Eleições estaduais na Paraíba em 2014

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 2010 Brasil 2018
Eleições estaduais na  Paraíba em 2014
5 de outubro de 2014
(Primeiro turno)
26 de outubro de 2014
(Segundo turno)
Ricardo Coutinho 2011.jpg Cassiocunhalima2006.jpg
Candidato Ricardo Coutinho Cássio Cunha Lima
Partido PSB PSDB
Natural de João Pessoa, PB Campina Grande, PB
Vice Lígia Feliciano Ruy Carneiro
Votos 1.125.956 1.014.393
Porcentagem 52,61% 47,39%


Brasão da Paraíba.svg
Governador da Paraíba

As eleições estaduais na Paraíba em 2014 ocorreram em 5 de outubro como parte das eleições gerais em 26 estados e no Distrito Federal. Foram eleitos o governador Ricardo Coutinho, a vice-governadora Lígia Feliciano e o senador José Maranhão, além de 12 deputados federais e 36 estaduais. Como nenhum candidato a governador assegurou metade mais um dos votos válidos, houve um segundo turno em 26 de outubro entre Ricardo Coutinho e Cássio Cunha Lima com a vitória do primeiro. Segundo a Constituição o governador teria um mandato de quatro anos após ser reconduzido ao Palácio da Redenção ante a vitória obtida há quatro anos.[1][2][3][4]

Efeito colateral da vitória na convenção que permitiu a reeleição de José Maranhão ao governo estadual em 1998,[5] a divisão do PMDB foi sacramentada no fim de 2001 quando Ronaldo Cunha Lima seguiu em direção ao PSDB levando consigo nomes fiéis à sua liderança[6] e nesse ínterim a oposição ao PMDB foi reforçada por ex-membros da legenda. O primeiro embate entre os situacionistas e a nova oposição teve lugar em 2002 quando Cássio Cunha Lima venceu Roberto Paulino sendo que em 2006 o filho de Ronaldo Cunha Lima derrotou o próprio José Maranhão, muito embora este último tenha chegado ao Palácio da Redenção em 2009 por decisão do Tribunal Superior Eleitoral cujo veredicto cassou a chapa rival.[7][8][9][nota 1]

Apeado do poder e sem nomes viáveis em suas próprias fileiras, o PSDB apoiou Ricardo Coutinho. Nascido em João Pessoa e farmacêutico diplomado pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Farmácia Hospitalar na Universidade Federal do Rio de Janeiro, o referido nome é funcionário público lotado no Hospital Universitário Lauro Wanderley. Militante do Sindicato dos Farmacêuticos, do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado da Paraíba e do Sindicato dos Funcionários da Universidade Federal da Paraíba, é membro da Central Única dos Trabalhadores e foi eleito vereador na capital paraibana via PT em 1992 e 1996 e deputado estadual em 1998 e 2002. Mediante divergências com sua legenda ingressou no PSB e foi eleito prefeito de João Pessoa em 2004 e 2008, renunciando em favor de Luciano Agra antes de ser eleito governador da Paraíba em 2010 ao derrotar José Maranhão e reeleito em 2014 num embate contra seu ex-aliado, Cássio Cunha Lima.[10]

Segunda mulher a ocupar o cargo de vice-governadora, a médica Lígia Feliciano nasceu em Campina Grande e tem graduação pela Universidade Federal da Paraíba. Especialista em cardiologia e pneumologia no Instituto do Coração em São Paulo. De volta à sua cidade natal dirigiu o Hospital de Urgência de Campina Grande, fundou e ocupou a diretoria clínica do Hospital Mariana e depois dirigiu o Sistema Rainha de Comunicação. Como empresária assumiu a presidência da União de Ensino Superior de Campina Grande (UNESC) em 2003, cargo que ocupou por mais de dez anos.[11] Esposa de Damião Feliciano, estreou na política via PDT na chapa de Ricardo Coutinho em 2014.[nota 2]

