Rachel Sheherazade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rachel Sheherazade
Nascimento Rachel Sheherazade Barbosa
5 de setembro de 1973 (41 anos)
João Pessoa
 Paraíba
Ocupação Jornalista
Apresentadora de televisão
Cônjuge(s) Rodrigo Porto [1]
Nacionalidade  Brasileira
Trabalhos notáveis
  • Tambaú Notícias
    (apresentadora)
  • SBT Brasil
    (apresentadora)

Rachel Sheherazade (João Pessoa, 5 de setembro de 1973)[2] é uma jornalista brasileira que atualmente é âncora do telejornal SBT Brasil.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Formação e atuação[editar | editar código-fonte]

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), é servidora do Tribunal de Justiça da Paraíba como jornalista desde 1994 e posteriormente como repórter correspondente da TV Justiça no estado (atualmente licenciada).[4]

Começou na mídia trabalhando na TV Correio, afiliada paraibana da Rede Record. Alguns meses depois, foi convidada para a TV Cabo Branco, afiliada da Rede Globo no Estado. Já em 2003, tornou-se apresentadora do Tambaú Notícias, telejornal da TV Tambaú, afiliada do SBT.[5] [6]

Rachel é conhecida por diversas críticas a vários temas, inclusive os vídeos dos seus comentários têm ganhado o mundo, sendo dublados e legendados em diversos idiomas.[7] Em fevereiro de 2011, quando ainda trabalhava na TV Tambaú, criticou duramente o Carnaval na Paraíba. O vídeo foi postado no YouTube, fazendo com que a apresentadora ganhasse projeção nacional. Com isso, a apresentadora foi convidada por Silvio Santos a ir para a matriz do SBT, em São Paulo.

Desde então, divide a bancada do SBT Brasil, principal telejornal da emissora, com Joseval Peixoto, de segunda a sexta-feira.

Controvérsias e críticas[editar | editar código-fonte]

Em 30 de novembro de 2012, sobre a mensagem "Deus seja louvado" nas notas de real, a apresentadora afirmou que os defensores do laicismo são "ingratos" para com o Cristianismo, que, segundo ela, é o responsável por princípios como liberdade, honestidade, respeito e justiça. "É no mínimo uma ingratidão à doutrina que inspirou nossa cultura, nossos valores e até mesmo a nossa própria Constituição promulgada sob a proteção de Deus." Afirmou ainda que "o próximo alvo dos laicistas" será a Constituição, para dali tentar tirar a referência a Deus. "Mas aí não bastará uma simples ação civil, [porque] eles terão de emendar a Constituição."[8]

No dia 20 de março de 2013, causou polêmica na internet após defender a postura do pastor e deputado federal Marco Feliciano, conhecido por suas críticas polêmicas à homossexualidade e ao aborto, ao afirmar que ele tem o direito de manifestar opiniões e que foi eleito democraticamente.[9]

Em 26 de dezembro de 2013, no Facebook do filósofo Paulo Ghiraldelli Jr., professor de filosofia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, publicou a seguinte mensagem: "Meus votos para 2014: que Rachel Sherazedo seja estuprada." Logo em seguida, foi postada outra mensagem com o mesmo teor: "Votos para 2014: que a Rachel Sheherazade abrace bem forte, após ser estuprada, um tamanduá." Alertada por um amigo, Shehera­zade denunciou os ataques em seu Twitter: "Caso grave de incitação ao crime, promovido pelo Sr. Paulo Ghiraldelli ou quem se faz passar por ele. Compartilhem!" Em seguida, questionou diretamente o próprio filósofo: "Sr. Ghiraldelli, liberdade de expressão termina onde começam calúnia, difamação, ameaça, incitação ao crime! Vai aprender isso num tribunal!" No dia 30, a jornalista postou no Twitter: "Mis­são cumprida: esta manhã fui à delegacia competente representar penalmente contra meu agressor ou quem se faz passar por ele. Agora, é só aguardar as providências legais e a providência divina. Tenho a certeza de que cumpri meu papel de cidadã."[10] Ghiraldelli Jr. negou ser o autor dos votos de que Rachel Sheherazade seja estuprada em 2014, alegando que o seu Facebook teria sido invadido por hackers e apagou as mensagens de incitação à violência contra a jornalista. Ghiraldelli Jr. também negou ser o autor de outras postagens antigas ironizando Shehera­zade, encontradas em suas contas no Twitter e Facebook.[11]

Acusação de incitação à violência[editar | editar código-fonte]

