Ilha de Marajó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Marajó redireciona para este artigo. Para o automóvel produzido pela Chevrolet na década de 1980, veja Chevrolet Marajó.
Ilha do Marajó
0° 58' S 49° 34' O
Geografia física
País  Brasil
Localização Pará
Arquipélago Arquipélago do Marajó
Área 40.100,00 (35ºkm²
Geografia humana
População 533 397 habitantes (2015/IBGE)
Mouths of amazon geocover 1990.png
A desembocadura do rio Amazonas e a Ilha de Marajó.

Ilha do Marajó é uma ilha brasileira do estado do Pará, localizada na foz do rio Amazonas no arquipélago do Marajó.[1][2][3]

Com uma área de aproximadamente 40 100 km², é a maior ilha do Brasil e também a maior ilha fluviomarítima do mundo. A cidade de Belém situa-se a sudeste do canal que separa a ilha do continente. A maior ilha fluvial é a Ilha do Bananal.[4]

Destaca-se pelos montes artificiais, nomeados tesos, construídos ainda em seu passado pré-colombiano pelos índios locais. A ilha era chamada de Marinatambal pelos indígenas (confirmado por Sir Walter Raleigh no século XVI), já em tempos coloniais foi denominada como Ilha Grande de Joannes.[5]

Outro destaque da ilha, é o lugar de maior rebanho de búfalos do Brasil, cerca de 600 mil cabeças.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Detalhe da Iha de Marajó.

A ilha do Marajó entre os anos de 400 e 1300 era ocupada por cerca de 40 mil habitantes que moravam em casas de chão batido sobre palafitas de terra e se caracterizavam por uma sociedade de linhagem materna. Desde a infância as marajoaras desenvolviam a arte de modelagem da argila e produção da cerâmica marajoara até o cultivo e manejo da mandioca. No início da adolescência, as marajoaras tinham os corpos pintados e usavam uma tanga de cerâmica decorada com traços referentes aos genitais.[7][8][9][10][11][12]

Divisão política e estatística[editar | editar código-fonte]

A ilha é dividida em dezesseis municípios que pertencem à entidade estatística denominada Mesorregião do Marajó. Por sua vez, a mesorregião é dividida em três microrregiões:[4]

O município de Breves é o mais populoso com cerca de 90 mil habitantes e o de Santa Cruz do Arari o menos povoado, com apenas de oito mil residentes.

Unidades de conservação[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Emil August Göldi, Maravilhas da natureza na Ilha de Marajó. (Rio Amazonas), 1902. OCLC 81508027
  2. Jurandyr Luciano Sanches Ross, Geografia do Brasil, EdUSP, 1996 ISBN 8-531-40242-5
  3. Coelho, Lorena (30/07/2015). «Multicampi avança para fortalecer a educação no Marajó». Assessoria de Comunicação. UFPA. Consultado em 14/11/2016. 
  4. a b Arquipélago Do MaraJó
  5. Cultura, igarapés e búfalos garantem passeio exótico dentro do Brasil na Ilha de Marajó, UOL Viagem.
  6. Paraturismo
  7. DIDONÊ, Débora, O Brasil antes do Brasil , ano XXIII, n. 212, maio, 2008.
  8. Eduardo Neves, Arqueologia da amazônia, Zahar, 2006 ISBN 8-571-10919-2
  9. Edithe Pereira, Arte rupestre na Amazônia: Pará , UNESP, 2004 ISBN 8-571-39505-5
  10. Loredana Ribeiro, Brasil rupestre: arte pré-histórica brasileira , Zencrane Livros, 2006 ISBN 8-560-47500-1
  11. Walter A. Neves, Luís Beethoven Piló, O povo de Luzia: em busca dos primeiros americanos , Editora Globo, 2008 ISBN 8-525-04418-0
  12. Helen C. Palmatary, Pottery of Marajo Island, Brazil: Transactions, APS , American Philosophical Society, 2008 ISBN 1-422-37709-1 (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ilha de Marajó