Itatí Cantoral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Itatí Cantoral
Itatí durante uma entrevista para a série-novela Quem Matou a Patrícia Soler?, em 2015.
Nome completo Itatí Guadalupe Cantoral Zucchi
Nascimento 13 de maio de 1975 (43 anos)
Cidade do México, D.F., México
Ocupação Atriz
Cantora
Dançarina
Cônjuge Eduardo Santamarina (19992004)
Carlos Alberto Cruz (20072014)[1]
Página oficial
IMDb: (inglês)

Itatí Guadalupe Cantoral Zucchi (Cidade do México, 13 de maio de 1975) ou mais conhecida como Itatí Cantoral, é uma atriz, cantora, e dançarina mexicana. É mais conhecida no Brasil por sua consagrada personagem Soraya Montenegro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vem de uma família de dois irmãos, formada pelo compositor Roberto Cantoral e a atriz argentina Itatí Zucchi. O reconhecimento de seu trabalho, fez Itati ser convidada para participar na telenovela Garotas Bonitas, que graças ao sucesso que obteve, foi apresentada também na versão teatral.

A carreira de Itatí iniciou com o programa televisivo de suspense "La telaraña", de 1986 a 1988, ao finalizar o programa, a atriz entrou ao CEA (Centro de Educación Artística) da Televisa para preparar-se melhor, ingressando em 1990. Emilio Larrosa inclui-a no elenco da telenovela "Muchachitas", para entrar na segunda etapa da novela; ao finalizar, entra no elenco de "La pícara sonadora", protagonizada pelos falecidos atores Mariana Levy e Eduardo Palomo.

Em 1992, Carla Estrada convida-a a fazer parte do elenco juvenil da telenovela "De Frente Al sol", que protagonizaram Maria Sorté e Alfredo Adame, mais tarde, em 1993, trabalha em "Dos Mujeres Un Camino", junto a Laura León e Selena, e novamente com Emilio Larrosa; ao finalizar o longo processo de produção desta última telenovela decide tomar-se um descanso.

Em 1995, Itatí interpretou a grande vilã Soraya Montenegro, da novela Maria do Bairro, sendo um dos maiores papéis da atriz. Esta foi considerada a maior vilã das telenovelas mexicanas, ganhando então vários troféus pelo seu ótimo trabalho.

Em 1996, foi vencedora do famoso prêmio da revista "TvyNovelas", como a melhor vilã do século.

Em 1996, regressa às telas novamente com Emilio Larrosa na telenovela Tú y yo, protagonizada por Maribel Guardia e Joan Sebastian; interpretando à vilã "Casandra"; nesse mesmo ano, faz sua primeira incursão ao cinema no filme "Bonita".

Em 1997, recebeu o reconhecimento de melhor atriz protagonista pela telenovela "Salud, Dinero y Amor". Participou da obra de teatro “Aventurera” (realizada por Carmen Salinas), da qual ganhou vários prêmios.

Em 1999, fez uma participação especial na telenovela Infierno en el paraíso, como a verdadeira Francesa Paoli Prado, além de entrar na obra "Aventurera", que a atriz Edith González deixou depois de quase 3 anos. No mesmo ano, também participou de "Cuento de Navidad".

Em 2000, deixa "Aventurera", devido a sua gravidez de gêmeos, deixando o papel a Niurka. Afasta-se da carreira um tempo para dedicar-se a sua família.

Em 2001, fez uma cena em Amigas y rivales; depois, regressa como antagonista de Sin pecado concebido, com a personagem da malvada Raquel Villavicencio.

Em 2002, veio ao Brasil para protagonizar a telenovela Vale todo, versão em castelhano da novela Vale Tudo, a qual fez o papel respectivo ao de Regina Duarte junto ao ator peruano Diego Bertie e Antonio Fagundes.

Em 2003, viaja para os Estados Unidos, onde grava a telenovela El alma Herida, da Telemundo, também cantando o tema de abertura.

Em 2005, protagoniza um capítulo da série "Decisiones" e participa do episódio Una segunda oportunidade.

No ano de 2006 atua em mais dois filmes, "Cansada de besar sapos" e "Os pajarracos", também protagoniza a telenovela para Telemundo "La Viuda De Blanco" junto com seu amigo o ator cubano Francisco Gattorno.

No ano 2008 as negociações entre Televisa e Telemundo permitem-lhe regressar à empresa mexicana, primeiro viaja a Colômbia para protagonizar um capítulo de "Tiempo Final -Mala Noche", mais tarde substituiAngélica Rivera no capítulo "Sandra, trepadora" da série "Mujeres asesinas" na versão do México, mesmo com três meses de gravidez.

