Souss-Massa-Drâa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marrocos Souss-Massa-Drâa
سوس ماسة درعة
 
—  Região  —
Brasão de armas de Souss-Massa-Drâa
Brasão de armas
Localização de Souss-Massa-Draâ em Marrocos
Localização de Souss-Massa-Draâ em Marrocos
30° 30' N 8° O
Capital Agadir
Administração
 - Váli Mohamed Boussaid [1]
Área [2]
 - Região 70 880 km²
Altitude máxima    (Jbel Toubkal) 4 167 m (13 671 pés)
Altitude mínima 0 m (0 pés)
População (2004)[3] [4]
 - Região 3 113 653
    • Densidade 43,93/km2 
 - Estimativa (2010) 3 300 000
 - Urbana 40 8%
Fuso horário UTC (UTC)
 - Horário de verão EST (UTC+1)
Províncias e
prefeituras
Sítio www.souss.com

Souss-Massa-Drâa (em árabe: سوس ماسة درعة; em português: Suz-Massa-Drá) é uma região do sul de Marrocos, com 70 880 km² de área,[nt 1] o que representa cerca de 9,9% do território marroquino.[2] Em 2004 tinha 3 113 653 habitantes estimava-se que em 2010 esse número tivesse subido para 3 300 000.[4] [nt 2] [3] A sua capital é a cidade de Agadir. Grosso modo, a região administrativa atual corresponde à região histórica do Suz.

A região é limitada a oeste pelo Oceano Atlântico e a norte pelos maciços do Alto Atlas Ocidental e do Alto Atlas Oriental, paralelamente ao vale do uade (uede, rio) Suz. O limites a sul seguem mais ou menos o curso do rio Drá. O terceiro curso de água importante da região é o rio Massa, que percorre o Anti-Atlas e desagua a cerca de 80 km a sul de Agadir.

A região confina com as regiões marroquinas de Marrakech-Tensift-Al Haouz a noroeste e norte, Tadla-Azilal a norte, Meknès-Tafilalet a nordeste e Guelmim-Es Semara a sul. A sudeste faz fronteira com a Argélia.[2]

Províncias e prefeituras[editar | editar código-fonte]

A região está dividida administrativamente em 236 comunas (municípios), 24 urbanas e 212 rurais. Por sua vez, as comunas estão agrupadas em 7 províncias e 2 prefeituras:[2]

Província Tipo Capital População[5] [6] [7]
censo de 2004
Área (km²)
[carece de fontes?]
Agadir Ida-Outanane prefeitura Agadir 486 048 2 297
Chtouka-Aït Baha província Biougra 295 101 3 523
Inezgane-Aït Melloul prefeitura Inezgane 414 670 293
Ouarzazate província Ouarzazate 344 000 19 464
Sidi Ifni província Sidi Ifni 127 781 3 790,7
Tarudante província Tarudante 780 661 16 500
Tinghir província Tinghir 284 277 13 007
Tiznit província Tiznit 344 831 4 423
Zagora província Zagora 283 368 22 215
Mapa das províncias da região de Souss-Massa-Drâa antes da reforma administrativa de 2009, que criou as províncias de Sidi Ifni com a parte sul da de Tiznit e a de Tinghir com a parte oriental da província de Ouarzazate e parte da província vizinha de Errachidia, na região de Meknès-Tafilalet.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima na região é influenciado sobretudo por três fatores: o relevo (Alto Atlas a norte e Anti-Atlas a norte e no centro), a costa atlântica a oeste e o deserto do Saara, a sul e a sudeste. O clima varia entre húmido com características de clima mediterrânico nas zonas costeiras a norte até ao desértico predominante a sudeste, o qual já se encontra nos limites do Saaara. À medida que se desce do Alto Atlas para a planície de Suz, o clima varia de húmido a semiárido. O clima da planície do Suz, bem como a bacia do Suz e do Massa é semiárido, apesar da influência oceânica causada pela ampla abertura em direção ao Oceano Atlântico.[4]

A precipitação média anual é 250 mm, a temperatura média 19°C, a média máxima 27°C e a média mínima 11°C. São frequentes temperaturas máximas superiores a 40°C no verão e, nas regiões mais altas das montanhas, mínimas abaixo de 0°C no inverno. A média anual de horas de sol é de 3 000 horas.[4]

A região é propensa a grandes variações na precipitação anual, assistindo-se por vezes a grandes secas. Por exemplo, estima-se que a precipitação em 2000/2001 na planície de Suz foi de 125 mm, enquanto que em 2005/2006 foi de 2 495 mm. Para os mesmos períodos, a precipitação no vale do Drá foi, respetivamente 10,7 mm e 114,3 mm. Nos anos seguintes a 2005 assistiu-se a um recuo do deserto devido às intensas chuvas invernais.[8]

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população da região em 2004 era de 3 255 311 habitantes,[3] estimando-se que em 2010 fosse de cerca de 3 300 000, o que representa 10,42% da população de Marrocos. Em 2004, 59,2% da população era rural e 40,8% é urbana.[4] [nt 3]

População de Souss-Massa-Drâa (1994 – 2010)[4] [5] [¤]
1994 2004 2007 2010
2 635 522 3 113 653 3 255 311 3 300 000
   +18,1%  +4,5%  +1,4%
[¤] ^ Os dados de 2007 e 2010 são estimativas.
 
