Marco Antonio Villa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marco Antonio Villa
Marco Antonio Villa em outubro de 2012
Nascimento São José do Rio Preto, São Paulo
Ocupação historiador

Marco Antonio Villa é um historiador brasileiro,mestre em Sociologia pela Universidade de São Paulo (1989) e doutor em História Social pela USP (1993). É professor aposentado da Universidade Federal de São Carlos.[1]

Villa nasceu em São José do Rio Preto no interior de São Paulo, passou a adolescência no ABC e aos 17 anos mudou-se para a capital paulista. Inicialmente estudou Economia na PUC quando prestou vestibular para História na USP.[2]

Opiniões e críticas[editar | editar código-fonte]

Identificado com posições políticas anti-petistas e neoliberais, Marco Antonio Villa tem se notabilizado pelos posicionamentos polêmicos. Nos últimos anos, fez críticas diversas sobre o salários dos magistrados. Ao ver que o site do Superior Tribunal de Justiça (STJ) mostra que os membros do órgão recebem a chamada “remuneração paradigma”, Villa ficou indignado. “Gosto da expressão paradigma, que para um simples mortal seria chamado antigamente de salário”, reclamou. “O valor é baixo, R$ 25 mil. Todo aposentado ganha isso no Brasil e a gente sabe”, completou o historiador." “Aqui não é debate eleitoral”, diz apresentadora do ‘Jornal da Cultura’ para acabar com discussão de comentaristas. Portal Comunique-se (27/12/2011). Página visitada em 06/08/2013.</ref> , o assistencialismo[3] e mais recentemente contra o Movimento Passe Livre que considera, vândalo, fascista, ultra-esquerdista e ainda que tais manifestações não têm qualquer relação com as ocorridas nos anos 1960, 1970, das Diretas Já ou do impeachment do Collor.[4]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. CNPq, [ http://lattes.cnpq.br/4631349579867358 Marco Antonio Villa]
  2. [Antunes Viviani, Ana Elisa] (13/02/2008). "" (pdf). Secretaria Municipal de Cultura da cidade de São Paulo - Memórias (depoimento do historiador, professor e pesquisador, Marco Antonio Villa para o Projeto Memória Oral da instituição Biblioteca Mário de Andrade).
  3. Instituto Millenium (31/08/2012). O historiador Marco A. Villa critica o assistencialismo eleitoreiro: “Sob o controle dos vereadores o centro social transforma-se numa espécie de escritório eleitoral”. Instituto Millenium. Página visitada em 06/08/2013.
  4. Marco Antonio Villa (13/06/2013). Passe livre, fascismo e oportunismo político. Veja.com. Página visitada em 06/08/2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]