Instituto Federal do Sul de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais
IFSULDEMINAS
Fundação 29 de dezembro de 2008
Localização Pouso Alegre (sede)
Inconfidentes
Machado
Muzambinho
Poços de Caldas, Minas Gerais
Reitor(a) Marcelo Bregagnoli
Diretor(a)
Campus Inconfidentes: Miguel Ângelo Toledo del Pino
Campus Machado: Carlos Henrique Rodrigues Reinato
Campus Muzambinho: Luiz Carlos Machado Rodrigues
Página oficial http://www.ifsuldeminas.edu.br/

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas é uma instituição que oferece educação superior, básica e profissional, de forma pluricurricular. É uma instituição multicâmpus, especializada na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino, com base na conjugação de conhecimentos técnicos e tecnológicos às suas práticas pedagógicas.

Instituições formadoras[editar | editar código-fonte]

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas originou-se a partir da fusão de três escolas agrotécnicas localizadas nos municípios de Inconfidentes, Machado e Muzambinho. Assim, as três instituições tornaram-se câmpus do IFSULDEMINAS, formando uma só instituição e assumindo um novo compromisso: o desenvolvimento regional por meio da excelência na educação profissional e tecnológica. Posteriormente, foram criados três novos câmpus, nas cidades de Passos, Poços de Caldas e Pouso Alegre, esta última sediando a Reitoria.[1]

Foram constituídos em 2013 pelo Ministério da Educação dois Câmpus Avançados, um no município de Três Corações e outro no município de Carmo de Minas.

Escola Agrotécnica Federal de Inconfidentes[editar | editar código-fonte]

Em 28 de fevereiro de 1918 foi criado o Patronato Agrícola vinculado ao Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio. A primeira turma foi composta por 30 menores que chegaram no dia 30 de julho de 1918. No mês seguinte vieram mais duas turmas com 30 e 40 menores internos, que variava entre meninos entregues à polícia por pais, tutores ou parentes; menores presos nas ruas, ou entregues por pessoas desconhecidas.

Em 1934, o Patronato foi transformado em Aprendizado Agrícola Minas Gerais dando assim, continuidade à antiga estrutura de Patronato.

Em 1939 o ano letivo se iniciou sob novo nome Aprendizado Agrícola Visconde de Mauá, mantendo a característica de estabelecimento de instrução primária e profissional agrícola, subordinado à Superintendência de Ensino Agrícola e Veterinário. O perfil da clientela sofreu grande transformação, pois não poderiam ser admitidos menores abandonados, delinquentes ou aqueles que apresentassem má conduta.

Em 1941 foi inaugurada a Biblioteca "Afonso Arinos". A clientela da Escola oscilava entre 11 e 18 anos. Filhos de pequenos e médios proprietários rurais, trabalhadores de gleba e operários da indústria agrícola.

Em 1947 foi novamente renomeado para Escola de iniciação agrícola "Visconde de Mauá". Os cursos oferecidos eram de Iniciação e Mestria Agrícola. Ambos com dois anos de duração. Neste momento a escola passou a atrair alunos de outros estados além de São Paulo e Minas Gerais: Paraná, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Mato Grosso.

Em 1950, a escola passou a ser Escola Agrícola "Visconde de Mauá" e em 1964 passou a Ginásio Agrícola "Visconde de Mauá".

Em 1967, os órgãos de ensino do Ministério da Agricultura foram transferidos para o Ministério da Educação e Cultura. Neste período a escola passou por um processo de insolvência, correndo até mesmo o risco de ser fechada por falta de recursos da União. Um intenso trabalho para a sobrevivência da escola foi iniciado com a duração de cinco anos.

Em 1973 o perfil do Ginásio Agrícola começou a mudar com a criação da Coordenação Nacional do Ensino Agropecuário - COAGRI. Ocorreu em seguida uma fase de transição, que gradativamente transformou o Ginásio em Escola Agrotécnica Federal.

Em 1977 a escola passou a funcionar com cinco turmas, sendo três de sétima série e duas de oitava.

Em 1978, mantendo as cinco turmas iniciadas em 1977, continuou seu trabalho, agora com três turmas de primeira série do Curso Técnico em Agropecuária.

Em 1993, a Escola Agrotécnica foi transformada em Autarquia Federal, trazendo dinamismo à Educação. Sua autonomia nas questões administrativas e pedagógicas provocou novas necessidades de ajustes para atender a crescente demanda da comunidade regional.

Em 1998, a escola passou a oferecer sete habilitações, em sistema de concomitância e técnico com os cursos de Agropecuária, Agricultura, Zootecnia, Agroindústria, Agrimensura e Informática.

2003: Valorizou-se o apoio à comunidade escolar e à cultura empreendedora, desenvolvendo novos projetos voltados à modernização. Foi implantado o sistema de empresas simuladas e de incubadora - INCETEC. Intensificou-se a meta de educar e construir, levando o ser humano a reconhecer seu papel na história.

Escola Agrotécnica Federal de Machado[editar | editar código-fonte]

A Escola Agrotécnica Federal de Machado foi inaugurada oficialmente como Escola de Iniciação Agrícola de Machado em 3 de julho de 1957, foi a mesma transformada em Ginásio Agrícola de Machado, pelo Decreto nº 53.558 de 14 de fevereiro de 1964 e pelo Decreto nº 83.935 de 4 de setembro de 1979 passou a denominar-se Escola Agrotécnica Federal de Machado. Em 1993 se tornou uma autarquia Federal vinculada a SEMTEC/MEC sob a égide da Lei Federal nº 8.731 de 16 de novembro de 1993.

Escola Agrotécnica Federal de Muzambinho[editar | editar código-fonte]

A Escola Agrotécnica Federal de Muzambinho teve sua origem quando, em 31 de dezembro de 1948, a Comunidade Muzambinhense entregou à União a gleba de terra necessária para a instalação da Escola, obedecendo ao acordo firmado entre as partes em 22 de outubro de 1948.

Foi inaugurada oficialmente, em 22 de novembro de 1953, com a presença das mais importantes autoridades governamentais da época: o Presidente da República, Getúlio Dornelles Vargas, o Governador de Minas Gerais, Juscelino Kubitschek de Oliveira, o então Ministro da Justiça Tancredo de Almeida Neves, o Ministro da Agricultura, João Kleófas, o Senador da República, Assis Chateubriand, trazidos pelo muzambinhense Licurgo Leite Filho, Deputado Federal.

Ao longo de toda a sua existência, esta Escola esteve permanentemente ligada ao Ensino Agrícola. De forma ininterrupta, desempenhou sua função na formação de profissionais ligados à Agropecuária, numa prática educativa que sempre privilegiou a cidadania crítica, com grande sucesso. A Escola Agrotécnica Federal de Muzambinho é, tradicionalmente, uma Instituição de grande importância, prestígio e destaque na sub-região do sudoeste mineiro.

Na sua existência sempre ligada ao Ensino Agrícola, recebeu três denominações: de 1953 a 1964, Escola Agrotécnica de Muzambinho; de 1964 a 1979, Colégio Agrícola de Muzambinho e pelo Decreto nº 83.935 de 4 de setembro de 1979 até 28 de dezembro de 2008, Escola Agrotécnica Federal de Muzambinho.

Novos câmpus[editar | editar código-fonte]

Instituto Federal do Sul de Minas (Minas Gerais)
Red pog.svg
1
Red pog.svg
2
Red pog.svg
3
Red pog.svg
4
Red pog.svg
5
Red pog.svg
6
Localização dos câmpus do Instituto Federal do Sul de Minas:

Câmpus Passos[editar | editar código-fonte]

O Câmpus Passos surgiu após o convênio entre a Prefeitura Municipal de Passos e o IFSULDEMINAS - câmpus Muzambinho, mediante contrato de prestação de serviço estabelecido em 2010. O primeiro processo seletivo ocorreu em 26 de junho de 2010, as aulas tiveram início em 2 de agosto do mesmo ano. No final do ano passado o Governo Federal adquiriu uma área para ser a sede própria do campus de Passos. Assim, iniciou-se o processo de transição de polo de rede para câmpus. Em 2012 tornou-se efetivamente câmpus com uma área de aproximadamente 40.000 m². O Diretor Geral Pró-Têmpore atualmente é o professor João Paulo de Toledo Gomes.