Premido entre duas máquinas políticas, o PMDB colheu seu pior desempenho na luta pelo governo estadual, todavia comemora a eleição de José Maranhão para senador. Dono de uma carreira política iniciada há sessenta anos, este advogado nascido em Araruna e formado na Universidade Federal da Paraíba foi eleito deputado estadual via PTB e pelo MDB em 1954, 1958, 1962 e 1966 com uma breve experiência como secretário de Agricultura no governo José Fernandes de Lima.[12] Cassado pelo Ato Institucional Número Cinco em 1969, regressou à vida pública sob a legenda do PMDB e foi eleito deputado federal em 1982, 1986 e 1990.[13] Como parlamentar apoiou a emenda Dante de Oliveira, escolheu Tancredo Neves no Colégio Eleitoral, ajudou a elaborar a Carta Magna de 1988 e votou pelo impeachment de Fernando Collor em 1992.[14][15][3][16] Eleito vice-governador na chapa de Antônio Mariz em 1994, foi efetivado em setembro do ano seguinte após a morte do titular sendo reeleito em 1998.[17] Eleito senador em 2002, foi derrotado na eleição para o governo em 2006, entretanto assumiu o Palácio da Redenção em 2009 após a cassação da chapa liderada por Cássio Cunha Lima.[7][18] Derrotado por Ricardo Coutinho ao buscar um novo mandato em 2010, teve capital político para ser eleito senador em 2014.[19]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Conforme os arquivos da Justiça Eleitoral foram apurados 2.034.897 votos nominais.[1][2]

Candidato a governador(a) do estado
Candidato a vice-governador(a) Número Coligação Votação Percentual
Cássio Cunha Lima
PSDB
Ruy Carneiro
PSDB
45
A vontade do povo
(PSDB, PTB, PP, PR, PSC, PPS, PEN, PSD, SD, PMN, PTdoB, PTN, PRB, PSDC)
965.397
47,44%
Ricardo Coutinho
PSB
Lígia Feliciano
PDT
40
A força do trabalho
(PSB, PDT, PT, DEM, PRTB, PRP, PV, PSL, PCdoB, PHS, PPL)
937.009
46,05%
Vital do Rego Filho
PMDB
Roberto Paulino
PMDB
15
PMDB (sem coligação)
106.162
5,22%
Major Fábio
PROS
Olavo Filho
PROS
90
PROS (sem coligação)
14.910
0,73%
Tárcio Teixeira
PSOL
Marcos Dias
PSOL
50
PSOL (sem coligação)
8.849
0,43%
Antônio Radical
PSTU
Lena Leite
PSTU
16
PSTU (sem coligação)
2.570
0,13%
  Segundo turno

Segundo turno[editar | editar código-fonte]

Conforme os arquivos da Justiça Eleitoral foram apurados 2.140.349 votos nominais.[1][2]

