm.es/ghi/02119803/articulos/AGUC0202110079A.PDF
  5. http://www.iidh.ed.cr/comunidades/diversidades/docs/div_docpublicaciones/Derecho%20Indigena/Cap.%202.%20Pensar%20a%20los%20indios,%20tarea%20de%20criollos.pdf massive immigration of European Argentina Uruguay Chile Brazil]
  6. Latinoamerica.
  7. Encuesta CEP, Julio 2002 (em spanish) (July 2002). Visitado em 2012-05-18.
  8. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Garcia
  9. a b Composición Étnica de las Tres Áreas Culturales del Continente Americano al Comienzo del Siglo XXI
  10. Biblioteca Digital de la Universidad de Chile, Estructura racial
  11. http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=3873
  12. SOCIAL IDENTITY Marta Fierro Social Psychologist.
  13. http://www.scielo.cl/scielo.php?pid=S0034-98872008000500014&script=sci_arttext
  14. http://www.medwave.cl/ciencia/11.act
  15. http://www.fhuce.edu.uy/antrop/cursos/abiol/links/Artics/sans.pdf
  16. http://www.fhuce.edu.uy/antrop/cursos/abiol/links/Artics/sans.pdf
  17. http://www.fhuce.edu.uy/antrop/cursos/abiol/links/Artics/sans.pdf
  18. http://www.fhuce.edu.uy/antrop/cursos/abiol/links/Artics/sans.pdf
  19. http://www.fhuce.edu.uy/antrop/cursos/abiol/links/Artics/sans.pdf
  20. http://www.lun.com/LunMobileIphone//Pages/NewsDetailMobile.aspx?dt=2013-11-23&BodyId=0&PaginaID=18&NewsID=246141&Name=I2&PagNum=0&Return=R&SupplementId=0&Anchor=20131123_18_0_I246141
  21. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas fhuce.edu.uy
  22. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25052264
  23. http://www.scielo.cl/pdf/rmc/v142n3/art01.pdf
  24. http://www.aforteanosla.com.ar/afla/imagenes%20uh/hoja26/genetica%20chilena.htm
  25. La emigración francesa en Chile, 1875-1914: entre integración social y mantenimiento de la especificidad
  26. [http://www.eclac.cl/publicaciones/xml/8/37498/lcl3086-P.pdf Conocer para legislar y hacer política: los desafíos de Chile ante un nuevo escenario migratorio
  27. Thomas E. Skidmore. Preto no Branco - Raça e Nacionalidade no Pensamento Brasileiro. [S.l.]: Companhia das Letras, 1989. 391– pp.
  28. Inmigrantes y la tierra que los acoge.
  29. Diariovasco.
  30. entrevista al Presidente de la Cámara vasca.
  31. Basques au Chili.
  32. Contacto Interlingüístico e intercultural en el mundo hispano.instituto valenciano de lenguas y culturas.Universitat de València Cita: " Un 20% de la población chilena tiene su origen en el País Vasco".
  33. Diaspora Croata..
  34. Splitski osnovnoškolci rođeni u Čileu.
  35. Historia de Chile, Británicos y Anglosajones en Chile durante el siglo XIX. Visitado em 2009-09-24.
  36. Arab Chileans.
  37. Arab.
  38. Chile: Palestinian refugees arrive to warm welcome.
  39. [1]
  40. http://www.gobiernodechile.cl/chilenos_exterior/especiales.asp?id_especial=2
  41. Religião.
  42. población judia mundial 2008.
Bandeira do Chile Chile
Bandeira • Brasão • Hino • Cinema • Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens