Erika Buenfil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Erika Buenfil
Nome completo Teresa de Jesús Buenfil López
Outros nomes Erika Buenil
Nascimento 23 de novembro de 1963 (56 anos)
Monterrey, Nuevo León, México
Ocupação atriz, apresentadora e cantora
Atividade 1978- presente
Outros prêmios
2014 - Prêmio TVyNovelas, prêmio de melhor atriz protagonis por Amores verdaderos.

Erika Buenfil, nome artístico de Teresa de Jesús Buenfil López (Monterrey, Nuevo León, 23 de novembro de 1963),[1][2] é uma atriz, cantora e apresentadora de televisão mexicana.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Início da carreira[editar | editar código-fonte]

Buenfil começou sua carreira no show business aos 11 anos de idade. Sua primeira aparição em telenovela foi em 1977 em Acompáñame. Em seguida, novos trabalhos surgiram, como em Ambición, ao lado de Edith González; Conflictos de un médico ao lado de Victoria Ruffo. Um papel de seus primeiros destaques foi Cristina del Junco na telenovela El derecho de nacer, em 1981, que deu à Buenfil uma exposição internacional como uma jovem atriz. Em 1983, ela desempenhou o papel de Vicky de Martino em El maleficio. O sucesso da novela deu Buenfil seu primeiro papel protagônico em 1985, em Angelica, onde interpretou o personagem-título. Neste ponto, ela se tornou reconhecível na América Latina graças ao seu sucesso em novelas e apresentando o programa mexicano XE-TU. No ano seguinte, em 1986, Buenfil estrelou El engaño, ao lado de Frank Moro, Guillermo García Cantú e Luz María Jerez.

Amor en silencio[editar | editar código-fonte]

Dois anos depois, em 1988, Buenfil apareceu em Amor en silencio. Este foi seu terceiro papel de protagonista e o mais memorável. Ela interpretou dois personagens; Marisela na primeira fase e Ana na segunda fase da telenovela. Seus principais pares românticos eram Arturo Peniche e Omar Fierro. Amor en silencio, produzida por Carla Estrada, tornou-se um hit instantâneo devido ao elenco e à história bem escrita. No entanto, seu personagem foi morto em uma reviravolta surpresa durante um episódio. A história continuou com o enredo progredindo 12 anos depois, e surgiu com Buenfil reaparecendo na história, agora interpretando a filha adolescente de seu antigo personagem assassinado.

Amor en silencio foi a telenovela mais premiada do ano, obtendo o prêmio de Melhor Telenovela e Melhor Atriz por Erika Buenfil nos prêmios TVyNovelas de 1989. Durante esse tempo, a popularidade de Érika cresceu e seu status como atriz de telenovela estava no auge. Ela fez aparições em muitas revistas de entretenimento e em programas de TV.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Depois de seu sucesso com Amor en silencio, Buenfil tirou alguns anos de férias das telenovelas antes de retornar em 1991 em Vida robada ao lado de Sergio Goyri e Cynthia Klitbo. A telenovela teve sucesso, mas depois que terminou, Érika desapareceu dos holofotes novamente. Em 1993, ela estava sendo cotada para o papel principal de Monica na novela épica Corazón salvaje, mas o papel foi para Edith González. Então, à Érika foi oferecida o papel de antagonista da trama, "Aimee", mas ela recusou inicialmente . Em 1996, Buenfil admitiu no El Show de Cristina que ela havia recusado o papel porque queria ser a estrela e não queria aceitar um papel secundário. Ela disse que mudou de idéia no fim de semana, mas quando ligou para o produtor José Rendón, foi informada de que o papel já havia sido dado à atriz Ana Colchero.

A Buenfil começou a achar difícil receber novos papéis. Entre os papéis que ela cobiçava estava o protagonista de Morir dos veces, outra produção de José Rendon, estrelada por Eduardo Palomo (o astro masculino de Corazón salvaje). Mais uma vez, Buenfil acabou perdendo uma parte porque Palomo estava pressionando por sua esposa, a quase desconhecida atriz Carina Ricco, para estrelar a novela. Foi um fracasso instantâneo.

Marisol[editar | editar código-fonte]

No final de 1995, Érika estava ausente das telas da TV há mais de quatro anos. No entanto, sua fortuna mudou quando ela foi à Televisa para pedir um melhor tratamento na empresa. Sua voz foi ouvida e o produtor Juan Osorio queria que ela estrelasse sua próxima produção Marisol, junto com Eduardo Santamarina, em seu primeiro papel principal. Para a surpresa de muitos, Marisol foi um grande sucesso com o público, graças à grande química entre os atores principais. Era uma história típica do tipo "Cinderela", criticada por muitos, mas que trouxe muito sucesso. O sucesso da telenovela foi tanto que Érika e Santamarina realizaram uma turnê promocional de vários países da América Latina.