Candidato a governador(a) do estado
Candidato a vice-governador(a) Número Coligação Votação Percentual
Ricardo Coutinho
PSB
Lígia Feliciano
PDT
40
A força do trabalho
(PSB, PDT, PT, DEM, PRTB, PRP, PV, PSL, PCdoB, PHS, PPL)
1.125.956
52,61%
Cássio Cunha Lima
PSDB
Ruy Carneiro
PSDB
45
A vontade do povo
(PSDB, PTB, PP, PR, PSC, PPS, PEN, PSD, SD, PMN, PTdoB, PTN, PRB, PSDC)
1.014.393
47,39%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Conforme os arquivos da Justiça Eleitoral foram apurados 1.743.955 votos nominais.[1][2]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
José Maranhão
PMDB
Nilda Gondim
PMDB
Roosevelt Vita
PMDB
155
PMDB (sem coligação)
647.271
37,12%
Lucélio Cartaxo
PT
Benilton Lucena
PT
Lenildo Morais
PT
133
A força do trabalho
(PSB, PDT, PT, DEM, PRTB, PRP, PV, PSL, PCdoB, PHS, PPL)
521.938
29,93%
Wilson Santiago
PTB
Luciano Agra
PEN
Júnior Evangelista
PSDB
145
A vontade do povo
(PSDB, PTB, PP, PR, PSC, PPS, PEN, PSD, SD, PMN, PTdoB, PTN, PRB, PSDC)
506.093
29,02%
Leila Fonseca
PROS
Lindinalva Farias
PROS
Zinho Souza
PROS
900
PROS (sem coligação)
44.627
2,56%
Nelson Júnior
PSOL
Fabiano Galdino
PSOL
Alécio Costa
PSOL
500
PSOL (sem coligação)
11.502
0,66%
Walter Brito
PTC
Marcus Azevedo
PTC
Gil Silva
PTC
360
PTC (sem coligação)
11.063
0,63%
Rama Dantas
PSTU
Vera Lúcia
PSTU
Marcelino Rodrigues
PSTU
161
PSTU (sem coligação)
1.461
0,08%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados. Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997 quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[20][4]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Pedro Cunha Lima PSDB 179.886 9,29% Campina Grande  Paraíba
Veneziano Neto PMDB 177.680 9,17% Campina Grande  Paraíba
Aguinaldo Ribeiro PP 161.999 8,46% Campina Grande  Paraíba
Hugo Motta PMDB 123.686 6,39% João Pessoa  Paraíba
Manoel Junior[nota 3] PMDB 105.693 5,46% Pedras de Fogo  Paraíba
Wellington Roberto PR 104.799 5,41% São José de Piranhas  Paraíba
Efraim Filho DEM 103.477 5,34% João Pessoa  Paraíba
Wilson Santiago Filho PTB 95.746 4,94% João Pessoa  Paraíba
Rômulo Gouveia[nota 4] PSD 84.820 4,38% Campina Grande  Paraíba
Luiz Couto PT 69.922 3,61% Soledade  Paraíba
Damião Feliciano PDT 67.558 3,49% Campina Grande  Paraíba
Benjamin Maranhão SD 63.433 3,28% João Pessoa  Paraíba

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 36 cadeiras na Assembleia Legislativa da Paraíba.[1][2]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Manoel Ludgério PSD 50.109 2,51% Catolé do Rocha  Paraíba
Daniella Ribeiro PP 46.938 2,35% Campina Grande  Paraíba
João Henrique DEM 45.178 2,26% Monteiro  Paraíba
Ricardo Marcelo PEN 45.061 2,26% João Pessoa  Paraíba
Edmilson Soares PEN 42.620 2,14% João Pessoa  Paraíba
Adriano Galdino PSB 40.609 2,03% Campina Grande  Paraíba
Nabor Wanderley PMDB 40.138 2,01% Campina Grande  Paraíba
José Aldemir PEN 39.310 1,97% Cajazeiras  Paraíba
Dinaldinho PSDB 38.963 1,95% Patos  Paraíba
Doda de Tião PTB 37.231 1,87% Campina Grande  Paraíba
Arnaldo Monteiro PSC 36.864 1,85% Esperança  Paraíba
Jutay Meneses PRB 35.415 1,77% Cairu Bahia Bahia
Raniery Paulino PMDB 35.007 1,75% João Pessoa  Paraíba
Estela Bezerra PSB 34.929 1,75% João Pessoa  Paraíba
Gervásio Maia PMDB 34.795 1,74% São Paulo  São Paulo
João Gonçalves PSD 34.059 1,71% João Pessoa  Paraíba
Bruno Cunha Lima PSDB 34.054 1,71% Campina Grande  Paraíba
Galego Sousa PP 33.971 1,70% São Bento  Paraíba
Lindolfo Pires DEM 33.717 1,69% Sousa  Paraíba
Ricardo Barbosa PSB 32.892 1,65% Campina Grande  Paraíba
Branco Mendes PEN 32.848 1,65% Aguiar  Paraíba
Camila Toscano PSDB 32.682 1,64% João Pessoa  Paraíba
Tião Gomes PSL 30.974 1,55% Pombal  Paraíba
Tovar Lima[nota 5] PSDB 30.670 1,54% João Pessoa  Paraíba
Buba Germano PSB 29.586 1,48% Frei Martinho  Paraíba
Caio Roberto PR 29.576 1,48% Campina Grande  Paraíba
Renato Gadelha PSC 26.594 1,33% Sousa  Paraíba
Anísio Maia PT 25.905 1,30% Alagoa Nova  Paraíba
Zé Paulo PCdoB 25.341 1,27% Santa Rita  Paraíba
Jeová Campos PSB 23.815 1,19% São José de Piranhas  Paraíba
Frei Anastácio PT 22.119 1,11% Esperança  Paraíba
Trocolli Júnior PMDB 20.685 1,04% João Pessoa  Paraíba
Janduhy Carneiro PTN 19.694 0,99% João Pessoa  Paraíba
Genival Matias PTdoB 15.027 0,75% João Pessoa  Paraíba
Inácio Falcão PTdoB 14.392 0,72% Campina Grande  Paraíba
João Bosco Carneiro Júnior PSL 13.307 0,67% João Pessoa  Paraíba

Aspectos da campanha[editar | editar código-fonte]

Pesquisas para governador[editar | editar código-fonte]

Data Instituto Candidato ao Governo
Cássio Cunha Lima (PSDB) Ricardo Coutinho (PSB) Vital do Rêgo (PMDB) Major Fábio (PROS) Tárcio Teixeira (PSOL) Antonio Radical (PSTU) Brancos ou Nulos Nenhum ou Não sabe
28 a 31/08/2014 Ibope[22] 47% 33% 4% 1% 0% 0% 8% 6%
15 a 18/09/2014 Souza Lopes/Correio[23] 44,9% 35,1% 3,6% 0,5% 0,1% 0,3% 5,3% 10,2%
14 a 19/09/2014 Ibope[24] 42% 37% 4% 1% 0% 0% 9% 6%
02 a 04/10/2014 Ibope[25] 42% 42% 4% 1% 1% 0% 7% 4%

Pesquisas para senador[editar | editar código-fonte]

Data Instituto Candidato ao Senado
José Maranhão (PMDB) Wilson Santiago (PTB) Lucélio Cartaxo (PT) Professora Leila (PROS) Walter Brito (PTC) Nelson Júnior (PSOL) Rama Dantas (PSTU) Gilson Ferreira (PCO) Brancos ou Nulos Nenhum ou Não sabe
28 a 31/08/2014 Ibope[26] 30% 19% 14% 1% 2% 0% 0% 17% 16%
15 a 18/09/2014 Souza Lopes/Correio[23] 31,2% 18,3% 14,1% 1,1% 1,1% 0,3% 0,3% 8,4% 25,2%
14 e 19/09/2014 Ibope[24] 35% 17% 15% 2% 1% 0% 0% 13% 16%
02 a 04/10/2014 Ibope[27] 38% 15% 19% 2% 2% 1% 0% 1% 11% 12%

Notas

  1. O artifício usado em 2009 para a cassação de mandatos foi proibido após a reforma empreendida no Código Eleitoral em 2015.
  2. A primeira vice-governadora do estado foi a odontóloga Lauremília Lucena, eleita em 2002.
  3. Renunciou em favor de André Amaral após as eleições municipais de 2016 para assumir o cargo de vice-prefeito de João Pessoa.
  4. Faleceu em Campina Grande em 13 de maio de 2018 vítima de infarto fulminante[21]. Em seu lugar foi efetivado o suplente Marcondes Gadelha.
  5. Afastou-se para assumir a Secretaria de Ciência e Tecnologia da prefeitura de Campina Grande. Eliza Virgínia, também do PSDB e primeira suplente da coligação, assume a vaga.