Câmpus Pouso Alegre[editar | editar código-fonte]

O Câmpus Pouso Alegre nasceu, inicialmente, a partir de uma parceria com a Prefeitura Municipal de Pouso Alegre e o Câmpus Inconfidentes do IFSULDEMINAS, operando em áreas cedidas pela prefeitura e alugadas em parceria com esta. Iniciou suas atividades em 2011 com os cursos de Técnico em Edificações, Técnico em Informática e Técnico em Administração (modalidade Proeja). Atualmente ocupa uma área própria no bairro Aeroporto e oferece os cursos superiores de Engenharia Civil , Engenharia Química ,Licenciatura em matemática ,Licenciatura em Química e Pós Graduação em engenharia de segurança do trabalho, além dos anteriores. O Diretor Geral Pró-Têmpore atualmente é o professor Marcelo Botazini.

Câmpus Poços de Caldas[editar | editar código-fonte]

O Câmpus Poços de Caldas tem como marco inicial a expansão da Rede de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e a criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Dessa maneira, o Campus emerge a partir de um Polo de Rede via Termo de Cooperação Técnica para o desenvolvimento de ações conjuntas entre o IFSULDEMINAS – Campus Machado e o município de Poços de Caldas, com a interveniência da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento e Ensino de Machado para oferta de cursos técnicos tendo como alvo a comunidade de Poços de Caldas e região.

Entretanto tudo começou em 2008 onde teve início o Centro Tecnológico de Poços de Caldas, como unidade de ensino vinculada à Secretaria Municipal de Educação, para oferta de cursos técnicos na modalidade “pós-médio” (ou seja, para aqueles estudantes que concluíram o Ensino Médio), oferecendo de imediato os cursos de “Técnico em Meio Ambiente” e “Eletrotécnica - Automação Industrial”.

A execução pedagógica dos cursos, tanto na parte docente quanto na parte da administração, foi efetuada ao longo dos anos 2008 e 2009 pelo CEFET-MG – Centro Federal de Educação Tecnológica Minas Gerais, através de um termo de cooperação técnica e a contratação de serviços educacionais através da Fundação CEFET-MG, interveniente daquela instituição.

Ao final de 2009, visando uma redução nos custos para manutenção do Centro Tecnológico e ao mesmo tempo garantir a ampliação da oferta de cursos, além de dar maior legitimidade à Educação Tecnológica no município e principalmente, tendo como meta a federalização definitiva desta unidade de ensino, foram iniciadas conversações com a reitoria do IFSULDEMINAS, com sede em Pouso Alegre.

Portanto, tinha-se a compreensão de que a nova parceria com o IFSULDEMINAS seria mais promissora, sobre tudo por estar em consonância com as diretrizes pedagógicas e políticas educacionais do Ministério da Educação, dentro de um plano de expansão da Educação Tecnológica no país, através de unidades federais.

Para o ano letivo de 2010 e que também terá continuidade 2011, foi firmado um novo termo de cooperação técnica, desta vez entre a Prefeitura Municipal e a Secretaria Municipal de Educação com o IFSULDEMINAS, por intermédio de Campus de Machado e um contrato de prestação de serviços educacionais, através da FADEMA – Fundação de Apoio ao Desenvolvimento de Ensino de Machado, como forma de transição até que o Centro Tecnológico de Poços de Caldas viesse a ser incorporado em definitivo como um Campus Avançado, do IFSULDEMINAS – Campus Machado, caminho para viabilização da federalização da unidade.