Tres Mujeres[editar | editar código-fonte]

Após o sucesso de Marisol, Buenfil fez teatro, fez uma aparição especial na telenovela protagonizada por sua amiga Laura Flores, El alma no tiene color, e recebeu vários roteiros, inclusive estrelando La usurpadora, grande sucesso de 1998. Ela recusou e o papel foi para a venezuelana Gabriela Spanic.

No ano seguinte, em 1999, Buenfil se viu protagonizando o elenco da novela Tres mujeres, onde dividiu o rol protagônico com Norma Herrera e Karyme Lozano , em seus primeiros papéis principais. Embora a Televisa tenha colocado a novela em um horário fora do horário nobre, Tres Mujeres forneceu melhor audiência do que produções de horário nobre da rede. O programa cobriu questões tabu anteriores na TV latino-americana, como a homossexualidade e o adultério. O papel de Bárbara também foi a primeira vez que Buenfil interpretou uma mulher madura que cometeu infidelidade. Devido ao sucesso da novela, o elenco de Tres Mujeres foi solicitado a continuar trabalhando na novela, apesar das filmagens terem terminado. Eventualmente, a novela durou mais de oito meses (a maioria dura pouco mais de quatro meses).

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Em 2000, teve uma participação especial na novela infantil Carita de ángel. Em 2001, começou a trabalhar em uma nova novela, Así son ellas. Originalmente, Victoria Ruffo também foi escolhida para trabalhar na novela, mas começou a controvérsia sobre quem levaria o primeiro faturamento e, eventualmente, Ruffo se retirou do projeto. A novela não foi muito bem-sucedida em parte por causa do difícil horário da tarde nos Estados Unidos e porque a Televisa não a promoveu bem, atrasando mais de um ano para apresentá-la no México, sendo transmitida às oito da noite em 2002.

Em 2004, Buenfil estrelou Corazones al límite. Esta telenovela foi memorável porque reuniu as estrelas de Amor en silencio como amantes pela primeira vez em 16 anos. Nesse mesmo ano Buenfil também teve um pequeno papel como um vilã em Amarte es mi pecado. Em 2006, teve um papel importante como a mãe da protagonista em Duelo de pasiones, produzida pelo produtor de Marisol, Juan Osorio, e estrelada por Ludwika Paleta e Pablo Montero. Em 2008, ela se juntou ao elenco de outra telenovela de Osório, Tormenta en el paraiso. Em 2010, ela teve um papel secundário em Triunfo del Amor. Este papel foi o último de Buenfil antes de retornar aos papéis principais.

Anos 2010[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2012, após uma exaustiva batalha pelo papel principal na telenovela Amores verdaderos, Erika Buenfil foi escolhida como a heroína. Isso marcou seu retorno como protagonista de uma telenovela depois de oito anos sem ter um papel principal. Seu último caso foi em Corazones al límite em 2004. Outras atrizes que lutaram pelo papel foram Rebecca Jones, Victoria Ruffo, Maribel Guardia e Olivia Collins.

Amores verdaderos estreou no horário nobre para altas classificações no México. Devido ao seu sucesso, a rede estendeu sua execução até maio de 2013. Pelo o papel de Victoria Balvanera Gil de Brizz, Buenfil ganhou o Prêmio TVyNovelas de melhor atriz protagonista.

Em 2014, Buenfil voltou à televisão com um papel de protagonista em La gata. Em 22 de agosto de 2015, ela se apresentou no Symphony Broadway Theatre, atuando como Fabiola em Infidelidades ao lado de Laura Flores, Alfredo Adame, Natasha Dupeyrón e Omar Fierro.

Em 2015, Buenfil retornou à televisão com um papel de protagonista em A que no me dejas, um remake da telenovela que ela havia liderado 26 anos antes, Amor en silencio. Ela se reuniu com Arturo Peniche, que foi seu parceiro na telenovela de sucesso que estrelou em 1989.

Em 2017 participou da telenovela La doble vida de Estela Carrillo onde interpretou o papel de Mercy.