Referências

  1. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 23 de julho de 2017. 
  2. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba». Consultado em 23 de julho de 2017. 
  3. a b «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 25 de julho de 2017. 
  4. a b «BRASIL. Presidência da República. Lei n.º 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 31 de julho de 2017. 
  5. Governador vai concorrer à reeleição pelo PMDB na Paraíba (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 15/06/1998. Brasil, p. 1-8 Página visitada em 24 de julho de 2017.
  6. PMDB ignora protesto tucano a aposta na indicação de Suassuna (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 15/10/2001. Política, p. 06 Página visitada em 24 de julho de 2017.
  7. a b «TSE nega recursos e confirma cassação do mandato do governador da Paraíba (g1.globo.com)». Consultado em 24 de julho de 2017. 
  8. «José Maranhão toma posse como governador da Paraíba (g1.globo.com)». Consultado em 24 de julho de 2017. 
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei n.º 4.737 de 15/07/1965». Consultado em 24 de julho de 2017. 
  10. «Ricardo Coutinho, do PSB, é reeleito governador da Paraíba (g1.globo.com)». Consultado em 24 de julho de 2017. 
  11. «Após oito anos, Paraíba volta a ter uma mulher como vice-governadora (g1.globo.com)». Consultado em 25 de julho de 2017. 
  12. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado José Maranhão». Consultado em 25 de julho de 2017. 
  13. «Senado Federal do Brasil: senador José Maranhão». Consultado em 25 de julho de 2017. 
  14. A nação frustrada! Apesar da maioria de 298 votos, faltaram 22 para aprovar diretas (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 26/04/1984. Capa. Página visitada em 25 de julho de 2017.
  15. Sai de São Paulo o voto para a vitória da Aliança (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 16/01/1985. Primeiro caderno, p. 06. Página visitada em 25 de julho de 2017.
  16. «Governistas tentaram evitar implosão (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 30/09/1992. Brasil, p. 1-8.». Consultado em 25 de julho de 2017. 
  17. Governador da PB quer rejeição do FSE (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 19/09/1995. Brasil, p. 1-5. Página visitada em 25 de julho de 2017.
  18. «José Maranhão toma posse como governador da Paraíba (g1.globo.com)». Consultado em 25 de julho de 2017. 
  19. «UOL eleições 2014: Após duas derrotas seguidas, José Maranhão (PMDB) é eleito senador pela PB». Consultado em 25 de julho de 2017. 
  20. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 22 de julho de 2017. 
  21. «Morre o deputado federal Rômulo Gouveia». Jornal da Paraíba. Consultado em 13 de maio de 2018. 
  22. «Ibope: Cunha Lima tem 47% e Coutinho 33% das intenções de voto na PB (UOL eleições 2014)». Consultado em 23 de julho de 2017. 
  23. a b «Confira os números da nova Pesquisa Souza Lopes/Correio: Cássio 44%9, Ricardo 35,1% e Vital 3,6% (Catolé News)». Consultado em 28 de setembro de 2014. 
  24. a b «Ibope: Cunha Lima mantém liderança com 42% e Coutinho tem 37% na Paraíba (UOL eleições 2014)». Consultado em 23 de julho de 2017. 
  25. «Ibope, votos válidos: Cássio e Ricardo empatam com 47% na PB (UOL eleições 2014)». Consultado em 23 de julho de 2017. 
  26. «Maranhão tem 30% e Wilson, 19% na disputa ao Senado na PB, diz Ibope (G1 eleições 2014)». Consultado em 23 de julho de 2017. 
  27. «Ibope, votos válidos: Maranhão tem 49%, Lucélio, 24% e Wilson, 20% (G1 eleições 2014)». Consultado em 23 de julho de 2017.