Assim, no dia 27 de dezembro de 2010, o Presidente Lula, em Ato Solene no Palácio do Planalto, em Brasília, inaugurou oficialmente o Campus Avançado Poços de Caldas. O primeiro processo seletivo aconteceu em outubro de 2010 para ingresso no primeiro semestre de 2011. Em 2011, o Campus Avançado foi elevado a condição de Campus se tornando autônomo, mas administrativamente, ainda dependente da Reitoria. Contudo, em janeiro de 2012 é nomeado o primeiro Diretor-Geral Pró-Tempore da Instituição, professor Josué Lopes.

Câmpus Avançado de Três Corações[editar | editar código-fonte]

Criado pelo Ministério da Educação ao final de 2013, nasceu a partir de um convênio entre o IFSULDEMINAS e a Prefeitura Municipal de Três Corações, oferecendo atualmente os cursos de Técnico em Logística, Técnico em Enfermagem e Técnico em Mecânica. O atual Diretor Geral Pró-Tempore é o professor Francisco de Paula.

Câmpus Avançado de Carmo de Minas[editar | editar código-fonte]

Também instituído pelo Ministério da Educação em 2013, funcionou inicialmente a partir de uma parceria entre o Câmpus Machado e a Prefeitura Municipal de São Lourenço, naquele município, oferecendo os cursos de Técnico em Informática e Técnico em Contabilidade. Atualmente ocupa uma área própria de 10,5 mil m2 cedida pelo Serviço de Patrimônio da União ao IFSULDEMINAS, anteriormente ocupada pela extinta Funabem. Passou a oferecer cursos em 2014 em parceria com a Prefeitura Municipal de Carmo de Minas.

Cursos oferecidos[editar | editar código-fonte]

Campus Inconfidentes



Educação profissional de nível técnico

  • Administração
  • Agropecuária
  • Agrimensura
  • Alimentos
  • Informática


Graduação

  • Engenharia Cartográfica e de Agrimensura
  • Engenharia Agronômica
  • Licenciatura em Matemática
  • Licenciatura em Ciências Biológicas
  • Redes de Computadores
  • Gestão Ambiental
  • Licenciatura para graduados

Campus Machado



Ensino Médio

  • PROEJA


Educação profissional de nível técnico

  • Agricultura
  • Zootecnia
  • Informática
  • Enfermagem
  • Alimentos


Graduação

  • tecnólogo em cafeicultura
  • agronomia
  • licenciatura em computação
  • licenciatura em ciências biológicas


Pós-Graduação'

  • especialização em biodiesel

Campus Muzambinho



Ensino Médio

  • Ensino Médio
  • Proeja


Educação profissional de nível técnico

  • Técnico em Agropecuária
  • Técnico em Informática
  • Técnico em Enfermagem
  • Técnico em Agroindústria
  • Técnico em Agricultura
  • Técnico em Segurança do Trabalho
  • Técnico em Alimentos
  • Técnico em Edificações
  • Técnico em Informática à Distância
  • Técnico em Cafeicultura à Distância


Especialização técnica

  • Enfermagem do Trabalho
  • Cuidador de Idosos
  • Linguagem Java


Graduação

  • Tecnologia em Cafeicultura
  • Ciência da Computação
  • Ciências Biológicas
  • Educação Física
  • Engenharia Agronômica
  • Licenciatura para Graduados


Pós-Graduação

  • Cafeicultura Sustentável
  • Administração Pública

Campus Passos



Educação profissional de nível técnico

  • Comunicação Visual
  • Informática
  • Enfermagem
  • Vestuário
  • Informática Integrado ao Ensino Médio



Cursos Profissionalizantes nas modalidades

  • FIC - Formação Inicial e Continuada
  • PRONATEC - Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico em Emprego
  • Cursos EAd - Educação a distância



Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. O Instituto Instituto Federal do Sul de Minas. Visitado em 29 de dezembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]