Em 2009 participa na obra "Dulce caridade" e também, após várias negociações, aceita protagonizar a telenovela Hasta que el dinero nos separe de Emilio Larrosa e que é uma adaptação da telenovela colombiana "Hasta que a prata nos separe", original de Fernando Gaitán, compartilhando créditos com o ator e cantor Pedro Fernández em seu regresso à televisão.[2]

Em 2010 Itatí Cantoral foi vencedora do famoso prêmio da revista "TvyNovelas", como a melhor Atriz da Televisa em Interpretar Alejandra Álvarez del Castillo em Hasta que el dinero nos separe

Em 2013, fez uma participação especial na Novela "Fortuna", mais especificamente, em seus últimos trinta capítulos. [3]

Em 2014, protagonizou a Novela "¿Quién mató a Patricia Soler?", juntamente com o ator espanhol Miguel de Miguel. A novela conta a história de Sara Fernándes, uma bem sucedida empresária do ramo de joais, que será acusada injustamente de ter cometido o assassinato de sua amiga pessoal e sócia Patrícia Soler. Depois de passar 17 anos em uma penitenciária, ela é libertada, e passa a se dedicar a descobrir a identidade do verdadeiro assassino, bem como a efetuar sua vingança. [4]

Em 2015 regressa à Televisa como protagonista da novela Amores con trampa, ao lado de Ernesto Laguardia, Eduardo Yáñez e África Zavala.[5][6][7] Em 2017 protagoniza a série televisiva La diva del cine mexicano , contando toda da trajetória da primeira atriz e política Silvia Pinal

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Itatí foi casada com o ator Eduardo Santamarina. Eles contraíram o matrimônio civil em 19 de setembro de 1999. O casamento na igreja ocorreu em 22 de janeiro de 2000. Em agosto do mesmo ano, Itatí deu à luz gêmeos.[8]

Apesar de fazer a vilã "Soraya Montenegro", ela é muito amiga da também atriz e cantora Thalía, que é madrinha de seus 3 filhos, Roberto e Eduardo, os gêmeos, e Maria Itatí, a caçula.

Atualmente Itatí é casada com o cineasta colombiano Carlos Alberto Cruz, com quem teve sua terceira filha.

Em 7 de agosto de 2010, a atriz perdeu seu pai, Roberto Cantoral, vítima de um infarto.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Novelas[editar | editar código-fonte]

Séries[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Publicidade[editar | editar código-fonte]

  • Publicidade De Hidalgo, Mx
  • Spot de Suburbia ,Mx
  • Lady Speed Stick, México
  • Got Milk, USA
  • Pañales Pampers, USA
  • Miss Clairol,Latinoamérica

Prêmios e Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.terra.com/entretenimiento/noticias/se_casa_por_segunda_vez_itati_cantoral/oci182457
  2. «Itati Cantoral será la protagonista de Hasta que el Dinero nos separe». Tv y Espectaculos. 13 de março de 2009. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  3. Wikipedia. «Novela Fortuna». Wikipedia. Consultado em 4 de janeiro de 2015 
  4. «MundoFox anuncia a estreia de "Quien mató a Patricia Solé?"». Telenoveleiros. 19 de dezembro de 2014. Consultado em 4 de janeiro de 2015 
  5. BGA (14 de outubro de 2014). «Itatí Cantoral y Ernesto Laguardia ¡serán la nueva pareja de telenovela!». Tv Notas. Consultado em 4 de janeiro de 2015 
  6. StarMedia (15 de dezembro de 2014). «Elenco de la telenovela Amores con trampa». StarMedia. Consultado em 4 de janeiro de 2015 
  7. «Itatí Cantoral protagonista de telenovela Amores con trampa». StarMedia. 15 de outubro de 2014. Consultado em 4 de janeiro de 2015 
  8. «Itatí Cantoral y Eduardo Santamarina juntos en el cumpleaños de sus hijos». People en Espanho. 3 de agosto de 2015. Consultado em 2 de fevereiro de 2016 
  9. «Itatí Cantoral será Silvia Pinal en serie biográfica». Telemundo 47 (em espanhol) 
  10. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome :0
  11. Notimex (6 de janeiro de 2011). «Itatí Cantoral regresa a la TV con telenovela 'El sexo débil'». Terra México. Consultado em 1 de janeiro de 2012 
  12. Vanessa Pérez (12 de janeiro de 2011). «Itatí Cantoral se une a la misión de realizar una televisión con libertad». El Universal. Consultado em 1 de janeiro de 2012 
  13. Notimex (11 de janeiro de 2011). «Itatí Cantoral es la protagonista de el sexo débil». Excélsior. Consultado em 1 de janeiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]