Regressou ao Teatro com a obra El Padre compartindo cenário com Ignacio López Tarso, Sergio Basáñez, Lucero Lander, Lisardo Guarinos e um grande elenco.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Buenfil se tornou mãe, tendo dado à luz Nicolás De Jesús. A controvérsia se seguiu quando a imprensa pressionou-a a mencionar o nome do pai da criança, que ela se recusou a fazer.

Ela apareceu em muitos programas de TV, como Cristina e Don Francisco Presenta, onde falou sobre as dificuldades em ser mãe solteira na indústria de TV, mas disse que estava passando o momento mais feliz de sua vida sendo mãe de seu filho.

Em 10 de julho de 2007, a mãe de Erika Buenfil, Maria Martha, morreu após complicações de uma doença rara que afetou seu coração.[3]

Buenfil revelou que o pai de seu filho é filho do ex-presidente mexicano Ernesto Zedillo. Quando perguntada sobre como o relacionamento dela com o pai de seu filho é: "Ele não existe. Não sabe onde ele está, ele não sabe nada" [4].

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Telenovelas[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
2020 Te doy la vida Andrea Villaseñor de Merino[5]
2019 Por amar sin ley 2 Camila Balcázar de Alcocer[6]
2017 La doble vida de Estela Carrillo Mercy Toribio Vda. de Cabrera
2015–2016 A que no me dejas[7][8] Angélica Medina
2014 La gata[9] Blanca Rafaela Sanches da Santa Cruz "Perla, a louca"
2012-2013 Amores verdaderos Victoria Balvanera Gil de Brizz
2010-2011 Triunfo del Amor Antonieta Orozco
2009-2010 Mar de amor Casilda de Bricenho
2008 Mañana es para siempre Montserrat Rivera de Elizalde
2007-2008 Tormenta en el paraíso Patsy Sandoval
2007 Amor sin maquillaje Laura
2006 Duelo de pasiones Soledad Fuentes de Montellano
2004 Corazones al límite Pilar de la Reguera
2004 Amarte es mi pecado Gisela López Monfort
2002-2003 Así son ellas Dalia Marcelín
2000-2001 Carita de ángel Policarpia Zambrano
1999-2000 Tres mujeres Bárbara Uriarte Espinoza
1997 El alma no tiene color Diana Alcántara
1996 Marisol Marisol Garcés del Valle / Verónica Soriano
1991-1992 Vida robada Gabriela Durán / Leticia Avelar
1988 Amor en silencio Marisela Ocampo / Ana Silva
1986 El engaño Marcela
1985 Angélica Angélica Estrada
1983-1984 El maleficio Virginia "Vicky" Ayala Peralta
1981-1982 El derecho de nacer Cristina del Junco
1980-1981 Aprendiendo a amar Natalia Peñaralda
1980 Ambición
1980 Conflictos de un médico
1979 Añoranza
1979 El amor llegó más tarde
1979 Lágrimas negras Verónica
1979 La llama de tu amor
1978 Acompáñame

Programas de TV[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
2016 Doble sentido Vários personagens
2009 Los simuladores Sra. Valdéz Episódio: "El baquetón"
2008 Desmadruga2 Vários personagens
2008 Hoy Apresentadora convidada
2008 La rosa de Guadalupe Yolanda / Cielo Dois episódios
2005 Don Francisco presenta Convidada
2004 Big Brother México Convidada
2003 La hora pico Convidada
1996 Prêmio TVyNovelas Apresentadora
1990-2003 Mujer, casos de la vida real Patricia Ramírez / Martha Carolina
1985 ¿Qué nos pasa? Caixa incompetente
1982 Xe-Tu Apresentadora

Cinema[editar | editar código-fonte]

Filmes
Ano Título Personagem
1981 El sexo de los ricos Garota na Motocicleta
1982 Cosa fácil Amiga de Elena
1985 Cementerio del terror Lena
1989 Cita con la muerte Julieta
1990 Ladrones de tumbas Rebeca de la Huerta
1992 El prófugo Karla
2003 La hora pico: El reventón Vários personagens
2014 Of Boys and Planes Mãe

Obras teatrais[editar | editar código-fonte]

  • Terapia divina (2019)[10]
  • El padre (2017) - Ana[11]
  • Infidelidades (2015) - Fabiola[12]
  • Volver al amor (2013) - Shirley (Monólogo)[13][14]
  • Mujer busca hombre impotente para ser feliz (2011) - Sandra (Monólogo)
  • [2 mujeres en pugna (2009) - Presidenta del jurado
  • Una cena con movida reapertura II (2009) - Dora
  • Una cena con movida reapertura I (2006) - Dora
  • 5mujeres.com (2002-2004)
  • Alta seducción (2001) - Truddy
  • Una viuda sin sostén (1999)
  • Madre solo hay una (1996)
  • Una cena con movida (1995) - Dora
  • Demasiado para una Noche (1992-1993)
  • La Cenicienta (1984)
  • Como tú lo deseas (1983)
  • Nuestro amor de cada día (1982)

