Eleições estaduais no Tocantins em 2014

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 2010 Brasil 2018
Eleições estaduais no  Tocantins em 2014
5 de outubro de 2014
(Decisão em primeiro turno)
Marcelomiranda06032007.jpg Replace this image male.png
Candidato Marcelo Miranda Sandoval Cardoso
Partido PMDB SD
Natural de Goiânia, GO Goiânia, GO
Vice Cláudia Lelis Ângelo Agnolin
Votos 360.640 314.392
Porcentagem 51,30% 44,72%


Brasão do Tocantins.svg
Governador do Tocantins


Eleição parlamentar no  Tocantins em 2014 (Senado)
5 de outubro de 2014
(Primeiro Turno)
Senadora Kátia Abreu.jpg Deputado Eduardo Gomes.jpg
Líder Kátia Abreu Eduardo Gomes
Partido PMDB SD
Natural de Goiânia, GO Estância, SE
Votos 282.052 276.120
Porcentagem 41,64% 40,77%


Coat of arms of Brazil.svg
Senador

Titular(es)
Kátia Abreu
PMDB

Eleito(s)
Kátia Abreu
PMDB

As eleições estaduais no Tocantins em 2014 ocorreram em 5 de outubro, como parte das eleições daquele ano em 26 estados e no Distrito Federal. Foram escolhidos o governador Marcelo Miranda, a vice-governadora Cláudia Lelis, a senadora Kátia Abreu, oito deputados federais e vinte e quatro deputados estaduais.[1]

Vencedor de quatro eleições diretas ao Palácio Araguaia, Siqueira Campos renunciou ao mandato de governador seis meses antes do pleito num gesto antecedido pelo vice-governador João Oliveira, abrindo o caminho para que Eduardo Siqueira Campos, filho do renunciante, disputasse o governo do estado ou o mandato de senador num ardil onde o pai buscaria um novo mandato tal como já ocorrera, todavia nenhuma das premissas se cumpriu e o poder foi entregue ao deputado Sandoval Cardoso. Tal situação repete o ano de 2009 quando Carlos Gaguim, ora presidente da Assembleia Legislativa, assumiu após as cassações de Marcelo Miranda e Paulo Sidney e depois tornou-se governador mediante uma eleição indireta. Quanto a Sandoval Cardoso, ele é de Goiânia e foi eleito deputado estadual pelo PMDB em 2006 e 2010 antes de ingressar no Solidariedade e ascendeu ao posto de governador tendo o empresário Tom Lyra como o seu companheiro de chapa.[2][3][4][5]

O resultado das urnas, todavia, apontou a vitória do agropecuarista Marcelo Miranda. Nascido em Goiânia e radicado em Araguaína, foi eleito deputado estadual pelo PMDB em 1990 e 1994, trocou a condição de adversário de Siqueira Campos pela de aliado ao se reeleger via PFL em 1998. Guindado à presidência da Assembleia Legislativa, foi eleito governador pela primeira vez em 2002, mas no curso do mandato retornou ao PMDB e derrotou Siqueira Campos na disputa pelo Palácio Araguaia em 2006. Cassado pelo TSE por abuso de poder político e econômico em 2009, teve impugnada a sua vitória para senador em 2010 graças aos dispositivos da Lei da Ficha Limpa, obtendo agora o seu terceiro mandato de governador.[6] Sua vice-governadora é a publicitária Cláudia Lelis.

Também nascida em Goiânia, a psicóloga Kátia Abreu renovou o mandato de senadora obtido em 2006. Diplomada na Pontifícia Universidade Católica de Goiás, é agropecuarista. Eleita presidente do Sindicato Rural de Gurupi em 1994 e presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins em 1996,[7] integrou o extinto PPB, mudou para o PFL elegendo-se deputada federal em 2002 e após passar pelo PSD escolheu o PMDB para manter sua vaga no Senado Federal. Designada para o Ministério da Agricultura no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, foi substituída por Donizeti Nogueira.

