Manuscrito bíblico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Manuscrito bíblico é o termo utilizado para referir-se a qualquer cópia feita a mão de um texto bíblico. A palavra Bíblia vem do grego biblion (livro). Já a palavra manuscrito vem do latim manu (mão) e scriptum (escrito). Manuscritos bíblicos variam grandemente em tamanho, indo desde pequeníssimos rolos de pergaminho contendo versos da escrituras judaicas (ver: Tefilin) até grandes códices poliglotas contendo tanto o Antigo Testamento (ou Tanakh) quanto o Novo Testamento, assim como textos não canônicos.

O estudo de manuscritos bíblicos é de grande importância, pois cópias manuscritas de textos costumam apresentar erros. A ciência da crítica textual (ver: Crítica da Bíblia) procura reconstruir o conteúdo dos textos originais a partir destes manuscritos, produzidos em geral antes da invenção da imprensa.

Manuscritos do Antigo Testamento (Tanakh)[editar | editar código-fonte]

O Codex Aleppo (c. 920) e o Códice de Leningrado (c. 1008) eram as mais antigas cópias manuscritas completas do Antigo Testamento, no entanto, a descoberta de 500 manuscritos bíblicos que formam os Pergaminhos do Mar Morto em 1947 no sítio arqueológico localizado de Qumran (Cisjordânia) levou a história dos manuscritos judaicos ha um milênio antes (geralmente datados entre 150 A.C. e 70 D.C., alguns são datados do século II a.C.).[1] Onde cerca de 220 destes são referentes ao Antigo Testamento (Tanakh),[2] onde cada está representado entre os Pergaminhos do Mar Morto com exceção do livro de Ester, embora a maior parte seja fragmentária. Notavelmente foram encontradas em Qumran dois rolos de pergaminho contendo o livro de Isaías, um completo (1QIsa) e outro contendo 75% deste(1QIsb).[1]

A precisão com que o conteúdo dos livros foi mantido sem erros durante mais de 1000 anos (como visto no exemplo anterior) foi fruto de técnicas desenvolvidas pelos antigos escribas judeus. O resultado destas técnicas é que erros significativos surgem apenas na taxa de uma consoante em cada 1500, em média.[3]

Manuscritos Existentes da Tanakh[editar | editar código-fonte]

Uma página de Deuteronômio do Codex Aleppo.
Manuscrito Exemplos e Locais Língua Cópia mais antiga
Pergaminhos do Mar Morto Tanakh de Qumran Hebraico, Aramaico e Grego (Septuaginta) c. 150 a.C - 70 d.C (fragmentos)
Septuaginta Codex Vaticanus, Sinaiticus, Alexandrinus, e outros antigos papiros Grego sec. 2 a.C (fragmentos); sec. 4 d.C (completo)
Peshitta Siríaco sec. 5 d.C
Vulgata Codex Amiatinus Latim sec. 5 d.C; sec. 8 d.C (completo)
Massorético Codex Aleppo, Códice de Leningrado e outros MSS incompletos Hebraico sec. 10 d.C (completo)
Pentateuco samaritano Alfabeto samaritano Manuscrito mais antigo existente, c. sec. 11 d.C; Mais antigo manuscrito acessível aos estudiosos, sec. 16 d.C
Targum Aramaico sec. 5 d.C

Manuscritos do Novo Testamento[editar | editar código-fonte]

Folha 65v do Codex Alexandrinus contém o Evangelho de Lucas com decoração tailpiece.

O Novo Testamento foi melhor preservado em manuscritos do que qualquer outro livro antigo, possuindo mais de 5400 manuscritos gregos completos ou fragmentos de manuscritos, 10 000 manuscritos em latim e 9300 manuscritos em diversos outros idiomas antigos incluindo siríaco, eslavo, gótico, copta e armênio. Esses manuscritos em sua maioria são cópias de cópias de outras cópias, podendo fortemente conter erros de escrita se pudessem ser comparados aos escritos originais; para comparação, há somente sete cópias manuscritas dos escritos de Platão, escritas aproximadamente 1 200 anos após os originais.[4]

Listas de manuscritos conhecidos[editar | editar código-fonte]

