Sex (livro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de SEX)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Março de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Sex
O livro Sex em uma mesa.
Autor (es) Madonna
Idioma inglês
País  Estados Unidos
Assunto Sexo, sadomasoquismo, voyeurismo e sexualidade
Género S&M, fantasia erótica, fotografias eróticas
Espaço onde decorre a história Estados Unidos
Arte de capa Steven Meisel
Editora Warner Books, Maverick Books, Callaway Books
Formato Impresso (capa dura)
Lançamento 21 de outubro de 1992 (1992-10-21)
Páginas 128
ISBN 0-446-51732-1

Sex é um livro escrito por Madonna, com fotografias tiradas por Steven Meisel e quadros de filmes tirados por Fabien Baron. O livro foi editado por Glenn O'Brien e lançado em 21 de outubro de 1992 pela Warner Books, Maverick Books e Callaway Books. Abordando uma ideia de fotografias eróticas, Madona expandiu a ideia do livro e de seu conteúdo. As fotos do livro foram tiradas no início de 1992 em Nova York e Miami, em locais como hotéis, teatros burlescos e as ruas de Miami. As fotografias foram inicialmente roubadas, mas foram rapidamente recuperadas.

O livro possui uma série de influências — iconoclastas do punk rock de modas anteriores, como Guy Bourdin e seu surrealismo e Helmut Newton com seu olhar sadomasoquista estilizado. Não recomendado para menores de 18 anos, o livro Sex possui fotografias que apresentam conteúdo adulto e pornográfico, bem como simulações de atos sexuais, incluindo o sadomasoquismo e analingus. Madonna escreveu o livro como uma personagem criada por ela, a "Mistress Dita", inspirada pela atriz de filmes dos anos 30 Dita Parlo. O livro também inclui participações especiais da atriz Isabella Rossellini, dos rappers Big Daddy Kane e Vanilla Ice, da modelo Naomi Campbell, da estrela pornô gay Joey Stefano, do ator Udo Kier, da socialite Tatiana von Fürstenberg e da dona de boates Ingrid Casares.

A embalagem do livro é feita de alumínio, que foi uma ideia criada por Madonna, é encadernado em espiral e é fechado em uma folha de Mylar. Devido à natureza escandalosa das fotografias e do caos da mídia em torno da visualização inicial do livro, Madonna não promoveu Sex, exceto em uma festa de pré-lançamento e em alguns especiais de televisão. Seus editores foram extremamente apreensivos sobre o lançamento, bem como o seu potencial comercial. Foi lançado praticamente junto com seu quinto álbum de estúdio Erotica, que foi lançado um dia antes. Em alguns casos, o disco vinha acompanhado do livro. O livro também continha o CD promocional Erotic, uma versão editada da faixa "Erotica".

Extremamente controverso, o livro foi recebido negativamente por críticos e por fãs da cantora, que achavam que tinha ido longe demais. Apesar disso, foi um sucesso comercial, conseguindo vender mais de 150.000 cópias em seu dia de lançamento e liderou a lista dos livros mais vendidos, segundo o jornal The New York Times. Tornou-se um dos livros mais procurados após ser retirado das lojas. Ao longo dos anos, a recepção crítica em relação ao livro Sex tornou-se positiva, com acadêmicos julgando o livro, bem como este período especial da vida de Madonna, que foi julgado como "uma das fases mais marcantes da artista". O livro é conhecido por seu impacto na sociedade, na cultura e na própria Madonna, e é considerado um projeto corajoso, pós-feminista e uma obra de arte.


Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.