Carlos Bezerra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carlos Bezerra
Carlos Bezerra
Deputado estadual Mato Grosso
Período 1975-1979
Deputado federal pelo Mato Grosso
Período 1979-1983
2007-[atualidade]]
Prefeito de‎‎ Rondonópolis
Período 1983-1986
Governador de Mato Grosso
Período 1987-1990
Antecessor Wilmar Peres de Faria
Sucessor Edison Oliveira
Prefeito de Rondonópolis
Período 1993-1994
Senador pelo Mato Grosso
Período 1995-2003
Dados pessoais
Nascimento 4 de novembro de 1941 (79 anos)
Chapada dos Guimarães, MT
Alma mater Universidade Federal de Mato Grosso
Cônjuge Vera Bezerra (divorciados)
Tetê Bezerra (atual)
Partido PTB (1957-1966)
MDB (1966-1979)
MDB (1980-presente)
Profissão advogado, professor, industrial

Carlos Gomes Bezerra (Chapada dos Guimarães, 4 de novembro de 1941) é um advogado, professor, industrial e político brasileiro que foi governador de Mato Grosso.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Aarão Gomes Bezerra e Celina Fialho Bezerra. Fez carreira política no movimento estudantil e em 1957 fundou a Associação Cuiabana de Estudantes Secundários tornando-se o primeiro presidente da mesma. Advogado formado pela Universidade Federal de Mato Grosso, filiou-se ao PTB antes do Regime Militar de 1964 e com a outorga do bipartidarismo optou pelo MDB elegendo-se deputado estadual em 1974 e deputado federal em 1978, ingressando no PMDB com a volta do pluripartidarismo em 1980.[2]

Eleito prefeito de Rondonópolis em 1982 renunciou em 1986 quando foi eleito governador de Mato Grosso. Deixou o Palácio Paiaguás em 1990 para disputar uma vaga de senador sendo derrotado por Júlio Campos. Eleito novamente prefeito de Rondonópolis em 1992 renunciou ao mandato e foi eleito senador em 1994 numa disputa férrea com Antero Paes de Barros pela segunda vaga[3][4] e para impedir que este fosse eleito em 1998 candidatou-se a um novo mandato de senador, embora tivesse com seu mandato original em vigência, e perdeu assim como foi derrotado em 2002[4] e após este fato preferiu candidatar-se a deputado federal sendo eleito em 2006, 2010 e 2014.[4]

Na 55.ª legislatura (2015-2019), votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[5] Posteriormente, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[5] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[5][6] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[5][7]

Referências

  1. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Carlos Bezerra». Consultado em 15 de outubro de 2013 
  2. «Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso». Consultado em 15 de outubro de 2013 
  3. A vaga destinada ao mais votado ficou com Jonas Pinheiro.
  4. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral: estado de Mato Grosso». Consultado em 15 de outubro de 2013 
  5. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  6. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  7. Deutsche Welle (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Carta Capital. Consultado em 18 de setembro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.