Distribuição dos manuscritos por século[5]

Manuscritos do Novo Testamento Lecionários
Século Papiro Unciais Minusculos Unciais Minusculos
2 2 - - - -
c. 200 4 - - - -
2 / 3 1 1 - - -
3 28 2 - - -
3 / 4 8 2 - - -
4 14 14 - 1 -
4 / 5 8 8 - - -
5 2 36 - 1 -
5 / 6 4 10 - - -
6 7 51 - 3 -
6 / 7 5 5 - 1 -
7 8 28 - 4 -
7 / 8 3 4 - - -
8 2 29 - 22 -
8 / 9 - 4 - 5 -
9 - 53 13 113 5
9 / 10 - 1 4 - 1
10 - 17 124 108 38
10 / 11 - 3 8 3 4
11 - 1 429 15 227
11 / 12 - - 33 - 13
12 - - 555 6 486
12 / 13 - - 26 - 17
13 - - 547 4 394
13 / 14 - - 28 - 17
14 - - 511 - 308
14 / 15 - - 8 - 2
15 - - 241 - 171
15 / 16 - - 4 - 2
16 - - 136 - 194

Manuscritos mais antigos[editar | editar código-fonte]

Manuscritos mais antigos dos livros do Novo Testamento:

Livro

Manuscrito mais antigo

Data

Condição

Ref

Evangelho de Mateus

P64, P67, P104

c. 200

Fragmentos

Evangelho de Marcos

P45

c. 250

Fragmentos Grandes

[2]

Evangelho de Lucas

P4, P75

c. 200

Fragmento

Evangelho de João

P52

c. 125-160

Fragmento

[2]

Atos dos Apóstolos

P38

3°/4° sec.

Fragmento

Epístola aos Romanos

P46

c. 175-225

Fragmentos

Primeira Epístola aos Coríntios

P46

c. 175-225

Fragmentos

Segunda Epístola aos Coríntios

P46

c. 175-225

Fragmentos

Gálatas

P46

c. 175-225

Fragmentos

Efésios

P46

c. 175-225

Fragmentos

Filipenses

P46

c. 175-225

Fragmentos

Colossenses

P46

c. 175-225

Fragmentos

Primeira Epístola aos Tessalonicenses

P46

c. 175-225

Fragmentos

Segunda Epístola aos Tessalonicenses

P92

3°/4° sec.

Fragmento

Primeira Epístola a Timóteo

א

c. 350

Completo

Segunda Epístola a Timóteo

א

c. 350

Completo

Epístola a Tito

P32

c. 200

Fragmento

Epístola a Filémon

P87

3º sec.

Fragmento

Epístola aos Hebreus

P46

c. 175-225

Fragmentos

Epístola de Tiago

P23, P20

3º sec.

Fragmento

Primeira Epístola de Pedro

P72

3º/4º sec.

Fragmentos

Segunda Epístola de Pedro

P72

3º/4º sec.

Fragmentos

Primeira Epístola de João

P9

3º sec.

Fragmento

Segunda Epístola de João

0232

3º/4º sec.

Fragmento

Terceira Epístola de João

א

c. 350

Completo

Epístola de Judas

P72

3º/4º sec.

Fragmentos

Apocalipse

P98, P115

c. 275

Fragmento

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b BRUCE, F. F. «Chapter 11, The Last Thirty Years» [Capítulo 11, Os últimos trinta anos]. The Story of the Bible by Sir Frederic Kenyon. World Invisible. Consultado em 25 de janeiro de 2021. Resumo divulgativo 
  2. a b c Teológica, Bíbliateca. «Os Papiros e os Pergaminhos da Bíblia - Bíbliateca Teológica». Bibliateca. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  3. Wilson 1929, p.40ff.
  4. Norman Geisler. Christian Apologetics, 1976, p. 307; Richard M. Fales. "Archaeology and History attest to the Reliability of the Bible,", in The Evidence Bible, Compiled by Ray Comfort, Bridge-Logos Publishers, Gainesville, FL, 2001, p. 163; Josh Mcdowell. A Ready Defense. 1993, p. 45.
  5. Aland, p 81

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Bíblia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.