Em 4 de fevereiro de 2014, Rachel comentou a ação de um grupo de pessoas que espancou um assaltante adolescente e o prendeu pelo pescoço a um poste com uma tranca de bicicleta, dizendo que aconteceu foi uma "legítima defesa coletiva" contra a violência urbana.[12] [13] [14] [15] No comentário, a jornalista classificou o caso como resultado da "desmoralização da polícia" e da "omissão do Estado", além de dizer era "compreensível" que o "cidadão de bem" reagisse dessa maneira. Ela chamou o adolescente agredido de "marginal" e pediu, em tom irônico, aos grupos em defesa de direitos humanos que estavam com "pena" do jovem que "adotassem o bandido".[16] Meses depois alguns dos elementos, classificados pela repórter como "cidadãos de bem", se revelaram membros de uma gangue criminosa. [17]

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e sua Comissão de Ética emitiram uma nota de repúdio à jornalista, dizendo que ela desrespeitou o código de ética da profissão ao incitar a violência e o crime e ao desrespeitar os direitos humanos.[18]

Por conta do comentário que a jornalista fez, a deputada federal Jandira Feghali, do PCdoB, entrou com uma representação contra Rachel e o SBT, visto que, segunda ela, ambos "incorreram no crime de apologia e incitamento ao crime, à tortura e ao linchamento, tipificado no art. 287 do Código Penal"[19] A denúncia feita pela deputada contra a jornalista foi levada ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que afirmou ver a situação com "muita preocupação" e o caso está sendo analisado pelo Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo.[16] No início de 2014, o PSOL também fez uma denúncia contra a jornalista e o SBT ao Ministério Público por apologia ao crime.[20]

Sobre as opiniões de Sheherazade, a jornalista Ana Paula Padrão afirmou que ela é "imatura", "bem-intencionada", mas "perigosa".[21] O também jornalista Ricardo Boechat, do Grupo Bandeirantes, a classificou como "fascista" e associou os comentários dela ao linchamento de uma mulher, morta após ser espancada por populares no município do Guarujá, em São Paulo, depois de ter sido confundida com o retrato falado de uma pessoa que supostamente estaria sequestrando crianças para atos de "magia negra". "Esse crime aí, minha gente, tem tanta responsabilidade, o autor do boato espalhado pela internet, no 'Guarujá Alerta', quanto pessoas que, mesmo em emissoras de televisão, estimulam a cultura da justiça com as próprias mãos", afirmou Boechat.[22]

Em sua defesa, Sheherazade disse: "Eu defendo a justiça, não o justiçamento. Jamais defenderia a justiça com as próprias mãos. Sou cristã." E afirmou ainda que "algumas pessoas distorceram" seus comentários por conta de "interesses escusos".[23]

No dia 14 de abril de 2014, Rachel voltou ao telejornal depois de 15 dias de recesso, porém o SBT decidiu barrar os comentários de seus âncoras durante o SBT Brasil, o principal telejornal da rede de televisão. Segundo a emissora "essa medida tem como objetivo preservar os apresentadores".[24] [25] Em maio de 2014, no entanto, o SBT afirmou que a jornalista poderá voltar a fazer comentários ao vivo na bancada do jornal a partir do segundo semestre, mas afirmou que o conteúdo destas opiniões deverá ser menos agressivo e discutido previamente com a direção do canal.[26]

Em 25 de setembro de 2014, o Ministério Público Federal iniciou uma ação civil contra o SBT pelo comentário feito por Sheherazade sobre os "justiceiros". Sheherazade terá que se retratar caso contrário o SBT terá que pagar multa de R$ 500.000,00 por dia de atraso. Além da retratação, o Ministério Público Federal quer que o SBT pague uma indenização de R$ 532.000,00 por dano moral coletivo.[27] Sheherazade chamou a ação do Ministério Público Federal de "descabida".[28]

No dia 30/10/14 alguns dos criminosos defendidos por Sheherazade foram presos, através da Operação Chafariz, iniciada 10 meses antes, quando uma gangue de jovens de classe média alta começou a sair às ruas e espancar infratores da lei. Eles próprios praticavam outros crimes, além dos linchamentos, como roubo e furto de automóveis, receptação, estupro e tentativa de homicídio, tráfico de drogas e associação para o tráfico. [17]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Trabalhos na Televisão
Ano Função Emissora
1993 Repórter TV Correio
1993 - 2003 Repórter TV Cabo Branco
2003-Licenciada Repórter TV Justiça
2003-2011 Apresentadora do Tambaú Notícias TV Tambaú
2011-Presente Apresentadora do SBT Brasil SBT

Assessoria de imprensa[editar | editar código-fonte]

