Manfrini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manfrini
Informações pessoais
Nome completo Antônio Monfrini Neto
Data de nasc. 23 de junho de 1950 (67 anos)
Local de nasc. São Paulo, SP,  Brasil
Apelido Manfra
Informações profissionais
Posição ex-meia
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1967-1972
1972-1973
1973-1975
1975-1979
1980-1981
Brasil Ponte Preta
Brasil Palmeiras
Brasil Fluminense
Brasil Botafogo
Brasil Juventus-SP

4 (4)
157 (61)
25 (5)

Antônio Monfrini Neto, mais conhecido como Manfrini (São Paulo, 23 de junho de 1950), é um empresário e ex-futebolista brasileiro, que atuava como meia-atacante.

Uma curiosidade sobre Manfrini é que, apesar de seu sobrenome constar como Monfrini (com "O"), utilizou a grafia com "A" no futebol.

Biografia e carreira[editar | editar código-fonte]

Sua carreira teve início em Campinas, pela Ponte Preta, clube que defendeu de 1967 a 1972. Seu primeiro gol foi na vitória da Ponte sobre a AA Votuporanguense por 1 a 0. [1]

Teve uma rápida passagem pelo Palmeiras, pelo qual jogou quatro partidas e marcou quatro gols.

Em 1973, chegou ao clube onde mais se descatou, o Fluminense. Foi o artilheiro do Campeonato Carioca de Futebol daquele ano, com 13 gols, dois dos quais contra o Flamengo na final, sob uma forte chuva — fato que lhe rendeu os apelidos de "Craque da Chuva" e "Gene Kelly", em alusão ao filme Cantando na Chuva.

Dois anos depois, ajudou a conquistar mais um título estadual, e mais uma vez na artilharia. Naquele mesmo ano, transferiu-se para o Botafogo, encerrando uma história de 157 jogos e 61 gols pelo tricolor carioca.

Em 1981[1], encerrou a carreira em sua cidade natal, defendendo o Clube Atlético Juventus.

Em 2009, o escritor Marcelo Pitanga citou Manfrini como um dos maiores ídolos do Fluminense, em seu livro Fluminense (Meu) Eterno Amor. O jogador assinou o texto da contracapa.

Atualmente Manfrini mora no Tradicional bairro da Mooca, de onde administrava sua empresa dada como falida, Gráfica Pinhal[2], dada como falida em agosto daquele ano.[3]

Referências

  1. a b «Biografias: Antônio Monfrini Neto». UOL Esporte. Consultado em 5 de dezembro de 2011 
  2. Milton Neves. «Manfrini, ex-atacante da Ponte Preta, Botafogo e Palmeiras». Que Fim Levou?. Consultado em 5 de dezembro de 2011 
  3. Arquivo Histórico do Tribunal Regional do Trabalho

Ligações externas[editar | editar código-fonte]