Distribuição etária da população
Faixa etária Percentagem
0-15 anos 32,9%
15-59 anos 58,8%
+60 anos 8,1%

Economia[editar | editar código-fonte]

Distribuição do PIB por setores económicos em 2007 [4]
Setor Percentagem
Agricultura e pecuária 44%
Serviços (exceto hotelaria) 29%
Hotelaria 10%
Construção e obras públicas 7%
Indústria transformadora 6%
Pesca 4%

O Produto Interno Bruto (PIB) da região em 2007 foi 76 085 milhões de dirhams (6 750 milhões de euros; 17 200 milhões de reais), representando 12,3% do PIB marroquino, sendo ultrapassada apenas pela região da Grande Casablanca com 18,3%.[4]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

O clima semidesértico da região tem impactos muito negativos sobre todas as culturas ao ar livre, como as cerealíferas, as quais têm rendimentos por hectare cerca de 40% inferiores aos da média nacional marroquina (dados do período 1995-2006). A produção de cereais ocorre principalmente nas bacias do Suz e do Massa; em 1995-2006, a contribuição para a produção nacional foi de 3,5%, ocupando 324 000 ha.[8]

A exploração de lençóis freáticos com recurso a infraestruturas hidráulicas de grande envergadura, sobretudo nas bacias do Suz e do Massa (há cerca de 190 000 ha de terras irrigadas), tem permitida o desenvolvimento da fruticultura (a região detém cerca de 13% dos terrenos de fruticultura de Marrocos), principalmente de citrinos, pelos quais a região é afamada. Em 2005-2006, cerca de 40% da área de produção de citrinos de Marrocos concentrava-se na região e no mesmo a prdoução de 591 000 toneladas representou 47% do total nacional, cerca de 50% destinados à exportação. A maior parte dos citrinos produzidos são das variedades Maroc-late (33,9%) e clementinas (31,3%).[8]

A liderança a nível nacional na exportação não se limita aos citrinos, estendendo-se à fruta em geral e tomates, contribuindo com, respetivamente, 53% e 83% das exportações marroquinas daqueles produtos. A região contribui com 50% (cerca de 50 000 toneladas) da produção nacional de bananas.[8]

A atividade agrícola concentra-se principalmente nas bacias do Suz, do Massa e do Drá, enquanto que nas planícies interiores da região se assiste à desertificação dos solos, com a seca a dificultar a manutenção duma agricultura rentável. Por outro lado, o aumento das áreas de forragem e a utilização intensiva da irrigação diminuem o potencial das águas subterrâneas e encarecem a sua extração, o que se repercute nos custos das produções agrícolas, nomeadamente de fruta.[8]

Pecuária[editar | editar código-fonte]

A pecuária é uma das principais atividades económicas do setor primário na região, principalmente no vale do Drá. Em 2006, existiam 2,7 milhões de cabeças de gado, 11,3% do total nacional — 277 mil bovinos, 1,2 milhões de ovinos e 1,2 milhões de caprinos, representando, respetivamente, 10,4%, 7,5% e 23,2% do total de Marrocos. O número de cabeças de gado sofreu uma baixa significativa entre 1990 e 2006, tendo descido a uma média anual de 1,5% no total de 0,6% para os bovinos, 1,5% para os ovinos e 1,6% para os caprinos.[8]

Apesar da tendência descendente do número de cabeças, a produção pecuária continua a ter um papel relevante tanto a nível regional como nacional e é uma alternativa importante às culturas agrícolas, nomeadamente em zonas onde esta não é possível, funcionando muitas vezes como uma atividade de subsistência e como a principal fonte de rendimento de populações rurais em zonas pouco cultiváveis. Por outro lado a intensificação da pastorícia e a multiplicação de zonas usadas para esse fim têm efeitos muito negativos no enfraquecimento da resistência dos solos aos efeitos devastadores da erosão e desertificação. O pastoreio excessivo tem contribuído para o recuo do argão, uma das principais árvores rentáveis da região, particularmente durante os períodos mais secos, durante os quais a cobertura vegetal não é suficiente para as necessidades do gado, o que aumenta o risco de degradação ambiental da região.[8]

Pesca[editar | editar código-fonte]