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Despertar al amor (1985) (Single con el tema de la telenovela "Angélica")
  • Se busca un corazón (1986) Producido por Honorio Herrero
  • Perdóname (1986) (Single con el tema de la telenovela "Cicatrices del Alma")
  • Soy mujer (1987)
  • Cerca de ti (1990) Producido por Oscar Athie

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmio TVyNovelas[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Telenovela Resultado
1983 Melhor apresentadora XE-TU Venceu
1984 Melhor revelação feminina El maleficio Indicado
1986 Melhor atriz protagonista Angélica Indicado
1989 Melhor atriz jovem Amor en silencio Venceu
1992 Melhor atriz protagonista Vida robada Indicado
1997 Melhor atriz protagonista Marisol Indicado
2000 Melhor atriz protagonista Tres mujeres Indicado
2014 Melhor atriz protagônica Amores verdaderos Venceu
2018 Melhor atriz coadjuvante La doble vida de Estela Carrillo Indicado[15]

Prêmios Bravo[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Telenovela Resultado
2014 Melhor atriz protagonista Amores verdaderos Venceu[16]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

  • Reconhecimento da Associação Nacional de Locutores do México[17]
  • Prêmio Global Quality Foundation 2016[18]
  • Prêmio à Mulher 2011[19]

Referências

  1. «Erika Buenfil conmueve las redes con foto de los primeros años de su hijo Nicolás». americatv.com.pe. 3 de novembro de 2017. Consultado em 9 de fevereiro de 2018 
  2. «Erika Buenfil celebra su cumpleaños junto al elenco de 'Estela Carrillo' (fotos)». televisa.com. 26 de novembro de 2016. Consultado em 9 de fevereiro de 2018 
  3. Muere la madre de Erika Buenfil. eluniversal.com.mx (10 de julho de 2007)
  4. Univision.com (2 de maio de 2011). «Erika Buenfil en Sal y Pimienta». Univision. Consultado em 9 de maio de 2011 
  5. «Así es como Erika Buenfil da lección a nuevas actrices de Televisa | La Neta Noticias» (em espanhol). 28 de outubro de 2019. Consultado em 28 de outubro de 2019 
  6. «Kimberly Dos Ramos y Érika Buenfil estarán en 'Por Amar sin Ley 2'». Las Estrellas. Consultado em 8 de setembro de 2018 
  7. http://www.informador.com.mx/entretenimiento/2015/622752/6/erika-buenfil-revive-amor-en-silencio-en-nueva-telenovela.htm
  8. http://peru.com/entretenimiento/telenovelas/que-no-me-dejas-erika-buenfil-se-une-al-elenco-telenovela-noticia-416243
  9. http://www.peopleenespanol.com/article/erika-buenfil-regresa-la-television-en-la-nueva-telenovela-la-gata
  10. Cartelera de teatro (Terapia Divina)
  11. Cartelera de teatro (padre-una-obra-lo-se-olvida-lo-queda)
  12. RadioFormula (Recibirá Erika Buenfil premio por "Infidelidades" en EU. Con Flor Rubio)
  13. http://www.informador.com.mx/entretenimiento/2013/474459/6/erika-buenfil-invita-a-vivir-en-estreno-del-monologo-volver-al-amor.htm
  14. http://www.milenio.com/hey/Invita-Erika-Buenfil-monologo-Volver_0_123587728.html
  15. «PREMIOS TVyNOVELAS 2018». televisa.com (em espanhol). Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  16. Esto en Línea (Un éxito, los Premios Bravo)
  17. ANLM (Galardona Asociación Nacional de Locutores de México a Titular de DGTVE, así como a Productor y Actriz de la exitosa Telenovela “Amores Verdaderos”)
  18. Dailymotion (Érika Buenfil recibe el premio Global Quality Foundation 2016)
  19. «Rdns Worack (PREMICACION A LA MUJER 2011 OTORGÓ RECONOCIMIENTO A GABY SPANIC, ERIKA BUENFIL, YADHIRA CARRILLO, REGINA TORNE, PATRICIA REYES SPINDOLA, ENTRE OTRAS MÁS. MEXICO, DF)». Consultado em 9 de março de 2019. Arquivado do original em 4 de agosto de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]