Confessions Tour

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Música.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde maio de 2010.

Confessions Tour
Pôster promocional da turnê.
Turnê mundial de Madonna
Álbum(ns) associado(s) Confessions on a Dance Floor
Receita USD 194.700.000 (USD 225.457.329 em 2014)
Data de início 21 de maio de 2006
Data de fim 21 de setembro de 2006
Partes 3
Número de
apresentações
34 na América do Norte
22 na Europa
4 na Ásia
60 Total
Cronologia de turnês de Madonna
Último
Último
Re-Invention Tour
(2004)
Sticky & Sweet Tour
(2008–09)
Próximo
Próximo

Confessions Tour foi a sétima turnê da artista musical estadunidense Madonna, feita em promoção para seu décimo álbum de estúdio Confessions on a Dance Floor. Madonna confirmou em novembro de 2005 a possibilidade de sair em uma turnê logo. Jamie King, colaborador de longa data de Madonna que havia dirigido o vídeo musical de "Sorry", foi contratado para dirigir a turnê. O repertório da turnê consistiu principalmente de músicas do álbum de apoio e os ensaios começaram em 2006. Tal como acontece com muitas de suas turnês anteriores, esta também não passou pela Austrália, o que levou Madonna a liberar uma declaração de desculpas em seu site. Também estava previsto para a turnê passar pelo Brasil, com dois shows marcados, mas devido à volta às aulas dos filhos da cantora, que aconteceu no mesmo mês, a turnê não passou pelo país.

Os shows eram divididos em quatro partes: Equestrian, Bedouin, Glam - Punk e Disco. A primeira tinha performances e cavalos temáticos; A segunda tinha apresentações acompanhadas de mensagens; A terceira apresentava Madonna tocando guitarras, e o segmento final consistia em dança. A turnê rendeu apreciação positiva da crítica contemporânea e teve enorme sucesso comercial. Os bilhetes totalmente vendidos assim que as datas e os locais para a turnê foram anunciados. O que levou os organizadores a adicionar mais datas da turnê. Após seu término, a turnê recebeu o título de turnê com maior arrecadação feita por uma artista feminina, arrecadando mais de USD 194.700.000 (USD 225.457.329 em 2013) a partir de 60 shows com 1,2 milhões de espectadores; Este recorde foi quebrado pela mesma com sua turnê sucessora, Sticky & Sweet Tour (2008-09). É também reconhecida como a turnê musical com maior bilheteria. O que lhe garantiu uma aparição da edição de 2007 do livro dos recordes Guinness World Records. A turnê recebeu o prêmio de "Most Criative Stage Production no Pollstar Concert Industry Awards, bem como "Top Boxscore" nos Billboard Touring Awards.

A apresentação de Madonna da canção "Live to Tell" a apresentou pendurada em uma cruz gigante espelhada usando uma coroa de espinhos, e foi recebido com reação negativa de grupos religiosos. A apresentação da canção feita no Estádio Olímpico de Roma foi condenado como um ato de hostilidade contra a Igreja Católica Romana por líderes religiosos. Madonna respondeu dizendo que sua principal intenção com a apresentação foi a de chamar a atenção para as milhões de crianças que morrem na África de fome e pobreza. A turnê foi gravada e transmitida em canais como a NBC nos Estados Unidos e o Channel 4 no Reino Unido. O vídeo oficial da turnê, intitulado The Confessions Tour, foi gravado na Wembley Arena em Londres, no Reino Unido, e estreou em 26 janeiro de 2007.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2005, durante uma entrevista com o jornal The Guardian, Madonna confirmou que ela sairia em turnê no ano de 2006 e que provavelmente seria nomeada de Confessions Tour ou Confess Your Sins Tour.[1] Jamie King foi contratado como o diretor da turnê. Durante uma entrevista com a MTV em fevereiro de 2006, Madonna explicou que ela queria se apresentar primeiro em locais pequenos como o Roseland Ballroom em Nova York ou o Teatro Wiltern em Los Angeles e, que em seguida, se apresentaria em estádios e arenas. Desta forma, ela deduziu que não se sentiria entediada durante as apresentações.[2] King esclareceu:

Um show típico de Madonna é muito produzido. [...] Ela gosta de coisas grandes, coisas teatrais, mas desta vez, sendo que Confessions on a Dance Floor é um álbum íntimo, estamos tentando fazer com que as pessoas tenham uma experiência íntima, bem como uma grande experiência teatral produzida. Então olhe para nós fazendo algo em lugares pequenos, lugares menores [...] Eu gostaria de colocá-la perto de seu povo — seus fãs, seus dançarinos, seus companheiros partidários — se possível".[2]