Os 360 km de costa são ricos em peixe e, com os seus dois grandes portos de Agadir e de Sidi Ifni, a região é está em quarto lugar no que toca ao volume de produtos pesca costeira e em terceiro lugar em termos de valor da produção. Em 2001 a produção pesqueira costeira foi de 78 200 toneladas (8% da produção nacional) e em 2007 subiu para 104 500 t (12,7% da produção nacional), o que corresponde a um crescimento anual médio de 5%. O porto de Agadir é principal ponto de desembarque, recebendo 82,2% da produção em volume da região (período de 2001 a 2007). O segundo porto, Sidi Ifni, recebeu no mesmo período 16,9% da produção regional.[9]

Apesar do aumento apreciável em termos de volume de pesca, isso não se traduziu num aumento de valor. Entre 2001 e 2007, o valor dos produtos de pesca desembarcados diminuiu 1,5% por ano, passando de 529,5 milhões de dirhams (c. 53 milhões de euros, c. 106 milhões de reais BR) para 483,8 milhões DH (c. 43 milhões €}}; c. 112 milhões R$), que representaram 13,2% do valor total nacional.[9]

Minas[editar | editar código-fonte]

A atividade mineira tem alguma importância económica na região, principalmente a relativa a minerais metálicos. Souss-Massa-Drâa lidera a extração de minério bruto de prata, com 166,7 t em 2006, e desde 2001 que 80,4% da produção marroquina daquele minério é proveniente da região.[carece de fontes?]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Segundo o portal do Governo de Marrocos, a superfície da região de Souss-Massa-Drâa é de 70 880 km²,[2] mas em algumas fontes aparentemente fiáveis esse valor aparece referido como sendo de 72 506 km²,[4] o que eventualmente se pode dever ao facto de estar ou não contabilizada a extensão da região ter aumentado com a criação da província de Tinghir em 2009, a qual inclui territórios que anteriormente faziam parte da região vizinha de Meknès-Tafilalet.
  2. As províncias de Sidi Ifni e de Tinghir foram criadas em 2009, cinco anos depois do censo de 2004, pelo que os números relativos à população das províncias de Ouarzazate e de Tiznit não correspondem à situação atual, pois foram desmembradas para criar as duas novas províncias.
  3. A monografia da região da CGEM[4] tem contradições nos dados demográficos, pois a soma dos números indicados para a população urbana e rural difere do valor apresentado para a população total. Por outro lado, essa fonte aponta um crescimento anual de 1,7%, o que resultaria num valor de cerca de 3 600 000 de habitantes tomando como base os números do censo de 2004, ao mesmo tempo que apresenta um valor de 3 300 000. Os valores da distribuição etária não somam 100%.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Maghreb Arabe Presse (1 de março de 2011). Activités Royales - S.M. le Roi nomme plusieurs walis et gouverneurs (em francês) www.lematin.ma Le Matin du Sahara et du Maghreb. Visitado em 13 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2011.
  2. a b c d e Les régions du Royaume (em francês) Portal Nacional de Marrocos (www.maroc.ma) Governo de Marrocos. Visitado em 13 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 22 de julho de 2011.
  3. a b c Recensement général de la population et de l'habitat 2004 (em francês) www.hcp.ma Royaume du Maroc - Haut-Comissariat au Plan. Visitado em 11 de dezembro de 2011.
  4. a b c d e f g h i j Union Regional de la CGEM Souss Massa Drâa (2010). Monographie de la Region du Souss Massa Drâa (PDF) (em francês) www.cgem.ma Confeédération Générale des Entreprises du Maroc (CGEM). Visitado em 13 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2011.
  5. a b Fonte usada para os dados populacionais da generalidade das províncias (ver nota): Heyden, Johan van der. The Kingdom of Morocco Administrative units (em inglês) www.GeoHive.com. Visitado em 11 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 10 de junho de 2011.
  6. Fonte usada para os dados populacionais da província de Tinghir, criada em 2009, a qual inclui parte do que era a província de Ouarzazate: Monographie de la province de Tinghir (PDF) (em francês) www.cri-agadir.ma 9 pp. Centre régional d'investissement de Souss-Massa-Drâa (2010). Visitado em 11 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2011.
  7. Fonte usada para os dados populacionais da província de Sidi Ifni, criada em 2009, cujo território fazia parte da província de Tiznit até 2009: Monographie de la province de Sidi Ifni (PDF) (em francês) www.cri-agadir.ma 9 pp. Centre régional d'investissement de Souss-Massa-Drâa (2010). Visitado em 11 de dezembro de 2011. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2011.
  8. a b c d e f g Haut-Comissariat au Plan (em francês) www.hcp.ma Royaume du Maroc. Visitado em 13 de dezembro de 2011.
  9. a b Office National des Pêches (em francês) www.onp.co.ma. Visitado em 13 de dezembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Souss-Massa-Drâa