Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eduardo Jorge
Eduardo Jorge em 2018.
Deputado federal por São Paulo
Período 1º de fevereiro de 1987
até 31 de janeiro de 2005
Deputado estadual por São Paulo
Período 1º de fevereiro de 1983
até 1º de fevereiro de 1987
Dados pessoais
Nascimento 26 de outubro de 1949 (69 anos)
Salvador, Bahia
Nacionalidade brasileiro
Partido PT (1980-2005)
PV (2005-presente)
Ocupação Médico
Residência São Paulo

Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho (Salvador, 26 de outubro de 1949) é um médico sanitarista e político brasileiro, filiado ao Partido Verde desde 2005.[1]

Biografia e carreira política[editar | editar código-fonte]

Estudou Medicina na Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa, entre 1968 e 1973. Especializou-se em Medicina Preventiva, na Universidade de São Paulo (USP), entre 1974 e 1975, e em Saúde Pública, também na USP, em 1976.[1]

Militou no movimento estudantil[2] e no PCBR, em João Pessoa, a partir de 1968. Preso e processado por duas vezes - em João Pessoa, entre 1969 e 1970, e em São Paulo, entre 1973 e 1974), com base na Lei de Segurança Nacional.[1] Atuou em movimentos populares na periferia de São Paulo, a partir de 1974, e organizou os primeiros conselhos populares de saúde, em 1978.[3] Trabalhou como médico sanitarista da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.[1]

Foi deputado estadual e federal pelo Partido dos Trabalhadores em várias legislaturas, de 1983 a 2003. Em 1991, propôs a remoção das marcas comerciais de medicamentos - um pontapé inicial para os futuros medicamentos genéricos. Porém, divergências com o partido que ajudou a fundar levaram-no a filiar-se ao Partido Verde, em 2004.

É co-autor da legislação constitucional sobre Seguridade Social (Saúde, Previdência e Assistência Social) e autor ou co-autor de leis brasileiras que regulamentam os medicamentos genéricos, o planejamento familiar e a esterilização voluntária; das leis de vinculação de recursos orçamentários para o SUS e de restrição ao uso do amianto, bem como da lei orgânica da assistência social.[4]

Por duas vezes foi secretário municipal de Saúde de São Paulo: no governo de Luiza Erundina, entre 1989 e 1990, e no início da gestão de Marta Suplicy, de 2001 a 2002, e secretário do Meio Ambiente nas gestões de José Serra e Gilberto Kassab.[carece de fontes?]

Eleições 2014[editar | editar código-fonte]

Foi candidato a presidente da República na eleição presidencial em 2014. Acabou virando meme durante sua campanha presidencial, por dizer várias frases engraçadas nos debates,[5][6][7] como "Eu não tenho nada a ver com isso". Ficou em 6º lugar, com 0,61% dos votos (630.099).[8]

Como prometeu desde o início de sua candidatura, ele e o Partido Verde não ficaram neutros no segundo turno da eleição de 2014; e apoiaram o candidato do PSDB (Aécio Neves), depois de uma nota no seu site oficial, explicando a decisão.[9]

Eleições 2018[editar | editar código-fonte]

Em 2 de agosto de 2018, o PV confirmou o nome de Eduardo Jorge como candidato a vice-presidente nas eleições 2018 na chapa de Marina Silva.[10][11] Após a derrota de sua chapa, e com o advento do segundo turno das eleições - marcado pela disputa entre o Partido dos Trabalhadores e o Partido Social Liberal - Eduardo Jorge divergiu da posição de Marina Silva após a mesma declarar apoio ao Partido dos Trabalhadores, optando por declarar sua neutralidade.[12]

Referências

  1. a b c d «BIOGRAFIA – EDUARDO JORGE». Partido Verde - 43. 23 de abril de 2014. Consultado em 16 de maio de 2016. 
  2. «"eleições 2014 > Eduardo Jorge > biografia"». Folha. Consultado em 26 de maio de 2016.. Cópia arquivada em 1 de setembro de 2014 
  3. «O candidato a presidente pelo PV». Diário do Sudoeste / FolhaPress. Consultado em 26 de maio de 2016.. Cópia arquivada em 26 de maio de 2016 
  4. http://web.archive.org/web/20070701045851/http://www.prefeitura.sp.gov.br/portal/governo/equipe_de_governo/index.php?p=11976
  5. Samuel Celestino. «Após debate, Eduardo Jorge vira meme e é comparado com Plínio de Arruda». Bahia Notícias. Consultado em 26 de maio de 2016.. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2014 
  6. Sérgio Spagnuolo. «Eduardo Jorge, o candidato mais "descolado" das eleições». Yahoo! Notícias. Consultado em 26 de maio de 2016.. Cópia arquivada em 20 de outubro de 2014 
  7. Elisa Soares e Renata Batisat. «Embate entre Eduardo Jorge e Levy Fidelix provoca risos em debate». Valor Econômico. Consultado em 26 de maio de 2016.. Cópia arquivada em 3 de outubro de 2014 
  8. «Apuração de votos para Presidente > 1o Turno». G1 Eleições 2014. Consultado em 26 de maio de 2016.. Cópia arquivada em 6 de outubro de 2014 
  9. https://web.archive.org/web/20170405044204/http://www.eduardojorgepv.com.br/o-pv-e-um-partido-ambientalista-e-independente/
  10. «InfoMoney | Notícias, Ações e muito mais sobre investimentos». www.infomoney.com.br. Consultado em 3 de agosto de 2018. 
  11. «Rede e PV acertam indicação de Eduardo Jorge como candidato a vice na chapa de Marina Silva». G1 
  12. «Eduardo Jorge diverge de Marina e anuncia voto nulo no 2º turno». Consultado em 24 de outubro de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Eduardo Jorge