King também confirmou que o repertório da turnê consistiria principalmente em músicas do álbum de apoio e com alguns dos antigos sucessos de Madonna sendo misturados entre as canções. Alguns dos dançarinos dos vídeos musicais de "Hung Up" e "Sorry" também foram contratados para se apresentarem na turnê.[2] Em março de 2006, Madonna se mudou para Los Angeles para começar os preparativos para a turnê, junto com seu marido Guy Ritchie e seus dois filhos Lourdes e Rocco.[3] Em julho de 2006, o empresário de Madonna, Guy Oseary anunciou que a etapa australiana da turnê havia sido cancelada.[4] Em sua página oficial na internet, Madonna divulgou o seguinte comunicado:

Para os meus fãs na Austrália:

Por favor, me perdoem. Eu realmente fiquei esperançosa e esperar para vir para a Austrália durante a Confessions Tour e pedi aos meus gerentes para incluírem alguns shows lá. Tenho boas lembranças da turnê anterior. Infelizmente, a logística não deu certo desta vez. Pensamos em ir do Japão direto para a Austrália terminando a turnê lá, mas eu tenho que levar meus filhos de volta para a escola na Inglaterra e eles são, como vocês sabem, as coisas mais importantes para mim. Uma coisa importante para lembrar é que eu não irei me aposentar tão cedo e eu retornarei a Austrália assim que puder. Você permanecerá em meu coração e obrigado por continuar seu amor e apoio por mim. — Com amor, Madonna.[4]

Desenvolvimento e palco[editar | editar código-fonte]

Madonna apresentando "Like a Virgin" durante o segmento Equestrian.

O palco e seus adereços foram transportados em vinte e quatro caminhões semirreboque.[5] A instalação consistiu em um palco principal com três elevadores e uma plataforma giratória (que também subia e abaixada), uma pista central com luzes estroboscópicas de LED conectadas a um palco central com um telão LED visto na construção e um elevador.[5] As outras duas pistas foram levantadas para as arquibancadas e também podiam ser vistas nos telões dentro da construção. Dois telões projetores foram levantadas acima do público para que aqueles que não podiam obter uma visão clara do palco pudessem ver as apresentações. Haviam também três telões de LED que se moviam durante os shows, incluindo uma tela transparente semicircular que se abaixava para o palco durante os interlúdios.[6]

Entre os vários adereços da turnê, estiveram presentes uma bola de discoteca estimada em cerca de 2 milhões de dólares, embelezada com cristais Swarovski que custaram mais de 2 milhões de dólares. Com isto, a bola pesou cerca de duas toneladas.[5] A bola foi abaixada para o palco no final de uma das pistas durante o ato de abertura, que em seguida se abriu para revelar Madonna. A bola continha tubulação hidráulica para se manter aberta, dois conjuntos de escadas, e centenas de luzes de LED.[6] Outros adereços incluem o cavalo toca-discos-Pummel usado durante "Like a Virgin", um conjunto de barras de metal usados durante "Jump", uma gaiola de aço usada em "Isaac" e "Sorry", e um aparelho de som usado durante "Hung Up".[6] O cartaz promocional da turnê contou com uma foto de Madonna tirada por Steven Klein durante uma das apresentações de Madonna na boate G-A-Y como parte da turnê promocional do álbum Confessions on a Dance Floor, a Hung Up Promo Tour.[7]

Repertório[editar | editar código-fonte]

Segmento 1: Equestrian (contém excretos de "Future Lovers" e elementos de "Isaac")

  1. "Future Lovers" (contém elementos de "I Feel Love")
  2. "Get Together"
  3. "Like a Virgin" (contém elementos de "Isaac" e "Jump")
  4. "Jump"

Segmento 2: Bedouin

  1. "Confessions" (interlúdio) (contém elementos de "Live to Tell")
  2. "Live to Tell"
  3. "Forbidden Love"
  4. "Isaac"
  5. "Sorry" (Pet Shop Boys Remix)
  6. "Like It or Not"

Segmento 3: Glam - Punk (contém excertos de "Sorry")

  1. "I Love New York"
  2. "Ray of Light"
  3. "Let It Will Be" (Paper Faces Vocal Edit)
  4. "Drowned World/Substitute for Love" (contém elementos de "Nothing Fails" e da versão demonstrativa de "Drowned World/Substitute For Love")
  5. "Paradise (Not for Me)"

Segmento 4: Disco

  1. "The Duke Mix the Hits" (interlúdio) (contém excertos de "Erotica", "Dress You Up", "Borderline", "Holiday" e "Disco Inferno")
  2. "Music Inferno" (contém elementos de "Disco Inferno" e excertos de "Where's The Party" e "Music")
  3. "Erotica" (contém trechos de "You Thrill Me")
  4. "La Isla Bonita"
  5. "Lucky Star" (contém elementos de "Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight)" e excertos de "Hung Up")
  6. "Hung Up" (contém elementos de "Lucky Star")