Trabalhos
Ano Função Local
1994-Licenciada Jornalista TJ-PB - Vara da Infância e Juventude

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Rachel Sheherazade é casada com o corretor de imóveis Rodrigo Porto, e tem dois filhos de seu casamento, Clara e Gabriel.[29]

Referências

  1. Ricardo Setti (25 de abril de 2014). RACHEL SHEHERAZADE garante: "não fujo de briga" VEJA.com. Visitado em 03 de setembro de 2014.
  2. ClickPB - Força e delicadeza: os opostos se conjugam em Rachel Sheherazade
  3. Adm. do sítio web (2012). SBT Brasil – apresentadores Portal do SBT. Visitado em 23 de maio de 2014.
  4. Apresentadora do SBT Brasil, Rachel Sheherezade, ganha férias na Justiça da Paraíba durante o mês de novembro
  5. Portal dos Jornalistas. Paraibana, foi convidada em 2011 para apresentar o SBT Brasil, o principal jornal da emissora, ao lado de Joseval Peixoto Rachel Sheherazade. Visitado em 16 de Março de 2013.
  6. Netcina (23/02/2013). 'Entrevista a jornalista Rachel Sheherazade. Visitado em 15/03/2013.
  7. RD1 Notícias (14/02/2013). Opiniões de Rachel Sheherazade ganham legendas e dublagens IG. Visitado em 17 de Março de 2013.
  8. Paulopes (01/12/2012). Defensores do Estado laico são ‘intolerantes’, diz apresentadora. Visitado em 15/03/2013.
  9. Ricky Hiraoka (24/03/2013). Rachel Sheherazade e a polêmica com Marco Feliciano. Visitado em 28/03/2013. Veja São Paulo
  10. NaTelinha (27/12/2013). Rachel Sheherazade irá processar professor por desejar seu estupro. Visitado em 06/01/2014.
  11. José Maria e Silva (05/01/2014). Rachel Sheherazade: a mulher que aterroriza a esquerda Jornal Opção. Visitado em 09/01/2014.
  12. Discurso de Rachel Sheherazade prospera: crescem os linchamentos - Pragmatismo Político
  13. A subsombra desumana de Raquel Sheherazade - CartaCapital
  14. Psol representará contra o SBT por apoio a tortura e linchamento - Congresso em Foco
  15. SBT: Comentário polêmico de Rachel Sheherazade é de responsabilidade dela - O Globo
  16. a b Carta CapitalMinistério Público analisa denúncias contra Sheherazade (3 de abril de 2014). Visitado em 18 de junho de 2014.
  17. a b “Justiceiros” defendidos por Sheherazade são presos por tráfico de drogas (30/10/2014). Visitado em 31/10/2014.
  18. Nota de repúdio do Sindicato e da Comissão de Ética contra declarações da jornalista Rachel Sheherazade (5 de fevereiro de 2014). Visitado em 6 de fevereiro de 2014.
  19. Após "adote um bandido" Sheherazade e SBT são denunciados por apologia ao crime (12 de março de 2014). Visitado em 15 de março de 2014.
  20. UOL: PSOL denuncia SBT e Sheherazade ao Ministério Público por apologia ao crime (11 de fevereiro de 2014). Visitado em 18 de junho de 2014.
  21. UOL: A “liberalíssima” Ana Paula Padrão acha Rachel Sheherazade “um perigo” (1 de abril de 2014). Visitado em 18 de junho de 2014.
  22. UOLApós linchamento de mulher no Guarujá, Boechat manda indireta a Sheherazade (6 de maio de 2014). Visitado em 18 de junho de 2014.
  23. UOL: Rachel Sheherazade rebate críticas de Ricardo Boechat e Ana Paula Padrão (18 de maio de 2014). Visitado em 18 de junho de 2014.
  24. SBT corta opiniões pessoais de Rachel Sheherazade em jornal (14 de abril de 2014). Visitado em 15 de abril de 2014.
  25. Carta CapitalSob pressão, SBT barra comentários de Rachel Sheherazade (15 de abril de 2014). Visitado em 18 de junho de 2014.
  26. Yahoo! Notícias: Rachel Sheherazade voltará a opinar no SBT (21 de maio de 2014). Visitado em 18 de junho de 2014.
  27. MP inicia ação civil pública contra Rachel Sheherazade
  28. Rachel Sheherazade critica ação do Ministério Público contra o SBT: 'Descabida'
  29. Gui do Bebê - UOL. Título não preenchido, favor adicionar. Visitado em 22 de fevereiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rachel Sheherazade