Cânone Muratori

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Fragmento Muratoriano)
Ir para: navegação, pesquisa

O Cânone Muratori, também conhecido por fragmento muratoriano ou fragmento de Muratori, é uma cópia da lista mais antiga que se conhece dos livros do Novo Testamento. Foi descoberta na Biblioteca Ambrosiana de Milão por Ludovico Antonio Muratori (16721750) e publicada em 1740. Na lista figuram os nomes dos livros que o autor desconhecido da lista considerava admissíveis, com alguns comentários. A lista está escrita em latim e encontra-se incompleta, daí ser chamada de fragmento.

Apesar de ser consensual datar o manuscrito como sendo do século VII, ele é cópia de um texto mais antigo, tentativamente datado como tendo sido escrito por volta do ano 170, já que nele é referido o Pastor de Hermas e como recente o papado de Pio I, morto em 157.

Os livros canónicos mencionados na lista são aproximadamente os mesmos que se consideram hoje como canónicos neo-testamentários, com algumas variações. O Cânone de Muraori aceita quatro evangelhos, dos quais dois são o Evangelho de Lucas e o Evangelho de João, não se conhecendo os outros dois, pois falta o princípio do manuscrito, onde estariam os nomes dos dois primeiros[1]. A lista segue com os Actos dos Apóstolos e com 13 epístolas de Paulo de Tarso (não menciona a Epístola aos Hebreus). Considera falsificações as epístolas supostamente escritas por Paulo aos laodicenses e a escrita aos alexandrinos. Nele só se mencionam duas epístolas de João, sem as descrever. Figura também no fragmento como canónico o Apocalipse de Pedro, ainda que com certas reservas ("o qual alguns dos nossos não permitem que seja lido na igreja").

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bart D. Ehrmann, Apocrifi, sette ed eretici nella battaglia per le sante scritture, pp. 301 e seguintes, Carocci, Roma 2005.
  • Bruce Metzger: The Canon of the New Testament (Oxford: Clarendon Press, 1987) ISBN 0198269544

Notas

  1. A primeira frase legível diz: o terceiro Evangelho é o de Lucas (...), e o quarto, é o de João. Colhe-se uma alusão aos dois primeiros, embora no texto extante não venha mencionado nenhum outro texto com o nome de Evangelho.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]