Eleições estaduais em Goiás em 1958

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1954 Brasil 1960
Eleições estaduais em  Goiás em 1958
3 de outubro de 1958
(Turno único)
José Feliciano Ferreira, governador de Goiás..tif Lester Hunt.jpg
Candidato José Feliciano Ferreira Cunha Bastos
Partido PSD UDN
Natural de Jataí, GO Rio Verde, GO
Vice João de Abreu João Luís de Oliveira
Votos 151.565 114.994
Porcentagem 56,86% 43,14%


Brasão de Goiás.svg
Governador de Goiás

As eleições estaduais em Goiás em 1958 ocorreram em 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal, em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Foram eleitos nesse dia o governador José Feliciano Ferreira, o vice-governador João de Abreu, o senador Taciano Gomes de Melo, além de oito deputados federais e trinta e dois deputados estaduais.[1][nota 1][nota 2]

Nascido em Jataí e diplomado advogado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, o governador José Feliciano Ferreira iniciou sua carreira política no PSD a partir de sua eleição como vereador em sua cidade natal em 1947.[2] Participou da Associação Goiana de Imprensa e da Associação de Radialistas de Goiás. Eleito deputado estadual em 1950, foi líder de sua bancada e presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, mas ao invés de buscar a sua reeleição preferiu assumir o cargo de secretário de Educação no governo Jonas Duarte, mantendo-o no governo José Ludovico de Almeida, a quem sucedeu no Palácio das Esmeraldas.

O vice-governador João de Abreu nasceu em Taguatinga e estudou na cidade de Goiás antes de obter graduação como odontólogo na Universidade Federal do Rio de Janeiro e advogado pela Universidade Federal de Goiás.[3] Secretário da Junta Comercial de Goiás e diretor do Departamento de Economia do referido estado, foi professor universitário, chefe de polícia, presidente do Conselho Penitenciário estadual e procurador da Fazenda Pública.[3] Durante a Primeira República Brasileira foi duas vezes vereador e uma vez prefeito de Arraias e em 1934 foi eleito deputado estadual e exercia a presidência da Assembleia Legislativa de Goiás quando Getúlio Vargas decretou o Estado Novo. Com o fim da ditadura ingressou no PSD e depois no PSP sendo eleito deputado federal em 1945, 1950 e 1954.[nota 3]

Integrante de uma família de políticos radicada em Alagoas, o médico Taciano Melo nasceu em Capela no referido estado e se formou na Universidade Federal da Bahia. Eleito deputado estadual em 1934, ocupou interinamente o governo na ausência de Pedro Ludovico Teixeira. Correligionário do mesmo, foi prefeito de Pires do Rio durante o Estado Novo.[4] Eleito deputado estadual pelo PSD em 1947, chegou a ocupar a presidência estadual do partido e da Assembleia Legislativa de Goiás. Mais tarde foi eleito prefeito de Pires do Rio em 1950 e deputado federal em 1954, conquistando um mandato de senador no pleito seguinte.[5] Porém um acordo político o fez renunciar ao seu posto em 1961 em troca de uma vaga no Tribunal de Contas do Distrito Federal e assim foi convocada uma eleição extraordinária e nela o vitorioso foi Juscelino Kubitschek, que no mesmo ano deixara a presidência da República.[6]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Em relação à disputa pelo governo estadual os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 291.409 eleitores, dos quais 266.559 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 16.501 votos em branco (5,66%) 8.349 votos nulos (2,87%).[1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
José Feliciano Ferreira
PSD
João de Abreu
PSP
-
PSD, PSP
151.565
56,86%
Cunha Bastos
UDN
João Luís de Oliveira
PSB
-
UDN, PSB
114.994
43,14%
  Eleito

Resultado da eleição para vice-governador[editar | editar código-fonte]

Em relação à disputa para vice-governador os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 291.409 eleitores, dos quais 242.712 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 40.574 votos em branco (13,92%) 8.123 votos nulos (2,79%).[1]

Candidatos a vice-governador
Candidatos a governador do estado Número Coligação Votação Percentual
João de Abreu
PSP
José Feliciano Ferreira
PSD
-
PSD, PSP
151.565
59,84%
João Luís de Oliveira
PSB
Cunha Bastos
UDN
-
UDN, PSB
114.994
40,16%
  Eleito

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Em relação à disputa para senador os arquivos do Tribunal Superior Eleitoral informam o comparecimento de 291.409 eleitores, dos quais 242.844 foram votos nominais ou votos válidos. Foram apurados também 41.009 votos em branco (14,07%) 7.556 votos nulos (2,59%).[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Taciano Melo
PSD
Sócrates Diniz
PSD
-
PSD, PSP
129.818
53,46%
Abelardo Bueno
PTB
Arquimedes Pereira Lima
PTB
-
PTB (sem coligação)
113.026
46,54%
  Eleito

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[7][8]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Mauro Borges[nota 4] PSD 34.014 Rio Verde  Goiás
Anísio Rocha PSD 29.083 Palmeiras Bahia Bahia
Emival Caiado UDN 24.141 Goiás  Goiás
Alfredo Nasser[nota 5] PSP 20.011 Caiapônia  Goiás
Wagner Estelita PSD 18.947 Catalão  Goiás
Benedito Vaz PSD 17.751 Ipameri  Goiás
Castro Costa PSD 14.932 Trindade  Goiás
Rezende Monteiro[nota 4] PTB 14.400 Caiapônia  Goiás

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo as 32 cadeiras da Assembleia Legislativa de Goiás.[1]

Notas

  1. No Distrito Federal não houve eleição para governador, apenas para o Senado Federal.
  2. Não houve eleições no Território Federal de Fernando de Noronha.
  3. A cidade de Taguatinga mencionada no texto acima pertence hoje ao estado de Tocantins, à época o seu território estava compreendido no estado de Goiás.
  4. a b Mauro Borges foi eleito governador de Goiás em 1960 tendo Rezende Monteiro como vice-governador. Diante de tal realidade foram efetivados Armando Storni e Geraldo Rodrigues.
  5. Foi ministro da Justiça no gabinete parlamentarista de Tancredo Neves sob o governo do presidente João Goulart e por isso foi convocado Vilmar Guimarães.

Referências

  1. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 16 de julho de 2016 
  2. «Assembleia Legislativa de Goiás: deputado José Feliciano Ferreira». Consultado em 16 de julho de 2016 
  3. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado João de Abreu». Consultado em 16 de julho de 2016 
  4. «Assembleia Legislativa de Goiás: deputado Taciano Melo». Consultado em 16 de julho de 2016 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Taciano Melo». Consultado em 16 de julho de 2016 
  6. Consolidado o esquema de Goiás para levar Juscelino ao Senado (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (GB), 03/01/1961. Primeiro caderno, p. 04. Página visitada em 16 de julho de 2016.
  7. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 16 de julho de 2016. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  8. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 16 de julho de 2016