Datas[editar | editar código-fonte]

Data Cidade País Local
América do Norte
21 de maio de 2006 Los Angeles  Estados Unidos The Forum
23 de maio de 2006
24 de maio de 2006
27 de maio de 2006 Las Vegas MGM Grand Garden Arena
28 de maio de 2006
30 de maio de 2006 San Jose HP Pavillion
31 de maio de 2006
3 de junho de 2006 Los Angeles Staples Center
5 de junho de 2006 Fresno Save Mart Center
6 de junho de 2006
8 de junho de 2006 Glendale Glendale Arena
10 de junho de 2006
14 de junho de 2006 Chicago United Center
15 de junho de 2006
18 de junho de 2006
19 de junho de 2006
21 de junho de 2006 Montreal  Canadá Bell Centre
22 de junho de 2006
25 de junho de 2006 Hartford  Estados Unidos Civic Centre
26 de junho de 2006
28 de junho de 2006 Nova York Madison Square Garden
29 de junho de 2006
2 de julho de 2006
3 de julho de 2006
6 de julho de [[2006 Boston TD Banknorth Garden
9 de julho de 2006
10 de julho de 2006
12 de julho de 2006 Filadélfia Wachovia Center
13 de julho de 2006
16 de julho de 2006 Atlantic City Boardwalk Hall
18 de julho de 2006 Nova York Madison Square Garden
19 de julho de 2006
22 de julho de 2006 Miami AmericanAirlines Arena
23 de julho de 2006
Europa
Data Cidade País Local
30 de julho de 2006 Cardiff  Reino Unido Millennium Stadium
1 de agosto de 2006 Londres  Reino Unido Wembley Arena
3 de agosto de 2006
6 de agosto de 2006 Roma  Itália Stadio Olimpico
9 de agosto de 2006 Londres  Reino Unido Wembley Arena
10 de agosto de 2006
12 de agosto de 2006
13 de agosto de 2006
15 de agosto de 2006
16 de agosto de 2006
20 de agosto de 2006 Düsseldorf  Alemanha LTU Arena
22 de agosto de 2006 Hanôver AWD-Arena
24 de agosto de 2006 Horsens  Dinamarca CASA Arena Horsens
27 de agosto de 2006 Paris  França Palais Omnisports de Paris-Bercy
28 de agosto de 2006
30 de agosto de 2006
31 de agosto de 2006
3 de setembro de 2006 Amsterdã  Países Baixos Amsterdam Arena
4 de setembro de 2006
6 de setembro de 2006 Praga  República Checa Sazka Arena
7 de setembro de 2006
12 de setembro de 2006 Moscou  Rússia Estádio Olímpico
Ásia
16 de setembro de 2006 Osaka  Japão Osaka Dome
17 de setembro de 2006
20 de setembro de 2006 Tóquio Tokyo Dome
21 de setembro de 2006

Vídeo oficial[editar | editar código-fonte]

Confessions Tour[editar | editar código-fonte]

  • Foi lançado nas versões DVD e CD + DVD.
  • Foi gravado no dia 16 de Agosto de 2006 e lançado no dia 29 de Janeiro de 2007.
  • É o único vídeo ao vivo da turnê Confessions Tour.

Equipe[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo todos os profissionais envolvidos na elaboração da Confessions Tour, de acordo com o livro oficial da turnê e do DVD The Confessions Tour:

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Confessions Tour

Referências

  1. Garfield, Simon (20 de novembro de 2005). Looks good on the dancefloor (em inglês) The Guardian. Guardian News and Media Limited. Página visitada em 15 de outubro de 2009.
  2. a b c Vineyard, Jennifer; Marino, Kelly (23 de fevereiro de 2006). Madonna To Hit Small Venues For 'Intimate' Confessions Tour (em inglês) MTV. MTV Networks. Página visitada em 15 de outubro de 2009.
  3. Newton, Victoria. (18 de fevereiro de 2006). "Madonna: I am still crazy about Guy – Bizarre": 12.
  4. a b Press, Associated (24 de julho de 2006). Madonna rules out Aussie leg The Age. Fairfax Media. Página visitada em 13 de julho de 2008.
  5. a b c Reporter, RS (1 de junho de 2006). A Confessions Tour index, from Swarovski crystals to Ace bandages [ligação inativa] (em inglês) Rolling Stone. Jann Wenner. Página visitada em 13 de julho de 2008. Cópia arquivada em 19 de junho de 2008.
  6. a b c Madonna. (26 de janeiro de 2006). The Confessions Tour (CD, DVD, CD+DVD) [show]. Londres, Reino Unido: Warner Bros. Records. (em inglês)
  7. Timmerman, Dirk. (2007). "Madonna Live! Secret Re-inventions and Confessions on Tour": 102.