Eleições estaduais na Paraíba em 1958

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1955 Brasil 1960
Eleição parlamentar na  Paraíba em 1958
3 de outubro de 1958
Senador eleito
Ruy Carneiro (17069912944).jpg Ministro dos Transportes José Américo.jpg
Líder Rui Carneiro José Américo de Almeida
Partido PSD PL
Natural de Pombal, PB Areia, PB
Votos 134.179 109.161
Porcentagem 55,14% 44,86%


Coat of arms of Brazil.svg
Senador da Paraíba

Titular(es)
Rui Carneiro
PSD

Eleito(s)
Rui Carneiro
PSD

As eleições estaduais na Paraíba em 1958 ocorreram em 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal, em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Foram eleitos o senador Rui Carneiro, além de 11 deputados federais e 40 deputados estaduais.[1][nota 1]

Nascido em Pombal, o advogado Rui Carneiro formou-se na Universidade Federal de Pernambuco, mas antes disso trabalhou como jornalista no jornal paraibano Correio da Manhã, o qual pertencia a membros de sua família e onde foi diretor. Vitoriosa a Revolução de 1930, foi oficial de gabinete do Ministério de Viação e Obras Públicas sob a gestão de José Américo de Almeida. Eleito suplente de deputado federal em 1934, foi efetivado no ano seguinte mediante a renúncia de Isidoro Gomes. Com o mandato extinto pelo Estado Novo, Rui Carneiro retornou ao cargo que ocupara no Ministério de Viação e Obras Públicas a convite de João Marques dos Reis. Assessor deste presidência do Banco do Brasil, tornou-se funcionário da referida instituição. Nomeado interventor federal na Paraíba em 1940, manteve o cargo até a queda de Getúlio Vargas em 1945.[2] Eleito deputado estadual pelo PSD em 1947, renunciou para ocupar a superintendência da Organização Henrique Lage e depois assumiu uma diretoria no Banco Lar Brasileiro. O seu retorno ao mundo político aconteceu ao ser eleito senador em 1950 e foi reconduzido ao mandato em 1958 derrotando José Américo de Almeida, outrora seu correligionário.[3][4]

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Foram apurados 243.340 votos nominais e houve ainda 11.888 votos em branco (4,53%) e 7.000 votos nulos (2,67%), resultando no comparecimento de 262.228 eleitores.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Rui Carneiro
PSD
Ver abaixo
-
-
PSD (sem coligação)
134.179
55,14%
José Américo de Almeida
PL
Ver abaixo
-
-
Coligação Nacionalista Libertadora (PL, UDN)
109.161
44,86%
  Eleito

Resultado da eleição para suplente de senador[editar | editar código-fonte]

Foram apurados 202.814 votos nominais e houve ainda 52.764 votos em branco (20,12%) e 6.650 votos nulos (2,54%), resultando no comparecimento de 262.228 eleitores.[1]

Primeiro suplente de senador
Candidatos a senador da República Número Coligação Votação Percentual
Salviano Leite Rolim
PSD
Ver acima
-
-
PSD (sem coligação)
114.299
56,36%
Veloso Borges[nota 2]
PL
Ver acima
-
-
Coligação Nacionalista Libertadora (PL, UDN)
88.515
43,64%
  Eleito

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[5][6]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Janduhy Carneiro PSD 23.915 Pombal  Paraíba
João Agripino[nota 3] UDN 18.280 Brejo do Cruz  Paraíba
José Joffily PSD 18.256 Campina Grande  Paraíba
Raul de Góes PSP 17.108 Natal  Rio Grande do Norte
Drault Ernani PSD 14.958 São José dos Cordeiros  Paraíba
João Úrsulo UDN 13.450 Santa Rita  Paraíba
Humberto Lucena PSD 12.462 João Pessoa  Paraíba
Jacob Frantz PSP 11.879 Rio Pardo  Rio Grande do Sul
Abelardo Jurema PSD 10.779 Itabaiana  Paraíba
Luís Bronzeado UDN 10.289 Remígio  Paraíba
Ernani Sátiro UDN 10.016 Patos  Paraíba

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

As 40 cadeiras da Assembleia Legislativa da Paraíba foram assim distribuídas: PSD dezoito, Coligação Nacionalista Libertadora (PL/UDN) onze, PSP sete, PSB três e PR uma.[1]

Notas

  1. No Distrito Federal não houve eleição para governador, apenas para o Senado Federal, não havendo eleições no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Irmão do também político Veloso Borges.
  3. Licenciou-se do mandato para assumir o cargo de ministro de Minas e Energia no governo Jânio Quadros e mesmo antes de seu afastamento os suplentes Plínio Lemos e Ivan Bichara eram convocados com frequência.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 13 de julho de 2017 
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Rui Carneiro». Consultado em 13 de julho de 2017 
  3. «Senado Federal do Brasil: senador Rui Carneiro». Consultado em 13 de julho de 2017 
  4. Um emedebista amigo de Geisel (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 21/07/1977. Primeiro caderno, pág. 13. Página visitada em 13 de julho de 2017.
  5. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 13 de julho de 2017 
  6. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 13 de julho de 2017