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins, houve 703.013 votos nominais, assim distribuídos:[8]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Marcelo Miranda
PMDB
Claudia Lelis
PV
15
A experiência faz a mudança
(PMDB, PV, PT, PSD)
360.640
51,30%
Sandoval Cardoso
SD
Ângelo Agnolin
PDT
77
A mudança que a gente vê
(SD, PDT, PSDB, PP, PTB, DEM, PPS, PSB, PRB, PSL, PSC, PR, PRTB, PHS, PTC, PRP, PEN)
314.392
44,72%
Ataídes Oliveira
PROS
Cínthia Ribeiro
PTN
90
Reage Tocantins
(PROS, PTN, PMN, PPL, PSDC, PCdoB, PTdoB)
24.874
3,54%
Carlos Potengy
PCB
Evanilde Ferreira
PCB
21
PCB (sem coligação)
1.873
0,27%
Eula Angelim
PSOL
Dorineide Assunção
PSOL
50
PSOL (sem coligação)
1.234
0,17%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins, houve 677.293 votos nominais, assim distribuídos:.[8]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Kátia Abreu
PMDB
Donizeti Nogueira
PT
155
A experiência faz a mudança
(PMDB, PV, PT, PSD)
282.052
41,64%
Eduardo Gomes
SD
Marilis Chaves
PDT
777
A mudança que a gente vê
(SD, PDT, PSDB, PP, PTB, DEM, PPS, PSB, PRB, PSL, PSC, PR, PRTB, PHS, PTC, PRP, PEN)
276.120
40,77%
Sargento Aragão
PROS
Moacir Gonçalves
PMN
900
Reage Tocantins
(PROS, PTN, PMN, PPL, PSDC, PCdoB, PTdoB)
107.901
15,93%
Elvio Quirino
PSOL
Celso Davis
PSOL
500
PSOL (sem coligação)
6.565
0,97%
Conceição Oliveira
PCB
Maurício Williams
PCB
211
PCB (sem coligação)
4.655
0,69%
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[9] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[10]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Dulce Miranda PMDB 75.934 10,36% Pocrane  Minas Gerais
Irajá Abreu PSD 62.859 8,57% Goiânia  Goiás
Josi Nunes PMDB 53.452 7,29% Porto Nacional  Tocantins
Vicentinho Alves Filho PSB 51.069 6,96% Goiânia  Goiás
César Halum PRB 46.119 6,29% Anápolis  Goiás
Carlos Gaguim PMDB 44.739 6,10% Ceres  Goiás
Lázaro Botelho PP 42.935 5,86% Loreto  Maranhão
Dorinha Rezende DEM 41.802 5,70% Goiânia  Goiás

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 24 cadeiras na Assembleia Legislativa do Tocantins.[1]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Eduardo Siqueira Campos PTB 28.841 3,81% Campinas  São Paulo
Amélio Cayres SD 22.562 2,98% Érico Cardoso Bahia Bahia
Vilmar do Detran SD 21.587 2,85% Nazário  Goiás
Luana Ribeiro PR 20.906 2,76% Goiânia  Goiás
Osires Damaso DEM 20.823 2,75% Campinorte  Goiás
Eduardo do Dertins PPS 17.705 2,34% Cravinhos  São Paulo
Toinho Andrade PSD 17.675 2,34% Porto Nacional  Tocantins
Olyntho Neto PSDB 17.199 2,27% Goiânia  Goiás
Jorge Frederico SD 16.682 2,20% Araguaína  Tocantins
Valderez Castelo Branco PP 15.756 2,08% Carolina  Maranhão
José Bonifácio PR 14.866 1,96% Tocantinópolis  Tocantins
Paulo Mourão PT 14.489 1,91% Cristalândia  Tocantins
Amália Santana PT 14.177 1,87% Itaberaí  Goiás
Valdemar Júnior PSD 13.607 1,80% Porto Nacional  Tocantins
Wanderlei Barbosa SD 13.285 1,76% Porto Nacional  Tocantins
Ricardo Ayres PSB 13.193 1,74% Goiânia  Goiás
Eli Borges PROS 13.117 1,73% Ipameri  Goiás
Zé Roberto PT 12.940 1,71% Pirenópolis  Goiás
Nilton Franco PMDB 12.817 1,69% Porto Nacional  Tocantins
Mauro Carlesse PTB 12.187 1,61% Terra Boa  Paraná
Elenil da Penha PMDB 12.043 1,59% Crixás  Goiás
Rocha Miranda PMDB 11.401 1,51% Araguatins  Tocantins
Cleiton Cardoso PSL 9.020 1,19% Porto Nacional  Tocantins
Júnior Evangelista PRTB 8.269 1,09% Miracema do Tocantins  Tocantins

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 5 de setembro de 2015. 
  2. «Assembleia Legislativa do Tocantins: deputado Sandoval Cardoso». Consultado em 5 de setembro de 2015. 
  3. «Acervo digital de Veja». Consultado em 5 de setembro de 2015. 
  4. «João Oliveira renuncia ao cargo de vice-governador do Tocantins (g1.com)». Consultado em 5 de setembro de 2015. 
  5. «De olho nas eleições, governador Siqueira Campos anuncia renúncia (g1.com)». Consultado em 5 de setembro de 2015. 
  6. «Marcelo Miranda, do PMDB, é eleito governador do Tocantins». Consultado em 5 de setembro de 2015. 
  7. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputada Kátia Abreu». Consultado em 5 de setembro de 2015. 
  8. a b «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins». Consultado em 30 de agosto de 2015. 
  9. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 4 de agosto de 2017. 
  10. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 4 de agosto de 2017.